Teddy Vieira

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Teddy Vieira
Informação geral
Nome completo Teddy Vieira de Azevedo
Nascimento 23 de dezembro de 1922
Origem Itapetininga, SP
País  Brasil
Data de morte 16 de dezembro de 1965 (42 anos)
Gênero(s) Moda de viola, cururu, sertanejo.
Instrumento(s) Viola caipira
Gravadora(s) CBS

Teddy Vieira, (Itapetininga, 23 de dezembro de 1922Buri, 16 de dezembro de 1965) foi um violeiro e compositor brasileiro.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Fez o curso primário em Itapetininga, na região de Sorocaba, e os estudos secundários em São Paulo.[1] Filho de um marinheiro viveu numa família com padrão social razoável.[2] Fez a primeira composição aos 18 anos. Aos 22 começou a trabalhar na Colúmbia, da qual foi diretor artístico.[1] Em 1953, Vieira e Vieirinha lançaram a moda de viola "Roubei uma casada".[1] Em 1956, passou a ser diretor sertanejo da Colúmbia.[1] Em 1958 Teddy passou a gravadora Chantecler.[3] Ele viveu durante algum tempo em Andradas, MG, onde conheceu, apaixonou-se e se casou com América Risso. Deste casamento adveio um único filho, Teddy Vieira de Azevedo Jr, que reside na cidade e se casou com Virgínia Felisberto dos Reis, com quem deu três netos ao compositor: Laura, Teddy Neto e Isadora. Faleceu em 16 de dezembro de 1965, em seu Simca Chambord,[2] junto ao seu último parceiro de músicas, Lauripio Pedroso,[4] em um trágico acidente na Rodovia Raposo Tavares em Itapetininga.[3]

Reconhecimento[editar | editar código-fonte]

O músico e compositor ganhou uma estátua após 50 anos de morte. O monumento foi instalado na Praça Largo dos Amores, no Centro de Itapetininga.[5] Na entrada da cidade de Ouro Fino, MG, construíram um monumento ao compositor, composto de três partes, duas delas já prontas, O Menino da Porteira e o Boi Sem Coração. A terceira escultura, O Berrante, ainda não foi finalizada.

Sucessos[editar | editar código-fonte]

  • 1950 - Violeiro Casado - gravado pela dupla Tonico e Tinoco
  • 1952 - Irmão do Ferreirinha - (Teddy - Carreirinho)
  • 1953 - Roubei uma casada - (Teddy Vieira - Lourival dos Santos)
  • 1954 - Couro de boi - (Palmeira - Teddy Vieira)
  • 1955 - O Menino da Porteira- (Teddy Vieira - Luisinho) - Gravação de Luizinho, Limeira e Zezinha[6]
  • 1955 - Não me interessa - (Teddy Vieira - Lourival dos Santos)
  • 1956 - João de barro - (Teddy Vieira - Muibo Curi )
  • 1958 - Boiadeiro punho de aço - (Teddy Vieira - Pereira )
  • 1959 - Pagode em Brasília - (Teddy Vieira - Lourival dos Santos)

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Corrêa, Roberto (2000). A Arte de Pontear Viola. Brasília/Curitiba: Edição do Autor. 259 páginas. ISBN 85-901603-1-9 

Referências

  1. a b c d «Teddy Vieira - Biografia (Dicionário Cravo Albin)». Consultado em 30 de abril de 2010 
  2. a b «Jornal o Cruzeiro do Sul - O pai do menino da porteira». Consultado em 30 de abril de 2010 
  3. a b «Sua Vida». Consultado em 30 de abril de 2010 
  4. «Violeiros do Brasil». Consultado em 30 de abril de 2010 
  5. g1 autor de menino na porteira
  6. «Luizinho, Limeira e Zezinha - dados Artísticos». Consultado em 1 de maio de 2010 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]