Teresa Tarouca

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Teresa de Jesus Pinto Coelho Telles da Silva ComIH (Lisboa, 4 de Janeiro de 1942) é uma fadista portuguesa.

Oriunda de uma família ligada à música e representante do fado aristocrático, é neta paterna da 12.ª Condessa de Tarouca, prima afastada de D. Maria Teresa de Noronha e prima de D. Frei Hermano da Câmara. Filha de Sebastião Eduardo António Telles da Silva Valente Moreira (Aveiro, Esgueira, 22 de Novembro de 1914 - Lisboa, 18 de Agosto de 1982) e de sua mulher (Lisboa, 28 de Dezembro de 1939) D. Mariana do Carmo da Câmara Pinto Coelho (Coimbra, 4 de Dezembro de 1913 - Lisboa, 12 de Abril de 1992), irmã do Dr. Domingos José da Câmara Pinto Coelho, deputado à Assembleia Nacional, bastonário da Ordem dos Advogados, e político católico na IIª República.

Percurso[editar | editar código-fonte]

Menina-prodígio, começou a cantar desde muito cedo, influenciada por Amália Rodrigues e Maria Teresa de Noronha. A sua primeira apresentação em público aconteceu, com apenas 13 anos. Assinou contrato com a RCA, em 1961, para a gravação do primeiro disco.

Também gravou folclore com temas como: REBATIDA, PASTORINHA, O LENÇO, NOSSA SENHORA DA LAPA, AI QUEM ME DERA, ANDA O SOL ATRÁS DA LUA, OH AI ESTEJA QUEDO, UM AI, MEU AMOR, UM AI, ROSAS, PENAS TEM QUEM AMORES, CHAPEU ALTO, VIRA DO CORAÇÃO. Partiicpou na revista "Preço Único"

Trabalhou com uma vasta galeria de autores de qualidade como D. António de Bragança, João de Noronha, Casimiro Ramos, João Ferreira-Rosa, Francisco Viana, Alfredo Marceneiro, D. Nuno de Lorena, Pedro Homem de Mello e Maria Manuel Cid.

Teresa Tarouca ganhou vários prémios nacionais e internacionais e actuou em muitos países como Dinamarca, Bélgica, Espanha, Estados Unidos e Brasil.

Em 1989 foi editado o álbum "Tereza Tarouca Canta Pedro Homem de Mello", um disco emblemático da sua carreira.

Na década de 1990 retirou-se praticamente da carreira artistica.

Algumas das suas canções mais conhecidas são "Mouraria", "Deixa Que Te Cante Um Fado", "Fado", "Dor e Sofrimento", "Passeio à Mouraria", "Saudade, Silêncio e Sombra", "Não Sou Fadista de Raça", "Meu Bergantim" e "Zé Sapateiro".

Discografia[editar | editar código-fonte]

incompleta

  • Saudade, Silêncio e Sombra / Deixaste a Vida de Outrora / Espero a Vida a Cantar / Destino que Deus Nos Deu (EP, RCA)
  • Tereza Tarouca Canta Pedro Homem de Mello - 1989


Tereza Tarouca descende da mais ilustre fidalguia portuguesa, que a aparenta com outras grandes personalidades no mundo do fado, como D. Maria Teresa de Noronha e D. Vicente da Câmara. Descende por legítima varonia da família Brandão de Melo, marqueses de Terena e viscondes de S. Gil de Perre, aliados aos condes de Bertiandos, o que a aparenta, também, com diversas personalidades ilustríssimas da história de Portugal como o Santo Condestável, os duques de Bragança, entre muitos outros. Pela via materna, descende dos duques de Lafões e dos marqueses da Ribeira Grande, sendo também quarta neta do ilustre estadista José da Silva Carvalho, Par do Reino, primeiro grão-mestre da Maçonaria portugueza, obreiro da Revolução de 1820, conselheiro de Estado que três vezes recusou a três reis o título de conde, etc., contudo, é sabido que uma Senhora como Tereza Tarouca não se orgulha sobre-maneira de de descender de uma maçom, como é óbvio.

Antecessores de Tereza Tarouca[editar | editar código-fonte]

Ligações Externas[editar | editar código-fonte]

Accordrelativo20060224.png Este artigo sobre um(a) músico(a) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.