Takahe

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Como ler uma caixa taxonómicaTakahe
Takahe.png

Estado de conservação
Status iucn3.1 EN pt.svg
Em perigo
Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Aves
Ordem: Gruiformes
Família: Rallidae
Género: Porphyrio
Espécie: P. hochstetteri
Nome binomial
Porphyrio hochstetteri
(Meyer, 1883)

O takahe (Porphyrio hochstetteri) é uma ave gruiforme da família Rallidae, endémica da Nova Zelândia. Encontra-se ameaçada de extinção.

O takahe é o maior ralídeo existente na actualidade, com cerca de 63 cm de comprimento. É uma ave possante, com patas fortes e bico triangular compacto. As asas são muito curtas e não estão anatomicamente preparadas para voar. A plumagem é colorida, em tons de azul-violáceo, com a zona dorsal de cor verde. Os adultos têm uma máscara facial encarnada e bico amarelo. Os juvenis podem ser identificados pela plumagem baça e acastanhada.

Estas aves habitam as pastagens alpinas da Ilha do Sul da Nova Zelândia. A sua alimentação, exclusivamente herbívora, é composta pelas partes mais tenras da vegetação rasteira da montanha. São aves territoriais, que vivem aos pares. Os ninhos são construidos junto ao solo, debaixo de arbustos, e na época de reprodução as fémeas colocam apenas dois ovos. A taxa de sobrevivência das crias é relativamente alta, entre os 73 e 97%.

Assim como tantos exemplos de ralídeos não voadores, que desapareceram na zona do Pacífico, devido a caça excessiva e introdução de espécies invasoras, nomeadamente roedores, o takahe foi considerado extinto por muito tempo. Em 1948, no entanto, foi redescoberta uma pequena população no alto das montanhas de Murchinson na Ilha do Sul. O takahe da Ilha do Norte (P. mantelli) desapareceu totalmente. O sucesso de sobrevivência do takahe deve-se principalmente à inacessibilidade do seu presente habitat, que não apresenta condições favoráveis à vida humana e, como tal, nunca foi colonizado. Apesar disso, a espécie continua ameaçada de extinção e como medida de prevenção, alguns pares foram transferidos, com sucesso, para diversas ilhas ao largo da Nova Zelândia que se encontram desratizadas.

Referências[editar | editar código-fonte]