Teodorico I de Meissen

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book-4.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, comprometendo a sua verificabilidade(desde novembro de 2017). Por favor, adicione mais referências inserindo-as no texto. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Teodorico I
Marquês de Meissen
Antecessor(a) Henrique VI
Sucessor(a) Henrique III
Cônjuge Juta da Turíngia
Descendência
Casa Wettin
Nascimento 11 de março de 1162
Morte 18 de fevereiro de 1221
Pai Otão II de Meissen
Mãe Eduvigis de Brandeburgo

Teodorico I (11 de março de 1162 - 18 de janeiro de 1221), chamado o Oprimido, foi o marquês de Meissen de 1198 até sua morte. Foi o segundogênito de Otão II de Meissen e Eduvigis de Brandeburgo.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Teodorico e seu irmão Alberto o Orgulhoso, tornaram-se inimigos quando sua mãe convenceu seu pai de mudar a sucessão de um modo que Teodorico se tornasse o próximo marquês de Meissen e Alberto (ainda que era o filho maior) ficasse com marquesado de Weissenfels. Alberto capturou seu pai com o objetivo de pressioná-lo a manter as regras de sucessão. Após Otão obter sua liberdade por ordem do imperador Federico I, só tinha renovado a guerra quando morreu em 1190. Alberto recuperou Meissen. Teodorico tentou apoderar-se do marquesado novamente, com o apoio de Germano I da Turíngia, com cuja filha havia casado. Em 1195, no entanto, marchou em peregrinação à [Palestina]].

A morte de Alberto[editar | editar código-fonte]

Após a morte de Alberto em 1195 sem filhos, Meissen, com suas ricas minas, foi capturada pelo imperador Henrique VI transformando-o em um feudo do império. Teodorico finalmente tomou posse de sua herança dois anos mais tarde, após a morte de Henrique.

Na época da luta entre os dois soberanos rivais Filipe da Suábia e Otão IV, Felipe entregou a Teodorico a tenência da Marca de Meissen novamente. Após aquela época, Teodorico pôs-se ao lado de Felipe e tornou-se leal aos Hohenstaufen inclusive após o assassinato dele em 1208.

Teodorico viu-se engajado em sérias discussões com a cidade de Leipzig e a nobreza de Meissen. Após um um falido cerco em Leipzig no ano de 1217 chegou a um acordo mas depois tomou a cidade mediante um engano, fez demolir as muralhas da cidade e construiu três castelos próprios dentro da cidade, ocupando-os com seus próprios homens.

Morte[editar | editar código-fonte]

O marquês Teodorico morreu o 18 de fevereiro de 1221, possivelmente envenenado por seu médico, instigado pelo povo de Leipzig e a nobreza insatisfeita. Deixou uma viúva, Juta da Turíngia, filha de Germâno I da Turíngia. Alguns de seus filhos já haviam morrido.[1]

Referências

  1. Heinrich Theodor Flathe: Dietrich der Bedrängte. En: Allgemeine Deutsche Biographie (ADB). Volumen 5, Duncker & Humblot, Leipzig 1877, p. 186-187