Tecelão-de-bico-vermelho

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Como ler uma infocaixa de taxonomiaQuelea quelea
Red-billed Quelea (Quelea quelea) (6040990915).jpg

Estado de conservação
Espécie pouco preocupante
Pouco preocupante
Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Aves
Ordem: Passeriformes
Família: Ploceidae
Género: Quelea
Espécie: Q. quelea
Nome binomial
Quelea quelea
(Linnaeus, 1758)
Distribuição geográfica
Blutschnabelweber-Quelea quelea-World.png

A quelea-de-bico-vermelho ou tecelão-de-bico-vermelho (Quelea quelea) é uma ave passeriforme do gênero Quelea, da família Ploceidae. Trata-se da espécie de ave mais abundante no mundo, com uma população adulta estimada em 1,5 bilhões de casais.[1] Algumas estimativas apontam para que a população geral possa atingir os 10 bilhões de indivíduos.[2] A espécie encontra-se inteiramente na África subsariana, exceto nas regiões de floresta cerrada e na costa da África do Sul.

Taxonomia[editar | editar código-fonte]

Por George Edwards, publicado em 1760

A quelea-de-bico-vermelho foi um dos muitos pássaros descritos originalmente por Linnaeus na histórica edição 1758 da 10ª edição de seu Systema Naturae. Classificando-o no gênero Bunting Emberiza, deu-lhe o nome binomial de Emberiza quelea.[3] Ele mencionou incorretamente que se originou na Índia, provavelmente porque os navios das Índias Orientais pegaram pássaros ao visitar a costa africana durante sua viagem de regresso à Europa. É provável que tenha visto um rascunho de Ornithologia, um livro escrito por Mathurin Jacques Brisson que deveria ser publicado em 1760 e que continha um desenho preto-e-branco das espécies. A localidade errônea da Índia foi corrigida para a África na 12ª edição da Systema Naturae de 1766, e Brisson foi citado. Brisson menciona que o pássaro é originário do Senegal, onde foi recolhido por Michel Adanson durante sua expedição de 1748-1752.[4] Ele chamou o pássaro de "pardal senegalês".[5] Também em 1766, George Edwards ilustrou as espécies em cores, com base em um espécime masculino vivo de propriedade de uma Sra Clayton em Surrey. Ele o chamou de "pardal brasileiro", apesar de estar inseguro se veio do Brasil ou de Angola.[4] Em 1850, Ludwig Reichenbach pensou que a espécie não era um verdadeiro bunting, mas sim um tecelão, e criou o nome do gênero Quelea, bem como a nova combinação Q. quelea.[6]

Três subespécies são reconhecidas. No campo, estes são distinguidos pelas diferenças na plumagem de reprodução masculina: Quelea quelea quelea, lathamii e aethiopica.[7][8][9]

Etimologia e nomes vernáculos[editar | editar código-fonte]

O próprio Linnaeus não explicou o nome de quelea.[10] Quelea quelea é chamada localmente kwelea domo-jekundu em suaíli, enztam em kwangali, chimokoto em xona, inyonyane em siswati, thaha em sesoto e ndzheyana na língua de Tsonga.[11] O Sr. Jeffrey disse que o termo veio da qualea latina medieval, que significa "codorna", ligando o número prodigioso de queleas às hordas de codornas que alimentavam os israelitas durante o Êxodo do Egito.[12] A subespécie lathamii provavelmente é nomeada em homenagem ao ornitólogo John Latham. O nome da subespécie aethiopica refere-se à Etiópia.

Filogenia[editar | editar código-fonte]

Com base na análise recente de DNA, a quelea-de-bico-vermelho é de um grupo-irmão de um clado que contém as outras duas espécies restantes do gênero Quelea, nomeadamente a quelea-cardinal (Q. cardinalis) e a quelea-de-cabeça-vermelha (Q. erythrops). O gênero pertence ao grupo de tecelões verdadeiros (subfamília Ploceinae), e está relacionado aos Foudia.



gênero Quelea

Q. quelea




Q. cardinalis



Q. erythrops





gênero Foudia




Espécies asiáticas do gênero Ploceus



O cruzamento entre queleas de cabeça-vermelha e de bico-vermelho foi observado em cativeiro.[13]

Referências

  1. Weaver Bird Natural History
  2. http://www.trails.com/arts/amazing-bird-records.aspx
  3. Linnaeus, Carl (1758). Systema Naturae per Regna Tria Naturae, Secundum Classes, Ordines, Genera, Species, cum Characteribus, Differentiis, Synonymis, Locis (em Latin). Vol. I 10th revised ed. Holmiae: (Laurentii Salvii). p. 176 – via The Internet Archive 
  4. a b «Red-billed Quelea». Weaver Watch 
  5. Brisson, Mathurin Jacques (1763). Ornithologia, sive, Synopsis methodica sistens avium divisionem in ordines, sectiones, genera, species, ipsarumque varietates : cum brevi & accurata cujusque speciei descriptione, citationibus auctorum de iis tractantium, nominibus eis ab ipsis impositis, nominibusque vulgaribus. 2. Lugduni Batavorum (Leiden, Netherlands): Apud Theodorum Haak. p. 337 
  6. Cheke (2015). «Quelea quelea (weaver bird)». Invasive Species Compendium. University of Greenwich, United Kingdom 
  7. «Zwartmasker-roodbekwever (Quelea quelea)». www.ploceidae.eu (em holandês). Consultado em 20 de março de 2018. 
  8. Report of the expedition for exploring Central Africa from the Cape of Good Hope June 23, 1834 under the superintendence of Dr. A. Smith (em inglês). [S.l.]: Gazette Office. 1836 
  9. Peters, James Lee; Traylor, Melvin A. (Melvin Alvah); Mayr, Ernst; Greenway, James C. (James Cowan); Paynter, Raymond A.; Cottrell, G. W. (George William); Harvard University. Museum of Comparative Zoology (1931). Check-list of birds of the world. [S.l.]: Cambridge, Harvard University Press 
  10. Linné, Carl von (1894). Caroli Linnæi Systema naturæ. Regnum animale. Editio decima, 1758, cura Societatis zoologicæ germanicæ iterum edita. [S.l.]: Lipsiæ, sumptibus Guilielmi Engelmann 
  11. «Quelea quelea (Red-billed Quelea) - Avibase». avibase.bsc-eoc.org. Consultado em 20 de março de 2018. 
  12. Jobling, James (2010). The Helm Dictionary of Scientific Bird Names. Londres: [s.n.] 
  13. «Quelea quelea (weaver bird)». www.cabi.org. Consultado em 20 de março de 2018. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Tecelão-de-bico-vermelho
Ícone de esboço Este artigo sobre Aves, integrado no Projeto Aves é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.