Taxa Selic

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Taxa SELIC)
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

No Brasil, a taxa Selic é a taxa média ajustada dos financiamentos diários apurados no Sistema Especial de Liquidação e de Custódia para títulos federais.[1] Ela é obtida mediante o cálculo da taxa média ponderada e ajustada das operações de financiamento por um dia, lastreadas em títulos públicos federais e cursadas no referido sistema ou em câmaras de compensação e liquidação de ativos, na forma de operações compromissadas.[2]

Como a taxa Selic representa a remuneração das instituições financeiras nas operações com títulos públicos, ela é comumente utilizada como um índice pelo qual as taxas de juros no Brasil se balizam. Ela é um instrumento de política monetária utilizado pelo Copom para controlar os juros no país.

A taxa apurada no processamento noturno do Selic, que consolida as taxas praticadas durante aquele dia, é conhecida como taxa overnight do Selic, taxa Selic overnight ou taxa Selic over. Embora a taxa seja apurada diariamente, a taxa Selic é usualmente expressa em termos anuais, compondo os valores apurados nos últimos 12 meses.

Os maiores valores já registrados para a taxa Selic ocorreram durante o período de hiperinflação no Brasil, quando em 2 de fevereiro de 1999 foi apurada a taxa de 3,626% no dia[3] e, em 26 de dezembro de 1989, a taxa composta nos 12 meses precedentes atingiu 115 334,03%.[4]

Metodologia de cálculo[editar | editar código-fonte]

A definição da taxa Selic foi publicada originalmente pelo Banco Central do Brasil por meio da Circular n° 2.900 de 24 de junho de 1999[5] e, com sua revogação estabelecida na Circular nº 3.868, de 19 de dezembro de 2017, a taxa Selic encontra-se atualmente definida como parte da regulamentação do Copom publicada como anexo da mesma circular.[6]

Assim, a taxa média ajustada das operações de financiamento é calculada pelo Selic de acordo com a seguinte fórmula:[7]

na qual

Lj: fator diário correspondente à taxa da j-ésima operação;
Vj: valor financeiro correspondente à taxa da j-ésima operação;
n: número de operações que compõem a amostra.

A amostra é constituída excluindo-se do universo as operações atípicas, assim consideradas:

  • no caso de distribuição simétrica: 2,5% das operações com os maiores fatores diários e 8,5% das operações com os menores fatores diários
  • no caso de distribuição assimétrica positiva: 5% das operações com os maiores fatores diários
  • no caso de distribuição assimétrica negativa: 5% das operações com os menores fatores diários.

Aplicação[editar | editar código-fonte]

Também chamada simplesmente de "taxa básica", a taxa Selic é, no Brasil, a taxa de financiamento no mercado interbancário, para operações de um dia (ou overnight) que possuem lastro em títulos públicos federais, títulos estes que são listados e negociados no Sistema Especial de Liquidação e de Custódia (Selic). Também é conhecida como a taxa média do overnight que regula diariamente as operações interbancárias. A taxa Selic reflete o custo do dinheiro para empréstimos bancários, com base na remuneração dos títulos públicos.

Em outras palavras, esta taxa é usada para operações de curtíssimo prazo entre os bancos, que, quando querem tomar recursos emprestados de outros bancos por um dia, oferecem títulos públicos como lastro (garantia), visando reduzir o risco e, consequentemente, o custo da transação (juros). A taxa é expressa, na forma anual, para 252 dias úteis. [8][9]

Assim, como o risco final da transação acaba sendo efetivamente assumido pelo governo, pois seus títulos servem de lastro para a operação, e como o prazo é o mais curto possível (apenas um dia), a taxa Selic acaba servindo de referência básica para todas as demais taxas de juros da economia. A taxa varia praticamente todos os dias, mas dentro de um intervalo muito pequeno, já que, na grande maioria das vezes, ela tende a se aproximar da meta definida pelo Selic, que é determinada oito vezes por ano, consoante regulamentação datada de 2006.

Todas as negociações interbancárias realizadas no Brasil, com prazo de um dia útil (overnight) e envolvendo títulos públicos federais, são registradas nos computadores do Demab, o Departamento de Operações de Mercado Aberto do Banco Central, cuja sede fica no Rio de Janeiro. Depois do fechamento do mercado, o Demab calcula a taxa média ponderada das operações realizadas no dia. Esta será a taxa média Selic do dia, a qual é, em geral, divulgada pelo Copom por volta das 20h00 do mesmo dia.

Histórico[editar | editar código-fonte]

No período de 1º de julho de 1996 a 4 de março de 1999, a taxa básica para definição de todas as demais taxas de juros da economia brasileira era a TBC (Taxa Básica do Banco Central), determinada mensalmente pelo Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central do Brasil.[10] A partir de 2 de janeiro de 1998, essas taxas passaram a ser fixadas na expressão anual. Após 5 de março de 1999, com a extinção da TBC, o Copom passou a divulgar a meta para a taxa Selic, estabelecida periodicamente para fins de política monetária. [11]

Evolução da taxa SELIC no Brasil, de março de 1999 até setembro de 2017 (em % ao ano)

FONTE: Banco Central do Brasil. «Histórico das taxas de juros». Consultado em 8 de novembro de 2013. 

Obs.: Não confundir a meta estipulada para a taxa Selic, pelo Copom, com a Selic efetivamente realizada e divulgada pelo Demab.

Referências

  1. «Taxa Selic :: Definição». Banco Central do Brasil. Consultado em 21 de janeiro de 2018.. Cópia arquivada em 7 de julho de 2017 
  2. Compromissada. BM&F Bovespa
  3. «SGS - Sistema Gerenciador de Séries Temporais». Banco Central do Brasil. Série 11 - Taxa de juros - Selic, % ao dia. Consultado em 21 de janeiro de 2018. 
  4. «SGS - Sistema Gerenciador de Séries Temporais». Banco Central do Brasil. Série 1178, Taxa de juros - Selic anualizada base 252, % ao ano. Consultado em 21 de janeiro de 2018. 
  5. «Circular nº 2.900, de 24/6/1999 (REVOGADO)». Estabelece período de vigência da meta para a Taxa SELIC, seu eventual viés e aprova o novo Regulamento do Comitê de Política Monetária (COPOM). Banco Central do Brasil. 24 de junho de 1999. Art. 2, §1 e §3. Consultado em 21 de janeiro de 2018.. Cópia arquivada em 21 de janeiro de 2018 
  6. «Circular nº 3.868, de 19/12/2017». Divulga novo Regulamento do Comitê de Política Monetária (Copom). Banco Central do Brasil. 19 de dezembro de 2017. Regulamento anexo, Art. 1º, §1º e §2º. Consultado em 21 de janeiro de 2018. 
  7. «Descrição da Taxa Selic». Banco Central do Brasil. Consultado em 21 de janeiro de 2018.. Arquivado do original em 23 de setembro de 2013 
  8. «Taxa SELIC» 
  9. O que é Taxa Selic e como ela influencia nossas vidas?. Investpedia, 18 de novembro de 2011.
  10. Taxa Básica do Banco Central - TBC
  11. Circular nº 2868, de 4 de março de 1999, do Banco Central do Brasil. Estabelece período de vigência da meta para a Taxa SELIC, seu eventual viés e aprova o novo Regulamento do Comitê de Política Monetária (COPOM).

Ligações externas[editar | editar código-fonte]