Tarquínio, o Soberbo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Tarquínio, o Soberbo
Rei de Roma
Tarquinius-Superbus.jpg
Tarquínio, o Soberbo;
do Promptuarii Iconum Insigniorum
Reinado 535 a.C. - 509 a.C.
Antecessor(a) Sérvio Túlio
Sucessor(a) República Romana
 
Dinastia tarquínios
Nome completo
Lucius Tarquinius Superbus
Nascimento 535 a.C.
Morte 496 a.C. (39 anos)

Tarquínio, o Soberbo (Lúcio Tarquínio Soberbo, em latim Lucius Tarquinius Superbus), (535 a.C.496 a.C.) foi o último rei de Roma e o terceiro dos reis Tarquínios. Reinou de 535 a.C. até 509 a.C..

Matrimônio[editar | editar código-fonte]

Filho de Tarquínio Prisco, desposou primeiro Túlia Maior, a filha mais velha de Sérvio Túlio, depois a irmã desta, Túlia Menor, com cuja ajuda organizou o complô para matar o sogro e ascender ao trono de Roma.

Complô[editar | editar código-fonte]

Tito Lívio relata que Tarquínio um dia apresentou-se ao senado e sentou-se no trono, reivindicando-o para si. Túlio, advertido do fato, foi às pressas à Cúria Hostília[1].

Deu-se assim uma acesa discussão entre os dois, que logo degenerou em luta entre as duas facções, ao fim da qual o jovem Tarquínio, já fora da Cúria, feriu o rei. Sérvio, ferido mas não morto, foi atingido mortalmente pela filha, atropelando-o com a carroça que guiava.

Reinado[editar | editar código-fonte]

Maquete de Roma no tempo dos Tarquínios, no Museu da Civilização Romana.

Conta o historiador romano Tito Lívio que, no governo, sob um despotismo indisfarçável, o orgulhoso Tarquínio eliminou ou desterrou todos os que eram partidários de Sérvio Túlio e confiscou os bens de famílias poderosas, recebendo o título pelo qual ficou conhecido na história: "o Soberbo", isto é, o Orgulhoso, que equivalia em grego a "tirano".

De acordo com a arqueologia, dotou Roma de grandes obras infraestruturais. Terminou o Capitólio e a Cloaca Máxima. Tentou conquistar as colónias gregas do sul da península, mas foi derrotado.

Foi deposto em em 509 a.C. por uma revolta patrícia contra a dominação etrusca e a tirania do rei.

Segundo a lenda, porém, Tarquínio, muito odiado entre os romanos, era ainda copiado pelo filho Sexto Tarquínio, que se apaixonou pela bela e casta Lucrécia, filha de um influente aristocrata e já casada com um notável patrício, obrigando-a ao adultério. Lucrécia, em resposta suicidou-se. Achando-se Tarquínio fora da cidade, o marido da matrona ofendida, Lúcio Colatino, chefe da Ordem Eqüestre dos Cavaleiros Romanos, e o Prefeito Lucrécio aliaram-se a Lúcio Júnio Bruto, de grande prestígio no Senado, para iniciar uma rebelião, a qual a população de Roma aderiu depois de se inteirar dos fatos. Em 509 a.C., declararam deposto o rei ausente e proclamando a República. O reinado de Tarquínio durou 25 anos e a dinastia etrusca 244 anos. [2]

Charges de Tarquínio[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Tito Lívio:Ab Urbe condita libri, 1:48,
    Huic orationi Seruius cum intervenisset trepido nuntio excitatus, extemplo a uestibulo curiae magna voce "Quid hoc" inquit, "Tarquini, rei est? qua tu audacia me uiuo vocare ausus es patres aut in sede considere mea?"
     (em latim)
  2. GILBERT, John (1978). Mitos e lendas da Roma Antiga 1 2 ed. (São Paulo: Melhoramentos). p. 72. 
Precedido por
Sérvio Túlio
Rei de Roma
534 a.C. — 509 a.C.
Sucedido por
República