Terreiro Mokambo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde novembro de 2015).
Por favor, adicione mais referências inserindo-as no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Terreiro Mokambo - Onzó Nguzo Za Nkisi Dandalunda ye Tempo A tradução do nome religioso é Casa da Força Espiritual das Divindades Dandalunda e Tempo. Terreiro de Candomblé Bantu localizado na Rua Neide Carneiro, 89 na Vila Dois de Julho, Salvador, Bahia.[1]

Tombado pelo Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia (IPAC), em 12 de agosto de 2006[2]

Tata Anselmo Santos, cuja dijina é Minatojy, foi iniciado para o Nkisi Dandalunda tendo como segundo Nkisi Kitembo (Tempo) no dia 16 de agosto de 1975. Desde cedo começou a perceber que tinha uma missão na religião do Candomblé, só não sabia qual a missão e quando começaria a executá-la. Durante 20 anos o Nkisi Dandalunda permitiu que o Taata Anselmo tivesse uma vida civil normal como todo mundo. Ele estudou formando-se Bacharel no curso de Secretariado Executivo da Universidade Católica do Salvador e dirigiu sua vida profissional para a área de comunicação, desenvolvendo diversas atividades nas emissoras de Televisão locais firmando-se profissionalmente como Produtor Executivo. O dia 18 de fevereiro de 1989 foi significativo para o Taata Anselmo, nesta data faleceu sua Zeladora de Nkisi Mameto Mirinha de Portão (Altanira Maria Conceição Souza) e deste dia em diante sua vida jamais foi a mesma. Foi um processo longo e difícil a aceitação do Sacerdócio, pois exige muita disposição, abnegação e dedicação exclusiva para que se possa cuidar dos Bakisi de forma séria e correta, dentro do processo Tradicional que se representa.

História[editar | editar código-fonte]

No início da década de noventa começa uma grande movimentação para a fundação do terreiro que seria de responsabilidade de Tata Anselmo. Aconteceram três doações de terrenos para a construção do terreiro, porém, Dandalunda rejeitou todas. Precisamente no dia 2 de Julho de 1993 foi fundada a Associação Beneficente Pena Dourada, em homenagem ao caboclo Pena Dourada (Encantado que acompanha o Tata Anselmo) com a finalidade de nortear os trabalhos de fundação, execução, manutenção e funcionamento do Terreiro. Foi comprado um pequeno lote no Loteamento Vila Dois de Julho e foram desenvolvendo os trabalhos sociais e religiosos dentro da medida do possível, até que no dia 18 de janeiro de 1996, pelas mãos do Tata Kamukenge do Tata Anselmo, Sr.Gervásio da Silva (Pai Zequinha) , o Tata Pokó do Terreiro São Jorge Filho da Goméia, de Mãe Mirinha de Portão, servindo ao Nkisi Mutalombô, foi fundado o Terreiro Mokambo – Onzó Nguzo za Nkizi Dandalunda Ye Tempo.

A partir daí começaram definitivamente os trabalhos religiosos e hoje o Terreiro conta com um número significativo de seguidores fixos e de amigos do Terreiro que unidos buscam recursos para a manutenção do mesmo que conta com mais de 1200 m² de área construída e um remanescente de Mata Atlântica que está sendo alvo de Reconhecimento como Área de Proteção Constante.

Depois do Terreiro construído e de estar em plena atividade religiosa, foi descoberto que existe a possibilidade da área do Terreiro ser remanescente de Quilombo, pois o Terreiro está numa área de desmembramento de uma fazenda chamada Fazenda Mokambo que em Kikongo quer dizer casebre, palafita ou cumeeira, logo ficou estabelecida a ligação da energia existente no local com o Terreiro que sem dúvida é um local aprazível e detentor de uma energia positiva que salta aos olhos dos visitantes e seguidores do Terreiro.

Linhagem[editar | editar código-fonte]

Como se pode observar, esta na quarta geração de manutenção da Tradição Bantu, muito embora tenham passado por diversas alterações no decorrer dos anos, hoje o trabalho é tentar resgatar inúmeros elementos da cultura bantu esquecidos ou que tenham suas práticas abandonadas, com o entendimento de que nunca haverá Candomblé puro, pois com o advento da escravidão todas as etnias africanas irmanaram-se e trocaram informações entre si tão concisas que nada mais será capaz de mudar esta realidade.

Referências[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Terreiro Mokambo

Ícone de esboço Este artigo sobre candomblé é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
Ícone de esboço Este artigo sobre patrimônio histórico no Brasil é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.