Teoria dos sinais

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Uma cabra-de-leque (Antidorcas marsupialis) pode fazer um sinal honesto a predadores, como as chitas, para indicar que é um indivíduo ágil e rápido e, portanto, não valeria a pena persegui-lo.[1]

Na biologia evolutiva, a teoria dos sinais[1] ou da sinalização[1] é uma teoria que examina a comunicação entre indivíduos.[1][2] A questão central apresenta-se quando deve esperar-se que os organismos com interesses em conflito comuniquem-se com honestidade (considerando que não há uma intenção consciente) em vez de desonestamente.[1][2] Os modelos matemáticos em que os organismo assinalam a sua condição a outros indivíduos como parte de uma estratégia evolutivamente estável são importantes para a investigação neste campo.[1]

Referências

  1. a b c d e f «The Theory of Honest Signaling - Introduction». octavia.zoology.washington.edu. Consultado em 11 de agosto de 2016 
  2. a b Zollman, Kevin J. S.; Carl T. (7 de janeiro de 2013). «Between cheap and costly signals: the evolution of partially honest communication». Proceedings of the Royal Society of London B: Biological Sciences (em inglês). 280 (1750). 20121878 páginas. ISSN 0962-8452. PMID 23135681. doi:10.1098/rspb.2012.1878 
Ícone de esboço Este artigo sobre Biologia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.