Takht-i-Bahi

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Pix.gif Ruínas Budistas de Takht-i-Bahi e Vestígios de Sahr-i-Bahlol *
Welterbe.svg
Património Mundial da UNESCO

Museum für Indische Kunst Dahlem Berlin Mai 2006 017.jpg
Buda encontrado em Takht-i-Bahi. Museu für Indische Kunst.
País Paquistão
Critérios (iv)
Referência 140 en fr es
Coordenadas 34° 18′ 18,06″ N, 71° 58′ 46,83″ L(Província da Fronteira Noroeste, Paquistão)
Histórico de inscrição
Inscrição 1980  (? sessão)
* Nome como inscrito na lista do Património Mundial.

Takht-i-Bahi é um complexo monástico budista datando do século I a.C.. Localiza-se a cerca de 15 km de Mardan, no Paquistão. Foi declarado Património Mundial da Unesco em 1980.

Takht significa trono, e bahi significa água ou nascente em persa/urdu. O complexo foi chamado Takht-i-Bahi porque foi construído no topo de uma colina e também adjacente a um ribeiro.

Takht-i-Bahi é o mais fértil tehsile na divisão de Mardan. Há muitos campos a crescer no tehsile de Takht-i-Bahi, alguns dos quais são de tabaco, trigo e cana-de-açúcar. O primeiro moinho de açúcar na Ásia foi construído aqui pelo governo inglês perto do mosteiro.

A primeira referência histórica a estas ruínas foi feita em 1836 pelo oficial francês, o General Court. Explorações e escavações no sítio só começaram em 1852.