Talíria Petrone

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Talíria Petrone
Deputada Federal pelo Rio de Janeiro
Período 1º de fevereiro de 2019
até atualidade
Vereadora de Niterói
Período 1º de janeiro de 2017
até 1° de fevereiro de 2019
Dados pessoais
Nome completo Talíria Petrone Soares
Nascimento 9 de abril de 1985 (34 anos)
Niterói, RJ
Nacionalidade brasileira
Alma mater Universidade do Estado do Rio de Janeiro
Partido PSOL (2016-atualmente)
Profissão Professora

Talíria Petrone Soares (Niterói, 9 de abril de 1985) é uma professora, política e ativista brasileira.[1] Exerceu o mandato de vereadora pelo Partido Socialismo e Liberdade (PSOL) na Câmara Municipal de Niterói, tendo sido a mais votada em 2016.[2] Foi eleita deputada federal pelo mesmo partido nas eleições de 2018.[3][4]

Formação e atuação[editar | editar código-fonte]

Filha de músico e de uma professora, Talíria nasceu na Ponta d'Areia, em Niterói. Foi na Zona Norte, no Fonseca onde passou a infância. Formada em História pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro é mestre em Serviço Social pela Universidade Federal Fluminense (UFF), é professora da rede pública de ensino.[1]

Durante a faculdade, trancou o curso de História e foi a Portugal atuar como atleta profissional de vôlei. Retornou após dois anos.[5]

Militante dos direitos humanos, dos direitos da mulher, do movimento negro e dos direitos LGBT há anos, disputou sua primeira eleição em 2016. A decisão envolveu a amiga Marielle Franco, onde ambas decidiram concorrer às Câmaras Municipais, Talíria em Niterói e Marielle no Rio. Acabaram eleitas.[5] Talíria recebeu 5.121 votos, o que fez dela a mais votada naquela eleição.[6][7]

Em 2018, foi eleita para exercer mandato na Câmara dos Deputados com 107.317 votos, a nona mais votada no estado.[8]

Ameaças[editar | editar código-fonte]

A parlamentar já recebeu ameaças de morte em redes sociais e também em telefonemas para a sede do PSOL na cidade. Nesses contatos, o intimidador dizia que explodiria o local. Os casos foram denunciados para a Polícia Civil.[5][9]

Em junho de 2019, no exercício do mandato de deputada federal voltou a ser vítimas de ameças de morte. A Polícia Legislativa da Câmara dos Deputados acompanha a parlamentar em todos os ambientes que Talíria frequenta em Brasília, após serem descobertos que um plano contra a vida da parlamentar estaria sendo elaborado desde 2018.[10]

Referências

  1. a b «Perfil da Vereadora Talíria Petrone no portal da Câmara Municipal». Câmara de Niterói. Consultado em 19 de agosto de 2018 
  2. «Feminista e negra, Talíria Petrone é a vereadora mais votada de Niterói». Extra. Consultado em 19 de agosto de 2018 
  3. Neder, Lívia (29 de Abril de 2018). «PSOL muda estratégia e lança Talíria Petrone à Câmara Federal». O Globo. Consultado em 29 de Agosto de 2018 
  4. «PSol aumenta bancada na Câmara e passa de 6 para 11 deputados». HuffPost Brasil. 7 de outubro de 2018 
  5. a b c «'Irmã de vida' de Marielle e ameaçada de morte: a vereadora mais votada de Niterói». BBC Brasil. Consultado em 19 de agosto de 2018 
  6. «Eleições 2016: Talíria Petrone». TSE. Consultado em 19 de agosto de 2018 
  7. «A herdeira de Marielle Franco». O Dia. Consultado em 19 de agosto de 2018 
  8. «'Efeito Marielle': candidatas ligadas à ex-vereadora são eleitas deputadas». G1. Consultado em 8 de outubro de 2018 
  9. «"Merece uma 9 mm na nuca", apesar das ameaças, Talíria Petrone não recua». Brasil de Fato. Consultado em 19 de agosto de 2018 
  10. «Amiga de Marielle, deputada Talíria Petrone volta a sofrer ameaças de morte». UOL. Consultado em 2 de julho de 2019