Teorema de Kronecker-Weber

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde Dezembro de 2013).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Translation Latin Alphabet.svg
Este artigo ou secção está a ser traduzido de es:Teorema de Kronecker-Weber. Ajude e colabore com a tradução.

Na teoria algébrica dos números, o teorema de Kronecker-Weber estabelece que cada extensão abeliana finita do corpo dos números racionais \Bbb{Q}, ou em outras palavras cada corpo numérico algébrico cujo grupo de Galois sobre \Bbb{Q} seja abeliano, é um subcorpo de um corpo ciclotômico, ou seja, um corpo obtido ao adicionar-se uma raiz da unidade aos números racionais.

Kronecker proporcionou a maior parte da prova em 1853, enquanto Weber (em 1886) e Hilbert (em 1896), preencheram as lacunas existentes. Se pôde provar mediante uma construção algébrica direta, embora também seja uma consequência simples da teoria de corpos de classes e se pode provar juntando dados locais sobre o campo p-ádico de cada primo p.

Para uma extensão abeliana K de Q existe de fato um campo ciclotômico mínimo que a contêm. O teorema permite definir o condutor de K, como o menor inteiro n tal que K resida no corpo gerado pelas raízes enésimas da unidade. Por exemplo, os corpos quadráticos têm como condutor o valor absoluto de seu discriminante, um feito amplamente generalizado na teoria de corpos de classes.

Referências[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]