Tearaway

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Tearaway
O jogo inclui uma capa reversível, com o protagonista masculino de um lado (em cima) e o feminino do outro.[1]
Desenvolvedora(s) Media Molecule
Publicadora(s) Sony Computer Entertainment Europe
Diretor(es) Siobhan Reddy
Designer(s) Rex Crowle
Plataforma(s) PlayStation Vita
Data(s) de lançamento
  • AU 20 de Novembro de 2013
  • AN 22 de Novembro de 2013
  • EU 22 de Novembro de 2013
  • JP 5 de Dezembro de 2013
Gênero(s) Plataformas, aventura
Classificação Permitido para todas as idades i CERO (Japão)
Permitido para todas as idades i DEJUS (Brasil)
Inadequado para menores de 6 anos i ESRB (América do Norte)
Permitido para todas as idades i OFLCA (Austrália)
Inadequado para menores de 3 anos i PEGI (Europa)
Permitido para todas as idades i USK (Alemanha)

Tearaway é um jogo de plataformas e aventura produzido pela Media Molecule exclusivamente para a PlayStation Vita.[2] Foi anunciado durante a Gamescom de 2012 e lançado a 22 de Novembro de 2013.[3] O jogo é inspirado em construções de papel (papercraft) e nos desenhos de Rex Crowle feitos e deixados no estúdio da Media Molecule.[4]

Tearaway é sobre um mensageiro numa missão de entregar uma mensagem ao jogador.[2] No inicio do jogo os jogadores podem escolher entre a personagem feminina, Atoi, ou a masculina, Iota.

Tearaway foi muito bem recebido pelos críticos, que elogiaram o seu estilo de arte, a criatividade e o uso inventivo das inúmeras características da PlayStation Vita, com muitos a dizerem que o jogo era à data o melhor para a consola portátil. Os sites de criticas agregadas GameRankings e Metacritic deram a pontuação 86.56% e 87/100, respectivamente.

Jogabilidade[editar | editar código-fonte]

Os jogadores podem usar o ecrã táctil traseiro da Vita para dar o efeito que estão a empurrar os seus dedos pelo mundo do jogo.

Tearaway é um jogo de aventuras e plataformas jogador na terceira pessoa que utiliza quase todas as características da PlayStation Vita. Num dos exemplos demonstrados no video que anunciou o jogo, o jogador encontra um elk (espécie de veado) que precisa de uma nova pele. O jogador pode então tirar uma fotografia com a câmara da consola e aplicar depois ao animal feito de papel. Numa demonstração de Tearaway na Gamescom, a Media Molecule mostrou como o jogador pode usar o ecrã táctil traseiro da Vita para, efectivamente, empurrar o chão e desta forma interagir com os inimigos e o ambiente do jogo. Noutra parte da demonstração, o jogador faz um desenho com os dedos no ecrã táctil para cortar uma coroa de papel para a personagem do jogo usar.[2][5]

Recepção[editar | editar código-fonte]

 
Resenha crítica
Publicação Nota
Computer and Video Games 9/10[6]
Destructoid 10/10[7]
Edge 9/10[8]
Electronic Gaming Monthly 9.5/10[9]
Eurogamer 8/10[10]
GameSpot 8/10[11]
GamesRadar 4 de 5 estrelas.[12]
Game Informer 9/10[13]
IGN 9.3/10[14]
Joystiq 3 de 5 estrelas.[15]
Official PlayStation Magazine 8/10[16]
Polygon 9.5/10[17]
The SixthAxis 9/10[18]
Pontuação global
Publicação Nota média
GameRankings 86.56%[19]
Metacritic 87/100[20]

Tearaway foi muito bem recebido pelos críticos, que elogiaram o seu estilo de arte, a criatividade e o uso inventivo das inúmeras características da PlayStation Vita. Os sites de criticas agregadas GameRankings e Metacritic deram a pontuação 86.56% e 87/100, respectivamente.[19][20]

Steven Hansen da Destructoid deu a pontuação máxima de 10/10 e chamou ao jogo "uma maravilha técnica e artística".[7] O TheSixthAxis disse que "é o tipo de jogo que a Vita já necessitava desde o seu lançamento" e que "as várias características da Vita são usadas de uma maneira fantástica por todo o jogo" e deu a pontuação 9/10.[18] Dando ao jogo a pontuação de 9.3/10, Daniel Krupa da IGN descreveu Tearaway como "uma história simples, contada de uma maneira maravilhosa" e chamou-lhe "o melhor jogo que joguei na PlayStation Vita".[14] Eric L. Patterson da Electronic Gaming Monthly deu 9.5/10 diz que Tearaway, tal como Gravity Rush, é o exemplo do porquê se ter uma Vita e que apesar de não ser perfeito é uma "experiência fantástica".[9] Andy Hartup da GamesRadar, atribuiu quatro em cinco estrelas e refere que Tearaway dá um uso fantástico à tecnologia da Vita fazendo com que o jogador se sinta parte do jogo. No entanto criticou a duração por ser muito curta.[12] A Edge deu a pontuação 9/10 e tem a mesma opinião ao dizer que não é dos jogos mais longos da Vita, mas que no entanto "contém mais ideias alegremente realizadas que muitos jogos três ou quatro vezes maiores do que o seu tempo" e diz que Tearaway "é um jogo bonito e brilhante, mas mais do que isso: é o primeiro grande jogo da Vita."[8] Chris Schilling da revista Computer and Video Games deu a pontuação 9/10 e conclui a sua análise ao dizer que "uma aventura inventiva e deslumbrante, Tearaway não é apenas o melhor jogo da Vita, é uma das coisas mais originais que jogarás este ano."[6]

Prémios e Honras[editar | editar código-fonte]

A GameSpot deu a Tearaway o prémio de "Jogo do Ano 2013 para PS Vita",[21] e a revista Edge o prémio "Melhor Design Visual" de 2013.[22] Tearaway foi nomeado para oito prémios BAFTA, conseguindo ganhar :Melhor Jogo de Família, Melhor Jogo Portátil e Prémio Artístico.[23]

Referências

  1. James Spafford (9 de abril de 2013). «Tearaway release date and reversible PS Vita box art revealed». PlayStation.Blog. Consultado em 20 de novembro de 2013 
  2. a b c «Media Molecule Presents Tearaway – PlayStation.Blog.Europe». Blog.eu.playstation.com. 14 de agosto de 2012. Consultado em 20 de novembro de 2013 
  3. Rex (29 de julho de 2013). «Tearaway Release Date…». mediamolecule.com. Consultado em 20 de novembro de 2013 
  4. Crecente, Brian (18 de agosto de 2012). «You can papercraft all of Tearaway in the real world | Polygon». Theverge.com. Consultado em 20 de novembro de 2013 
  5. «Tearaway - The new game from Media Molecule, coming to PS Vita». Tearaway.mediamolecule.com. Consultado em 20 de novembro de 2013 
  6. a b Chris Schilling (20 de novembro de 2013). «Review: Tearaway is Vita's best game and 2013's craftiest adventure». Computer and Video Games. Consultado em 22 de novembro de 2013 
  7. a b Steven Hansen (20 de novembro de 2013). «Review: Tearaway». Destructoid. Consultado em 21 de novembro de 2013 
  8. a b Edge Staff (20 de novembro de 2013). «Tearaway Review». Edge. Consultado em 21 de novembro de 2013 
  9. a b Eric L. Patterson (20 de novembro de 2013). «EGM Review: Tearaway». Electronic Gaming Monthly. Consultado em 21 de novembro de 2013 
  10. Bruno Galvão (20 de novembro de 2013). «Tearaway - Análise». Eurogamer. Consultado em 21 de novembro de 2013 
  11. John Robertson (20 de novembro de 2013). «Tearaway Review: Virtual becomes reality». GameSpot. Consultado em 21 de novembro de 2013 
  12. a b Andy Hartup (20 de novembro de 2013). «Tearaway Review». GamesRadar. Consultado em 21 de novembro de 2013 
  13. Matt Helgeson (20 de novembro de 2013). «Tearaway: More Than An Iota Of Charm». Game Informer. Consultado em 21 de novembro de 2013 
  14. a b Daniel Krupa (20 de novembro de 2013). «Tearaway Review: Hearts And Crafts». IGN. Consultado em 21 de novembro de 2013 
  15. Susan Arendt (20 de novembro de 2013). «Tearaway review: Not quite a love letter». Joystiq. Consultado em 21 de novembro de 2013 
  16. Phil Iwaniuk (20 de novembro de 2013). «Tearaway PS Vita review – Perfectly pressed platformer sends a bold message». Official PlayStation Magazine. Consultado em 21 de novembro de 2013 
  17. Griffin McElroy (20 de novembro de 2013). «Tearaway Review: New Sensation». Polygon. Consultado em 21 de novembro de 2013 
  18. a b Stefan L (20 de novembro de 2013). «Tearaway Review: Adventures in a papercraft world». The SixthAxis. Consultado em 21 de novembro de 2013 
  19. a b «Tearaway for PlayStation Vita Reviews». GameRankings. Consultado em 21 de novembro de 2013 
  20. a b «Tearaway for PlayStation Vita Reviews». Metacritic. Consultado em 21 de novembro de 2013 
  21. «THE BEST VITA GAME OF 2013». GameSpot. Consultado em 10 de dezembro de 2013 
  22. Edge Staff (27 de dezembro de 2013). «The Edge awards 2013: best visual design». Edge. Consultado em 27 de dezembro de 2013 
  23. Jorge Loureiro (13 de março de 2014). «The Last of Us considerado o melhor jogo nos BAFTA». Eurogamer. Consultado em 13 de março de 2014 

Ligações Externas[editar | editar código-fonte]