Tegla Loroupe

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Tegla Loroupe
Atletismo
Modalidade maratona, meia-maratona, 10.000 m
Nascimento 9 de maio de 1973 (43 anos)
Kutomwony, Quênia
Nacionalidade Quénia queniana
Medalhas
Campeonatos Mundiais
Bronze Gotemburgo 1995 10.000 m
Bronze Sevilha 1999 10.000 m

Tegla Chepkite Loroupe (Kutomwony, 9 de maio de 1973) é uma fundista queniana. Corredora de pista e de ruas, ela detém os recordes mundiais para as distâncias não-olímpicas dos 20, 25 e 30 km e é ex-recordista mundial da maratona, feito que conseguiu por duas vezes, na Maratona de Rotterdam em 1998, quebrando uma marca com treze anos de existência, e na Maratona de Berlim em 1999.[1]

Três vezes campeã mundial da meia-maratona,[2][3] ela também foi a primeira mulher africana a vencer uma grande maratona internacional, seguindo o sucesso dos homens do Quênia e inspirando as jovens atletas quenianas. Tegla venceu a Maratona de Nova York em 1994 e reprisou a vitória no ano seguinte. Depois desta primeira vitória, ela venceu maratonas em Londres, Rotterdam, Berlim, Roma e várias outras cidades.[4]

Nas pistas de atletismo, ela ganhou duas medalhas de bronze nos 10.000 m do Campeonato Mundial de Atletismo, em Gotemburgo 1995[5] e Sevilha 1999[6] e correndo descalça, ganhou a medalha de ouro na mesma distância nos Goodwill Games de 1994 e 1998. Na meia-maratona, uma de suas distâncias favoritas, foi seis vezes campeã da Meia-Maratona de Lisboa, entre 1994 e 2000.[7]

Favorita às medalhas de ouro da maratona e dos 10.000 m em Sydney 2000, Tegla sofreu um forte envenenamento alimentar na noite anterior à primeira prova.[8] Mesmo assim correu a maratona descalça pelas ruas de Sydney e ficou na 13ª colocação.[9] Seis dias depois, sem estar ainda recuperada nem do envenenamento nem do esforço anterior, participou dos 10.000m e ficou em 5º lugar.[10] Tegla justificou sua participação nestas provas como um feito por um senso de dever para com todas as pessoas na África que a tinham como uma portadora de esperança para seu país de origem. Até o final de 2001, ela continuou a sofrer de vários problemas de saúde.

Embaixadora da ONU[editar | editar código-fonte]

Em 2006 ela foi nomeada Embaixadora das Nações Unidas junto aos Esportes pelo secretário-geral Kofi Annan acompanhada do tenista Roger Federer, do ex-jogador de futebol chileno Elias Figueroa e da campeã paraolímpica australiana Katrina Webb.[11] Ela também é embaixadora da UNICEF e Embaixadora Internacional para os Esportes da IAAF, a Federação Internacional de Atletismo. Nos últimos anos, ela tem atuado como porta-voz dessas entidades para a paz, educação e direitos das mulheres.

Referências

  1. «World Best Progressions- Road». Association of Road Racing Statisticians. Consultado em 31 de março de 2013 
  2. «Official Results - Women». IAAF. Consultado em 31 de março de 2013 
  3. «Kenyans Tegla Loroupe and Paul Tergat win the 8th IAAF World Half Marathon Championships in Palermo». IAAF. Consultado em 31 de março de 2013 
  4. «profile». marathoninfo.com. Consultado em 31 de março de 2013 
  5. «Results - 10000 METRES - Women - Final». IAAF. Consultado em 31 de março de 2013 
  6. «Official Results - 10000 METRES - Women - Final». IAAF. Consultado em 31 de março de 2013 
  7. «Lisbon International Half Marathon». Association of Road Racing Statisticians. Consultado em 31 de março de 2013 
  8. Roberts, Selena. «Loroupe Hoping To Forget Sydney Disappointment». The New York Times. Consultado em 31 de março de 2013 
  9. «Official Results - MARATHON - Women - Final». IAAF. Consultado em 31 de março de 2013 
  10. «Official Results - 10000 METRES - Women - Final». IAAF. Consultado em 31 de março de 2013 
  11. «Newsroom». United Nations. Consultado em 31 de março de 2013