Taxa Selic

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Taxa SELIC)
Ir para: navegação, pesquisa

A taxa Selic (Sistema Especial de Liquidação e de Custódia) é um índice pelo qual as taxas de juros cobradas pelos bancos no Brasil se balizam. A taxa é um instrumento de política monetária utilizado pelo Banco Central do Brasil para atingir a meta das taxas de juros estabelecida pelo Comitê de Política Monetária (Copom).

A taxa overnight do Selic é a taxa média ponderada das operações de financiamento por um dia, lastreadas em títulos públicos federais e realizadas no Selic, na forma de operações compromissadas (operações de compra ou venda de títulos públicos, com liquidação em determinada data, mediante o compromisso de revenda ou recompra do mesmo título em data futura.[1]). Estão aptas a realizar operações compromissadas, por um dia útil (no caso do overnight), as instituições financeiras habilitadas (bancos, caixas econômicas, sociedades corretoras de títulos e valores mobiliários e sociedades distribuidoras de títulos e valores mobiliários, etc.)[2] A taxa Selic é expressa em termos anuais, considerando-se os dias úteis do ano.

Na definição do Banco Central do Brasil, a taxa Selic [2]

"É a taxa apurada no Selic, obtida mediante o cálculo da taxa média ponderada e ajustada das operações de financiamento por um dia, lastreadas em títulos públicos federais e cursadas no referido sistema ou em câmaras de compensação e liquidação de ativos, na forma de operações compromissadas."

Metodologia de cálculo[editar | editar código-fonte]

A taxa média ajustada das mencionadas operações de financiamento é calculada de acordo com a seguinte fórmula[2]:

,

na qual

Lj: fator diário correspondente à taxa da j-ésima operação;
Vj: valor financeiro correspondente à taxa da j-ésima operação;
n: número de operações que compõem a amostra.

A amostra é constituída excluindo-se do universo as operações atípicas, assim consideradas:

  • no caso de distribuição simétrica: 2,5% das operações com os maiores fatores diários e 8,5% das operações com os menores fatores diários;
  • no caso de distribuição assimétrica positiva: 5% das operações com os maiores fatores diários;
  • no caso de distribuição assimétrica negativa: 5% das operações com os menores fatores diários.

O cálculo é feito diretamente pelo sistema Selic [3] após o encerramento das operações, em processo noturno.

Aplicação[editar | editar código-fonte]

Também chamada simplesmente de "taxa básica", a taxa Selic é, no Brasil, a taxa de financiamento no mercado interbancário, para operações de um dia (ou overnight) que possuem lastro em títulos públicos federais, títulos estes que são listados e negociados no Sistema Especial de Liquidação e de Custódia (Selic). Também é conhecida como a taxa média do overnight que regula diariamente as operações interbancárias. A taxa Selic reflete o custo do dinheiro para empréstimos bancários, com base na remuneração dos títulos públicos.

Em outras palavras, esta taxa é usada para operações de curtíssimo prazo entre os bancos, que, quando querem tomar recursos emprestados de outros bancos por um dia, oferecem títulos públicos como lastro (garantia), visando reduzir o risco e, consequentemente, o custo da transação (juros). A taxa é expressa, na forma anual, para 252 dias úteis. [4][5]

Assim, como o risco final da transação acaba sendo efetivamente assumido pelo governo, pois seus títulos servem de lastro para a operação, e como o prazo é o mais curto possível (apenas um dia), a taxa Selic acaba servindo de referência básica para todas as demais taxas de juros da economia. A taxa varia praticamente todos os dias, mas dentro de um intervalo muito pequeno, já que, na grande maioria das vezes, ela tende a se aproximar da meta definida pelo Selic, que é determinada oito vezes por ano, consoante regulamentação datada de 2006.

Todas as negociações interbancárias realizadas no Brasil, com prazo de um dia útil (overnight) e envolvendo títulos públicos federais, são registradas nos computadores do Demab, o Departamento de Operações de Mercado Aberto do Banco Central, cuja sede fica no Rio de Janeiro. Depois do fechamento do mercado, o Demab calcula a taxa média ponderada das operações realizadas no dia. Esta será a taxa média Selic do dia, a qual é, em geral, divulgada pelo Copom por volta das 20h00 do mesmo dia.

Histórico[editar | editar código-fonte]

No período de 1º de julho de 1996 a 4 de março de 1999, a taxa básica para definição de todas as demais taxas de juros da economia brasileira era a TBC (Taxa Básica do Banco Central), determinada mensalmente pelo Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central do Brasil.[6] A partir de 2 de janeiro de 1998, essas taxas passaram a ser fixadas na expressão anual. Após 5 de março de 1999, com a extinção da TBC, o Copom passou a divulgar a meta para a taxa Selic, estabelecida periodicamente para fins de política monetária. [7]

Evolução da taxa SELIC no Brasil, de março de 1999 até setembro de 2017 (em % ao ano)

FONTE: Banco Central do Brasil. «Histórico das taxas de juros». Consultado em 8 de novembro de 2013 

Obs.: Não confundir a meta estipulada para a taxa Selic, pelo Copom, com a Selic efetivamente realizada e divulgada pelo Demab.

Referências

  1. Compromissada. BM&F Bovespa
  2. a b c «Selic Descrição - Conceito, Metodologia de Cálculo, Comentários, Divulgação, Obtenção e Normativos.»  Acessado em 19 de Agosto de 2008.
  3. «Selic - Mercado de títulos públicos»  Acessado em 19 de agosto de 2008.
  4. «Taxa SELIC» 
  5. O que é Taxa Selic e como ela influencia nossas vidas?. Investpedia, 18 de novembro de 2011.
  6. Taxa Básica do Banco Central - TBC
  7. Circular nº 2868, de 4 de março de 1999, do Banco Central do Brasil. Estabelece período de vigência da meta para a Taxa SELIC, seu eventual viés e aprova o novo Regulamento do Comitê de Política Monetária (COPOM).

Ligações externas[editar | editar código-fonte]