Tactics Ogre: Let Us Cling Together

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Tactics Ogre: Let Us Cling Together
Desenvolvedora(s) Quest, Square Enix (PSP)
Publicadora(s) Atlus (PlayStation)
Diretor(es) Yasumi Matsuno
Hiroshi Minagawa (PSP)
Designer(s) Yasumi Matsuno
Compositor(es) Hitoshi Sakimoto
Masaharu Iwata
Plataforma(s) Super Famicom
Conversões/
relançamentos
Sega Saturn, PlayStation, PlayStation Portable, PlayStation Vita, Virtual Console (Wii, Wii U e New Nintendo 3DS)
Data(s) de lançamento 1995 (Super Famicom)
1996 (Sega Saturn)
1997 (PlayStation)
2009 (Wii)
2010 (PSP)
2014 (Wii U)
2015 (PlayStation Vita)
2016 (New Nintendo 3DS)
Gênero(s) RPG eletrônico de estratégia
Ogre Battle: The March of the Black Queen
Ogre Battle 64: Person of Lordly Caliber

Tatics Ogre: Let Us Cling Together é um jogo eletrônico de RPG tático desenvolvido pela companhia japonesa Quest Corporation, atualmente parte do grupo Square Enix. O subtítulo do jogo, "Let Us Cling Together", é uma referência a uma canção da banda britânica Queen. Tactics Ogre: Let Us Cling Together é amplamente considerado um dos jogos mais influentes da história, servindo de inspiração direta para Final Fantasy Tactics.[1]

Versões[editar | editar código-fonte]

O jogo foi lançado inicialmente no Japão para o Super Famicom em 1995, e no ano seguinte convertido para o Sega Saturn, com lançamento exclusivamente no Japão. Em 1997, o jogo foi lançado no Japão para o PlayStation, recebendo uma tradução para o inglês no ano seguinte pela companhia Atlus, com lançamento limitado no território norte-americano. Em 2010, um remake foi lançado para o PlayStation Portable, recebendo uma nova tradução para o inglês e cenas adicionais, assim como novos gráficos em 3D para os mapas. Essa versão foi lançada digitalmente para o PlayStation Vita em 2015. A versão de Super Famicom foi relançada para o serviço Virtual Console da Nintendo, disponível para o Wii, Wii U e New Nintendo 3DS.

Recepção[editar | editar código-fonte]

A versão para Super Famicom foi avaliada pela revista brasileira Gamers em sua edição número 19, recebendo notas 9 pelos gráficos, 7 pelo som, 8 pela jogabilidade e 8 pela diversão.[2] Também avaliando a versão para Super Famicom, a revista brasileira Super Game Power em sua edição número 29 classificou o jogo com uma nota final de 4.5 (de um total de 5), recebendo 5 pelos gráficos, 5 pelo som, 4 pelos controles e 4 pela diversão.[3] O site estadunidense GameSpot avaliou a versão americana lançada para PlayStation com nota 7.9, e a versão americana para PSP com nota 9.[4][5] A versão para Sega Saturn recebeu notas 8, 7 e 8 dos três avaliadores da revista japonesa Sega Saturn Magazine.[6] Em 2006, o jogo foi eleito o sétimo jogo favorito em todos os tempos pelos leitores da revista japonesa Famitsu, uma das mais importantes do planeta.[7]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Reviews
Miscellaneous

Referências[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre jogos eletrônicos é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.