Taekwondo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa


NoFonti.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde Setembro de 2010). Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Taekwondo
Combate de taekwondo
Informação geral
Prática Desporto de combate; arte marcial
Foco Golpes
Outras informações
Esporte olímpico Desde 2000
Cronologia das artes marciais  · Lista de artes marciais  · Projeto Artes Marciais
Portal A Wikipédia possui o
Portal da Coreia do Sul

Taekwondo (em coreano: 태권도; AFI: [tʰɛk͈wʌndo]) , também grafado tae kwon do[1], taekwon-do ou TKD, pronúncia: Té quân dô, é uma arte marcial que originou um esporte de combate. Hoje em dia, é um desporto difundido em todos os continentes. Nos Jogos Olímpicos de Verão de 1988, teve seu "batismo de fogo", quando foi um desporto de exibição, continuando com este status nos Jogos Olímpicos de Verão de 1992. Em 1993, o desporto foi adicionado ao programa olímpico oficial, integrando o programa a partir dos Jogos Olímpicos de 2000.[2]

História do Taekwondo[editar | editar código-fonte]

As primeiras artes marciais coreanas desenvolveram-se com a fusão de estilos de lutas desenvolvidas pelos três antigos reinos coreanos.[3] A mais popular destas técnicas era Taekkyeon, um dos segmentos de Subak. Apesar da rica história de artes marciais, as artes marciais coreanas desapareceram na obscuridade durante o final da Dinastia Joseon. A sociedade coreana tornou-se altamente centralizada e artes marciais foram mal-vistas em uma sociedade cujos ideais eram simbolizados por seus reis-eruditos.[4] Durante seu reinado, Joseon consolidou o seu domínio absoluto sobre a Coreia, incentivou o fortalecimento dos ideais e doutrinas confucionistas na sociedade coreana, importou e adaptou a cultura chinesa. No entanto, a dinastia foi severamente enfraquecida durante o final do Século XVI e início do Século XVII, quando as invasões pelos vizinhos Japão e Dinastia Qing ultrapassaram a península, levando a uma política cada vez mais dura de isolamento, pelo qual a Coreia se tornou conhecido como o Reino Eremita. No entanto, o Taekkyeon persistiu até final do Século XIX.[3]

Idade Moderna[editar | editar código-fonte]

A arte marcial coreana surgiu como forma de renascimento depois dos conflitos e período de Ocupação japonesa da Coreia (1910-1945), quando houve supressão sistemática dos aspectos culturais.[5] Foi neste período que o Taekkyeon ganhou um grande impulso e teve desenvolvimento expressivo, tornando-se um dos requisitos para ingressar na vida militar. Nesta época, os progenitores do taekwondo foram enviados ao Japão, sendo expostos às artes marciais japonesas,[6] enquanto outros foram enviados para a China e Manchúria.[7][8][9][10] Quando a ocupação terminou em 1945, as escolas de artes marciais (Kwans) começaram a abrir na Coréia.[7][11] Existem diferentes pontos de vista sobre as origens do Taekwondo. Alguns pesquisadores acreditam que foi quase inteiramente baseado em Karatê.[12][13][14], pois possui umas quantas técnicas e posturas que são idênticas as do Karatê. Alguns acreditam que foram baseados em antigas artes marciais coreanas: Taekkyeon e Subak,[10][15][16][17][18] ou fusão entre artes marciais coreanas e estrangeiras.[7][19][20][21][22][23]

Uniforme e equipamento de luta[editar | editar código-fonte]

Em campeonatos de lutas, os atletas deste desporto devem utilizar equipamentos de proteção com o objetivo de não ocorrer ferimentos em função dos golpes e diminuir o impacto por eles causado. Os equipamentos de proteção servem para proteger a cabeça, o tórax, região genital, pernas, braços e mãos. A vestimenta ou uniforme usado, geralmente na cor branca de acordo com as regras da federação responsável, chama-se Dobok.

Origem do nome[editar | editar código-fonte]

  • "Tae" (Partir ou esmagar com o Pé)
  • kwon ( Partir ou esmagar com a mão)
  • "Do" (espírito/caminho em si).

Em sentido global, taekwondo indica a técnica de combate sem armas para defesa pessoal, envolvendo destreza no emprego das mãos e punhos, de pontapés voadores, de esquivas e intercepções de golpes com as mãos, braços ou pés, para a rápida destruição do oponente. Hoje em dia, o taekwondo tornou-se olímpico, e, em muitas academias, pratica-se o taekwondo olímpico. Basicamente um desporto de chutes com muita explosão. Mais precisamente 30% de socos e 70% de chutes. Nos Estados Unidos, país onde o caratê era a arte marcial predominante nos anos 1980 e 1990, o taekwondo foi, por muito tempo, "erroneamente" chamado de "caratê coreano". As artes marciais coreanas vêm se desenvolvendo ao longo dos anos, mostrando que a Ásia não se limita apenas ao Japão ou à China. O taekwondo é bem mais que medalhas, títulos ou promoções dadas aos vencedores de "competições" por aí afora. O taekwondo é a capacidade de vencer uma dificuldade pessoal, é desenvolver outras áreas da vida pessoal por meio da ética empregada no treinamento do taekwondo.

Em Portugal[editar | editar código-fonte]

O Taekwondo foi introduzido em Portugal em 1974 pelo Sporting Clube de Portugal, tendo sido nomeado oficialmente pela International Taekwondo Federation o Grão-Mestre Chung Sun Yong, actualmente 9º DAN, primeiro Dojang de Taekwondo em Portugal. Em 1978, foram formados os dois primeiros cintos negros portugueses, Nelson Costa actualmente 7º Dan em exercício no Sporting Clube Portugal e que implementou o Taekwondo na região sul do Tejo de Portugal e António Diogo que foi viver nos Estados Unidos América, não se conhecendo mais do seu paradeiro na modalidade. Desde então foram formados em Portugal um número considerável de Cintos Negros. Portugal conta ainda com três participações em Jogos Olímpicos de Verão, Pedro Póvoa nos Jogos Olímpicos de Pequim em 2008 (China), classificou-se em 7º lugar na categoria de menos de 58 kg[24], Rui Bragança que participou na mesma categoria de peso (menos de 58 kg), foi o primeiro português a ganhar um combate nos Jogos Olímpicos, mas não chegou o esforço e acabou por perder com o dominicano Luisito Pie por 4-1 nos quartos de final classificando-se em 9º lugar nos Jogos Olimpicos de Verão de 2016 no Rio de Janeiro [25], Rui Bragança que em 2015 venceu os Jogos Europeus em Baku (Azerbeijão) na mesma categoria de peso.[26] Hélder Gomes nos Jogos Surdolímpicos de Taipé (China) 2009, classificou-se em terceiro lugar conseguindo assim o bronze para Portugal (estes jogos são dedicados aos atletas surdos e surdos-mudos)[27]

No Brasil[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Taekwondo do Brasil

No Brasil, em Agosto de 1970 em São Paulo, trazido pelo grão-mestre Sang Min Cho, enviado oficialmente pela International Taekwondo Federation, com a fundação da Academia Liberdade de Taekwondo. Posteriormente vieram os mestres: Sang In Kim, Kun Mo Bang, Kum Joon Kwon, Woo Jae Lee, Kwang Soo Shin, Hee Song Kim, Yeong Hwan Park, Soon Myong Choi, Ju Yol Oh, Te Bo Lee, Hong Soon Kyang, Sung Jang Hong, Yong Min Kim entre outros, também se estabeleceram no Brasil, proporcionando um desenvolvimento maior da arte. Natália Falavigna, uma das maiores e mais vitoriosas lutadoras de artes marciais do mundo, é a brasileira com maior número de medalhas internacionais no taekwondo em toda história, única atleta no Brasil campeã mundial de taekwondo nas categorias júnior, adulta e universitária. Atualmente, o taekwondo é uma arte marcial muito praticada em vários locais do Brasil.

Federações[editar | editar código-fonte]

Internacional Taekwondo Federation (ITF)[editar | editar código-fonte]

Primeira federação de Taekwon-do criada, criada pelo general Choi Hong Hi.

World Taekwondo Federation (WTF)[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: World Taekwondo Federation

Criada após a sede da ITF ser mudada para o Canadá pelo governo da Coréia do Sul.

Songahm Taekwondo Federation (STF)[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Taekwondo songahm

Criada pelo Grão-Mestre Haeng Ung Lee em 1983. Diferencia-se de outros estilos por incorporar treinamentos mais amplos, como defesa pessoal, armas, rupturas de madeira e programas especiais de acordo com cada praticante. Nas aulas, para além da luta competitiva, há treinos de defesa pessoal, projecções, torções e imobilizações. Para os cintos pretos, existe ainda a possibilidade de complemento dos conhecimentos com a aprendizagem do manuseamento de armas orientais. Dentre as armas treinadas no estilo, podem-se citar a catana, nunchaku, bastão (longo ou curto), tonfa (o popular cassetete), facas, kama, entre outras.

Jwa Wooyang Woo Taekwondo (JTF)[editar | editar código-fonte]

Criada pelo grão-mestre Clóvis Nunes Ribeiro em 1991.

- Grão-Mestre Clóvis Nunes Ribeiro, brasileiro, casado, policial militar (12º BPM) e instrutor de taekwondo JTF e Hapkido, natural da cidade de Cachoeira do Sul/RS, reside atualmente na cidade de Balneário Camboriú/SC. Mestre em artes marciais, tendo experiência em vários estilos, resolveu fundar um estilo arrojado e moderno, que não perdesse a filosofia básica de toda a arte marcial. Começou no ano de 1991 na sua cidade natal a implantar em sua associação o taekwondo jwa woohyang woo.

- Fundada em 15 de Janeiro de 1993

- Registrada em Catório nº 3271, folha 159, livro A-15.

América Traditional Taekwondo Association (ATTA)[editar | editar código-fonte]

Criado pelo Grão - Mestre Jee Ho Lee, coreano radicado no EUA no ano de 1989, professa um estilo de Taekwondo chamado Hangil, tendo como seu maior representante e Presidente o Mestre Faixa Preta 8º Dan Agustin Garay Ramirez, na cidade de Lambaré- Paraguay. No Brasil, o praticante mais Graduado é o Professor Faixa -Preta 5º Dan Manoel Izidoro Cesar Parode, na cidade de Florianópolis-SC e também na cidade de Santa Maria-RS com o Professor Faixa Preta 2º Dan Argel Parcianello. Este estilo está presente nos Estados Unidos; Paraguay, Argentina, Uruguay Com Professor Gabriel Garay, Itália com Professor 5º Dan Daniel Sanchez; França e Alemanha.

Graus de aperfeiçoamento[editar | editar código-fonte]

A caminhada do praticante de taekwondo é dividida inicialmente em gubs e, em seguida, em dans.

Cada gub (geup) corresponde a uma faixa colorida que são divididas em 10 (dez) ou 9 (nove) gubs em ordem decrescente, quanto menor o gub, maior será o seu desenvolvimento técnico. Cada faixa colorida tem sua simbolização e significado:

BRANCA - Significa inocência, para um estudante iniciante que não possui conhecimento anterior sobre o Taekwondo.

AMARELA - Significa a Terra da qual uma planta brota e começa a germinar, enquanto o alicerce do Taekwondo está sendo construído.

VERDE - Significa o crescimento da planta, enquanto as habilidades do Taekwondo estão se desenvolvendo.

AZUL - Significa o Céu, através do qual a planta cresce até tornar-se uma árvore frondosa, enquanto o treinamento de Taekwondo progride.

VERMELHA - Significa perigo, advertindo o estudante para exercitar o controle e alertando o adversário para ficar longe.

PRETA - Ao contrário da branca, significa maturidade e habilidade no Taekwondo. Também indica a imunidade à obscuridade e ao medo.

Cada dan' corresponde a graduação de faixa preta que são divididas em 10 (dez) dans em ordem crescente, onde o décimo Dan é vitalício e só uma pessoa pode possuir. Quanto maior o dan maior será seu desenvolvimento dos conhecimentos e aprimoramentos da arte. A cor preta simboliza dignidade, dedicação, postura e liderança.

Ti, a faixa que o praticante de taekwondo amarra na cintura, por sobre o dobok, a vestimenta característica dessa arte marcial.

Podendo variar as cores de acordo com federações.

No estilo WTF e ITF, as os níveis de aprendizado são classificados por faixas coloridas, co-relacionadas a Gubs:

  • Branca - 10º Gub,
  • Amarela - 9º Gub
  • Amarela Ponta Verde - 8º Gub
  • Verde - 7 º Gub
  • Verde Ponta Azul 6º Gub
  • Azul - 5º Gub
  • Azul Ponta Vermelha - 4º Gub
  • Vermelha - 3º Gub
  • Vermelha Ponta Preta- 2º Gub
  • Preta - 1º Gub
  • Preta - 1º Dan (graduações de faixas pretas vão do 1º ao 10º Dan(a partir do 5° Dan ja e chamado de mestre e a partir do 7° Dan e considerado Grão-Mestre ))

Combates[editar | editar código-fonte]

Equipe de Taekwondo das Forças Armadas dos Estados Unidos durante um combate.

Desporto Olímpico (World Taekwondo Federation)[editar | editar código-fonte]

De forma a tornar o desporto mais apelativo e diminuir o número de discussões houve necessidade de adaptar o desporto à era moderna e criou-se um sistema electrónico de pontos, que detecta o pontapé por contacto e pressão nas áreas pontuáveis: colete e capacete.[28] . Os combates oficias realizam-se em àreas de 8m x 8m, em três rounds de dois minutos com um minuto de pausa entre eles. Em caso de empate no final do 3º round, realiza-se um 4º round de dois minutos de morte súbita.[29]

Sistema de pontos[editar | editar código-fonte]

(a partir de 1 de Janeiro de 2015 - [1] )

  • 1 ponto por ataque válido ao colete com o pé ou o punho;
  • 3 pontos por ataque válido rotativo ao colete com o pé;
  • 3 pontos por ataque válido à cabeça com o pé;
  • 4 pontos por ataque válido rotativo à cabeça com o pé;
  • 1 ponto por cada dois Kyung-gos ou um Gam-jeom cometidas pelo adversário.
Londres 2012

Sendo que os pontos rotativos têm de ser confirmados pelos Árbitros de canto. Para além do sistema de eletrônico, nos últimos jogos olímpicos também foi introduzido o sistema de visionamento de IVR (Instant Video Replay), que pode ser pedido pelo treinador que acompanha o atleta para confirmar pontos ou outras ocorrências, sendo que no caso de a mesa não confirmar o pedido do treinador, este deixa de poder voltar a pedir o IVR.

Condições de vitória[editar | editar código-fonte]

  1. Por nocaute(KO);
  2. O Árbitro para o combate (RSC);
  3. Resultado final (PTF);
  4. Margem de pontos (PTG): no final do segundo round ou a qualquer altura no round final;
  5. Morte Súbita (SDP);
  6. Superioridade (SUP);
  7. Desistência (WDR)
  8. Desqualificação (DSQ);
  9. Decisão punitiva do Árbitro central (PUN).
Categorias de peso Olímpico[editar | editar código-fonte]

Para homens: Abaixo dos 58 kg / Abaixo dos 68 kg / Abaixo dos 80 kg / Acima dos 80 kg;

Para mulheres: Abaixo dos 49 kg/ Abaixo dos 57 kg / Abaixo dos 67 kg / Acima dos 67 kg.

WTF[editar | editar código-fonte]

O chute na cabeça é permitido. A luta ocorre em três rounds e em caso de empate há um quarto round, onde quem marca o primeiro ponto ganha. Caso haja um novo empate,o arbitro decide quem ganha.

Faixas[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Geup

As cores mencionadas acima não foram escolhidas arbitrariamente. São, de fato, baseadas na tradição. As pretas, vermelhas e azuis denotam os vários níveis de hierarquias durante as dinastias Koguryo e Silla. Outra nomenclatura é usada para o faixa-preta júnior com até quinze anos de idade, chamada de "poom", vai do momento em que pega a faixa-preta pela primeira vez e é trocada de ano em ano (começa no primeiro e vai até o terceiro), se o faixa-preta júnior chegar ao terceiro poom com doze anos (por exemplo) terá de esperar até aos quinze anos, para assim pegar o segundo dan e seguir como faixa-preta "normal". Só foram criados três níveis para isso já que é bem difícil de um taekwondista chegar na faixa preta aos doze anos e assim, como troca apenas de ano em ano, não fica com o terceiro poom por mais de um ano.

PRETA - 1ºDan/10ºDan "Sabedoria e conhecimento" - o universo

  • É o oposto ao branco, o alcance da maturidade e do conhecimento, é o crescimento intelectual e espiritual do aluno, é a consciência de que o Taekwondo é muito mais do que uma simples luta, se confunde com a sua própria vida através de seus princípios e atitudes.

A caminhada do praticante dentro do taekwondo é divida inicialmente em Gubs e em seguida em Dans. Cada Gub corresponde a uma faixa colorida que o taekwondista amarra na cintura, por sobre o dobok, a vestimenta característica dessa arte marcial.

  • A partir daí, o praticante chega aos Dans, cujos sinais exteriores limitam-se à presença não-obrigatória de pequenos traços perpendiculares na faixa preta, indicando 1º Dan, 2º Dan etc., até o póstumo 10º Dan, que só é concedido ao 9º Dan que morre.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Dicionário escolar da língua portuguesa/Academia Brasileira de Letras. 2ª edição. São Paulo. Companhia Editora Nacional. p. 1 218.
  2. «História do Taekwondo | Lutas e Artes Marciais». Consultado em 24.set.2011. 
  3. a b Capener, Steven D.; H. Edward Kim (ed.) (2000). Taekwondo: The Spirit of Korea (portions of) Ministry of Culture and Tourism, Republic of Korea [S.l.] «Korea has a long history of martial arts stretching well back into ancient times. Written historical records from the early days of the Korean peninsula are sparse, however, there are a number of well-preserved archeological artifacts that tell stores of Korea’s early martial arts.", "taekwondo leaders started to experiment with a radical new system that would result in the development of a new martial sport different from anything ever seen before. This new martial sport would bear some important similarities to the traditional Korean game of taekkyon.» 
  4. Cummings, B. (2005). Korea's Place in the Sun (New York, NY: W.W. Norton). 
  5. «A.T.R.L. - História do Taekwondo». Consultado em 24.set.2011. 
  6. Park, S. W. (1993): About the author. In H. H. Choi: Taekwon-Do: The Korean art of self-defence, 3rd ed. (Vol. 1, pp. 241–274). Mississauga: International Taekwon-Do Federation
  7. a b c Glen R. Morris. «The History of Taekwondo». 
  8. Cook, Doug (2006). «Chapter 3: The Formative Years of Taekwondo». Traditional Taekwondo: Core Techniques, History and Philosophy (Boston: YMAA Publication Center). p. 19. ISBN 978-1-59439-066-1. 
  9. Choi Hong Hi (1999). «interviews with General Choi.». The Condensed Encyclopedia Fifth Edition.  Parâmetro desconhecido |copyright= ignorado (Ajuda) Young Choi's father sent him to study calligraphy under one of the most famous teachers in Korea, Mr. Han II Dong. Han, in addition to his skills as a calligrapher, was also a master of taekkyeon, the ancient Korean art of foot fighting. The teacher, concerned over the frail condition of his new student, began teaching him the rigorous exercises of taekkyeon to help build up his body.
  10. a b «Brief History of Taekwondo». Long Beach Press-Telegram. 2005. 
  11. Choi Young-ryul, Jeon Jeong-Woo (2006). «Comparative Study of the Techniques of Taekwondo and Taekkyon». Institution of physical exercise, Korea. pp. 197~206. 
  12. Capener, Steven D. (Winter 1995). «Problems in the Identity and Philosophy of T'aegwondo and Their Historical Causes». Korea Journal Korean National Commission for UNESCO [S.l.] ISSN 0023-3900. «Predefinição:Dubious "... t'aegwondo was first brought into Korea from Japan in the form of Japanese karate around the time of the liberation of Korea from Japanese colonial rule ...".» 
  13. Madis, Eric (2003). Green, Thomas A. and Joseph R. Svinth, : . Martial Arts in the Modern World Praeger Publishers [S.l.] ISBN 0-275-98153-3. «"...the following essay links the origins of taekwondo to twentieth-century Shotokan, Shudokan, and Shitō-ryū karate and shows how the revised history was developed to support South Korean nationalism.» 
  14. Burdick, Dakin (1997). «People and Events of Taekwondo's Formative Years». volume 6, issue 1 Journal of Asian Martial Arts [S.l.] 
  15. «About Tae Kwon Do». The World Taekwondo Federation. 
  16. «Historical Background of Taekwondo». The Korea Taekwondo Association (KTA). 
  17. «Tae Kwon Do». Encyclopædia Britannica Online. Encyclopædia Britannica. 2008. 
  18. «Comparing Styles of Taekwondo, Taekkyon and Karate(Video)». TaekwondoBible.com. «we compare styles of Taekwondo, Taekkyon and Karate in their Kyorugi(sparring). In this comparison, we can see the clear and distinct similarity of Taekwondo and Taekkyon(the old style of Taekwondo). As far as the essence of martial arts is the technical system of attack and defense, sparring style of each martial art will show directly the similarities of martial arts.» 
  19. Lawler, Jennifer (1999). «The History of Tae Kwon Do». The Secrets of Tae Kwon Do (Chicago: McGraw-Hill). ISBN 1-57028-202-1. 
  20. 허인욱 (In Uk Heo) (January 2004). «형성과정으로 본 태권도의 정체성에 관하여 (A Study on Shaping of the Taekwondo)». 체육사학회지 (Korean Journal of History for Physical Education) (em Korean with English abstract) [S.l.: s.n.] 14 (1): 79–87. Consultado em 2008-06-27. «Some of grand masters of 5 do-jang(道場, Taekwondo Gymnasium)s, which is unified as TKD afterwards, trained Karate during their stay in Japan as students. And the others trained martial arts in Manchuria Therefore it can`t be described as TKD is developed by influence of Karate only. And considering the fact that the main curriculum of those five do-jangs was centered on kicking technique originate from Korean folk, so we know that the current TKD seems to be affected by Korean traditional martial arts.» 
  21. Patrick Zukeran (2003). «The Origins and Popularity of the Martial Arts». Probe Ministries. 
  22. Henning, Stanley E. (December 1981). «The Chinese Martial Arts in Historical Perspective». Military Affairs Society for Military History [S.l.] 45 (4): 173–179. ISSN 0899-3718. «The Han Dynasty (206 B.C. – 220 A.D.) was a period during which conscript armies, trained in the martial arts, expanded the Chinese empire to Turkestan in the west and Korea in the northeast, where commanderies were established. It is possible that Chinese shoubo was transmitted to Korea at this time, and that it was the antecedent to Korean Taekwondo. According to one recent Korean source, "Taekwondo is known to have had its beginning in the period 209–427 A.D. ..."» 
  23. Jung Kun-Pyo, Lee Kang-Koo (2007). «An Analysis on the various views of Taekwondo History». Institution of Physical science, Korea. pp. 3~12(10 pages). 
  24. «Pequim 2008: fim do sonho para Pedro Póvoa | Maisfutebol.iol.pt | Paixão Pura». Maisfutebol. Consultado em 2016-03-02. 
  25. «Rui Bragança sentiu “a melhor coisa do mundo” e essa não foi o 9.º lugar». Consultado em 2016-08-22. 
  26. «É ouro para Portugal outra vez! Rui Bragança vence em Baku - Outras modalidades - TSF Rádio Notícias». TSF Rádio Notícias. Consultado em 2016-03-02. 
  27. «Jogos Surdolímpicos: Hélder Gomes conquista bronze no taekwondo». www.record.xl.pt. Consultado em 2016-03-02. 
  28. Daedo. «Tk Strike». Daedo. 
  29. WTF (1 Janeiro de 2015). «Sistema de pontos em combate Olímpico». WTF. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Taekwondo