Televisão 3D

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Uma televisão 3D é um equipamento de televisão que permite a visualização de imagens a três dimensões, com ou sem o auxílio de óculos 3D aplicando técnicas especificas.

Também se refere à programação que são produzidos de acordo com determinadas especificações e assim poderem ser visualizadas em 3D com o equipamento necessário.

Portugal[editar | editar código-fonte]

Em Portugal dois operadores de TV (ZON e MEO) lançaram canais de testes com o intuito de preparar emissões regulares até ao final do ano[1]. A comercialização de equipamentos televisores compatíveis com a tecnologia 3D em Portugal está desde o início de 2010 em várias superficies comerciais do país. A norma adoptada pelos dois operadores é o padrão "True 3D" que necessita de óculos "activos 3D".

O mundial de futebol da FIFA 2010 na Africa do Sul foi transmitido em Portugal usando a tecnologia 3D em certos jogos selecionados. Este foi o primeiro grande evento desportivo com este género de transmissão.

Brasil[editar | editar código-fonte]

A primeira transmissão ao vivo em televisão fechada[2] em 3D no Brasil foi feita pela operadora de cabo NET numa parceria com a Rede Globo e ocorreu no dia 15 de fevereiro de 2010, exibindo o desfile das escolas de samba do Rio de Janeiro. A segunda transmissão ao vivo em televisão fechada foi a São Paulo Indy 300, porém a transmissão foi para alguns assinantes da operadora de cabo NET, que foi feita pela mesma numa parceria com o Grupo Bandeirantes de Comunicação.

A primeira transmissão ao vivo em televisão aberta e 3D no mundo foi feita pela RedeTV! e ocorreu no dia 23 de fevereiro de 2010, na exibição do programa Pânico na TV[3]. A emissora destivou o seu sinal em 3D no dia 19 de junho de 2015.

A empresa Panasonic afirmou que pretende colocar no mercado brasileiro tais aparelhos no ano de 2010.[4]

Tipos de Técnicas para Composição de Imagens 3D[editar | editar código-fonte]

Existem 5 tipos de técnicas de composição de imagens 3D:

  • Anaglífico (tradicional) - as imagens são trabalhadas em camadas e com cores cromaticamente opostas, simulando o efeito de estereoscopia através da utilização dos óculos com lentes verde / vermelha. Esta tecnologia existe desde os anos 50, e é considerada obsoleta (neste tipo o equipamento de TV é o normal).
  • True 3D – idêntico ao que é utilizado actualmente no cinema (ex: Avatar) com óculos polarizados de tecnologia passiva.[5] Trata-se da emissão de duas imagens em simultâneo que os óculos filtram de forma a criar a ilusão de três dimensões.
  • Alternate-frame sequencing – emissão de imagens alternadas em conjunto com a utilização de óculos especiais de tecnologia ativa[6] (com lentes que abrem e fecham em rápida sucessão), normalmente utilizada em jogos de computador.
  • Autostereoscopia - visualização de imagens de três dimensões em ecrã plano (cristal líquido combinado com lentes especiais) sem utilização de óculos. Esta tecnologia ainda está em fase de desenvolvimento e será aplicada fundamentalmente para fins publicitários.
  • ChromaDepht - é provavelmente a tecnologia mais extravagante envolvendo óculos, usando micro-prismas (e, porque não, vermelho e azul de novo), e o que ele faz de fato é mudar ligeiramente a maneira com que cada olho percebe as cores, então cada um vê uma coisa diferente e BOOM, o 3D acontece. A maior limitação desta técnica é que se você mudar a cor de um objeto, você também mudará como a profundidade é percebida, porque está tudo baseado em cores.[7]

Visualização sem óculos especiais[editar | editar código-fonte]

Existe tecnologia que permite aos telespectadores verem imagens tridimensionais sem o uso de óculos 3D. No entanto essa tecnologia ainda não é satisfatória.[8]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Carlos Afonso Monteiro (3 de março de 2010). «Zon e Meo disputam testes de 3D em Portugal» (em português). Expresso. Consultado em 21 de abril de 2010 
  2. Fred Leal (18 de fevereiro de 2010). «3D na TV a cabo» (em português). Estadao.com.br. Consultado em 18 de maio de 2010 
  3. Rogerio Jovaneli, de INFO Online (26 de fevereiro de 2010). «3D na TV aberta» (em português). Info.abril.com.br. Consultado em 26 de maio de 2010 
  4. Rafael Capanema (14 de janeiro de 2010). «Ainda protótipos, TVs 3D chegam mais perto das casas» (em português). Consultado em 16 de fevereiro de 2010 
  5. «Verdades e Mitos sobre a tecnologia 3D Ativa». melhortv.com.br. 2012 
  6. «Guerra das TVs 3D: 3D Ativo versus 3D Passivo». melhortv.com.br. 2012 
  7. «Como funciona o 3D». melhortv.com.br. 2011 
  8. Charles Arthur (3 de março de 2010). «3D television, without the silly glasses» (em inglês). guardian.co.uk. Consultado em 21 de abril de 2010 


Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre televisão é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.