Teodora Ana Ducena Selvo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde junho de 2013). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Teodora Ana Ducena Selvo
Nascimento 1058
Morte 1083 (25 anos)
Cidadania República de Veneza
Progenitores Mãe:Eudóxia Macrembolitissa
Pai:Constantino X
Cônjuge Domenico Selvo
Irmão(s) Miguel VII, Constâncio Ducas

Teodora Ana Ducena (em grego: Θεοδώρα Άννα Δούκαινα; transl.: Theodora Dukaina Komnena; 1058-1083) foi uma princesa bizantina, filha do imperador Constantino X Ducas e sua segunda esposa Eudóxia Macrembolitissa. Ela se tornou a esposa de Domenico Selvo, Doge de Veneza de 1075 até a sua morte em 1083.

Theodora trouxe uma grande comitiva grega para Veneza, e tornou-se extremamente impopular por causa de sua postura aristocrática e maneiras arrogantes. O que foi então percebido como sua extravagância bizantina incluía o uso de um garfo, tigelas de dedo, guardanapos e velas de candelabro. O Dogaressa morreu de uma doença degenerativa, que foi vista pelos venezianos como um julgamento divino por seu estilo de vida "imoderado". Há um relato de suas maneiras prodigiosas, escritas por Pedro Damião, o cardeal bispo de Ostia, intitulado "Da esposa do Doge veneziano, cujo corpo, depois de sua excessiva delicadeza, apodreceu completamente".