Teodoro Tritírio

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde outubro de 2011). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Teodoro Tritírio
Morte 636
Nacionalidade Império Bizantino
Ocupação general
Título sacelário (tesoureiro da administração imperial), militar
Religião Cristianismo
Causa da morte combate
Vista sobre o local da batalha de Jarmuque

Teodoro Tritírio (m. 636), usualmente conhecido pelo cognome Teodoro, o Sacelário, foi sacelário (i.e., tesoureiro do estado) e comandante militar durante os últimos anos do reinado do imperador bizantino Heráclio.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Residente em Antioquia durante o século VII, Tritírio era um cristão grego que tinha o posto de tesoureiro sob a autoridade do imperador Heráclio, ao qual era extremamente leal.

Em 634, Heráclio enviou o seu irmão Teodoro para combater os exército invasores árabes na Palestina, onde sofreu uma grande derrota na batalha de Ajnadayn, travada no vale de Elá, a sudoeste de Jerusalém. Após ter retirado, Teodoro culpou o casamento incestuoso do seu irmão com a sobrinha Martina pela derrota do Império Bizantino, e envolveu-se numa discussão com Heráclio. Este destituiu-o do comando e mandou-o para Constantinopla. Com o seu irmão ausente, o imperador entregou o comando do exército do irmão a Tritírio. Os historiadores referem que Heráclio fez isso não porque Tritírio fosse leal, mas porque tinha o mesmo nome do irmão e por isso as tropas não se ressentiriam muito com a substituição do comandante.[carece de fontes?]

Em 635 a situação militar agravou-se seriamente, devido às constantes derrotas noutras batalhas, parcialmente devidas às dificuldades financeiras do Império que dificultavam o pagamento dos salários às tropas. Tritírio viu-se assim num novo papel, o de inspirar alguma confiança às tropas. Instalou-se um ambiente de uma certa letargia no exército e Heráclio teve que desmantelar muitos regimentos por razões financeiras. Não havia entusiasmo para unir o exército e a presença do tesoureiro imperial encorajou o recrutamento de mercenários.

A conquista muçulmana da Síria afigurou-se uma ameaça significativa para o Império Bizantino e levou Heráclio a ordenar a Tritírio que liderasse um exército para conter os ataques dos árabes. O papel efetivo de Tritírio no exército é discutível, mas parece certo que o seu envolvimento levou alguma confiança apesar de tudo. Em agosto de 636, ele marchou sobre o vale do Jarmuque, um afluente do lado oriental do Jordão, para combater o exército do Califado Ortodoxo.

Tritírio decidiu entregar a liderança das tropas bizantinas ao príncipe arménio Baanes, pois sentia que não era um grande comandante militar. As forças árabes comandadas pelo famoso general Calide ibne Ualide infligiram uma pesada derrota aos bizantinos na batalha de Jarmuque, que terminou a 20 de agosto de 636 com a morte da maior parte das tropas de Tritírio e Baanes, que também pereceram em combate.[carece de fontes?][nt 1]

Notas

  1. A crer no artigo «'Amr ibn al-'As» na Wikipédia em inglês (acessado nesta versão), em 641, Teodoro foi o comandante das tropas bizantinas que enfrentaram o exército muçulmano que invadiu o Egito em Heliópolis.[carece de fontes?]