Tarcísio Padilha

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Tarcísio Padilha Academia Brasileira de Letras
Nascimento 17 de abril de 1928 (89 anos)
Rio de Janeiro
Nacionalidade Brasileiro
Ocupação Escritor e filósofo

Tarcísio Meirelles Padilha (Rio de Janeiro, 17 de abril de 1928) é um professor e filósofo brasileiro, filho do político Raymundo Delmiriano Padilha. Exerceu o cargo de Juiz no Tribunal Regional do Trabalho da 1ª Região, sendo aprovado no primeiro concurso para esse cargo no TRT/1. É membro e ex-Presidente da Academia Brasileira de Letras.

Doutor em Filosofia, com passagens pela UERJ, UFF, PUC-Rio e Escola Superior de Guerra. Professor titular, chefe do Departamento de Filosofia e diretor do Departamento Cultural da UERJ; professor de História da Filosofia da UFRJ e da PUC-Rio; professor de Filosofia, Pedagogia e Sociologia da Universidade Santa Úrsula; membro do corpo permanente da Escola Superior de Guerra. Coordenou a Bibliografia Filosófica Brasileira do Institut International de Philosophie, sob os auspícios da Unesco, e presidiu o conselho editorial da revista Communio. Foi presidente da seção carioca do Instituto Brasileiro de Filosofia e vice-presidente da Union Mondiale de Sociétés Catholiques de Philosophie, da Fédération Internationale des Sociétés de Philosophie, da Metaphysical International Society e da Asociación Interamericana de Filosofia. Integra, no Vaticano, o Pontifício Conselho para a Família, e é membro fundador, conselheiro e membro honorário da Association Louis Lavelle. Presidiu a ABL no biênio 2000-2001.[1]

Lorbeerkranz.pngAcademia Brasileira de Letras[editar | editar código-fonte]

É o quinto ocupante da cadeira 2 da Academia Brasileira de Letras. Foi eleito em 20 de março de 1997, na sucessão de Mário Palmério, e recebido em 13 de junho de 1997 pelo acadêmico Arnaldo Niskier. Recebeu a acadêmica Ana Maria Machado.[2]

Obras[editar | editar código-fonte]

  • A Ontologia Axiológica de Louis Lavelle, tese de cátedra. Rio de Janeiro: UDF, 1955/2012 É Realizações
  • Filosofia, Ideologia e Realidade Brasileira. Prefácio de José Barreto Filho. Rio de Janeiro: Cia. Editora Americana, 1971.
  • Brasil em Questão. Rio de Janeiro: Livraria José Olympio Editora, 1975.
  • Uma Filosofia da Esperança. Prefácio de Hanns Ludwig Lippmann, Rio de Janeiro: Pallas, Editora e Distribuidora Ltda., 1982.
  • Dr. Alceu e o Laicato Hoje no Brasil (em colaboração). Rio de Janeiro: Editora Nova Fronteira, 1993.
  • Libertação e Liberdade. Prefácio de Edmo Rodrigues Lutterbach. Rio de Janeiro, 1995.
  • Educação e Filosofia. Prefácio de Cícero Sandroni. Rio de Janeiro: Editora Universidade Gama Filho, 1995.
  • Alceu / Tudo Se Transfigura – Introdução e antologia. São Paulo: Editora Cidade Nova, 1995.
  • Realismo da Esperança. Prefácio de Candido Mendes de Almeida. São Paulo: Editora Cidade Nova, 1996.
  • Privilégio do Instante. São Paulo: Editora Cidade Nova, 1997.
  • iteratura e Filosofia. Prefácio de Rachel de Queiroz. Rio de Janeiro, 1997.
  • O Cura da Aldeia Global. Rio de Janeiro: Editora do Autor, 1998.
  • Uma Ética do Cotidiano. Prefácio de Antônio Houaiss. Rio de Janeiro: Academia Brasileira de Letras, (Coleção Afrânio Peixoto), 1999.
  • História e Filosofia. Prefácio de Antonio Olinto. Rio de Janeiro: Editora Universidade Gama Filho, 1999.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Precedido por
Mário Palmério
Lorbeerkranz.png ABL - quinto acadêmico da cadeira 2
1997 — atualidade
Sucedido por
Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.

Referências