Terra Samba

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Terra Samba
Informação geral
Origem Salvador, Bahia, Brasil
Gênero(s) Pagode baiano
Período em atividade 1991 – atualmente
Gravadora(s) Globo/Polydor
Integrantes Negão Jamaica
Mário Ornellas
Ex-integrantes Reinaldo Nascimento

Diumbanda
Márcio Bahia
Débora Santa Fé
Milena Mascarenas
Alessandra Veiga
Mano Moreno
Edson Souza

Página oficial terrasamba.com.br

O Terra Samba é uma banda de pagode baiano[1] brasileira, formada em 1991 por Mário Ornelas e Edson Souza.

Em 1998, auge do sucesso do grupo, o álbum Terra Samba ao Vivo e a Cores[2] recebeu da ABPD o disco de diamante duplo, por mais de 2 milhões de cópias vendidas[3], quando emplacou sucessos como “Carrinho de Mão”, “Liberar Geral”[4], “Tá Tirando Onda”.[5]

História[editar | editar código-fonte]

Em 1991, Edson Souza e Mário Ornellas, eram membros principais da banda e faziam parte de outro grupo, o Gera Samba e paralelamente criaram a denominação Terra Samba para designar a volta do Samba de roda na musicalidade baiana, com muita percussão, pois Édson havia contribuído também no som da banda Timbalada. No entanto, a partir de 1994 a banda partiu para novos rumos, também com a direção vocal pelo cantor Reinaldo Nascimento. A Banda Terra Samba iniciou seu sucesso com a mistura do samba de roda com a forte presença do estilo de pagode e música africana, além de produzir alguns hits do Carnaval baiano.

Em 1995, lançaram o seu álbum de estreia, chamado Terra Samba Faz Bem, pela gravadora RGE.[6] Lançaram ainda em 1996 e 1997 os álbuns Deus É Brasileiro e Liberar Geral, pela mesma gravadora.[6]

Em 1998, assinaram com o selo Globo/Polydor, e lançaram o álbum ao vivo Terra Samba ao Vivo e a Cores,[6] que recebe o disco de diamante duplo[3] pela venda superior a 2 milhões de cópias. Em 1999, lançaram o álbum Auê do Terra, que recebeu da ABPD o disco de ouro.[3] Com a soma das vendagens destes cinco álbuns, a banda vendeu mais de 3 milhões de álbuns.[6]

Em fevereiro de 2002, a backing vocal da banda Milena Mascarenas, esposa de Reinaldo Nascimento, foi capa da revista Sexy.[7]

Após uma rápida saída, Reinaldo volta aos vocais em 2011, dividindo com Mano Moreno, seu substituto.[8]

Em 2014, após 20 anos, Reinaldo Nascimento deixa grupo para seguir em carreira solo, passando os vocais para Márcio Bahia.[5]

Em 2016, os vocais do Terra Samba passam a ser comandados por Negão Jamaica[9], irmão de Beto Jamaica, que já integrou importantes grupos baianos como o grupo Companhia do Pagode. Com nova cara, o grupo investe em inovações, mas não esquece o verdadeiro samba de raiz, responsável pela boa música da Bahia. Um exemplo é o clipe da música "Nem precisa ser amor", gravada em parceria com Tatau. A canção é composição de Roberto Kuelho.

Em 2017, Diumbanda, ex-vocalista da Companhia do Pagode, também passa a integrar o grupo.[10] A primeira música de trabalho com o cantor foi 'Joelho, Cintura, Cabeça e Jogou'.[11]

Em 2021, lançam o single 'Zigue Zigue Zá', com clipe gravado no Imbuí.[12]

Discografia[editar | editar código-fonte]

Álbuns de estúdio[editar | editar código-fonte]

Título Detalhes do álbum Certificações
(vendas certificadas)
Terra Samba Faz Bem
  • Lançamento: 1995
  • Gravadora: RGE
  • Formatos: CD
Deus É Brasileiro
  • Lançamento: 1996
  • Gravadora: RGE
  • Formatos: CD
Liberar Geral
  • Lançamento: 1997
  • Gravadora: RGE
  • Formatos: CD
Auê do Terra
  • Lançamento: 1999
  • Gravadora: Universal/Mercury
  • Formatos: CD
Sinal Verde
  • Lançamento: 2000
  • Gravadora: Universal Music/Mercury
  • Formatos: CD
Xi do Terra Samba
  • Lançamento: 2002
  • Gravadora:
  • Formatos: CD
Show do Terra
  • Lançamento: 2003
  • Gravadora: Som Livre
  • Formatos: CD
É Só Alegria!
  • Lançamento: 2004
  • Gravadora: Universal Music
  • Formatos: CD
Terra Mix
  • Lançamento: 2005
  • Gravadora:
  • Formatos: CD
Dendê
  • Lançamento: 2006
  • Gravadora:
  • Formatos: CD

Álbuns ao vivo[editar | editar código-fonte]

Título Detalhes do álbum Certificações
(vendas certificadas)
Terra Samba ao Vivo e a Cores
  • Lançamento: 1998
  • Gravadora: Globo/Polydor
  • ABPD: Diamante duplo[3]
  • CUD: Ouro[13]
Terra Samba ao Vivo e a Cores 2
  • Lançamento: 2001
  • Gravadora: Som Livre/Globo Universal
Ao Vivo: Gravado em BH
  • Lançamento: 2007
  • Gravadora: EMI

Referências

  1. G1 lista 15 músicas para entender o axé e o carnaval baiano
  2. «Chico Barney - Exalta, Terra Samba e Art Popular: os melhores discos ao vivo da história». entretenimento.uol.com.br. Consultado em 3 de fevereiro de 2022 
  3. a b c d e «Álbuns certificados da banda Terra Samba». ABPD. Consultado em 31 de março de 2013 
  4. «Axé 30 Anos: quais coreografias você dançou mais?». Terra. Consultado em 3 de fevereiro de 2022 
  5. a b «Após 20 anos, Reinaldo Nascimento deixa grupo Terra Samba». Esquenta. Consultado em 3 de fevereiro de 2022 
  6. a b c d «Terra Samba - Dados Artísticos». Dicionário Cravo Albin da Música Popular Brasileira. Consultado em 31 de julho de 2013 
  7. «Siliconada assume posto de». carnaval2008.terra.com.br. Consultado em 3 de fevereiro de 2022 
  8. Figueiredo, Fernanda. «Terra Samba - Mano e Mário discordam sobre rejeição e Reinaldo descarta posar nu, pois não possui o mesmo 'ímpeto'». www.bahianoticias.com.br. Consultado em 3 de fevereiro de 2022 
  9. «Terra Samba apresenta novo vocalista, Negão Jamaica, em Samba da Independência». www.bahianoticias.com.br. Consultado em 3 de fevereiro de 2022 
  10. «Diumbanda retorna e se une a Negão Jamaica nos vocais do Terra Samba». www.bahianoticias.com.br. Consultado em 3 de fevereiro de 2022 
  11. Já, Bahia. «COMPLETO: Terra Samba apresenta Diumbanda como novo vocalista». Bahia Já (em inglês). Consultado em 3 de fevereiro de 2022 
  12. Bahia, Alô Alô. «Terra Samba lança 'Zigue Zigue Zá', nova música com clipe gravado no Imbuí. Vem ver!». Alô Alô Bahia. Consultado em 3 de fevereiro de 2022 
  13. «Álbuns certificados da banda Terra Samba (Uruguai)». Cámara Uruguaya de Productores de Fonogramas. Consultado em 31 de julho de 2013. Cópia arquivada em 9 de dezembro de 2004 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]