Teoria da Norma Jurídica

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Teoria da Norma Jurídica (Teoria della Norma Giuridica) é um livro do jurista italiano Norberto Bobbio acerca de um dos elementos ontológicos da filosofia do direito — a norma jurídica.

Importância[editar | editar código-fonte]

Visto pelos estudiosos como um trabalho importante[1] [2] para se entender, num contexto conceitual e construtivista, o método científico de interpretação do direito caracterizado pela jurisprudência dos valores. O livro de Bobbio enfrenta este desafio em seis capítulos.

Capitulos[3] [editar | editar código-fonte]

  1. Direito como regra de comportamento; ele apresenta três teorias que levam, segundo ele, a um sistema conceitual único e não paradoxal: a "regulatória", a "intersubjetiva" e a "institucional".
  2. Analisa as duas grandes escolas de pensamento jurídico: positivismo jurídico e jusnaturalismo.
  3. Aborda a norma no aspecto formal, analisando "proposições", "prescrições", "expressões", "imperativos", "comandos" e "conselhos".
  4. O imperativo, especificamente, bem como sua relação com juízos de valor, "permissões" e os destinatários da norma.
  5. "Sanções" das normas (consequências prescritas para suas violações); a necessidade de sanções para a caracterização da norma.
  6. Classificação das normas e a característica sine qua non da generalização-abstração.

Crítica[editar | editar código-fonte]

"Em seu livro, Bobbio defende uma filosofia positiva, comprometida com o espírito científico contra pontos de vista metafísicos. Bobbio rompe com tendências jusnaturalistas, considerando o direito como discurso a ser submetido à análise da linguagem, dentro das fronteiras de uma teoria científica, de acordo com o paradigma do positivismo lógico."[4]

"Bobbio apresenta seu ponto de vista sobre sanções. Segundo ele, a sanção é a resposta à violação da norma. Analisando a sanção de acordo com a idéia de eficácia, aparece a relação entre lei e força. Para Kelsen, a lei existe para regular a força. Para Bobbio, sanções têm o objetivo de obter o desejável comportamento humano. Bobbio enfatiza as sanções positivas (recompensas) em oposição às repressivas."[5]

"No seu livro, Bobbio, analisa a norma como regra de comportamento, demonstrando uma visão geral e crítica sobre as várias teorias que buscam revalar o conceito de norma, concluindo que, apesar de todas as teorias serem integradas, o normativismo prevalece no sentido de pressuposto de validade para outras."[1]

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Bobbio, Norberto. Teoria della Norma Giuridica. Torino:G. Giapichelli, 1958-1993, ISBN 8572833277

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. a b Ribeiro, Iara Pereira. «Bobbio, Norberto. Teoria da Norma Jurídica». Universidade Nove de Julho. Consultado em 4 de abril de 2012. 
  2. Filippi, Alberto; Lafer, Celso (2004). A Presença de Bobbio (São Paulo: UNESP). p. 87. ISBN 8571395713. 
  3. Bobbio, 1993
  4. «Teoria da Norma Jurídica». Shvoong - A Fonte Global de Resumos e Críticas. 19 de novembro de 2007. Consultado em 4 de abril de 2012. 
  5. «O Pensamento Jurídico de Norberto Bobbio». Ciências Humanas.com.br. Consultado em 4 de abril de 2012. 
Ícone de esboço Este artigo sobre direito é um esboço relacionado ao Projeto Ciências Sociais. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.