Teoria da Conspiração (filme)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: "Conspiracy Theory" redireciona para este artigo. Para a telessérie, veja Conspiracy Theory with Jesse Ventura.
Question book-4.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, o que compromete a verificabilidade (desde junho de 2011). Por favor, insira mais referências no texto. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Conspiracy Theory
Teoria da Conspiração (PT/BR)
 Estados Unidos
1997 •  cor •  135 min 
Direção Richard Donner
Produção Richard Donner
Joel Silver
Roteiro Brian Helgeland
Elenco Mel Gibson
Julia Roberts
Patrick Stewart
Género ação
Idioma inglês
Orçamento US$ 80 milhões
Receita US$ 136,982,834[1]
Página no IMDb (em inglês)

Teoria da Conspiração[2][3] (em inglês: Conspiracy Theory) é um filme de ação norte-americano de 1997, dirigido por Richard Donner e estrelado por Julia Roberts e Mel Gibson.

O filme foi um sucesso de bilheteria,[1] mas sua recepção crítica foi mista.[4]

Enredo[editar | editar código-fonte]

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

O filme começa baseado num taxista meio louco chamado Jerry Fletcher (Mel Gibson) que não para de falar um minuto com seus passageiros, apenas sobre conspirações loucas mas com 10.000% de entusiasmo, deixando todos sem entender nada e falando tanto que uma hora percebe que estava falando sozinho, não sabe nem se o passageiro fugiu do táxi.

Logo depois estamos aprendendo o modo de vida desse taxista apaixonado pela advogada Alice Sutton (Julia Roberts). Está sempre seguindo-a mas ela não sabe dessa paixão só acha ele um doido que, por algum motivo, gosta de revelar suas novas conspirações. Vemos como vive coletando informações sem ser descoberto e de forma invisível ao governo.

Ele vive num apartamento entulhado de cópias de documentos, xerox de jornal, conspirações e dossiês, onde estuda as informações, cria suas teorias e publica em seu jornal com apenas 5 assinantes mas uma dessas teorias é real e o coloca como principal alvo da CIA, para quem ele deve revelar como conseguiu essas informações secretas.

Depois de alguns minutos de tortura ele consegue fugir mas é levado ao hospital, onde deve ser morto pela CIA (Inteligência Americana), por infarto, deficiência respiratória ou por tiros. A advogada Alice Sutton também é levada para o hospital onde começa a temer por sua vida pois começa a ver que as teorias loucas começam a se tornar realidade e ela faz parte de uma delas agora.

Juntos descobrem o que aconteceu e o filme, por si só, é uma teoria da conspiração revelada pelos agentes da CIA, onde todos eles estão envolvidos e acaba por mostrar o que realmente pode acontecer para quem se dedica a estudar esses assuntos. O filme se repete todos os meses na vida real.

Gtk-paste.svg Aviso: Terminam aqui as revelações sobre o enredo.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Recepção[editar | editar código-fonte]

O site agregador de resenhas críticas Rotten Tomatoes deu ao filme uma pontuação de 52%, com base em revisões de 42 críticos.[4]

Portal A Wikipédia tem os portais:

Referências

  1. a b «Conspiracy Theory». Imdb (em inglês). Box Office Mojo. Consultado em 21 de novembro de 2014 
  2. Teoria da Conspiração (em português) no AdoroCinema (Brasil)
  3. Teoria da Conspiração (em português) no CineCartaz (Portugal)
  4. a b «Conspiracy Theory». Flixster (em inglês). Rotten Tomatoes. Consultado em 21 de novembro de 2014 
Ícone de esboço Este artigo sobre um filme estadunidense é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.