Teque-teque

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Como ler uma infocaixa de taxonomiaTeque-teque
Teque-teque em Bertioga, São Paulo
Teque-teque em Bertioga, São Paulo
Estado de conservação
Espécie pouco preocupante
Pouco preocupante
Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Aves
Ordem: Passeriformes
Família: Tyrannidae
Género: Todirostrum
Espécie: T. poliocephalum
Sinónimos
Todus poliocephalus [1]

O teque-teque (Todirostrum poliocephalum), também conhecido como Ferreirinho-teque-teque em Portugal,[2] é uma espécie de ave passeriforme pertencente ao gênero Todirostrum, o qual integra a família Tyrannidae. É endêmico da região brasileira, mais especificamente da Mata Atlântica,[3] habitando uma área que vai desde o sudeste da Bahia, passando por Minas Gerais até chegar no estado de Santa Catarina.[4]

Todirostrum poliocephalum

Descrição[editar | editar código-fonte]

É uma ave de pequeno porte, mede entre 9 a 10 centímetros. A íris é amarela alaranjada. O bico cinza possui a forma de uma espátula, assim como todos do seu gênero. Apresenta uma mancha amarela bastante peculiar na zona compreendida entre a fossa nasal e os olhos, tem uma coloração olivácea (amarelo acinzentado) no dorso e uma cauda verde-oliva. Já a cabeça exibe um tom cinza azulado escuro. É bastante similar ao ferreirinho-relógio (Todirostrum cinereum), espécie que por sua vez é melhor distribuída na América do Sul, inclusive no sul Brasil, e portando não deve ser confundida.[5]

Comportamento[editar | editar código-fonte]

Tende a viver em áreas florestais, evitando outros biomas. É basicamente uma ave arborícola, contudo várias vezes pode ser encontrado no solo. É bastante ativo e agitado, levantando e baixando a cauda de maneira constante, e não é raro se locomover usando suas pernas. Anda em pares e muito dificilmente é visto em bandos.[5]

Alimentação[editar | editar código-fonte]

Alimenta-se de pequenos frutos e insetos que captura em investidas áreas.[3]

Reprodução[editar | editar código-fonte]

Seu ninho trançado chega a ter 30 cm, e é feito nas pontas dos galhos, os chamados ninhos pendulares.[6]

Vocalização[editar | editar código-fonte]

Seu canto é curto e agudo.[5]

Sistemática[editar | editar código-fonte]

Primeira descrição[editar | editar código-fonte]

A espécie T. poliocephalum foi originalmente descrita pelo naturalista Maximilian zu Wied-Neuwied em 1831, através do nome científico Todus poliocephalus, primeiramente localizado no Rio de Janeiro.[4]

Taxonomia[editar | editar código-fonte]

É monotípico.[4] O Comitê Brasileiro de Registros Ornitológicos (CBRO) classifica o gênero Todirostrum na família Rhynchocyclidae, independente da Tyrannidae.[7]

Links externos[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Grey-headed Tody-flycatcher (Todirostrum poliocephalum) en IBC - The Internet Bird Collection. Consultado el 27 de outubro de 2014.
  2. «Titirijí Cabecigrís (Todirostrum poliocephalum) (Wied-Neuwied, 1831), em Avibase» 
  3. a b Sigrist, Tomas (2013). Guia de Campo Avis Brasilis. [S.l.]: – Avifauna brasileira – São Paulo: Avis Brasilis. ISBN ISBN 978-85-60120-25-3 Verifique |isbn= (ajuda) 
  4. a b c «Grey-headed Tody-flycatcher (Todirostrum poliocephalum)». The International bird collection 
  5. a b c Robert, Ridgely. Field guide to the songbirds of South America: the passerines. [S.l.]: Mildred Wyatt-World series in ornithology. ISBN ISBN 978-0-292-71748-0 Verifique |isbn= (ajuda) 
  6. «Teque-teque, website Wikiaves» 
  7. «Listas das aves do Brasil» (PDF). Comitê Brasileiro de Registros Ornitológicos (2014) Listas das aves do Brasil. 11ª Edição, 1/1/2014 - Página 31