Templo de Saturno

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Templo de Saturno
O friso e as oito colunas remanescentes do Templo de Saturno, uma das vistas mais conhecidas do Fórum Romano. À direita, o Templo de Vespasiano.
Gravura de Piranesi do século XVIII. Além do templo, estão visíveis o Arco de Sétimo Severo e a igreja de Santi Luca e Martina.
Local VIII Região - Fórum Romano
Construído em 497 a.C.
Construído por/para Tarquínio Soberbo
Tipo de estrutura Templo romano
Templo de Saturno está localizado em: Roma
Templo de Saturno

Templo de Saturno (em latim: Templum Saturni ou Aedes Saturnus; em italiano: Tempio di Saturno) é um templo dedicado ao deus Saturno localizado no Fórum Romano. A data original de sua dedicação é, tradicionalmente, considerada como sendo 497 a.C.[1] , mas os escritores antigos discordam entre si em grande medida sobre a história do local[2] . A ruínas do templo estão na base do monte Capitolino, na porção ocidental do Fórum.

História[editar | editar código-fonte]

Detalhe da coluna e do entablamento.

Acredita-se que a construção do templo tenha iniciado nos anos finais da Reino de Roma, no reinado de Tarquínio Soberbo. O edifício foi inaugurado pelo cônsul Tito Lárcio nos primeiros anos da República Romana. Em 42 a.C., o edifício foi completamente reconstruído por Munácio Planco.

As ruínas visíveis atualmente são da terceira reconstrução do Templo de Saturno, que substituiu o segundo edifício depois do incêndio de Carino em 283 d.C. e a inscrição no friso comemora justamente este fato.

Interior[editar | editar código-fonte]

De acordo com as fontes antigos, a estátua do deus no interior era protegida por um véu e estava munida de uma foice. A imagem era de madeira e estava preenchida por óleo. As pernas estavam cobertas por faixas de lã que eram removidas apenas em 17 de dezembro, o dia da Saturnália.

Na mitologia romana, Saturno governou durante a Era dourada e continuou a ser associado à riqueza. Seu templo abrigava o tesouro romano (Erário de Saturno ou Aerarium Saturni)[3] , onde as reservas de ouro e prata da República ficavam armazenadas. Os arquivos estatais e o padrão oficial de pesos e medidas também estavam lá. Posteriormente, o aerarium mudou-se para outro edifício e os arquivos foram transferidos para o vizinho Tabulário. O pódio do templo, em concreto revestido com travertino, era utilizado para postar contas.

Arqueologia[editar | editar código-fonte]

O gradual colapso do edifício só deixou a parte frontal do pórtico ainda em pé. O frontão parcialmente preservado tem a seguinte inscrição "Senatus Populusque Romanus incendio consumptum restituit" ("O Senado e o Povo de Roma restauraram o que o fogo consumiu"). O frontão e as oito colunas ainda em pé são uma das mais icônicas imagens do patrimônio cultural da cidade de Roma.

Referências

  1. Robert E.A. Palmer, Rome and Carthage at Peace (Franz Steiner, 1997), p. 63; Hans-Friedrich Mueller, "Saturn," in The Oxford Encyclopedia of Ancient Greece and Rome, p. 221. (em inglês)
  2. Lawrence Richardson, A New Topographical Dictionary of Ancient Rome (Johns Hopkins University Press, 1992), p. 343. (em inglês)
  3. Temples of Castor and Pollux and Saturn (em inglês).
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Templo de Saturno