Terraço-jardim

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde março de 2013). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

O terraço-jardim é um conceito arquitetônico segundo o qual a cobertura de um edifício é utilizada como espaço de convivência e lazer. O terraço jardim pode conter de facto "um jardim" (como ele é popularmente imaginado, repleto de vegetação) ou pode ser constituído de espaços abertos e elementos construídos, como num solário.

O conceito foi desenvolvido por Le Corbusier na década de 1920, fazendo parte de seus cinco pontos para a nova arquitetura. Sua ideia foi a de "recuperar" aos cidadãos o espaço ocupado pela construção (espaço "subtraído" ao solo) na cobertura do edifício. Com a difusão da arquitectura moderna, o conceito de terraço jardim foi adoptado por outros arquitetos. No Brasil, foi utilizado por Lucio Costa e a equipa responsável pelo projeto da sede do então Ministério da Educação e da Saúde (actual Palácio Gustavo Capanema) na década de 1930.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre arquitetura é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.