Teatro de Marcelo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Templo de Marcelo
Teatro de Marcelo atualmente. À direita, o Templo de Apolo Sosiano.
O Palazzo Savelli-Orsini, que ocupa parte do Teatro de Marcelo desde o século XVI.
Tipo Teatro
Construção 13 a.C.
Promotor / construtor Júlio César e Marco Cláudio Marcelo
Geografia
País Itália
Cidade Roma
Localidade IX Região - Circo Flamínio
Coordenadas 41° 53' 30" N 12° 28' 45" E
Templo de Marcelo está localizado em: Roma
Templo de Marcelo
Templo de Marcelo
Uma visão da ocupação medieval do teatro: os arcos do primeiro andar eram ocupados por lojas até o começo do século XX. Interessante notar como o nível da rua está muito mais elevado do que é hoje, rebaixado por causa das escavações no local.

Teatro de Marcelo foi um antigo teatro romano a céu aberto localizado em Roma construído nos últimos da República Romana para a realização de espetáculos de teatro e música. É um dos monumentos mais visitados em Roma por oferecer uma perspectiva única da reutilização de antigas ruínas romanas por edifícios posteriores, especialmente durante a Idade Média.

História[editar | editar código-fonte]

O espaço para a construção do teatro foi liberado por Júlio César, que foi assassinado antes do início da construção. Em 17 a.C., as obras já estavam avançadas o suficiente para que as celebrações dos Jogos Seculares foram realizadas ali. Quatro anos depois, a obra foi completada e, em 12 a.C., o Teatro de Marcelo foi inaugurado por Augusto.[1][2]

O teatro caiu em desuso no começo do século IV e a estrutura serviu como fonte de materiais de construção, por exemplo durante a construção da Ponte Céstio (370). Porém as estátuas no interior foram restauradas por Petrônio Máximo em 421, ao passo que a estrutura já abrigava edifícios residenciais. Na Alta Idade Média, o teatro foi utilizado como fortaleza pelos Fábios e, no final do século XI (quando o edifício era conhecido como templum Marcelli), por Pier Leoni e seus herdeiros (a família "Pierleoni"), o que provavelmente salvou a estrutura de ser demolida completamente. Os Savelli eram proprietários da estrutura no século XIII e, finalmente, no século XVI, a residência dos Orsini, projetada por Baldassare Peruzzi, foi construída no último nível do teatro (veja Palazzo Savelli-Orsini). No século XIX, o nível da rua já estava tão elevado que praticamente quase todo o andar inferior estava coberto.

Atualmente, os andares superiores estão divididos em múltiplos apartamentos particulares e o local é utilizado para a realização de pequenos concertos musicais de verão.

Características[editar | editar código-fonte]

O teatro tinha 111 metros de diâmetro e era o maior e mais importante teatro da antiga Roma[3] até a construção do Coliseu; ele abrigava originalmente entre 11 000 e 20 000 espectadores.[1][3] O edifício foi construído majoritariamente em tufo e concreto num padrão conhecido como opus reticulatum e completamente revestido por mármore branco. Além disto, é o mais antigo edifício datável em Roma a fazer uso de tijolo romano cozido, na época uma novidade importada do mundo grego.[4]

A rede de arcos, corredores, túneis e rampas que davam acesso aos espaços interiores deste tipo de teatros romanos eram normalmente ornamentados com um padrão de colunas embutidas das antigas ordens gregas: dórica no topo e jônica no meio. Acredita-se que colunas coríntias tenham sido utilizadas no nível mais alto, mas é impossível determinar pois este nível foi removido quando o teatro foi reconstruído durante a Idade Média.[1] À frente da cávea ficava o "palco" (scaenae frons) permanente.

Como em outros teatros, o Teatro de Marcelo tinha aberturas através das quais belas paisagens podiam ser admiradas, como a ilha Tiberina para o sudoeste (na direção do antigo Gueto de Roma) e o Pórtico de Otávio para o noroeste.

Localização[editar | editar código-fonte]

Planimetria do Campo de Marte meridional

Referências

  1. a b c Leland M. Roth 1993 Understanding Architecture: Its Elements, History and Meaning (Westview Press: Boulder, CO ISBN 0-06-430158-3
  2. Dião Cássio, História Romana LIII.30.5., pp 230-31
  3. a b Cartwright, Mark. «Theatre of Marcellus». Ancient History Encyclopedia (em inglês). Ancient History Encyclopedia Limited 
  4. Blagg, T.F.C., "Brick and tile" section, in "Architecture, 1, a) Religious", section in Diane Favro, et al. "Rome, ancient." Grove Art Online. Oxford Art Online. Oxford University Press, assinatura requerida

Ligações externas[editar | editar código-fonte]