Tecido conjuntivo frouxo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde abril de 2018). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

O tecido conjuntivo frouxo (português brasileiro) ou tecido conjuntivo laxo (português europeu) é a parte do tecido conjuntivo que tem distribuição mais ampla pelo corpo, estando presente em praticamente todos os órgãos. É composta por células, fibras e pela substância intercelular. E possui as fibras colágenas, elástica e reticular aproximadamente na mesma proporção.

Células do tecido conjuntivo frouxo[editar | editar código-fonte]

Fibroblastos[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: fibroblasto

Os fibroblastos são células que secretam/guardam as proteínas que formam as fibras e a substância intracelular do tecido conjuntivo. Tem forma ovóide assume forma estrelada e, com atividade metabólica constante. Os fibrócitos são os fibroblastos "velhos", uma vez que não sintetizam mais as fibras como os fibroblastos, no entanto em caso de lesão, os fibrócitos voltam a forma de fibroblastos para ajudar na síntese de fibras novas e atuando na angiogênese.

Macrófagos[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: macrófago

Os macrófagos são células grandes e amebóides e tem como função a limpeza dos tecidos através da fagocitose de agentes infecciosos como as bactérias e restos de células.

Plasmócitos[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: plasmócito

Os plasmócitos são células que produzem anticorpos contra substâncias estranhas que penetram no organismo. São células que migram do sangue num processo chamado diapedese.

Mastócitos[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Mastócito

Os mastócitos produzem Heparina (substância anti-coagulante) e Histamina (substância envolvida com as alergias).

Fibras do tecido conjuntivo frouxo[editar | editar código-fonte]

Colágenas[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: fibra colágena

As fibras colágenas são fibras que colam. São muito fortes e resistem a forças de tração , mas não são rígidas , o que proporciona flexibilidade ao tecido. Essas fibras ocorrem em feixes paralelos uns aos outros. O arranjo de feixes confere-lhes grande força. Quimicamente , as fibras colágenas consistem na proteína colágeno. As fibras colágenas são encontradas em ossos , cartilagens , tendões e ligamentos.

Elásticas[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: fibra elástica

As fibras elásticas são fibras constituídas pela proteína elastina. São responsáveis pela elasticidade do tecido conjuntivo frouxo. Essas fibras são constituídas pela proteína elastina, circundadas pela glicoproteína fibrilina , essencial na estabilidade da fibra elástica. As fibras elásticas são fortes , mas podem ser esticadas sem se romperem , até uma vez e meia o seu comprimento relaxado. São abundantes na pele , no tecido pulmonar e nas paredes dos vasos sanguíneos.

Reticulares

Ver artigo principal: fibra reticular

As fibras reticulares também são formadas por colágeno. Ligam o tecido conjuntivo aos tecidos vizinhos. São Ramificadas. Formam um traçado firme que liga o tecido conjuntivo aos tecidos vizinhos. Dão sustentação às paredes dos vasos sanguíneos e formam redes ramificadas ao redor das células adiposas , fibras nervosas e células musculares esqueléticas e lisas. Produzidas pelos fibroblastos , são muito mais finas do que as fibras colágenas. Como as fibras colágenas , as fibras reticulares dão sustentação e força e também formam o estroma que é uma estrutura de sustentação de muitos órgãos moles , como o baço e os linfonodos.

Ver também[editar | editar código-fonte]


Ícone de esboço Este artigo sobre Histologia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.