Tentativa de assassinato de Cristina Kirchner

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Tentativa de assassinato de
Cristina Kirchner
Local Recoleta, Buenos Aires, Argentina
Coordenadas 34° 35′ 34″ S, 58° 23′ 15″ O
Data 1 de setembro de 2022
20h27min
Alvo(s) Cristina Kirchner
Mortes 0
Feridos 0
Suspeito(s) Fernando André Sabag Montiel

A tentativa de assassinato de Cristina Kirchner, vice-presidente e ex-presidente da Argentina, ocorreu em Buenos Aires no dia 1.° de setembro de 2022. O suspeito é o brasilo-argentino Fernando André Sabag Montiel.[1] A arma, uma pistola Bersa de calibre .32,[2] estaria carregada com cinco balas, falhou e ele foi detido no local.[3][4][5] O atentado teve ampla repercussão[6] e recebeu condenação local e internacional, com diversas mensagens de solidariedade à política.[7]

Kirchner estava chegando ao edifício onde mora, no bairro da Recoleta, quando desceu do carro para cumprimentar apoiadores. Neste momento, Montiel se aproximou, apontou a arma com a mão esquerda para a cabeça de Kirchner e apertou o gatilho, no entanto, a pistola emperrou e agentes de segurança o detiveram imediatamente, levando-o para uma delegacia na sequência.[8] No dia seguinte, a polícia argentina apreendeu mais de cem balas de calibre 9mm no apartamento onde ele morava.[9]

O presidente argentino Alberto Fernández convocou um discurso em rede nacional após o atentado, no qual repudiou o ataque, pediu à população para lutar contra o discurso de ódio e qualquer forma de violência, e decretou feriado nacional no dia seguinte, 2 de setembro.[10]

Suspeito[editar | editar código-fonte]

Fernando André Sabag Montiel (São Paulo, 13 de janeiro de 1987)[11] é filho de mãe chilena e pai argentino,[12] e estava radicado na Argentina desde 1993,[13] onde trabalhava como motorista de aplicativo.[1][14][15] Ele possuía o sol negro, um símbolo nazista, tatuado no cotovelo,[16] se apresentava como "Fernando Salim Montiel" nas redes sociais[17] e seguia grupos extremistas ligados ao radicalismo e ao discurso de ódio.[9][18] Em 17 de março de 2021, Montiel foi detido e recebeu uma advertência por portar uma faca de 35 centímetros, que ele alegou ser para defesa pessoal.[19][20] A motivação dele para o atentado ainda é incerta.[21] Montiel foi acusado de tentativa de homicídio qualificado.[22][11]

Reações[editar | editar código-fonte]

  •  Cuba: O presidente Miguel Díaz-Canel afirmou que o país estava chocado e chamou o incidente de tentativa de assassinato.[23]
  •  Bolívia: Sacha Llorenti, anteriormente da Organização das Nações Unidas, postou em seu Twitter que "o ódio não prevalecerá".[23]
  •  Brasil: O presidente Jair Bolsonaro emitiu uma nota dizendo lamentar o ocorrido.[24] O ex-presidente e atual candidato a presidência nas eleições em 2022, Luiz Inácio Lula da Silva postou em suas redes sociais que oferece suas solidariedades e agradeceu pela vice-presidente ter saído ilesa. Pediu ainda que o autor sofra as consequências legais e reiterou que “Esta violência e ódio politico que vêm sendo estimulados por alguns é uma ameaça à democracia na nossa região. Os democratas do mundo não tolerarão qualquer violência nas divergências políticas”.[25] A presidente do Partido dos Trabalhadores, Gleisi Hoffmann, disse que os ataques são resultado da violência política e do discurso de ódio.[23]
  •  Chile: O presidente Gabriel Boric mandou suas solidariedades pelo Twitter e disse que "o caminho é sempre o de debate de ideias e diálogo, nunca o das armas e da violência", e que a tentativa de assassinato seria condenada por todo o continente.[23]
  •  Espanha: O primeiro-ministro Pedro Sánchez disse em seu Twitter que "o ódio e a violência não triunfarão sobre a democracia", e ofereceu seu suporte a Kirchner e aos argentinos.[23]
  •   Vaticano: O papa Francisco telefonou para Kirchner e enviou um telegrama com a mensagem: "Rezo para que a harmonia social e o respeito aos valores democráticos sempre prevaleçam na amada Argentina".[23]

Referências

  1. a b «Quem é Fernando André Sabag Montiel, homem que tentou assassinar Cristina Kirchner?». Yahoo Notícias Brasil. 1.º de setembro de 2022. Consultado em 1.º de setembro de 2022 
  2. Cinzento, Victor (2 de setembro de 2022). «Brasileiro que atacou Cristina Kirchner portava uma pistola Bersa calibre 32, diz imprensa local». G1. Consultado em 2 de setembro de 2022 
  3. «Brasileiro tenta atirar em Cristina Kirchner e arma falha, diz governo argentino». Exame. 1.º de setembro de 2022. Consultado em 1.º de setembro de 2022 
  4. GUIMARÃES, Thayz (1.º de setembro de 2022). «Cristina Kirchner sofre tentativa de atentado na Argentina e suspeito é brasileiro». O Globo. Consultado em 2 de setembro de 2022 
  5. carolinafarias. «Vice-presidente da Argentina, Cristina Kirchner, sofre atentado em Buenos Aires; suspeito é brasileiro e está detido». CNN Brasil. Consultado em 2 de setembro de 2022 
  6. «Tentativa de assassinato de Cristina Kirchner repercute no mundo: 'acontecimento dramático'». O Globo. 2 de setembro de 2022. Consultado em 2 de setembro de 2022 
  7. «Atentado contra Cristina Kirchner na Argentina; repercussão». G1. 1 de setembro de 2022. Consultado em 2 de setembro de 2022 
  8. Guimarães, Thayz (1 de setembro de 2022). «Cristina Kirchner sofre tentativa de atentado na Argentina e suspeito é brasileiro». O Globo. Consultado em 2 de setembro de 2022 
  9. a b «Polícia encontra 100 balas na casa de homem que atacou Cristina; ele vivia em cômodo com lixo e bagunça». G1. 2 de setembro de 2022. Consultado em 2 de setembro de 2022 
  10. Guimarães, Thayz (2 de setembro de 2022). «Argentina decreta feriado nacional após Cristina Kirchner sofrer tentativa de assassinato». O Globo. Consultado em 2 de setembro de 2022 
  11. a b «Justiça argentina acusa brasileiro de tentativa de homicídio». VEJA. 2 de setembro de 2022. Consultado em 2 de setembro de 2022 
  12. Nóbrega, Fábio (2 de setembro de 2022). «Tatuagem nazista e detido com faca de 35 cm: quem é o brasileiro que tentou matar Cristina Kirchner». Folha PE. Consultado em 2 de setembro de 2022 
  13. «Quem é o brasileiro suspeito de tentar matar Cristina Kirchner». O Antagonista. 2 de setembro de 2022. Consultado em 2 de setembro de 2022 
  14. PACELLI, Shirley (1.º de setembro de 2022). «Quem é o brasileiro que tentou matar Cristina Kirchner? Veja o que sabemos». O Tempo. Consultado em 1.º de setembro de 2022 
  15. «Saiba quem é o brasileiro que tentou atirar em Cristina Kirchner». Estado de Minas. 2 de setembro de 2022. Consultado em 2 de setembro de 2022 
  16. «Sol negro: o que significa o símbolo tatuado no brasileiro que tentou matar Cristina Kirchner?». O Globo. 2 de setembro de 2022. Consultado em 2 de setembro de 2022 
  17. «Quem é o brasileiro suspeito de tentar matar Cristina Kirchner». Uol. 2 de setembro de 2022. Consultado em 2 de setembro de 2022 
  18. «Brasileiro que tentou matar Kirchner seguia páginas ligadas a grupos radicais». O Tempo. 2 de setembro de 2022. Consultado em 2 de setembro de 2022 
  19. «Brasileiro, motorista de aplicativo e detido por porte de arma branca: saiba quem tentou matar Cristina Kirchner». O Globo. 2 de setembro de 2022. Consultado em 2 de setembro de 2022 
  20. «Quem é o brasileiro suspeito de tentar matar Cristina Kirchner». G1. 1 de setembro de 2022. Consultado em 2 de setembro de 2022 
  21. «Ataque contra Cristina Kirchner: o que se sabe e o que falta esclarecer». G1. 2 de setembro de 2022. Consultado em 2 de setembro de 2022 
  22. «Brasileiro que tentou matar Cristina é acusado de tentativa de homicídio qualificado». O Globo. 2 de setembro de 2022. Consultado em 2 de setembro de 2022 
  23. a b c d e f Tom Phillips e Sam Jones (2 de setembro de 2022). «Cristina Fernández de Kirchner: arrest after attempted shooting of Argentina vice-president» (em inglês). the Guardian. Consultado em 2 de setembro de 2022. Cópia arquivada em 2 de setembro de 2022 
  24. «'Lamento', diz Bolsonaro sobre atentado contra Cristina Kirchner». G1. Consultado em 6 de setembro de 2022 
  25. «Lula presta solidariedade a Cristina Kirchner, 'vítima de um fascista criminoso'». CartaCapital. 2 de setembro de 2022. Consultado em 2 de setembro de 2022. Cópia arquivada em 2 de setembro de 2022