Terminalia mantaly

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Broom icon.svg
As referências deste artigo necessitam de formatação (desde outubro de 2018). Por favor, utilize fontes apropriadas contendo referência ao título, autor, data e fonte de publicação do trabalho para que o artigo permaneça verificável no futuro.
Como ler uma infocaixa de taxonomiaSete Copas Africana
Terminalia mantaly
Terminalia mantaly
Classificação científica
Reino: Plantae
Divisão: Magnoliophyta
Classe: Magnoliopsida
Ordem: Myrtales
Família: Combretaceae
Género: Terminalia
Espécie: T. mantaly
Nome binomial
Terminalia mantaly
H. Perrier

A sete-copas africana (Terminalia Mantaly H. Perrier [1]; Combretaceae[2]), também chamada amêndoa de Madagascar (Madagascar almonde) é uma árvore de grandes dimensões que pode atingir até 20 metros de altura. Sua origem é Madagascar.

Folhas da sete-copas africana

A árvore possui tronco reto. Suas sementes têm cor verde e amarela. Terminalia mantaly cresce 10-20 m [3] com uma haste ereta e única, galhos dispostos em camadas. Casca pálida cinza, lisa e bastante malhada. Folhagem suave, verde brilhante quando jovem, em rosetas terminais de 4-9 folhas desencontradas em caules curtos e espessos[4]; comprimento até 7 cm, ápice amplamente arredondado, base muito afilada, margem ondulada. Flores pequenas, esverdeadas, em pontas eretas até 5 cm de comprimento. Fruta pequena oval; sementes, cerca de 1,5 cm de comprimento sem asas óbvias.

O nome genérico vem do latim "terminalis" (término) e refere-se a o hábito das folhas sendo amontoadas nas pontas dos brotos. Os ramos em camadas são uma característica deste espécies. Seu uso no Brasil é essencialmente no paisagismo.

Muitos produtores, por desconhecimento, a comercializam como Terminalia catappa, que se trata na verdade da Amendoeira-da-praia.

Referências

[1]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outros ficheiros sobre Terminalia mantaly