Terra plana

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
A Gravura Flammarion (1888), representando um viajante que chege ao limite de uma Terra plana, e enfia a cabeça e espreita através do firmamento.

Terra plana é uma ideia primitiva e há muito refutada que concebe a face habitada da Terra como um plano, ao invés de curvada ou esférica. Muitas culturas antigas concebiam a Terra dessa maneira, incluindo a grega até o período clássico, as civilizações do Antigo Oriente Médio da Era do Bronze e da Era do Ferro até o período helenístico, a Índia da Era do Ferro até o período Gupta (primeiros séculos da Era Comum) e a China até o século XVIII. Ocorreu também frequentemente nas culturas aborígenes da América.

Neste modelo a Terra era vista como coberta por uma cúpula, o firmamento das religiões abraâmicas, que separa a Terra do horizonte.[1]

Embora muitos cálculos astronômicos pudessem ser resolvidos igualmente com a terra plana, a ideia de uma Terra esférica já estava presente na Grécia Antiga, ou no Antigo Egito, embora restrita com os conhecimentos de agrimensura. Nos tempos de Plínio, o Velho (século I) essa ideia era bem aceita no mundo greco-romano. Nessa época, Ptolomeu derivou seus mapas de um globo curvado e desenvolveu o sistema de latitudes e longitudes. Entre os primeiros cristãos, uns poucos escritores questionaram ou mesmo se opuseram à esfericidade da Terra com fundamentos teológicos, mas muitos desses não são tidos como influentes em períodos posteriores como a Idade Média, devido à escassez de referências a seus escritos.

A Idade Média começou com a desintegração da civilização romana, em torno do século VII, quando a Europa ocidental se desorganiza, empobrece e perde contato com muito do conhecimento científico que havia sido desenvolvido pelos gregos. Apesar disso, os principais escritos cosmológicos do início da Idade Média continuaram considerando a Terra como esférica; e é seguro afirmar que no máximo em torno de 1100, época do Renascimento do Século XII, o modelo geocêntrico de Ptolomeu havia suplantado qualquer dúvida acerca da esfericidade da Terra na mente de pessoas educadas no continente.

A noção de que durante a Idade Média haveria uma "crença na Terra plana" foi forjada no século XVIII, e ainda é uma visão popular entre não-especialistas. Por outro lado, medievalistas e historiadores da ciência atualmente concordam que essa é uma concepção falsa. Os poucos autores ocidentais do mundo antigo ou medieval que comprovadamente combateram a esfericidade da Terra foram exceção, sendo geralmente ignorados ou tratados com pouca seriedade nos círculos intelectuais de sua época. [2]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. "Their cosmography as far as we know anything about it was practically of one type up til the time of the white man's arrival upon the scene. That of the Borneo Dayaks may furnish us with some idea of it. 'They consider the Earth to be a flat surface, whilst the heavens are a dome, a kind of glass shade which covers the Earth and comes in contact with it at the horizon.'" Lucien Levy-Bruhl, Primitive Mentality (repr. Boston: Beacon, 1966) 353; "The usual primitive conception of the world's form ... [is] flat and round below and surmounted above by a solid firmament in the shape of an inverted bowl." H. B. Alexander, The Mythology of All Races 10: North American (repr. New York: Cooper Square, 1964) 249.
  2. Russell, Jeffrey B. «The Myth of the Flat Earth». American Scientific Affiliation. Consultado em 14 de março de 2007 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Wikipedia-pt-hist-cien-logo.png Portal de história da ciência. Os artigos sobre história da ciência, tecnologia e medicina.
Ícone de esboço Este artigo sobre História da ciência é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.