Taizong de Tang

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Taizong de Tang
Nascimento 28 de janeiro de 598
Wugong County (Dinastia Sui)
Morte 10 de julho de 649
Hangfeng Hall
Sepultamento Zhao Mausoleum
Cidadania Dinastia Tang, Dinastia Sui
Progenitores
Cônjuge Empress Zhangsun, Wei Guifei, Consort Yang, Yan Defei, Consort Yang, Yin Fei, Nest King, Yang, Lady Wang, Wu Zetian, Xu Hui
Filho(s) Li Chengqian, Li Kuan, Li Ke, Li Tai, Li You, Li Yin, Li Yun, Li Zhen, Gaozong de Tang, Li Shen, Li Xiao, Li Jian, Li Fu, Li Ming, Princess Xiangcheng, Princess Runan, Princess Nanping, Princess Sui'an, Li Lize, Princess Yuzhang, Princess Baling, Princess Pu'an, Princess Dongyang, Li Mengjiang, Li Jing, Li Shu, Princess Jin'an, Princess Ankang, Princess Xinxing, Princess Chengyang, Princess Gaoyang, Princess Jinshan, Li Mingda, Princess Changshan, Princess Xincheng
Irmão(s) Gui​yang, Danyang, Zhending, Linhai, Xiang​yang, Changsha, Guantao, Jiu​jiang, Li Chengxia​, Fangling, Qian​jin, Nanchang, Gaomi, Anping, Changle, Wanchun, Hengyang, Luling, Li Jiancheng, Li Xuanba, Li Yuanji, Li Yuanheng, Li Yuanze, Li Yuanming​, Li Yuanjia, Li Yuanying, Li Yuanqing, Li Yuanyi, Li Yuanfang, Li Yuanchang, Li Yuanjing, Li Yuanxiao, Li Yuanxiang, Li Yuanli, Li Yuanyu, Li Yuangui, Li Zhiyun, Li Lingkui, Li Feng, Princess Pingyang
Ocupação poeta, imperador,
Causa da morte disenteria

Li Shimin, Taizong ou T'ai-tsung (598 - 649) foi o segundo imperador da dinastia Tang da China.[1] Na campanha de seu pai em contra da dinastia Sui, Li Shimin foi o encarregado da conquista da capital deste Luoyang.

Vida[editar | editar código-fonte]

Foi o segundo imperador da dinastia Tang da China, governando de 626 a 649. Ele é tradicionalmente considerado um co-fundador da dinastia por seu papel em encorajar Li Yuan, seu pai, a se rebelar contra a dinastia Sui em Jinyang em 617. Taizong posteriormente desempenhou um papel fundamental na derrota de vários dos oponentes mais perigosos da dinastia e solidificou seu domínio sobre a China.[2]

Taizong é normalmente considerado um dos maiores imperadores da história da China e, a partir de então, seu reinado passou a ser considerado o modelo exemplar pelo qual todos os futuros imperadores foram avaliados. Sua era, o "Reinado de Zhenguan chinês tradicional: 貞觀之治, pinyin: Zhēnguàn Zhī Zhì", é considerada uma idade de ouro na história chinesa antiga e foi tratada como material de estudo obrigatório para futuros príncipes herdeiros. Taizong continuou a desenvolver sistemas de exames imperiais. Ele pediu a seus oficiais que se tornassem leais às políticas, não às pessoas, a fim de eliminar a corrupção. Por mais de um século após sua morte, a China desfrutou da prosperidade e da paz proporcionadas pela solidificação da proteção imperial sobre as regiões chinesas. Em extensão territorial, cobria a maioria dos territórios anteriormente detidos pela dinastia Han e partes da Coréia moderna, Vietnã, Xinjiang e regiões da Ásia Central. Essa era de consolidação e conquista lançou as bases para o reinado de Xuanzong, considerado o auge da dinastia Tang.[3]

Em 630, o imperador Taizong enviou seu general Li Jing contra os turcos orientais, derrotando e capturando seu Jiali Khan Ashina Duobi e destruindo seu poder. Isso fez de Tang a potência dominante na Ásia Oriental e Central, e o Imperador Taizong posteriormente assumiu o título de Tengeri Qaghan chinês: 天可汗, pinyin: Tiān KěhánWade-Giles: 'T'ien K'ehan', "Tenger Khan" ou o Deus como Imperador). Ele também lançou uma série de campanhas contra os estados oásis da Bacia do Tarim, e contra os exércitos de seu principal aliado, os turcos ocidentais. Durante seu reinado, os exércitos Tang anexaram Karakhoja em 640, Karasahr em 644 e Kucha em 648. Eventualmente, o Tang derrotou e anexou o khaganato Gokturk Ocidental depois que Su Dingfang derrotou Qaghan Ashina Helu em 657.[4][5]

Ao contrário de grande parte da nobreza de seu tempo, o imperador Taizong era um franco racionalista e estudioso da lógica e da razão científica, desprezando abertamente as superstições e alegações de sinais dos céus. Ele também modificou ritos importantes para aliviar o fardo do trabalho agrícola. O historiador chinês moderno Bo Yang opinou que o imperador Taizong alcançou a grandeza ao suportar críticas que outros achariam difícil de aceitar enquanto tentavam não abusar de seu poder absoluto (usando o imperador Sui Yangdi como um exemplo negativo), bem como através de seu emprego de chanceleres competentes, como Fang Xuanling, Du Ruhui e Wei Zheng. Esposa do imperador Taizong A Imperatriz Zhangsun também provou ser uma assistente competente.[6][7][8][9][10]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. «Taizong de Tang». Encyclopædia Britannica Online (em inglês). Consultado em 1 de dezembro de 2019 
  2. New Book of Tang, vol. 13.
  3. «万方数据知识服务平台». d.wanfangdata.com.cn. doi:10.3969/j.issn.1004-3381.2019.08.062. Consultado em 4 de novembro de 2020 
  4. Zizhi Tongjian, Scroll 249.
  5. Wechsler, Howard J.; Twitchett, Dennis C. (1979). Denis C. Twitchett; John K. Fairbank, eds. The Cambridge History of China, Volume 3: Sui and T'ang China, 589–906, Part I. [S.l.]: Cambridge University Press. pp. 225–227. ISBN 978-0-521-21446-9 
  6. CHofC, vol.3, p.189.
  7. Bo Yang, Outlines of the History of Chinese, vol. 2, pp. 495–499.
  8. Adshead, SAM (1995) [1988], China in World History (2ª ed.), Nova York: Palgrave Macmillan and St. Martin's Press, ISBN 978-0-333-62132-5
  9. Andrade, Tonio (2016), The Gunpowder Age: China, Military Innovation, and the Rise of the West in World History , Princeton University Press, ISBN 978-0-691-13597-7
  10. Ball, Warwick (2016), Rome in the East: Transformation of an Empire (2ª ed.), Londres: Routledge, ISBN 978-0-415-72078-6

Precedido por
Gaozu
Imperador da China
626 - 649
Sucedido por
Gaozong