Telenovela

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Teledramaturgia)
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo (desde agosto de 2010).
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.
Question book-4.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, o que compromete a verificabilidade (desde janeiro de 2010). Por favor, insira mais referências no texto. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Telenovela é uma história de ficção desenvolvida para apresentação na televisão. Tem a característica de ser dividida em episódios ou capítulos, em que o seguinte é a continuação do anterior. O sentido geral da trama é previsto inicialmente, mas o desenrolar e o desenlace não. As tramas normalmente são simples, não requerem inteligência para serem entendidas. [1] Durante a exibição, novos rumos e personagens podem ser inseridos.

Etimologia[editar | editar código-fonte]

O termo telenovela é uma palavra de origem castelhana, particularmente do espanhol falado em Cuba, o Brasil foi o país precursor deste género audiovisual que foi inspirado na radionovela e que é hoje seguido por vários países. Em Portugal a telenovela só chegaria 30 anos mais tarde. O vocábulo é fruto da fusão das palavras: tele (de televisão) e novela, que em espanhol é o mesmo que romance em português. A primeira telenovela " O Direito de Amar " foi escrita e dirigida por Walter Foster, e transmitida pela extinta TV Tupi em São Paulo no ano de 1951, 6 anos antes da estreia da televisão em Portugal, Aliás, não só Portugal mas também México, Uruguai, Argentina, Finlândia, Itália etc..., Portugal só produziu a sua própria novela 31 anos após.

Devido à sua longa duração, há quem aponte uma pretensa contradição na sua denominação, ao dizer que as telenovelas deveriam ser chamadas de telerromances. Porém, para a língua portuguesa, o género literário novela distingue-se do romance não pelo seu tamanho, mas pela forma como os eventos se sucedem na narrativa e pela abordagem folhetinesca da sua escrita. A matriz original do termo mostrou ser forte ao ponto de conseguir legitimidade noutros idiomas, como o russo, que preferia a palavra serial, para designar os folhetins audiovisuais.

A fala quotidiana em países como Brasil, Portugal e mesmo Cuba, aceita a forma abreviada de 'novela' para chamar a obra audiovisual. Porém, o termo telenovela é preferível a fim de distinguir a obra audiovisual da literária.

Nos EUA, as telenovelas recebem o nome de soap operas porque as primeiras produções, na década de 1960, eram patrocinadas por fabricantes de sabão (soap). Em língua inglesa, não se fala em novel porque isso indica o género literário romance, e não um programa de televisão como na língua portuguesa.[2]. É um gênero muito popular nos Estados Unidos, país no qual são exibidas durante o dia (mais precisamente no horário da tarde, entre às 13 e as 18 horas).

Formato[editar | editar código-fonte]

As telenovelas caracterizam-se pela sua exibição diária, mas distinguem-se na duração dessa exibição: enquanto no mundo latino as obras já começam a ser transmitidas com uma previsão de encerramento, as obras produzidas no mundo anglófono possuem duração indefinida.[3] No Brasil, as telenovelas são apenas exibidas de segunda-feira a sábado. Em Portugal, em certas ocasiões, as telenovelas chegam a ser exibidas em todos os dias da semana, inclusive domingos.

Abertura / Genérico[editar | editar código-fonte]

Brasil[editar | editar código-fonte]

Antes de cada capítulo de uma telenovela, é exibido um pequeno clipe audiovisual chamado abertura (português brasileiro) ou genérico (português europeu) contendo imagens relacionadas à temática da história; música de fundo; créditos de atores, diretores e autores da obra. Em alguns casos, esta abertura é exibida somente após o primeiro bloco da telenovela, ficando entre este primeiro bloco e o primeiro intervalo comercial. Trechos das aberturas também são exibidos como vinhetas de "estamos apresentando" e "voltamos a apresentar" no início e no fim dos intervalos comerciais e como encerramento, onde são exibidos créditos de produção como câmeras e produtores.

A ordem dos créditos exibidos numa abertura não é obrigatória e varia de acordo com cada produção, mas é comum que seja exibido primeiro o nome dos autores seguidos pelos protagonistas e antagonistas, núcleo central, apresentando (novos atores), atores convidados, crianças, participações especiais e por fim os colaboradores, os diretores, o diretor principal e o diretor de núcleo. O título da novela é comumente exibido no término da abertura, mas há também ocasiões em que é exibido tanto no início quanto no fim ou até mesmo somente no início ou no meio da abertura.

Já nos encerramentos, a ordem é: elenco de apoio (atores com baixa participação nas novelas), autorização especial (geralmente vinda do SATED), equipe técnica (ordem variada), gerência de produção e, por último, marcas que anunciaram "merchandising" e a realização (logomarca, site da novela, ano de produção e razão social da emissora).

É comum encontrar em portais e em veículos impressos os resumos dos capítulos das novelas[4] que consistem em apresentar de forma sintética uma sequencias com os principais acontecimentos de um determinado episódio.

Portugal[editar | editar código-fonte]

Em Portugal as aberturas têm o nome de Genérico e possuem uma duração variada de 50 segundos a 1 minuto. O genérico normalmente segue uma ordem regular: protagonistas, restante elenco, alguns elementos da equipa técnica e, por fim, o diretor de produção. Quando duas novelas são emitidas de seguida sem intervalo, apenas é emitida a sequência final do genérico com o logótipo da novela, de forma a começar o episódio mais rapidamente e a captar mais facilmente a audiência da novela anterior.

Países lusófonos de África[editar | editar código-fonte]

Tal como em Portugal, também os genéricos possuem duração variada de 50 segundos a 1 minuto.

Teasers e Ganchos[editar | editar código-fonte]

Brasil[editar | editar código-fonte]

No Brasil, algumas telenovelas, imediatamente antes da abertura final, exibem um separador contendo uma imagem do genérico com a expressão Cenas do Próximo Capítulo bem legível. De seguida é mostrado um pequeno excerto do capítulo seguinte com imagem e som e, em seguida, apenas imagens aleatórias do mesmo, acompanhadas de música de fundo. Essa prática era comum pela Rede Globo nos anos 80 e 90. Noutros casos, imediatamente após a abertura inicial é exibido um bloco de anúncios publicitários. Normalmente são exibidos anúncios dos patrocinadores da telenovela. Em Portugal, o bloco possui um relógio num dos cantos do ecrã, indicando o tempo que falta para o capítulo propriamente dito começar. Na novela A Força do Querer, era exibido um trecho do capítulo anterior, em seguida o capítulo do dia.

Os ganchos, mais conhecidos por cliffhanger, são usados no final de cada capítulo, de forma a prender a atenção do público para o próximo. A telenovela Avenida Brasil (da Rede Globo) tornou-se popular também pelo característico congelamento, um tipo de gancho em que um personagem tinha sua imagem paralisada no final de cada capítulo sob fundo musical de suspense. Alguns congelamentos como o das novelas Páginas da Vida, Viver a Vida ou Deus Salve o Rei, exibem um congelamento com cenas do próximo capitulo incluídas.

Portugal[editar | editar código-fonte]

Em Portugal, até meados de 2012, era habitual repetir cerca de 5 a 10 minutos do episódio anterior e a SIC era o único canal de televisão que transmitia um excerto de uma cena do episódio seguinte.

Em 2012, a TVI quebrou a tendência e introduziu, pela primeira vez no formato, o resumo/teaser do episódio seguinte na telenovela Louco Amor. O resumo consistia num conjunto de cenas variadas do próximo episódio, interligadas com um instrumental de suspense. O objetivo era comprimir, em cerca de 1 minuto, várias cenas importantes do episódio seguinte. Passou a ser regular em todas as telenovelas da TVI.

Em 2013, e conhecido como cold open, a TVI introduziu também mais uma inovação. Tratava-se do resumo/teaser do episódio anterior na telenovela Destinos Cruzados. Tal como o resumo do episódio seguinte, também este consistia num conjunto de cenas variadas e com impacto do episódio anterior, interligadas por um instrumental de suspense semelhante durante 1 minuto. O genérico só era transmitido após este resumo ser exibido. Também esta prática passou a ser regular em todas as telenovelas da TVI e deixou de haver a habitual repetição dos episódios. Em 2014, com Mar Salgado, a SIC implementou as mesmas técnicas da TVI: resumo do capítulo anterior e seguinte, embora não utilize um instrumental de suspense.

Os ganchos, em Portugal, eram usados muito raramente nas telenovelas da SIC e não havia essa prática na TVI, pois era habitual os canais esticarem ou reduzirem os episódios consoante as audiências ou a programação. Em 2013, a telenovela Belmonte (da TVI) foi a primeira a ter uma prática regular de ganchos. Todos os seus episódios acabavam num momento de suspense e, à semelhança do congelamento, a imagem tornava-se azul. A partir deste momento, todas as telenovelas da TVI passaram a ter um gancho pré-definido no final de todos os episódios. Na SIC, os episódios continuam a não ter uma duração pré-definida e, por isso, é habitual ver o gancho a meio do episódio.

História[editar | editar código-fonte]

Os países que mais se destacam na produção de telenovelas são Brasil, México, Colômbia, Venezuela, Chile, Argentina e Portugal. Brasil e México são as que produzem as telenovelas mais conhecidas e, consequentemente as mais exportadas, inclusive entre os dois países. Portugal é um grande produtor de telenovelas, onde se destacam as telenovelas produzidas pela TVI, RTP e SIC, que já são exportadas para mais de 25 países. A primeira novela portuguesa foi Vila Faia da RTP1 [5], que ganhou uma nova adaptação em 2008.

Telenovela brasileira[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Telenovela brasileira

As telenovelas brasileiras, produzidas pelas três maiores emissoras do país Rede Globo,SBT e a RecordTV, tem enredos e abordagens semelhantes se comparadas. Na maioria das vezes, misturam drama,humor, romance e violência de uma forma bem peculiar.

No horário do final da tarde e começo da noite, as telenovelas brasileiras abordam um temas mais leve,com histórias focadas em romance e aventura. Ao anoitecer, envolvem temas mais radicais, misturando o romance já existente com dramatizações e leves cenas de sexo e violência. As histórias frequentemente começam com tramas leves e pouco complicados, e apenas com o passar da história os mistérios se desenrolam pouco a pouco, tornando o enredo forte e complexo.

Ao todo, Brasil coleciona 12 indicações na categoria de telenovela no International Emmy Awards, das quais 6 vencedoras.

Telenovela portuguesa[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Lista de telenovelas portuguesas

Na produção de telenovelas em Portugal destaca-se a SIC e a TVI. A TVI transmite apenas telenovelas produzidas pelo canal. A SIC transmite telenovelas produzidas pelo canal e pela Rede Globo,além de exibir algumas coproduções entre as duas. A RTP tem aumentado progressivamente a sua produção de telenovelas e, há alguns anos, chegou a transmitir telenovelas da Rede Record e SBT.

A programação de telenovelas em Portugal consiste basicamente em: repetições (14h30 e 18h) e inéditas às (19h, 21h30, 22h30 e 23h30). Normalmente, a produção mais cara, recente e popular é exibida às 21h30. Apenas a SIC exibe telenovelas às 19h. Na TVI, as produções não costumam ter um horário regular, sendo que as inéditas são transmitidas antes das reprises. Por sua vez,a RTP segue uma estratégia diferente, uma vez que não tem uma quantidade de telenovelas tão grande.

A primeira emissora portuguesa a exportar as suas telenovelas foi a TVI.A SIC passou a exportar as suas produções a partir de 2011,uma das primeiras tramas a ser exportada foi a telenovela Perfeito Coração.

Ao todo, Portugal coleciona 6 indicações na categoria de telenovela no Internacional Emmy Awards, das quais 2 vencedoras.

Telenovela angolana[editar | editar código-fonte]

As novelas angolanas têm início em 2008, com a telenovela Minha Terra, Minha Mãe, sendo o canal estatal TPA o único a realizar tal feito. Windeck e Jikulumessu são as novelas angolanas mais recentes.

Ao todo, Angola coleciona 2 indicações na categoria de telenovela no International Emmy Awards.

Fatos sobre a produção Brasileira[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. SADEK, José Roberto. Telenovela: um olhar do cinema. São Paulo: Summus, 2008, p.33.
  2. «UOL Educação» 
  3. http://f5.folha.uol.com.br/colunistas/tonygoes/1010909-desperate-housewives-e-revenge-novelas-a-moda-americana.shtml
  4. «Resumo de Novelas - Globo, SBT e Record». Resumo de Novelas. Consultado em 10 de janeiro de 2017. 
  5. «Primeira novela portuguesa estreou há 30 anos». Consultado em 2 de abril de 2015. 

Ver também[editar | editar código-fonte]

Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Telenovela
Ícone de esboço Este artigo sobre literatura é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.