Teorias conspiratórias bíblicas

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

As Teorias conspiratórias bíblicas são qualquer teoria da conspiração que postula que muito do que se sabe sobre a Bíblia é um artifício criado para suprimir alguma informação ou grande segredo. Algumas dessas teorias afirmam que Jesus realmente teve uma esposa e filhos, ou que um grupo, como o Priorado de Sião, tem informações secretas sobre os verdadeiros descendentes de Jesus; alguns afirmam que houve um movimento secreto para censurar os livros que realmente pertenciam a Bíblia, etc.

Uma série de romances e best-sellers modernos, o mais popular "O Código Da Vinci", incorporam elementos dessas teorias da conspiração da Bíblia.

Teorias Comuns[editar | editar código-fonte]

Novo Testamento[editar | editar código-fonte]

No livro The Christ Conspiracy, The Greatest Fable Ever Sold, Jesus e o Cristianismo foram criados por membros de várias sociedades secretas, religiões e escolas de mistério para unificar o Império Romano sob uma religião de Estado, e que estas pessoas basearam-se em numerosos mitos e rituais que existiam anteriormente e, em seguida construi-os ao cristianismo que existe hoje.[1] Em Channeling of Spiritualism, Prata Birch alega a conspiração acima[2]

Seguidores da Nova Era afirmam que Jesus ensinou a reencarnação, mas isto foi excluído da Igreja Cristã no Primeiro Concílio de Niceia.[3]

Jesus, Maria Madalena e o Santo Graal[editar | editar código-fonte]

Algumas hipóteses são as seguintes:

  • Maria Madalena era um dos apóstolos de Jesus, talvez até o único discípulo, mas este fato foi suprimido pela Igreja primitiva[4]
  • Jesus tinha um relacionamento íntimo com Maria Madalena, que pode ou não pode ter resultado em casamento, e / ou filhos, e a sua linhagem teria continuado em seguida. É dito ser o mais profundo segredo do Cristianismo.[4]

Livros[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. 1) "The Origins of Christianity and the Quest for the Historical Jesus Christ"
  2. Teachings of Silver Birch by A.W. Austen
  3. «Cópia arquivada». Consultado em 30 de janeiro de 2010. Arquivado do original em 28 de junho de 2011 
  4. a b Biema, David Von (11 de agosto de 2003). «Mary Magdalene Saint or Sinner?» (PDF). Time Magazine 

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Andrew, James (2003). EARS: Evidence of Alien contact Revealed in Scripture. [S.l.]: IUniverse. ISBN 978-0-595-29757-3 
  • Atwill, Joseph (2003). The Roman Origins of Christianity. [S.l.]: J. Atwill. ISBN 0-9740928-0-0 
  • Atwill, Joseph (2005). Caesar's Messiah: The Roman Conspiracy to Invent Jesus. Berkeley, Calif.: Ulysses. ISBN 1-56975-457-8 
  • Bushby, Tony (2001). The Bible Fraud: An Untold Story of Jesus Christ. [S.l.]: PacificBlue Group. ISBN 978-0957900714 
  • Cooke, Patrick (2005). The Greatest Deception: The Bible UFO Connection. [S.l.]: Oracle Research Publishing. ISBN 978-0972434737 
  • Doherty, Earl (2005). The Jesus Puzzle: Did Christianity Begin with a Mythical Christ? Challenging the Existence of an Historical Jesus. [S.l.]: Age of Reason Publications. ISBN 978-0968925911 
  • S, Acharya (1999). The Christ Conspiracy: The Greatest Story Ever Sold. [S.l.]: Adventures Unlimited Press. ISBN 978-0932813749 
  • Harpur, Tom (2005). The Pagan Christ:Recovering the Lost Light. Toronto, Canada: Thomas Allen Publishers. ISBN 0-88762-195-3 
  • Phillips, Graham (2001). The Marian Conspiracy. [S.l.]: Pan Books. ISBN 978-0330372022 
  • Faber Kaiser, Andreas (1977). Jesus died in Kashmir: Jesus, Moses and the ten lost tribes of Israel. [S.l.]: Gordon & Cremonesi. ISBN 978-0860330417 
  • Thompson, Thomas L. (2005). The Messiah Myth: The Near Eastern Roots of Jesus and David. New York: Basic Books. ISBN 0-465-08577-6 
  • Wells, G. A. (1999). The Jesus Myth. Chicago: Open Court. ISBN 0-8126-9392-2