Temporada de tufões no Pacífico de 2006

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Temporada de tufões no Pacífico de 2006
2006 Pacific typhoon season summary.jpg
Primeiro sistema1 formado: Agaton em 21 de janeiro de 2006
Sistemas ativos1: Temporada encerrada
Total de tempestades nomeadas: 21
Total de tufões: 15
Grandes tufões (Cat. 3+): 7
Tempestade mais forte: Yagi (910 mbar, hPa, 260 Km/h)
Número de sistemas1 que atingiram terras emersas: 15
Danos totais: Desconhecido
ECA Total: 320,049
Fatalidades confirmadas: No mínimo 2.532
1Inclui depressões tropicais e depressões subtropicais

A temporada de tufões no Pacífico 2006 ou estação de tufões no Pacífico de 2006 ou ainda época de tufões no Pacífico de 2006 foi um evento no ciclo anual de formações de ciclones tropicais no Oceano Pacífico noroeste e no Mar da China. Não há limites estabelecidos para o começo ou o fim da temporada, mas a maioria dos ciclones tropicais tende a se formar entre Maio e Novembro.[1] Estas datas delimitam convencionalmente o período de cada ano quando a maioria dos ciclones tropicais formam-se no noroeste do Oceano Pacífico.

Este artigo limita-se em descrever todos os ciclones tropicais que se formaram em 2006 no Pacífico noroeste (ao norte da Linha do Equador e a oeste da Linha Internacional de Data). Sistemas tropicais que atinjam a intensidade de tempestade tropical que se formam em toda esta bacia oceânica ganham um nome dado pela Agência Meteorológica do Japão (AMJ). As depressões tropicais que se formam nesta bacia ganham um número e o sufixo "W". Todos os sistemas tropicais (incluindo depressões tropicais) ganham um segundo nome quando entram na área de responsabilidade Filipinas, dado pela Administração de Serviços Atmosféricos, Geofísicos e Astronômicos das Filipinas (PAGASA). Sendo assim, um sistema tropical poderá ter dois nomes diferentes.

Tempestades[editar | editar código-fonte]

A classificação da intensidade dos ciclones tropicais é feita da seguinte maneira pela AMJ: Depressão tropical - menos que 63 km/h, tempestade tropical - entre 63 e 88 km/h, tempestade tropical severa - entre 88 e 117 km/h e tufão - mais que 117 km/h. Os ventos máximos são coletados na média máxima entre 10 minutos.

O JTWC utiliza outro sistema de classificação, baseado na escala de furacões de Saffir-Simpson: Depressão tropical - menos que 63 km/h, tempestade tropical - entre 63 e 117 km/h, tufão - entre 118 e 177 km/h e super tufão - mais que 177 km/h. Os ventos máximos são coletados na média máxima entre 1 minuto.

A China utiliza um sistema de classificação baseado em parte na Escala de Beaufort: Depressão tropical - níveis 6 e 7 na Escala de Beaufort, tufão - níveis 12 e 13, tufão severo - níveis 14 e 15 e super tufão - níveis 16 e 17. Os ventos máximos são coletados na média máxima entre 2 minutos.

O Japão e o Taiwan, em seus próprios idiomas, utilizam um sistema próprio cada. Para facilidade de entendimento, é utilizada aqui a escala de furacões de Saffir-Simpson, utilizado pelo JTWC. É especificado a diferença de ventos em 1 e 10 minutos.

Depressão tropical Agaton (PAGASA)[editar | editar código-fonte]

Depressão tropical Agaton
Depressão tropical (EFSS)
{{{image}}} Cyclone Temporaire.png
Duração 21 de janeiro de 200624 de janeiro de 2006
Intensidade 30 nós (56 km/h, 35 mph) 1 min, 1000[2] hPa (mbar)

Em 21 de janeiro, uma depressão tropical formou-se de uma área de distúrbios meteorológicos a cerca de 230 km a leste-nordeste de Hinatuan, na província de Surigao del Sur, Filipinas, dentro da área de responsabilidade filipina> O sistema ganhou o nome de Agaton, dado pela PAGASA, para avisos filipinos.

A depressão degenerou-se numa área de baixa pressão remanescente em 24 de janeiro depois de fazer landfall.

O sistema adentrou no Mar da China Meridional e ficou mais bem organizado. Então, a China declarou a formação de uma depressão tropical em 25 de janeiro.[3] e previu que o sistema poderia tornar-se uma tempestade tropical. No entanto, a depressão falhou em intensificar-se.

Tempestade tropical 01W (JTWC)
Tempestade tropical Basyang (PAGASA)
[editar | editar código-fonte]

Tempestade tropical 01W
Tempestade tropical Basyang
Tempestade tropical (EFSS)
{{{image}}} Cyclone Temporaire.png
Duração 4 de março de 20067 de março de 2006
Intensidade 35 nós (65 km/h, 40 mph) 1 min, 997[4] hPa (mbar)

Em 4 de março, uma depressão formou-se de uma onda tropical próxima à Linha do Equador, a sudeste de Palau. O Joint Typhoon Warning Center (JTWC) classificou-o numa tempestade tropical por volta das 03:00 UTC do mesmo dia.

Em 5 de março, a tempestade enfraqueceu-se numa depressão tropical devido à ação de ventos de cisalhamento, dissipando-se totalmente em 7 de março.[5]

Em seis anos desde as convecções de nomenclatura de tufões foram introduzidas, esta foi a décima segunda vez que o JTWC reconheceu uma tempestade tropical não nomeado pelo AMJ.

Tufão Chanchu (Caloy)[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Tufão Chanchu
Tufão Chanchu (Caloy)
Tufão 02W
Tufão  (AMJ)
Categoria 4 (EFSS)
{{{image}}} Chanchu 2006 track.png
Duração 9 de maio de 200619 de maio de 2006
Intensidade 125 nós (232 km/h, 144 mph) 1 min
95 nós (176 km/h, 109 mph) 10 min, 930 hPa (mbar)

Chanchu formou-se de uma área de distúrbios meteorológicos a uma grande distância a sudeste das Filipinas em 5 de maio e então deslocou-se para oeste. Em 8 de maio, o Joint Typhoon Warning Center (JTWC) classificou o sistema numa depressão tropical e no dia seguinte, numa tempestade tropical. Em 10 de maio, o JTWC classificou-o num tufão[5] assim que o sistema continuava a seguir para oeste e atingiu a região central das Filipinas, causando 32 fatalidades[6] e $1,9 milhões de dólares, principalmente na agricultura.[7]

Após Chanchu deixar as Filipinas, a Agência Meteorológica do Japão (AMJ) classificou-o num tufão e começou a seguir para o norte.[8] No Mar da China Meridional, o tufão afetou centenas de pescadores vietnamitas. Chanchu tornou-se um super tufão, tornando-se o segundo ciclone tropical atingindo esta intensidade no Mar da China Meridional em toda a história registrada. O outro tufão que atingiu esta intensidade nesta região foi o Tufão Ryan em 1995.[9] Também, Chanchu foi o ciclone tropical mais intenso registrado pelo Observatório de Hong Kong em maio. Avisos e alertas foram emitidos para os territórios de Hong Kong e Macau.[10][11] Chanchu começou a seguir para nordeste e atingiu o sul da China em 18 de maio. Na região, o tufão causou 25 fatalidades e prejuízos que totalizaram $7 bilhões de yuans. Mais tarde, Chanchu tornou-se extratropical.

Tempestade tropical Jelawat (Domeng)[editar | editar código-fonte]

Tempestade tropical Jelawat (Domeng)
Tempestade tropical 03W
Tempestade tropical (EFSS)
{{{image}}} Jelawat 2006 track.png
Duração 26 de junho de 200629 de junho de 2006
Intensidade 45 nós (83 km/h, 52 mph) 1 min
40 nós (74 km/h, 46 mph) 10 min, 996 hPa (mbar)

Jelawat formou-se de um cavado de monção e, 23 de junho a sudeste das Filipinas. O sistema seguiu para noroeste e em 26 de junho, o JTWC classificou-o numa depressão tropical e ,em 27 de junho, numa tempestade tropical.[5] Pouco depois, a AMJ fez o mesmo.[8]

Em 28 de junho, Jelawat enfraqueceu-se numa depressão tropical em 28 de junho e, no dia seguinte, fez landfall no sul da China,[12] dissipando-se mais tarde.

A tempestade causou chuvas fortes no sul da China. Em Haikou, a precipitação acumulada chegou a 309,7 mm.[13] As chuvas causaram 7 fatalidades e deixaram 1 desaparecido. Também arruinaram cerca de 200 km² de plantações e destruíram 190 casas.[14]

Tufão Ewiniar (Ester)[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Tufão Ewiniar (2006)
Tufão Ewiniar (Ester)
Super tufão 04W
Tufão  (AMJ)
Categoria 4 (EFSS)
{{{image}}} Ewiniar 2006 track.png
Duração 29 de junho de 200611 de julho de 2006
Intensidade 130 nós (241 km/h, 150 mph) 1 min
100 nós (185 km/h, 115 mph) 10 min, 930 hPa (mbar)

Ewiniar formou-se de uma área de distúrbios meteorológicos a uma grande distância a sudeste das Filipinas em 29 de junho. Naquele dia, o JTWC classificou-o numa depressão tropical e, em 30 de junho, numa tempestade tropical. Ao mesmo tempo, a AMJ fez o mesmo. A partir de 3 de julho, Ewiniar começou a intensificar-se rapidamente. No começo da madrugada daquele dia, tanto o JTWC quanto o AMJ classificaram o sistema num tufão.[5][8] O JTWC classificou-o num super tufão em 5 de julho, quando atingiu o pico de intensidade com ventos máximos constantes de 240 km/h.[5]

As bandas de tempestade exteriores de Ewiniar causaram chuvas fortes na costa leste chinesa, causando 30 fatalidades. Movendo-se sobre águas mais frias, Ewiniar começou a se enfraquecer. Em 10 de julho, o ciclone atingiu a Coreia do Sul como uma tempestade tropical severa.[15] O sistema trouxe chuvas fortes que levaram a enchentes e deslizamentos de terra na parte meridional do país, causando outras seis fatalidades.[16] Mais tarde, Ewiniar tornou-se extratropical sobre o Mar do Japão.

Depressão tropical 03 (AMC)[editar | editar código-fonte]

Depressão tropical 03 (AMC)
Depressão tropical (EFSS)
{{{image}}} Cyclone Temporaire.png
Duração 3 de julho de 20064 de julho de 2006
Intensidade 30 nós (56 km/h, 35 mph) 1 min, 998 hPa (mbar)

Uma área de distúrbios meteorológicos formou-se a cerca de 200 km ao sul da ilha de Hainan, China e foi classificada numa depressão tropical pela Administração Meteorológica da China em 3 de julho.[17] A depressão moveu-se para noroeste e fez landfall em Hainan no mesmo dia.[18] No dia seguinte, o sistema adentrou no Golfo de Tonkin e fez se segundo landfall perto da fronteira China/Vietnã e enfraqueceu-se rapidamente.[19]

Tempestade tropical severa Bilis (Florita)[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Tempestade tropical Bilis
Tempestade tropical Bilis (Florita)
Tempestade tropical 05W
Tempestade tropical severa  (AMJ)
Tempestade tropical (EFSS)
{{{image}}} Bilis 2006 track.png
Duração 8 de julho de 200615 de julho de 2006
Intensidade 50 nós (93 km/h, 58 mph) 1 min
60 nós (111 km/h, 69 mph) 10 min, 970 hPa (mbar)

Uma área de distúrbios meteorológicos a nordeste de Yap tornou-se uma depressão tropical em 8 de julho, e uma tempestade tropical no dia seguinte, ganhando o nome de Bilis. A PAGASA considerou o sistema, por um curto período de tempo, como um tufão, embora oficialmente tenha continuado como uma tempestade tropical assim que se movia para noroeste, em direção a Taiwan.

Após passar sobre o norte de Taiwan, Bilis fez landfall na província de Fujian, China, em 14 de julho[20] enfraquecendo-se numa depressão tropical no dia seguinte, embora a AMJ emitisse seu último aviso sobre o sistema somente em 17 de julho.[21] Bilis trouxe chuvas torrenciais que levou a enchentes e deslizamentos de terra, e também ventos fortes nas Filipinas. Em Taiwan e em algumas regiões da China, Bilis causou 672 fatalidades e $4,4 bilhões de dólares em prejuízos.[22] Devido aos estragos, o nome Bilis foi retirado definitivamente, pela Organização Meteorológica Mundial (OMM) da lista de nomes de tufões oficial.

Tufão Kaemi (Glenda)[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Tufão Kaemi (2006)
Tufão Kaemi (Glenda)
Tufão 06W
Tufão  (AMJ)
Categoria 1 (EFSS)
{{{image}}} Kaemi 2006 track.png
Duração 18 de julho de 200626 de julho de 2006
Intensidade 75 nós (139 km/h, 86 mph) 1 min
80 nós (148 km/h, 92 mph) 10 min, 960 hPa (mbar)

Kaemi formou-se como uma depressão tropical de uma área de distúrbios meteorológicos perto das Ilhas Carolinas em 18 de julho. No mesmo dia, o sistema tornou-se uma tempestade tropical e no dia seguinte, a AMJ nomeou-o de Kaemi. Em 20 de julho, Kaemi tornou-se uma tempestade tropical severa e um tufão 24 horas depois.[8] Em 25 de julho, Kaemi atingiu Taiwan e a província chinesa de Fujian como um tufão mínimo.[23]

Chuvas torrenciais do tufão atingiram as Filipinas e o Taiwan, onde feriram quatro pessoas.[24] Na China, o tufão causou 32 fatalidades e deixou desaparecidas outras 60 pessoas.[25]

Depressão tropical (CMRG)[editar | editar código-fonte]

Depressão tropical (CMRG)
Depressão tropical (EFSS)
{{{image}}} Cyclone Temporaire.png
Duração 21 de julho de 200622 de julho de 2006
Intensidade 25 nós (46 km/h, 29 mph) 1 min, 1002 hPa (mbar)

O Centro Meteorológico Regional de Guangdong, China (não sendo um centro nacional de meteorologia) identificou uma depressão tropical a cerca de 300 km ao sul de Xisha em 21 de julho.[26] O sistema continuou fraco e dissipou-se no dia seguinte.

Tufão Prapiroon (Henry)[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Tufão Prapiroon (2006)
Tufão Prapiroon (Henry)
Tufão 07W
Tufão  (AMJ)
Categoria 1 (EFSS)
{{{image}}} Prapiroon 2006 track.png
Duração 28 de julho de 20065 de agosto de 2006
Intensidade 70 nós (130 km/h, 81 mph) 1 min
65 nós (120 km/h, 75 mph) 10 min, 970 hPa (mbar)

Uma área de distúrbios meteorológicos formou-se a sudeste das Filipinas. Em 28 de julho, a PAGASA classificou o sistema numa depressão tropical e nomeou-o de Henry. No mesmo dia, tanto a AMJ quanto o JTWC fizeram o mesmo.[5][8] Após passar por Filipinas, o sistema, seguindo para oeste-noroeste, tornou-se uma tempestade tropical em 1 de Agosto. O Observatório de Hong Kong começou a emitir alertas e avisos de ciclone para Hong Kong. No dia seguinte, a AMJ classificou Prapiroon numa tempestade tropical severa[8] assim que a PAGASA cessou seus avisos, já que a tempestade deixou a área de responsabilidade filipina. Em Macau, também foram emitidos alertas e avisos.[27] Em 3 de agosto, o sistema atingiu a região.[28]

70 % dos voos no Aeroporto Internacional de Hong Kong foram cancelados ou atrasados.[29] Na província de Guangdong, China, os estragos foram maiores. As autoridades locais retiraram cerca de 660.000 pessoas de áreas de risco e causou $5,4 bilhões de yuans em prejuízos. Prapiroon causou 77 fatalidades e também causou danos em Hainan, Hunan e Guangxi.[30] O sistema dissipou-se sobre a China em 6 de agosto.

Tufão Maria[editar | editar código-fonte]

Tufão Maria
Tempestade tropical 09W
Tufão  (AMJ)
Tempestade tropical (EFSS)
{{{image}}} Maria 2006 track.png
Duração 4 de agosto de 200611 de agosto de 2006
Intensidade 60 nós (111 km/h, 69 mph) 1 min
70 nós (130 km/h, 81 mph) 10 min, 70 hPa (mbar)

Uma área de distúrbios meteorológicos formou-se a sudoeste de Minamitorishima e o JTWC classificou esta área como uma depressão tropical em 4 de agosto. No dia seguinte, a AMJ classificou-o numa tempestade tropical.

Em 6 de agosto, a AMJ classificou o sistema numa tempestade tropical severa. Logo em seguida, Maria começou a seguir para o norte, ameaçando o Japão. No dia seguinte, o JTWC classificou brevemente Maria como um tufão, mas emitiu seu último aviso assim que o sistema começou a se tornar extratropical. Em análises pós-tempestade, o JMA classificou Maria como um tufão.[8]

Tufão Saomai (Juan)[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Tufão Saomai
Tufão Saomai
Super tufão 08W
Tufão  (AMJ)
Categoria 5 (EFSS)
{{{image}}} Saomai 2006 track.png
Duração 4 de agosto de 200611 de agosto de 2006
Intensidade 140 nós (259 km/h, 161 mph) 1 min
105 nós (194 km/h, 121 mph) 10 min, 925 hPa (mbar)

Uma área de distúrbios meteorológicos formou-se perto das Ilhas Carolinas e em 4 de agosto, o JTWC classificou-a numa depressão tropical e no dia seguinte, numa tempestade tropical. Em 6 de agosto, a AMJ nomeou o sistema de Saomai.

Naquele dia, tanto o JTWC quanto a AMJ classificaram Saomai num tufão.[5][8] Em 8 de agosto, Saomai adentrou a área de responsabilidade filipina e ganhou o segundo nome de Juan, dado pela PAGASA. A partir daquele dia, Saomai começou a sofrer rápida intensificação e tornou-se um tufão com intensidade equivalente a um furacão de categoria 5 na escala de furacões de Saffir-Simpson.

Saomai fez landfall na província de Zhejiang, China, em 10 de agosto, com ventos máximos sustentados em 1 minuto de 215 km/h, mais intenso do que o tufão Chanchu fez anteriormente nesta temporada.[31] Saomai foi responsável por no mínimo 458 fatalidades, a maior parte na China e causou cerca de $2,5 bilhões de dólares americanos em prejuízos.[22]

Tempestade tropical severa Bopha (Inday)[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Tempestade tropical Bopha (2006)
Tempestade tropical Bopha (Inday)
Tempestade tropical 10W
Tempestade tropical severa  (AMJ)
Tempestade tropical (EFSS)
{{{image}}} Bopha 2006 track.png
Duração 5 de agosto de 200610 de agosto de 2006
Intensidade 55 nós (102 km/h, 63 mph) 1 e 10 min, 980 hPa (mbar)

Uma área de distúrbios meteorológicos formou-se ao norte de Yap e o JTWC classificou o sistema numa depressão tropical em 5 de agosto. Depois, a PAGASA também classificou o sistema numa depressão tropical e nomeou-a de Inday. No dia seguinte, a AMJ classificou a depressão numa tempestade tropical, nomeando-a de Bopha.

No mesmo dia, o JTWC também classificou o sistema numa tempestade tropical[5] e no dia seguinte, Bopha tornou-se uma tempestade tropical severa. Após enfraquecer-se numa tempestade tropical, Bopha inesperadamente voltou a ser uma tempestade tropical severa em 8 de agosto, antes de se enfraquecer novamente numa tempestade tropical 9 horas depois.[8]

No dia seguinte, Bopha fez landfall em Taiwan, antes de seguir para sudoeste, degenerando-se numa área de baixa tropical remanescente.

Tempestade tropical severa Wukong[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Tempestade tropical Wukong (2006)
Tempestade tropical Wukong
Tempestade tropical 11W
Tempestade tropical severa  (AMJ)
Tempestade tropical (EFSS)
{{{image}}} Wukong 2006 track.png
Duração 12 de agosto de 200620 de agosto de 2006
Intensidade 55 nós (102 km/h, 63 mph) 1 min
50 nós (93 km/h, 58 mph) 10 min, 980 hPa (mbar)

Uma área de distúrbios meteorológicos formou-se ao sul de Iwo Jima e foi classificada numa depressão tropical pelo JTWC em 12 de agosto e numa tempestade tropical em 13 de agosto.[5] Naquele dia, a AMJ também classificou o sistema numa tempestade tropical.[8] Em 18 de agosto, Wukong fez landfall no Japão pouco depois de ter absorvido a tempestade tropical Sonamu. Em 20 de agosto, Wukong enfraqueceu-se numa depressão tropical.

Em análises pós-tempestades, a AMj classificou Wukong numa tempestade tropical severa.[8]

Tempestade tropical Sonamu (Katring)[editar | editar código-fonte]

Tempestade tropical Sonamu (Katring)
Tempestade tropical 12W
Tempestade tropical  (AMJ)
Tempestade tropical (EFSS)
{{{image}}} Sonamu 2006 track.png
Duração 13 de agosto de 200616 de agosto de 2006
Intensidade 45 nós (83 km/h, 52 mph) 1 min
35 nós (65 km/h, 40 mph) 10 min, 992 hPa (mbar)

Em 13 de agosto, uma área de distúrbios meteorológicos a leste de Luzon, Filipinas, foi classificada como uma depressão tropical pelo JTWC e pelo AMJ. Logo em seguida, o sistema tornou-se uma tempestade tropical e ganhou o nome de Sonamu.[8] Em 15 de agosto, Sonamu começou a interagir com a tempestade tropical severa Wukong e começou a se enfraquecer. Sonami foi totalmente absorvida por Wukong no dia seguinte e tanto a AMJ quanto o JTWC emitiram seus últimos avisos.[5][8]

Tufão Ioke[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Furacão Ioke
Furacão/Tufão Ioke
Super tufão 01C
Tufão  (AMJ)
Categoria 5 (EFSS)
{{{image}}} Ioke 2006 track.png
Duração 19 de agosto de 20067 de setembro de 2006
Intensidade 140 nós (259 km/h, 161 mph) 1 min
105 nós (194 km/h, 121 mph) 10 min, 920 hPa (mbar)

Uma área de distúrbios meteorológicos ao sul do Havaí foi classificada pelo Centro de Furacões do Pacífico Central (CPHC) como uma depressão tropical em 19 de agosto e logo depois como uma tempestade tropical. Em 27 de agosto, Ioke cruzou a Linha Internacional de Data como um intenso tufão com intensidade equivalente a um furacão de categoria 5 na escala de furacões de Saffir-Simspon. Naquele momento, a responsabilidade de monitoramento do ciclone foi transferido do CPHC para a AMJ.[8] Em 30 de agosto, Ioke afetou a Ilha Wake, provocando a retirada de mais de 300 pessoas da ilha. Dias depois, Ioke passou a nordeste de Minamitorishima como um tufão de categoria 3; a ilha já tinha sido evacuada anteriormente. Ioke então começou a seguir para nordeste, tornando-se extratropical em 7 de setembro, dia em que tanto o JTWC quanto a AMJ emitiram seus últimos avisos sobre Ioke.[5][8] Mesmo assim, os remanescentes extratropicais de Ioke seguiram para nordeste e para leste, adentrando o Mar de Bering, afetando a costa do Alasca com mar muito agitado.[32]

Depressão tropical 13W[editar | editar código-fonte]

Depressão tropical 13W
Depressão tropical (EFSS)
{{{image}}} Cyclone Temporaire.png
Duração 23 de agosto de 200625 de agosto de 2006
Intensidade 30 nós (56 km/h, 35 mph) 1 min, 998 hPa (mbar)

Uma área de distúrbios meteorológicos formou-se no Mar da China Meridional e foi classificada pela Administração Meteorológica China (AMC) em 23 de agosto. O Observatório de Hong Kong emitiu um alerta de ventos fortes para o território. No dia seguinte, o JTWC também classificou o sistema numa depressão tropical. No entanto, emitiu seu último aviso 12 horas depois.[5]

O sistema atingiu o sul da China em 25 de agosto e dissipou-se logo em seguida.[33] and dissipated later that morning.

Typhoon Shanshan (Luis)[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Tufão Shanshan (2006)
Tufão Shanshan (Luis)
Tufão 14W
Tufão  (AMJ)
Categoria 4 (EFSS)
{{{image}}} Shanshan 2006 track.png
Duração 9 de setembro de 200619 de setembro de 2006
Intensidade 120 nós (222 km/h, 138 mph) 1 min
110 nós (204 km/h, 127 mph) 10 min, 919 hPa (mbar)

Uma área de distúrbios meteorológicos formou-se ao norte de Yap e foi classificada numa depressão tropical pelo Observatório de Hong Kong e pela AMJ em 9 de setembro. O JTWC também classificou o sistema numa depressão tropical no dia seguinte e logo em seguida, o sistema adentrou a área de responsabilidade filipina e foi nomeado de Luis pela PAGASA. Logo após, a AMJ classificou a depressão numa tempestade e deu ao sistema o nome de Shanshan. Em 11 de setembro, Shanshan tornou-se uma tempestade tropical severa e logo em seguida, um tufão.[5][8] Shanshan atingiu o pico de intensidade em 14 de setembro. A partir deste momento, Shanshan começou a se enfraquecer e em 17 de setembro, enfraqueceu-se numa tempestade tropical. Pouco depois, o JTWC emitiu seu último aviso sobre o sistema e a AMJ fez o mesmo dois dias depois, assim que Shanshan tornou-se extratropical.

Assim que Shanshan aproximava-se de Taiwan, alertas e avisos de tufão foram emitidos na ilha, mas cancelados assim que Shanshan começou a seguir outra trajetória. O governo da Coreia do Sul avisou aos navios que os portos iriam ser fechados e barcos pequenos foram impedidos a irem ao mar.[34] No Japão, 9 pessoas morreram em conseqüência da passagem do tufão. No país, mais 90.000 pessoas foram retiradas de áreas de risco. Outras 200 pessoas ficaram feridas. Na Coreia do Sul, Shanshan causou duas fatalidades.[35]

Depressão tropical 15W[editar | editar código-fonte]

Depressão tropical 15W
Depressão tropical (EFSS)
{{{image}}} Cyclone Temporaire.png
Duração 12 de setembro de 200613 de setembro de 2006
Intensidade 30 nós (56 km/h, 35 mph) 1 min, 1004 hPa (mbar)

Uma área de distúrbios meteorológicos formou-se no Mar da China Meridional e foi classificada pelo Observatório de Hong Kong e pelo JTWC como uma depressão tropical em 12 de setembro.[5] Avisos de ventos fortes foram emitidos para Hong Kong e Macau no dia seguinte. Logo em seguida, a depressão fez landfall na costa da província chinesa de Guangdong e dissipou-se em seguida.[36]

Tufão Yagi[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Tufão Yagi (2006)
Tufão Yagi
Super tufão 16W
Tufão  (AMJ)
Categoria 5 (EFSS)
{{{image}}} Yagi 2006 track.png
Duração 17 de setembro de 200625 de setembro de 2006
Intensidade 140 nós (259 km/h, 161 mph) 1 min
105 nós (194 km/h, 121 mph) 10 min, 910 hPa (mbar)

Uma área de distúrbios meteorológicos que se formou a nordeste de Chuuk foi classificada pelo JTWC e pela AMJ como uma depressão tropical em 17 de setembro. Depois, a AMJ classificou a depressão numa tempestade tropical, dando o nome de Yagi. Praticamente ao mesmo tempo, o JTWC fez o mesmo. Em 18 de setembro, Yagi tornou-se uma tempestade tropical severa[5] assim que o JTWC classificou o sistema num tufão. Continuando a se fortalecer, Yagi atingiu o pico de intensidade na noite (UTC) de 22 de setembro, tornando-se um super tufão.[5]

Em 23 de setembro, o JTWC emitiu seu último aviso sobre Yagi, relatando que o tufão estava se tornando extratropical.[5] Em 24 de setembro, Yagi enfraqueceu-se numa tempestade tropical severa e tornou-se totalmente extratropical em 25 de setembro, já se aproximando das Ilhas Aleutas, Alasca.

Depressão tropical 17W[editar | editar código-fonte]

Tempestade tropical 17W
Depressão tropical (EFSS)
{{{image}}} Cyclone Temporaire.png
Duração 23 de setembro de 200625 de setembro de 2006
Intensidade 30 nós (56 km/h, 35 mph) 1 min, 1000 hPa (mbar)

Uma área de distúrbios meteorológicos no Mar da China Meridional foi classificada numa depressão tropical pela AMC e pelo Observatório de Hong Kong em 22 de setembro e pelo JTWC no dia seguinte. Em 24 de setembro, o JTWC classificou brevemente a depressão numa tempestade tropical, no entanto, emitiu seu último aviso sobre o sistema em 25 de setembro pouco antes do sistema atingir o Vietnã.[5] O sistema trouxe muitas chuvas para o país, sendo que em algumas áreas, a precipitação acumulada chegou a 143 mm.[37] A AMC deixou o sistema como uma tempestade tropical até a tempestade fazer landfall no Vietnã.

Tufão Xangsane (Milenyo)[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Tufão Xangsane
Tufão Xangsane (Milenyo)
Tufão 18W
Tufão  (AMJ)
Categoria 4 (EFSS)
{{{image}}} Xangsane 2006 track.png
Duração 25 de setembro de 20062 de outubro de 2006
Intensidade 125 nós (232 km/h, 144 mph) 1 min
85 nós (157 km/h, 98 mph) 10 min, 940 hPa (mbar)

Uma área de distúrbios meteorológicos dentro da área de responsabilidade filipina foi classificada em 25 de setembro pela PAGASA como uma depressão, dando o nome de Milenyo. No mesmo dia, o JTWC também classificou o sistema numa depressão. No dia seguinte, a AMJ nomeou o sistema de Xangsane e mais tarde, classificou a tempestade numa tempestade tropical severa. Xangsane intensificou-se rapidamente, tornando-se um tufão antes de atingir as Filipinas.[5][8]

O tufão causou chuvas fortes no arquipélago filipino. O governo fechou vários portos[38] escolas, centros financeiros e prédios governamentais em Manila.[39] O tufão causou 200 fatalidades e causou $7,2 milhões de dólares em prejuízos nas Filipinas.[40]

Emergindo no Mar da China Meridional, Xangsane fortaleceu-se ainda mais, atingindo a costa do Vietnã em 1 de Outubro. Logo em seguida, o JTWC emitiu seu último aviso sobre o sistema e a AMJ desclassificou-o numa tempestade tropical severa.[5][8] No Vietnã, Xangsane causou 71 fatalidades.

Tempestade tropical severa Bebinca (Neneng)[editar | editar código-fonte]

Tempestade tropical severa Bebinca (Neneng)
Tempestade tropical 19W
Tempestade tropical severa  (AMJ)
Tempestade tropical (EFSS)
{{{image}}} Bebinca 2006 track.png
Duração 1 de Outubro de 20066 de outubro de 2006
Intensidade 35 nós (65 km/h, 40 mph) 1 min
50 nós (93 km/h, 58 mph) 10 min, 980 hPa (mbar)

Em 1 de Outubro, uma persistente área de baixa pressão logo a leste das Filipinas tornou-se a depressão tropical 19W. A AMJ já estava monitorando o sistema. O sistema ganhou o nome de Neneng, dado pela PAGASA, e depois, naquela noite, a depressão foi classificada numa tempestade tropical pelas autoridades filipinas. No dia seguinte, tanto a AMJ quanto o JTWC classificaram o sistema numa tempestade tropical e foi nomeado de Bebinca, dado pela AMJ.[5][8]

O JTWC desclassificou a tempestade numa depressão tropical por um período breve de tempo, entre 4 e 5 de outubro assim que os ventos de cisalhamento começaram a afetar o sistema. Então, sua circulação de baixos níveis ficou exposta com massas de ar seco afetando a depressão e tanto a AMJ quanto o JTWC declaram o sistema como uma depressão em dissipação em 6 de outubro.[5][8] Logo após, Bebinca foi absorvido por um ciclone extratropical a leste de Honshu, Japão, que provocou mar agitado e que deixou 33 fatalidades.[41] Em análises pós-tempestade, a AMJ classificou Bebinca como uma tempestade tropical severa.

Tempestade tropical Rumbia[editar | editar código-fonte]

Tempestade tropical Rumbia
Depressão tropical 20W
Tempestade tropical  (AMJ)
Depressão tropical (EFSS)
{{{image}}} Rumbia 2006 track.png
Duração 3 de outubro de 20066 de outubro de 2006
Intensidade 30 nós (56 km/h, 35 mph) 1 min
45 nós (83 km/h, 52 mph) 10 min, 985 hPa (mbar)

Em 3 de outubro, uma depressão tropical ao sul de Minamitorishima sobre águas quentes apresentou áreas de convecção suficientes para ser designado como tempestade tropical Rumbia pela AMJ, embora o JTWC nunca tenha classificado o sistema como depressão tropical.[5][8] Depois, naquele dia, o JTWC emitiu um alerta de formação de ciclone tropical e começou a emitir avisos regulares sobre a depressão tropical 20W no dia seguinte.[5] Rumbia começou a intensificar-se lentamente assim que se movia para noroeste, mas em 6 de outubro, sua circulação ciclônica de baixos níveis ficou totalmente exposta e o JTWC emitiu seu último aviso. A AMJ fez o mesmo logo em seguida.[5][8] A área de baixa pressão remanescente já não pôde ser monitorado, logo em seguida, pois já não se fazia distinção entre Rumbia e o mesmo ciclone extratropical que absorveu Bebinca.

Tufão Soulik[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Tufão Soulik (2006)
Tufão Soulik
Tufão 21W
Tufão  (AMJ)
Categoria 2 (EFSS)
{{{image}}} Soulik 2006 track.png
Duração 9 de outubro de 200616 de outubro de 2006
Intensidade 90 nós (167 km/h, 104 mph) 1 min
75 nós (139 km/h, 86 mph) 10 min, 955 hPa (mbar)

Em 9 de outubro, uma zona de distúrbios meteorológicos foi classificada pelo JTWC numa depressão tropical e, logo em seguida, como uma tempestade tropical. A AMJ fez o mesmo e nomeou o sistema de Soulik.[5][8] Em 10 de outubro, Soulik tornou-se uma tempestade tropical severa e a ilha de Agrihan emitiu avisos e alertas de tempestade tropical assim que o sistema se aproximava da ilha. No entanto, a chuva foi forte na Ilha Pagan.[42] Soulik tornou-se um tufão em 12 de outubro[5][8] e atingiu o pico de intensidade no dia seguinte antes de encontrar águas frias e tornar-se um ciclone extratropical em 16 de outubro.

Depressão tropical Ompong (PAGASA)[editar | editar código-fonte]

Depressão tropical Ompong
Depressão tropical (EFSS)
{{{image}}} Cyclone Temporaire.png
Duração 12 de outubro de 200613 de outubro de 2006
Intensidade 30 nós (56 km/h, 35 mph) 1 min, 1006 hPa (mbar)

Em 12 de outubro, uma perturbação tropical que movia-se erraticamente na Área de Responsabilidade Filipina foi classificada como a depressão tropical Ompong pela PAGASA. A depressão movia-se lentamente para oeste em direção às Filipinas, as os ventos de cisalhamento gerados pelo Tufão Soulik preveniram qualquer intensificação. A depressão degenerou-se numa área de baixa pressão no começo da madrugada do dia seguinte.

Tufão Cimaron (Paeng)[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Tufão Cimaron (2006)
Tufão Cimaron (Paeng)
Super tufão 22W
Tufão  (AMJ)
Categoria 5 (EFSS)
{{{image}}} Cimaron 2006 track.png
Duração 26 de outubro de 20066 de novembro de 2006
Intensidade 140 nós (259 km/h, 161 mph) 1 min
100 nós (185 km/h, 115 mph) 10 min, 920 hPa (mbar)

Em 26 de outubro, uma perturbação tropical foi classificada numa depressão tropical e, no dia seguinte, numa tempestade tropical pelo JTWC. Naquele dia, a AMJ fez o mesmo, nomeando o sistema de Cimaron.[5][8] Ainda naquele dia, Cimaron tornou-se uma tempestade tropical severa e tornou-se um tufão em 28 de outubro.[5][8] A partir deste momento, Cimaron sofreu rápida intensificação e o JTWC classificou-o num super tufão em 29 de outubro. Logo em seguida, Cimaron fez landfall na ilha de Luzon, Filipinas. Segundo a imprensa filipina, as rajadas de vento chegaram a 230 km/h.[43]

Cimaron reintensificou-se após passar por Luzon, mas não na sua intensidade original. Movendo-se para noroeste, foi previsto que o tufão atingisse Hainan, China, ou mesmo Hong Kong. No entanto, as previsões falharam e Cimaron começou a seguir para oeste-sudoeste, enfraquecendo-se. o JTWC emitiu seu último aviso sobre o sistema em 4 de novembro e a AMJ fez o mesmo dois dias depois.[5][8]

Cimaron causou 19 fatalidades nas Filipinas, todas em Luzon[44] e $9 milhões de dólares em prejuízos.[45]

Tufão Chebi (Queenie)[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Tufão Chebi (2006)
Tufão Chebi (Queenie)
Tufão 23W
Tufão  (AMJ)
Categoria 4 (EFSS)
{{{image}}} Chebi 2006 track.png
Duração 8 de novembro de 200614 de novembro de 2006
Intensidade 125 nós (232 km/h, 144 mph) 1 min
100 nós (185 km/h, 115 mph) 10 min, 925 hPa (mbar)

Uma área de distúrbios meteorológicos foi classificada como uma depressão tropical pela AMJ em 6 de outubro e pela PAGASA logo em seguida, nomeando-o de Queenie. O JTWC fez o mesmo em 9 de novembro, assim que a AMJ classificou o sistema numa tempestade tropical e lhe deu o nome de Chebi. Logo depois, tanto o JTWC[5][8] quanto a PAGASA fizeram o mesmo. Em 10 de novembro, Chebi tornou-se uma tempestade tropical severa.

Horas depois, Chebi começou a se fortalecer-se rapidamente, tornando-se, em menos de 12 horas, um tufão equivalente a um furacão de categoria 4 na escala de furacões de Saffir-Simpson.[5][8] Após atingir a ilha de Luzon, Filipinas, Chebi começou a se enfraquecer, enfraquecendo-se numa tempestade tropical em 12 de novembro e numa depressão tropical dois dias depois.

Apesar de sua intensidade ao atingir as Filipinas, Chebi causou apenas 1 fatalidade e deixou outros 10 feridos.[46] O número baixo de mortes reflete a consciência da população quanto a tufões naquele momento, já que a mesma região tinha sido atingido por Cimaron dias antes.

Tufão Durian (Reming)[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Tufão Durian
Tufão Durian (Reming)
Super tufão 24W
Tufão  (AMJ)
Categoria 4 (EFSS)
{{{image}}} Durian 2006 track.png
Duração 24 de novembro de 20065 de dezembro de 2006
Intensidade 135 nós (250 km/h, 155 mph) 1 min
105 nós (194 km/h, 121 mph) 10 min, 915 hPa (mbar)

Em 25 de novembro, uma área de distúrbios meteorológicos próximo a Yap foi classificada numa depressão tropical pela AMJ e pelo JTWC.[5][8] No dia seguinte, o sistema tornou-se uma tempestade tropical, ganhando o nome de Durian.[8]

Em 27 de novembro, Durian tornou-se uma tempestade tropical severa[8] e no dia seguinte, entrou na área de responsabilidade filipina, ganhando o segundo nome de Reming, dado pela PAGASA. A partir de 29 de novembro, Durian começou a se intensificar-se rapidamente e Durian tornou-se um tufão.[5][8] Naquele dia, o JTWC classificou o sistema num super tufão.

Em 30 de novembro, Durian atingiu o norte do arquipélago Filipinas. Encontrando ar seco e ventos de cisalhamento, Durian enfraqueceu-se ligeiramente, mas logo ganhou força sobre o Mar da China Meridional. Em 3 de dezembro, Durian começou a mover-se paralelamente à costa do Vietnã, enfraquecendo-se devido à interação com terra. Durian finalmente fez landfall na província de vietnamita de Ben Tre em 5 de dezembro. Tanto a AMJ quanto o JTWC emitiram seus últimos avisos sobre o sistema assim que Durian emergiu sobre o Golfo da Tailândia.[5][8]

Durian causou pelo menos 720 fatalidades nas Filipinas.[47] No Vietnã, Durian causou outras 81 fatalidades e deixou outras 16 desaparecidas.[48]

Tufão Utor (Seniang)[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Tufão Utor (2006)
Tufão Utor (Seniang)
Tufão 25W
Tufão  (AMJ)
Categoria 3 (EFSS)
{{{image}}} Utor 2006 track.png
Duração 7 de dezembro de 200614 de dezembro de 2006
Intensidade 100 nós (185 km/h, 115 mph) 1 min
85 nós (157 km/h, 98 mph) 10 min, 945 hPa (mbar)

Em 7 de dezembro, uma área de distúrbios meteorológicos foi classificada tanto pela AMJ quanto pelo JTWC numa depressão tropical.[5][8] Logo em seguida, a PAGASA nomeou o sistema de Seniang assim que o sistema adentrou a área de responsabilidade filipina. Ainda no mesmo dia, a AMJ classificou a depressão numa tempestade tropical e lhe atribuiu o nome de Utor.[8]

No dia seguinte, Utor tornou-se uma tempestade tropical severa e um tufão em 9 de dezembro.[5][8] Logo em seguida, Utor afetou a região central do arquipélago Filipinas. Seguindo para oeste-noroeste, Utor enfraqueceu-se numa tempestade tropical severa e numa tempestade tropical em 13 de dezembro, dissipando-se no dia seguinte.

O tufão Utor causou pelo menos 30 fatalidades e deixou outras 8 desaparecidas.[49]

Tempestade tropical Trami (Tomas)[editar | editar código-fonte]

Tempestade tropical Trami (Tomas)
Depressão tropical 26W
Tempestade tropical  (AMJ)
Depressão tropical (EFSS)
{{{image}}} Trami 2006 track.png
Duração 6 de dezembro de 200619 de dezembro de 2006
Intensidade 30 nós (56 km/h, 35 mph) 1 min
35 nós (65 km/h, 40 mph) 10 min, 1000 hPa (mbar)

Em 6 de dezembro, uma área de distúrbios meteorológicos a sudoeste de Guam foi classificada como uma depressão tropical, e pelo JTWC no dia seguinte.[5][8] Logo em seguida, a AMJ classificou o sistema numa tempestade tropical e lhe atribuiu o nome de Trami.[8] Assim que o sistema adentrou a área de responsabilidade das Filipinas ganhou o nome de Tomas, dado pela PAGASA. No entanto, as condições hostis impediram o desenvolvimento do sistema e em 18 de dezembro, o JTWC emitiu seu último aviso sobre o sistema e a AMJ fez o mesmo no dia seguinte.[5][8]

Cronologia[editar | editar código-fonte]

O gráfico abaixo mostra de forma clara a duração e a intensidade de cada ciclone tropical:

Energia ciclônica acumulada[editar | editar código-fonte]

ECA (104kt²) — Tempestade:
1 51,908 Ioke 12 12,031 Soulik
2 28,963 Yagi 13 9,970 Chebi
3 28,388 Ewiniar 14 4,183 Bilis
4 25,193 Durian 15 4,165 Prapiroon
5 24,348 Shanshan 16 4,075 Wukong
6 24,090 Chanchu 17 3,823 Maria
7 23,876 Cimaron 18 2,030 Bopha
8 21,803 Xangsane 19 1,918 Bebinca
9 19,020 Saomai 20 1,055 Jelawat
10 14,226 Utor 21 1,008 Sonami
11 13,975 Kaemi 22 0,245 Rumbia
Total:320,049[50]

A tabela a direita mostra a Energia ciclônica acumulada (ECA) para cada ciclone tropical formado durante a temporada. A ECA é, de forma abrangente, uma energia medida da tempestade multiplicada pelo tempo em que a mesma existiu. Quanto mais tempo dura e quanto mais forte a tempestade, a mesma terá uma ECA maior. A ECA somente é calculada para aqueles sistemas que alcancem força de tempestade tropical, ou seja, sistemas cujos ventos alcancem 63 km/h ou mais.

Nomes das tempestades[editar | editar código-fonte]

Ciclones tropicais que se formam ou adentram o Oceano Pacífico noroeste são nomeados pelo Centro Meteorológico Regional Especializado (CMRE) de Tóquio, pertencente a Agência Meteorológica do Japão. A lista é usada sequencialmente, ou seja, não há uma lista determinada para um único ano. Os nomes são dados pelos treze membros do comitê da Organização Meteorológica Mundial para tufões, exceto pela Singapura. Estes treze países ou territórios, junto com a Micronésia. Cada país ou território contribui com dez nomes, que são organizados alfabeticamente conforme o nome (em inglês) do país contribuinte. Esta é a mesma lista usada para a temporada de 2005, exceto por Noul, Mujigae, Mirinae, Fanapi, Dolphin, e Lionrock que substituíram respectivamente Pongosa, Maemi, Sudal, Ranamin, Yanyan e Tingting.[51] O primeiro sistema nomeado em 2008 será Nogumi.

Nação contribuinte Nomes
CambojaCamboja Damrey Kong-rey Nakri Krovanh Sarika
ChinaRepública Popular da China Haikui Yutu Fengshen Dujuan Haima
Coreia do NorteCoreia do Norte Kirogi Toraji Kalmaegi Mujigae Meari
Hong KongHong Kong Kai-Tak Man-yi Fung-wong Choi-wan Ma-on
JapãoJapão Tembin Usagi Kammuri Koppu Tokage
LaosLaos Bolaven Pabuk Phanfone Ketsana Nock-ten
MacauMacau Chanchu Wutip Vongfong Parma Muifa
MalásiaMalásia Jelawat Sepat Nuri Melor Merbok
Estados Federados da MicronésiaMicronésia Ewiniar Fitow Sinlaku Nepartak Nanmadol
FilipinasFilipinas Bilis Danas Hagupit Lupit Talas
Coreia do SulCoreia do Sul Kaemi Nari Jangmi Sudal Noru
TailândiaTailândia Prapiroon Wipha Mekkhala Nida Kulap
Estados UnidosEstados Unidos Maria Francisco Higos Son Tinh Roke
VietnameVietnã Saomai Lekima Bavi Conson Sonca
CambojaCamboja Bopha Krosa Maysak Chanthu Nesat
ChinaChina Wukong Haiyan Haishen Dianmu Haitang
Coreia do NorteCoreia do Norte Sonamu Podul Noul Mindulle Nalgae
Hong KongHong Kong Shanshan Lingling Dolphin Lionrock Banyan
JapãoJapão Yagi Kajiki Kujira Kompasu Washi
LaosLaos Xangsane Faxai Chan-hom Namtheun Pakhar
MacauMacau Bebinca Peipah Linfa Malou Sanvu
MalásiaMalásia Rumbia Tapah Nangka Meranti Mawar
Estados Federados da MicronésiaMicronésia Soulik Mitag Soudelor Fanapi Guchol
FilipinasFilipinas Cimaron Hagibis Molave Malakas Talim
Coreia do SulCoreia do Sul Chebi Neoguri Goni Megi Doksuri
TailândiaTailândia Durian Rammasun Morakot Chaba Khanun
Estados UnidosEstados Unidos Utor Matmo Etau Aere Vicente
VietnameVietnã Trami Halong Vamco Songda Saola

Um sistema, o furacão Ioke entrou na bacia do Pacífico norte, deixando a bacia do Pacífico central, retendo seu nome atribuído originalmente pelo Centro de Furacões do Pacífico Central (CPHC). Também foi dado ao sistema o número de tufão internacional 0612, dado pela AMJ.

Filipinas[editar | editar código-fonte]

A Administração de Serviços Atmosféricos, Geofísicos e Astronômicos das Filipinas (PAGASA) usa a sua própria lista (não-oficial) para dar nomes aos ciclones tropicais que se formam ou adentram na área de responsabilidade da agência. As listas são recicladas a cada quatro anos. O nome "Glenda" foi usado pela primeira fez, sendo que substituiu "Gloria".[52]

  • Venus (sem usar)
  • Waldo (sem usar)
  • Yayang (sem usar)
  • Zeny (sem usar)
  • Agila (sem usar)
  • Bagwis (sem usar)
  • Chito (sem usar)
  • Diego (sem usar)
  • Elena (sem usar)
  • Felino (sem usar)
  • Gundig (sem usar)
  • Harriet (sem usar)
  • Indang (sem usar)
  • Jessa (sem usar)

Na 39ª reunião do comitê ESCAP/WMO sobre tufões in Manila, Filipinas, em Dezembro de 2006, foi decidido que cinco nomes - Chanchu, Bilis, Saomai, Xangsane e Durian deveriam ser retirados, sendo que os nomes foram escolhidos na seguinte reunião do comitê, em Dezembro de 2007.[53] Na 40ª reunião do comitê ESCAP/WMO sobre tufões, os nomes Sanba, Maliksi, Son Tinh, Leepi e Mangkhut foram escolhidos respectivamente.[54]

Referências

  1. «Typhoon2000.ph» 
  2. http://www.typhoon2000.ph/season06.htm
  3. «www.nmc.gov.cn» 
  4. http://www.nrlmry.navy.mil/tc_pages/tc_home.html
  5. a b c d e f g h i j k l m n o p q r s t u v w x y z aa ab ac ad ae af ag ah ai aj ak al am Joint Typhoon Warning Center. «WESTERN NORTH PACIFIC OCEAN TROPICAL CYCLONES» (em inglês). Consultado em 9 de abril de 2008 
  6. http://www.cnn.com/2006/WORLD/asiapcf/05/14/philippines.typhoon.reut/index.html
  7. «today.reuters.co.uk/news/newsArticle.aspx?type=science...» 
  8. a b c d e f g h i j k l m n o p q r s t u v w x y z aa ab ac ad ae af ag ah ai aj ak al am an Agência Meteorológica do Japão. «Best track NW Pacific 2006» (em inglês). Consultado em 9 de abril de 2008 
  9. https://metoc.npmoc.navy.mil/jtwc/atcr/1995atcr/pdf/wnp/19w.pdf
  10. «HKO Warnings/Signals Database» 
  11. «The Standard - Hong Kong's First FREE English Newspaper» 
  12. http://www.cma.gov.cn/cma_new/tqyb/zhyj/t20060629_137632.phtml
  13. «海南公益气象信息服务系统-气象工作信息2» 
  14. «Shanghai Daily - English Window to China News» 
  15. «kma.go.kr» 
  16. «Typhoon leaves at least six dead in South Korea». Reuters (em inglês). Washington Post. 10 de julho de 2006. Consultado em 11 de julho de 2006 
  17. «www.nmc.gov.cn/news» 
  18. «www.nmc.gov.cn/news» 
  19. «www.nmc.gov.cn/news» 
  20. «www.nmc.gov.cn» 
  21. «www.jma.go.jp» 
  22. a b Typhoon Committee (4 de dezembro de 2006). «Review of the 2006 Typhoon Season». World Meteorological Organization (em inglês) 
  23. «www.nmc.gov.cn» 
  24. «Trmm Sees Typhoon Kaemi» 
  25. http://news.scotsman.com/latest.cfm?id=1095622006
  26. «mb.hainan.gov.cn» 
  27. «Ming Pao» 
  28. «www.nmc.gov.cn» 
  29. «hk.news.yahoo.com» 
  30. «Xinhua - English» 
  31. «www.nmc.gov.cn/news» 
  32. Angela Hutti (2006). «Storm on the Bering Sea». KTVA 11 (em inglês). Consultado em 8 de setembro de 2006 
  33. «www.nmc.gov.cn/news» 
  34. «joongangdaily.joins.com» 
  35. http://www.yomiuri.co.jp/national/news/20060917it12.htm
  36. «www.nmc.gov.cn/news» 
  37. «www.nmc.gov.cn/news» 
  38. «Thousands trapped by typhoon: World: News: News24» 
  39. «ABS-CBN Interactive» 
  40. «www.nmc.gov.cn» 
  41. japonês)
  42. «weather.unisys.com» 
  43. «GMANews.TV - (Update) Super typhoon 'Paeng' rips Isabela province - Nation - Official Website of GMA News and Public Affairs - Latest Philippine News - BETA» 
  44. «GMANews.TV - Typhoon 'Paeng' claims first casualties - Nation - Official Website of GMA News and Public Affairs - Latest Philippine News - BETA» 
  45. «News: Southeast Asia: Typhoon Cimaron - Oct 2006, Toll from typhoon Cimaron rises to 19 in Philippines» 
  46. «GMANews.TV - (Update) 'Queenie' leaves RP: 1 dead, 10 injured - Nation - Official Website of GMA News and Public Affairs - Latest Philippine News - BETA» 
  47. «Situation Reports: Southeast Asia: Typhoon Durian - Dec 2006, Philippines: NDCC media update - Typhoon "Reming" (Durian) 13 Dec 2006» 
  48. «Press Releases: Southeast Asia: Typhoon Durian - Dec 2006, Viet Nam: NDMP Durian typhoon damage update 08 Dec 2006» 
  49. «Situation Reports: Philippines: Typhoon Utor - Dec 2006, Philippines: NDCC media update - Typhoon "Seniang" (Utor) 15 Dec 2006» 
  50. «ncdc.noaa.gov» 
  51. «Título em falta» 
  52. «Nomes Filipinas» (em inglês) 
  53. «ESCAP/WMO台风委员会第三十九次届会在菲律宾召开» 
  54. «WebCite query result» 

Ver também[editar | editar código-fonte]

Furacão Catrina Portal da
meteorologia
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Temporada de tufões no Pacífico de 2006

Ligações externas[editar | editar código-fonte]



Ciclones tropicais da Temporada de tufões no Pacífico de 2006
Escala de Furacões de Saffir-Simpson
DT TS TT 1 2 3 4 5



*PAGASA
#JTWC
SN - Sem nome