Testemunhas de Jeová

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Testemunhas de Jeová
Sede internacional no Brooklyn, Nova Iorque
Orientação Restauracionista
Fundador Charles Taze Russell
Origem Estados Unidos Pensilvânia, Estados Unidos
Sede Brooklyn, Nova Iorque, Estados Unidos
Localização Mundial
Número de membros 8,20 milhões (2014)[1] [2]
Países em que atua 239

As Testemunhas de Jeová são uma denominação cristã[3] [4] [5] não-trinitária, milenarista[6] e restauracionista[7] que possuem adeptos em 239 países e territórios autônomos, com cerca de 8 milhões de praticantes,[8] apesar de reunirem um número superior de simpatizantes.[9] São conhecidas pelo seu trabalho regular e persistente de pregação de seus princípios e dogmas de casa em casa, nas ruas e em locais públicos.

Adoram exclusivamente ao Deus que é apresentado na Bíblia, chamando-o pelo nome Jeová (tradução comum em português do Tetragrama), e são seguidores de Jesus, possuindo um conceito diferente dos demais grupos cristãos que, em sua maioria, acreditam no conceito de um Deus Trino. Afirmam seguir biblicamente as instruções deixadas por Jesus Cristo, mas rejeitam a classificação de serem fundamentalistas no sentido em que o termo é comumente usado.[10] Procuram basear todas as suas práticas e doutrinas no conteúdo da Bíblia [11] , que é interpretada exclusivamente pelo Corpo Governante, Os responsáveis pelo ensino dos membros e dos materiais de pesquisa. O Corpo Governante ou Escravo Fiel e Discreto é o único autorizado a interpretar as Escrituras, visando a unidade na organização.[12] [13] Estes líderes não precisam conseguir empregos em empresas privadas ou nos setores públicos para honrar seus compromissos financeiros e nem precisam cumprir as horas de trabalho semanais obrigatórias estipuladas por cada país, sendo necessário apenas seguir as exigências da própria religião.[14] As testemunhas de Jeová que se dedicam para a própria organização são sustentadas pelos donativos financeiros fornecidos pelas testemunhas de Jeová no mundo inteiro.[15] [16] [17] Um número considerável de outras testemunhas de Jeová também sobrevivem exclusivamente dos donativos financeiros doados, não tendo nenhum outro tipo de obrigação empregatícia estatal, nem horários fixos a cumprir. Vivem apenas para o trabalho de pregação e divulgação das "Boas novas do Reino de Deus".[18] Portanto, para a as Testemunhas de Jeová os donativos financeiros dados voluntariamente são importantes, mas não vitais para manter e expandir o número de testemunhas que dedicam seu tempo na sua obra educativa respeitando as leis de cada país, tendo representação jurídica nos quais é permitido estando assim legalmente instituídas como organização sem fins lucrativos.

As Testemunhas de Jeová são bem conhecidas por sua regularidade e persistência na obra de evangelização de casa em casa e nas ruas. Possuem vários parques gráficos pelo mundo[carece de fontes?] visando a impressão e distribuição de milhões de exemplares da Bíblia e de publicações baseadas nela, de acordo com sua interpretação. Assistem semanalmente a reuniões congregacionais e a grandes eventos anuais, onde o estudo da Bíblia, orientado pelo Corpo Governante, constitui a principal temática. São ainda conhecidas por recusarem muitas das doutrinas centrais das demais religiões cristãs (como por exemplo afirmam como base a sua tradução bíblica que Jesus terá morrido numa estaca e não numa cruz) e pelo apego a valores que afirmam ser baseados na Bíblia, nomeadamente quanto à neutralidade política,[19] à moralidade sexual,[20] e à recusa em aceitar transfusões de sangue.[21]

História e atividades básicas[editar | editar código-fonte]

Charles Taze Russell (1852–1916).

As Testemunhas de Jeová iniciaram suas atividades a partir da década de 1870, quando Charles Taze Russell e alguns amigos formaram um pequeno grupo de estudo não sectário da Bíblia[carece de fontes?], em Allegheny (hoje integrada na cidade de Pittsburgo, Pensilvânia), nos Estados Unidos. Com o fim de publicar as suas pesquisas bíblicas em contraste com erros doutrinais que era encontrado em outras denominações religiosas[necessário esclarecer], Russell começou a publicar A Sentinela, que se assume como a mais distribuída revista do mundo,[22] bem como a mais traduzida revista de qualquer gênero.[carece de fontes?][23] As pessoas que recebiam a revista começaram a reunir-se em grupos para estudo da Bíblia. Assim, acabaram por tornar-se conhecidos por Estudantes da Bíblia ou, quando A Sentinela começou a ser traduzida em outras línguas, Estudantes Internacionais da Bíblia.[24]

Originalmente, a impressão de A Sentinela e tratados religiosos era feita quase que inteiramente por firmas comerciais.[carece de fontes?] Mas, visando uma maior divulgação pela página impressa, Russell fundou a Sociedade de Tratados da Torre de Vigia de Sião, sendo que esta associação religiosa é hoje conhecida como Sociedade Torre de Vigia de Bíblias e Tratados de Pensilvânia. Estava deste modo formado o principal instrumento legal do grupo religioso que posteriormente viria a ficar conhecido por Testemunhas de Jeová, visando a realização da sua obra mundial de evangelização. Usualmente, ao se empregar a expressão Sociedade Torre de Vigia, pretende-se mencionar esta primeira Sociedade (Watch Tower Society), ainda em funcionamento hoje em dia. A diretoria desta Sociedade veio a ser chamada de Corpo Governante das Testemunhas de Jeová, ou seja, o grupo de homens[carece de fontes?] responsáveis pelas atividades mundiais das Testemunhas de Jeová. Durante muitos anos, a expressão "a Sociedade", usada pelas Testemunhas, era uma referência direta a este Corpo Governante.[25] Finalmente, a partir da década de 1970, passou a existir uma clara distinção entre o Corpo Governante e as várias sociedades jurídicas que as Testemunhas usam em todo o mundo.[necessário esclarecer] Estas sociedades ou associações, incluindo a mais antiga delas, são encaradas como simples instrumentos legais para as suas atividades.[26]

Reunião congregacional num Salão do Reino, em Portugal.
World headquarters: The Watchtower Bible & Tract Society em Brooklyn, Nova Iorque, Estados Unidos.

Hoje, as Testemunhas de Jeová constituem um grupo mundial de milhões de membros, agrupados em células locais designadas por Congregações, unidas sob uma estrutura mundial que coordena todas as suas atividades. Apesar de possuírem o que chamam de organização e nela existirem homens que assumem responsabilidades locais ou mais abrangentes, as Testemunhas formam uma distinção de grupos quanto à esperança de vida futura, e essa distinção tem o nome de ungidos (com esperança de vida eterna no céu) e outras ovelhas (com esperança de vida eterna no paraíso restaurado na terra).[necessário esclarecer] Os seus responsáveis, apesar de possuírem algo parecido a títulos honoríficos,[carece de fontes?] não usam vestimenta ou símbolos distintivos. Não se lhes impõe o celibato, não são assalariados e espera-se que sejam os primeiros a dar o exemplo de boa conduta e moral aos restantes membros da congregação.

Preocupam-se também em divulgar os seus ensinos através de milhões de publicações de páginas de informação em várias centenas de línguas, sem esquecer os que têm necessidades especiais, tal como os surdos ou cegos. Aos interessados oferecem estudos domiciliares e gratuitos da Bíblia, o que por vezes acaba atraindo muitos visitantes aos seus centros de reunião, conhecidos por Salões do Reino. As suas reuniões e congressos, bem como a realização de cerimônias de casamento e funerais, são sempre realizadas gratuitamente e, em qualquer ministração religiosa, não fazem coletas, mas aconselham seus fiéis a contribuir, para isso, é que existem as caixas de donativos espalhadas por qualquer ponto de encontro onde as Testemunhas se reúnam, também não cobram dízimos. Não impõem o celibato. Aceitam contribuições voluntárias e anônimas para o financiamento da sua obra e dos seus locais de reunião. Mantêm ainda extensos programas de educação e de serviço voluntário em várias frentes.[carece de fontes?]

Pedra Memorial aos Triângulos roxos que sofreram terror no campo de Mauthausen, Áustria.

Apesar de duramente perseguidas e proscritas em muitos países,[carece de fontes?] sendo alvo de críticas e várias controvérsias devido à sua singular, e muitas vezes controversa, interpretação da Bíblia (por interpretarem com base na Bíblia original e não nas traduções que possuem palavras e sentidos diferentes das palavras originais) e apego intransigente às suas doutrinas que, em grande parte, diferem da teologia do cristianismo ortodoxo as Testemunhas de Jeová continuam a experimentar aumento entre seus fiéis.[carece de fontes?] Na defesa do que consideram ser a pura e verdadeira fé cristã bíblica, rejeitam qualquer envolvimento no ecumenismo,[27] também mantendo uma estrita neutralidade política e militar, em tempos de guerra ou paz, em qualquer lugar do mundo.[28]

Defendendo uma conduta moral bastante rígida, e o que alguns consideram proselitismo, no que chamam "obra de pregação das Boas Novas do Reino". Este serviço realizado voluntariamente distingue-as de várias religiões (apesar de não serem as únicas) e torna-as conhecidas mundialmente, sendo habitual observá-las nas suas regulares visitas às casas dos seus vizinhos e no contato direto com o público onde quer que haja pessoas.

Origem do nome[editar | editar código-fonte]

Esta comunidade religiosa era conhecida inicialmente como Estudantes da Bíblia.[carece de fontes?] Os seus membros foram também chamados de "russellitas", "rutherfordistas", "auroristas do milénio" e "antiinfernistas".[carece de fontes?] Em 1931, entenderam que deveriam fazer uma distinção entre a maioria dos membros que eram leais à Diretoria da Sociedade Torre de Vigia de Bíblias e Tratados e certos grupos dissidentes[necessário esclarecer] que também se intitulavam Estudantes da Bíblia. Além disso, consideraram que o termo Estudantes da Bíblia era demasiado vago para servir como designação distintiva. Assim, no domingo, 26 de julho de 1931, no culminar do Congresso realizado em Columbus, Ohio, nos Estados Unidos, os presentes adotaram unanimemente uma resolução intitulada "Um Novo Nome",[29] apresentada por Joseph Rutherford, o segundo presidente da Sociedade Torre de Vigia. Nela foi proposto o nome descritivo e distintivo de "Testemunhas de Jeová". Para legitimar a escolha do nome usaram o texto bíblico de Isaías 43:10 que, conforme a Tradução do Novo Mundo das Escrituras Sagradas, publicada pelas Testemunhas de Jeová cerca de vinte anos mais tarde, diz:

"Vós sois as minhas testemunhas", é a pronunciação de Jeová, "sim, meu servo a quem escolhi, para que saibais e tenhais fé em mim, e para que entendais que eu sou o Mesmo. Antes de mim não foi formado nenhum Deus e depois de mim continuou a não haver nenhum."

Algumas vezes as suas publicações usam a expressão "Testemunhas Cristãs de Jeová", como forma de reforçar a sua crença em Jesus Cristo como o Filho de Deus e Salvador da humanidade e não apenas em Jeová Deus, seu Pai. Também afirmam que fazem parte de uma "grande nuvem de testemunhas" incluindo testemunhas pré-cristãs de Jeová, isto é, testemunhas de antes do judaísmo bíblico, e do judaísmo bíblico, visto que fazem parte do cristianismo bíblico (Hebreus 11 a 12:1) Argumentam que o próprio Jesus Cristo é chamado de "testemunha fiel e verdadeira". (Revelação ou Apocalipse 3:14)

Tetragrama YHWH, composto das letras hebraicas י (yod) ה (heh) ו (waw) ה (heh).

Afirmam que, desde o início, teria existido apenas uma religião verdadeira,[carece de fontes?] constituída por aqueles que a Bíblia menciona como fazendo a vontade de Jeová, e que todas as outras formas de adoração podem ser englobadas num império mundial de religião falsa.[30] Consideram que uma das características principais que fazem com que qualquer grupo religioso, seja ele cristão ou não, seja incluído no conjunto da religião falsa é o desprezar ou simplesmente não reconhecer e divulgar o Nome de Deus, conforme apresentado na Bíblia pelo Tetragrama YHWH, cuja pronúncia varia nas muitas línguas atuais, e em português é pronunciado "Jeová" ou "Javé", mas as Testemunhas de Jeová preferem a forma Jeová, insistentemente divulgado por eles.

Fundamentação das suas crenças[editar | editar código-fonte]

Várias edições da Tradução do Novo Mundo, incluindo a versão Interlinear em Grego/Inglês.

As Testemunhas de Jeová dizem que a única autoridade reconhecida para seu grupo, em termos teológicos, é a Bíblia. Usam frequentemente a Tradução do Novo Mundo das Escrituras Sagradas, publicada pela Sociedade Torre de Vigia desde 1950, embora citem e usem diversas outras traduções da Bíblia, conforme se evidencia pela análise das suas publicações. Nos países em que as Testemunhas de Jeová não possuem A Tradução do Novo Mundo no seu idioma, recorrem as suas revistas ou livros e em alguns casos a outras versões da Bíblia disponíveis.

Confiam no Corpo Governante para fornecer ensino e entendimento bíblico. Este Corpo Governante, também conhecido como o Escravo Fiel e Discreto que é composto de homens considerados pelas Testemunhas de Jeová como iluminados por Deus[carece de fontes?] dentro da análise de membros que já pertençam a tal grupo, procedentes de vários países. Usam como base a sede mundial das Testemunhas de Jeová, nos Estados Unidos. Acreditam que este órgão central de homens mais experientes está sob a liderança de Jesus Cristo,[carece de fontes?] promovendo e coordenando a obra das Testemunhas de Jeová mundialmente.[carece de fontes?] Apesar de afirmarem ser guiadas diretamente por Jeová Deus, que na crença das Testemunhas de Jeová é o Deus infalível, suas publicações podem e estão sujeitas a alterações a nível doutrinal. Isso acontece quando se entende melhor algum ensino bíblico.

Não creem na divindade do Livro de Mórmon, do Corão, do Livro dos Espíritos e nos Livros apócrifos.[carece de fontes?]

Divulgação das suas doutrinas[editar | editar código-fonte]

Trabalho de evangelização contatando as pessoas de casa em casa.

As Testemunhas de Jeová procuram empenhar-se na divulgação mundial das suas crenças através de vários meios e, em especial, através da página impressa. Nas suas convenções anuais, são apresentados à comunidade novos livros, brochuras e outros artigos para divulgação doutrinária. Os Membros são incentivados a usarem o Site JW.Org para pesquisas e para saber sobre as novidades da organização. Foram pioneiras no uso do cinema sincronizado com som[31] e fizeram vasto uso de emissoras de rádio no passado, principalmente na década de 1930 e 1940[32] , quando chegaram a montar várias redes radiofônicas da época.[33]

Hoje possuem grandes parques gráficos um pouco por todo o mundo,[carece de fontes?] com capacidade para imprimir milhões de exemplares de publicações a cada ano,[carece de fontes?] sendo que algumas das suas edições estão entre as mais distribuídas mundialmente.[carece de fontes?] Apenas nos últimos 30 anos do século XX, imprimiram-se mais de vinte bilhões de livros, folhetos, brochuras e revistas.[34] [carece de fontes?] Os títulos publicados são traduzidos individualmente em dezenas ou mesmo centenas de idiomas e apresentados em versões diferentes, tal como edições com caracteres de grandes dimensões ou em braille para os que possuem deficiências visuais, DVDs em língua de sinais[35] , gravações áudio cassete e mp3, entre outros[36] .

Desde 1926, a Sociedade Torre de Vigia, publicou mais de 220 milhões de exemplares de diversas versões da Bíblia, em 125 línguas[37] [38] [39] Além da Bíblia, sua mensagem é apresentada ao público, principalmente através de duas revistas:[necessário esclarecer]

A Sentinela, a sua principal revista para estudo bíblico, tem uma tiragem média quinzenal de 52.946.000 de exemplares[40] dando-lhe a maior circulação de qualquer revista religiosa do mundo.[carece de fontes?] É publicada em 240 línguas[41] .

Seus membros são atualmente mais de 8,2 milhões em toda a Terra[42] , devem "qualificar" como predicadores ou "publicadores" para ser considerados neste registro internacional.[necessário esclarecer]

Todas as edições são traduzidas e impressas para a publicação simultânea.[carece de fontes?]

A revista mensal Despertai!, publicada em 103 línguas[43] , possui uma temática de interesse geral sob uma perspectiva religiosa. Tem uma tiragem média de 51.788.000 de exemplares[44] , segundo a edição de 1° de janeiro de 2015. Todas as suas edições também são editadas em tradução simultânea para publicação concomitante.[carece de fontes?]

As Testemunhas de Jeová usam extensivamente o programa de estudo bíblico domiciliar baseado no livro didático O Que a Bíblia Realmente Ensina?. Ele está disponível em mais de 250 idiomas[45] . Este livro aborda num estilo simples e direto diversos assuntos religiosos[necessário esclarecer] nos quais se apresentam as doutrinas defendidas pelas Testemunhas de Jeová.[necessário esclarecer]

Além disso, A Sociedade Torre de Vigia tem produzido enciclopédias bíblicas, como a obra Estudo Perspicaz das Escrituras, e outras concordâncias e guias de estudo com profundidade de investigação sobre temas específicos da Bíblia. Lançam ainda documentários e filmes sobre diversos temas,[carece de fontes?] discos com temas musicais orquestrados e acompanhados por coro e CD-ROM's com a Bíblia e o conteúdo eletrônico da maioria de suas publicações dos últimos 35 anos.[carece de fontes?] Até novembro de 2013, o número total de línguas em que as publicações das Testemunhas de Jeová eram editadas alcançava em 700 idiomas.[46]

Internet[editar | editar código-fonte]

As Testemunhas de Jeová mantêm um site próprio como página oficial de sua organização. No ar desde agosto de 2014, este site inclui informação educativa publicada em 700 idiomas, como o Português, Inglês, Chinês, Francês, Espanhol, Assírio, Bengali, Twi entre outros idiomas, bem como vídeos em Língua de Sinais Americana, Língua Brasileira de Sinais, Língua de Sinais Colombiana, Língua de Sinais Japonesa, Língua Gestual Dinamarquesa, entre outras, destacando artigos de suas publicações e esclarecendo ao público suas crenças e identidade. Entre outras informações úteis, o site disponibiliza os endereços postais de 115 filiais em todo o mundo, onde o visitante pode obter mais informações ou solicitar a assistência pessoal das Testemunhas de Jeová de sua região. Downloads de áudio das publicações, dramatizações e músicas, algumas de suas publicações, incluindo as revistas A Sentinela e Despertai, em formato PDF, também estão disponíveis. Também tem um recurso on-line para a mídia.

A Associação Torre de Vigia produziu mais de 21 documentários em vídeo sobre uma variedade de temas históricos e bíblicos,[necessário esclarecer] em 78 idiomas.[carece de fontes?] A Bíblia completa está disponível no formato MP3 em português e em um grande número de outras línguas.[carece de fontes?] Além disso, outros livros, brochuras e artigos atuais das revistas A Sentinela e Despertai! estão disponíveis nos formatos MP3 ou disco compacto.[carece de fontes?]

No entanto, além deste site oficial, existem outros que falam acerca das doutrinas das Testemunhas de Jeová, analisando-as e comentando-as. Trata-se de sites mantidos majoritariamente por ex-membros, rotulados pejorativamente pela organização como 'apóstatas',[47] [48] [49] [50] [51] e pouquíssimo frequentados por Testemunhas de Jeová ativas. Isso se dá pois as Testemunhas de Jeová seguem ordens emanadas da matriz, a Sociedade Torre de Vigia de Bíblias e Tratados[52] dos Estados Unidos, que orienta todos os membros a não visitarem páginas e a não lerem matérias críticas à organização.[49] [50] [51] [53] Em seu serviço de pregação, as testemunhas de Jeová debatem sobre aspectos que consideram negativos em outras religiões. No entanto, são instruídas pelos seus líderes a não analisar matérias que escrutinam criticamente sua própria organização, pois são comparadas pela Sociedade Torre de Vigia, através de suas publicações, a ‘alimento venenoso’,[48] ‘mortífera doença contagiosa’,[50] , ‘propaganda diabólica’,[51] e ‘gangrena’[51] produzida sob alegada ‘influência demoníaca’[48] daqueles que a Sociedade Torre de Vigia convencionou chamar de ‘apóstata’, ou seja, qualquer um que tente analisar criticamente a organização.[49] [50]

Outra publicação, o livro Estudo Perspicaz das Escrituras, publicado pela Sociedade Torre de Vigia de Bíblias e Tratados, defende que a morte foi a punição adequada[54] [55] para os que saíram da organização, rotulados agora como traidores (apóstatas)[56] , pois essa foi a punição dada por Jeová antes da vinda de Jesus Cristo, que aboliu todo tipo de uso da violência. A Sociedade Torre de Vigia de Bíblias e Tratados deixa claro em suas publicações que teme a evasão[47] [48] [50] [51] de membros que tenham tido contacto com material que analisa a organização criticamente e sob vários ângulos.[50] [53] Elas, as Testemunhas de Jeová, têm autorização da Sociedade Torre de Vigia para ler somente material publicado pela própria Sociedade, sendo altamente desaconselhável a consulta a qualquer outra fonte.[49] [51] [48] [53]

Tradução[editar | editar código-fonte]

No início da década de 1980, uma equipe de voluntários de vários países desenvolveu o MEPS, ou Sistema eletrônico de fotocomposição multilíngüe, que atualmente tem capacidade de auxiliar a traduzir matérias em 741 idiomas, utilizando 31 alfabetos e conjunto de caracteres[57] . Hoje mais de 3300 voluntários trabalham em seus departamentos de tradução em todo o mundo[58] . Lembrando que o MEPS não traduz, a tradução é feita por pessoas, mas ele ajuda a editar em qualquer idioma que se deseja traduzir.

Em novembro de 2009 o site JW-media anunciou um novo marco na edição e tradução – 500 idiomas. Em entrevista, Rudi Hartl, Coordenador de Tradução, falou do Centro Educacional da Torre de Vigia em Patterson, Nova Iorque, onde muitos dos detalhes de tradução são organizados: "Em alguns casos as línguas em que as Testemunhas de Jeová empreendem a tradução das publicações da Bíblia têm apenas alguns milhares de leitores, um fator claro que elimina qualquer sugestão de que a motivação seja a financeira." E acrescentou: "Chegamos nesta medida na edição e tradução porque nos preocupamos com as pessoas e queremos que o maior número possível se beneficie de tesouros descobertos apenas com um estudo da Bíblia.[59]

Modo de vida[editar | editar código-fonte]

Estudo pessoal da Bíblia.

As Testemunhas de Jeová encaram a sua crença como um modo de vida, sendo que todos os outros interesses, incluindo o emprego e a família, giram em torno da sua organização, que afirma adorar a Jeová. Assim, não importa o que façam, incluindo a seleção de diversão ou de vestuário, de carreira na escola ou na profissão ou mesmo a escolha de cônjuge, o comportamento e interação com a comunidade, nos negócios ou em lazer. Tudo isso é influenciado pela decisão que tomaram de se dedicar à sua organização. A Bíblia é encarada como um manual de aplicação prática e obrigatória em todos os campos da vida das Testemunhas de Jeová. Elas afirmam aplicar seriamente a seguinte injunção bíblica:

  • 1 Coríntios 10:31
"Portanto, quer comais, quer bebais, quer façais qualquer outra coisa, fazei todas as coisas para a glória de Deus." (NM)

Afirmando-se cristãs, observam o exemplo de Jesus procurando imitá-lo, conforme a seguinte instrução:

  • 1 Pedro 2:21
"Fostes chamados para este proceder, porque até mesmo Cristo sofreu por vós, deixando-vos um modelo para seguirdes de perto os seus passos." (NM)
Na Visita Zonal, reunidas no Estádio Nacional do Jamor, Lisboa, Portugal, em 5 de Maio de 2007, com mais de 41.000 presentes na assistência.

Todas as Testemunhas de Jeová são incentivadas a serem diligentes estudantes da Bíblia. Contudo, esse estudo jamais é feito usando somente a Bíblia. Para as Testemunhas de Jeová é obrigatório o uso das publicações produzidas pela Sociedade Torre de Vigia, que afirmam ser baseadas na Bíblia, bem como a apresentar um elevado grau de compromisso com a sua organização e obediência inquestionável aos líderes máximos, conhecidos como Corpo Governante. Crêem que todas elas, sejam homens ou mulheres, são ministros de Deus, ordenados no dia de seu batismo pessoal por imersão completa em água. Este passo não é permitido a crianças incapazes de tomar decisões, no entanto alguns crentes desta organização afirmam terem sido batizados com 14 anos e alguns com ainda menor idade, afirmando que possuíam nessa altura maturidade suficiente e conhecimento para tomar esta decisão. Usualmente, alguém que se reúne com as Testemunhas necessita de vários meses, ou mesmo anos, para ser aprovada para o batismo e só depois de expressar convictamente o seu desejo de se tornar uma Testemunha de Jeová.

Além do seu estudo pessoal da Bíblia, sempre acompanhado de publicações produzidas pela Sociedade Torre de Vigia, assistem também a reuniões congregacionais, usualmente duas vezes por semana, em locais conhecidos por Salões do Reino ou em casas particulares, para instrução coletiva e encorajamento mútuo. Outras reuniões de maiores dimensões ocorrem, usualmente, três vezes por ano, em Salões de Assembleias mantidos por elas ou em instalações públicas alugadas, como estádios desportivos ou auditórios municipais.

Todas as Testemunhas, alistadas nos seus relatórios anuais,[60] são também publicadores ativos da mensagem apocalíptica que consideram urgente transmitir. Participam regularmente em atividades formais organizadas localmente para contactar seus vizinhos, embora também aproveitem todas as ocasiões informais para falar com conhecidos ou simplesmente com aqueles com quem cruzam ao longo do dia. Eles se reúnem em salões de congresso e assembleias, com muitas pessoas diferentes entre si.

O sexo pré-marital é condenado veementemente.[61] [62] Toda testemunha de Jeová deve se casar para poder ter relações sexuais.[63] A masturbação também é proibida. O ato de masturbar-se é visto como “uma forma de impureza” que “leva a um modo de pensar deturpado”, contudo, não é considerado “uma forma de grave imoralidade sexual, como a fornicação”.[64] De acordo com o livro “Sua Juventude — O Melhor Modo de Usufruí-la”, as testemunhas de Jeová acreditam que a masturbação leva ao homossexualismo pois “cultiva o modo de pensar errado e o desejo errado”.[65]

Serviço voluntário[editar | editar código-fonte]

As Testemunhas de Jeová encontram-se entre as organizações que usam amplamente o serviço voluntário, que consiste basicamente do serviço de pregação de porta em porta e da administração da própria organização. Praticando sua fé religiosa com base no Cristianismo primitivo dos apóstolos,(1Coríntios 11:1) encaram o amor ao próximo como um sinal identificador do cristianismo genuíno. Todos os seus membros são voluntários, usando as suas habilidades, tempo, esforço e recursos financeiros em projetos específicos promovidos pela organização a que pertencem, como a construção de centros de adoração (salões do reino), prédios para convenções anuais (assembleias), prédios admintrativos e para produção de publicações da própria organização. As testemunhas de Jeová não organizam serviços voluntários que envolvam pessoas que não fazem parte da sua organização ou que não demonstrem interesse em se tornar também uma testemunha de Jeová.

Congresso de Distrito realizado em Tessalônica, Grécia nos dias 4 a 6 de julho de 2008

Dentre as diversas frentes de trabalho voluntário, destaca-se como significativa contribuição social o trabalho realizado com os surdos que estudam com as testemunhas de Jeová, tem potencial para se tornar ou já são testemunhas de Jeová. Em vários países, voluntários Testemunhas de Jeová ajudam milhares de surdos interessados na mensagem das Testemunhas Jeová, desde a alfabetização na sua primeira língua, como a LIBRAS no Brasil e a LGP em Portugal, passando pelo idioma escrito de sua região, quando se aplica. Atualmente 59 equipes de tradutores ao redor do mundo traduzem, produzem e distribuem gratuitamente publicações em vídeos DVDs em 75 línguas de sinais para o benefício dos surdos já associados com as Testemunhas de Jeová,[66] fornecendo suporte para mais de 1.200 congregações em língua de sinais de diversos países.[67] Diversas publicações em 75 Línguas de sinais[68] , incluindo partes da Bíblia, todas em vídeos. Seu trabalho não raro proporciona muito mais do que ajuda espiritual, servindo como intérpretes em língua de sinais por acompanhá-los em escolas, médicos, advogados, entrevistas de emprego, etc. Também estendem aos familiares e colegas de trabalho dos surdos Testemunhas de Jeová a oportunidade de conhecer a língua de sinais, usando para isso DVDs visuais ou outras publicações produzidas pelas próprias Testemunhas de Jeová com o objetivo de facilitar o aprendizado e a inclusão social e espiritual dos surdos às suas famílias e comunidades, aproveitando a ocasião para propagar sua fé entre essas pessoas, na esperança de que elas também se tornem Testemunhas de Jeová.

Outra forma de serviço voluntário prestado pelas Testemunhas de Jeová é a ajuda humanitária a pessoas que também são Testemunhas de Jeová. Desde a Segunda Guerra Mundial, as Testemunhas de Jeová têm organizado ajuda humanitária de socorro aos seus irmãos cristãos que sofrem efeitos da guerra, desastres naturais ou outras calamidades. Sua experiência na organização de um grande número de voluntários que atuam em projetos de construções de Salões do Reino e em seus congressos anuais contribui para o seu reconhecido sucesso neste respeito.

Conceito sobre outras religiões[editar | editar código-fonte]

Editar Índice
TESTEMUNHAS DE JEOVÁ
Religião cristã não trinitária
Definição Básica | Doutrinas e Teologia
Estrutura Mundial | Congregações Locais
História das Testemunhas de Jeová
Testemunhas de Jeová no Brasil
Testemunhas de Jeová em Angola
Testemunhas de Jeová em Moçambique
Testemunhas de Jeová em Portugal
Sociedades Usadas pelas Testemunhas
Sociedade Torre de Vigia - Definição
Sociedade Torre de Vigia de Bíblias e Tratados
Sociedade Torre de Vigia de Tratados de Sião
Edições Notáveis
A Sentinela | Despertai! | Notícias do Reino
Tradução do Novo Mundo
Estudos das Escrituras
Fotodrama da Criação | Anuário
Proclamadores do Reino de Deus
Cancioneiro das Testemunhas de Jeová
Estudo Perspicaz das Escrituras
A Verdade Que Conduz à Vida Eterna
O Que a Bíblia Realmente Ensina?
Artigos Diretamente Relacionados
com as Testemunhas de Jeová
Escatologia | Cronologia | Neutralidade
Normas de Moral | Questão do Sangue
Escravo Fiel e Discreto | Corpo Governante
Comemoração da Morte de Cristo
Posições Controversas | Perseguição religiosa
Salão do Reino
Programas Educacionais | Serviço Voluntário
Estudantes da Bíblia | Triângulos Roxos
Outros Artigos que Referem Crenças
das Testemunhas de Jeová
Tetragrama Sagrado YHVH
Arcanjo | O Arcanjo Miguel
Seol | Hades | Inferno | Geena
Biografias
Charles Russell | Joseph Rutherford | Nathan Knorr
Frederick Franz | Milton Henschel | George Gangas
Karl Klein | Grant Suiter
Don Adams | Max Larson | Alexander Macmillan
August Dickmann | Leopold Engleitner
Simone Arnold Liebster | Raymond Victor Franz
Influências Formativas
William Miller | Henry Grew
George Storrs | Nelson H. Barbour

Consideram-se praticantes da única organização cristã verdadeira (o Cristianismo primitivo), e agindo assim, acreditam que terão a salvação após a morte. Não acreditam que serão as únicas a serem salvas. Muitos milhões de pessoas que viveram há séculos e não eram Testemunhas de Jeová poderão ser salvas, ao serem ressuscitadas no prometido paraíso da terra. Estas pessoas, que não tiveram a oportunidade de conhecer os ensinamentos das testemunhas de Jeová, poderão, segundo eles, serem salvas.[69]

Caso decidam não aceitar os "ensinamentos divinos", poderão sofrer a "segunda morte", ou morte definitiva.[70] [71] A Bíblia explica que no prometido novo mundo de Deus “há de haver uma ressurreição tanto de justos como de injustos”.[72] (Atos 24:15) Além disso, pode ser que muitos que vivem hoje ainda venham a servir a Deus, e eles também serão salvos, caso decidam seguir o "único caminho válido para a salvação". De qualquer forma, de acordo com os seus ensinamentos, não cabe a ninguem julgar quem será salvo ou não. Essa responsabilidade está totalmente nas mãos de Jesus. — João 5:22, 27.[73] Ensinam que, para alguém poder ser salvo, a pessoa tem de obter conhecimento sobre a vontade de Jeová e de seu filho, Jesus Cristo (João 17:3), conforme entendem estar expressa na Bíblia e de acordo com o entendimento e as doutrinas interpretadas pelo Corpo Governante, os responsaveis pela dianteira da organização. Entendimentos contrários à doutrina, são sumariamente rejeitados. Aqueles que defendem quaisquer reformas são chamados de apóstatas [56] [55] Devem pôr em prática aquilo que aprendem, mantendo a sua integridade sob quaisquer circunstâncias, até o fim (Mateus 24:13)

Oposição[editar | editar código-fonte]

Perseguição[editar | editar código-fonte]

Os prisioneiros que eram da religião de Testemunhas de Jeová eram identificados pelo emblema de triângulo na cor roxo em campos de concentração nazistas.

A animosidade política e religiosa contra as Testemunhas de Jeová, por vezes, levou a ação da massa e opressão do governo em vários países. Sua doutrina de neutralidade política e recusa em servir nas forças armadas levou a prisão de membros que recusaram o recrutamento durante a Segunda Guerra Mundial e em outros momentos em que o Serviço Nacional foi obrigatório. Em 1933, havia cerca de 20.000 Testemunhas de Jeová na Alemanha,[74] dos quais cerca de 10.000 foram presos. Destes, 2000 foram enviados para campos de concentração onde eram identificados pelo triângulo roxo; cerca de 1.200 morreram, incluindo 250 que foram executados.[75] [76] [77] [78] No Canadá, as Testemunhas de Jeová foram internados em campos[79] juntamente com dissidentes políticos e pessoas de ascendência chinesa e japonesa.[80] No início da União Soviética, cerca de 9.300 Testemunhas de Jeová foram deportados para a Sibéria como parte da Operação Norte, em abril de 1951.[81] Suas atividades religiosas estão atualmente proibido ou restrito em alguns países, incluindo a China, Vietnam e alguns estados islâmicos.[82] [83]

Autores como William Whalen, Shawn Francis Peters e ex-Testemunhas Barbara Grizzuti Harrison, Alan Rogerson e William Schnell, alegam que a religião incitou a oposição a buscar um curso de martírio sob a liderança de Rutherford durante a década de 1930, em uma tentativa de atrair membros despossuídos da sociedade e para convencer os membros de que a perseguição do mundo exterior era uma evidência da "verdade" de sua luta para servir a Deus.[84] A literatura da Sociedade Torre de Vigia do período dirigida às Testemunhas era para "evitar oposição desnecessária ou preconceito", afirmando que o seu objectivo não é o de ser preso.[85]

No Brasil, somente a partir de 1939 é que se encontram registros policiais a respeito da Sociedade Torre de Vigia de Bíblias e Tradados, é nessa data que o DEOPS de São Paulo efetivou cerca de 20 prisões de Testemunhas de Jeová entre eles a de Piroska Solyon, então com 13 anos de idade. A prisão foi sob a acusação de pertubação da ordem pública por terem participado e distribuído a publicação Fascismo ou Liberdade em uma marcha pública na Praça da Sé e no Jardim da Luz, na cidade de São Paulo, neste evento, as Testemunhas usaram cartazes para divulgar um discuso feito por seu líder, Rutherford, em Londres chamado Encare os Fatos e aprenda a ouvir a única voz de escape. Também proclamavam palavras de ordem como "Servi a Deus e a Cristo, o Rei" e "Religião é Laço e Extorsão", uma crítica à religião católica.[86]

Em Portugal, a perseguição aos Testemunhas de Jeová se iniciou a partir da década de sessente, sendo esta de motivação política devido sua peculiar atitude perante o Estado e o serviço militar. Isto impediu que a religião se legalizasse conduzindo a um situação delicada a partir de 1961 quando ocorreu uma mobilização de soldados.[87]

Disputas jurídicas[editar | editar código-fonte]

Vários casos envolvendo Testemunhas de Jeová têm passado pelos Supremos Tribunais de todo o mundo.[88] Os casos geralmente se relacionam com o direito de praticar a religião, a não aceitação de exibição de patriotismo e prestação de serviço militar e recusa de transfusões de sangue.[82] :679–701

Nos Estados Unidos, os desafios legais persistentes solicitaram uma série de decisões judiciais estaduais e federais que reforçavam proteções judiciais para as liberdades civis.[89] Entre os direitos reforçados por vitórias judiciais as Testemunhas nos Estados Unidos têm sua conduta religiosa protegida de interferência federal e estadual, garantindo-lhes o direito de abster-se de rituais patrióticos e serviço militar, o direito de seus pacientes de recusarem tratamento médico, bem como o direito de não se envolver em discursos públicos.[90]

Criticismo[editar | editar código-fonte]

Posições[editar | editar código-fonte]

A posição religiosa das Testemunhas de Jeová em relação ao não uso de sangue é uma das mais controversas e criticadas ao longo dos anos.

Ao longo da sua história, seu trabalho intenso, sua neutralidade e distanciamento quanto a tradições seculares ou assuntos políticos, a base bíblica da desassociação de membros, a rejeição do uso de sangue na alimentação e na medicina, entre outras temáticas.

Milhares de médicos em todo o mundo começaram a usar técnicas de conservação de sangue para realizar cirurgias complexas sem transfusão com a ajuda da ACTJ (Associação Cristãs da Testemunhas de Jeová) criaram um comitê, a Comissão de Liga com Hospitais (Coli). Essas opções terapêuticas são usadas até mesmo em países em desenvolvimento e são solicitadas por muitos pacientes que não são Testemunhas de Jeová. Uma parte da comunidade médica, porém, continua crítica em relação a opção religiosa, recusando-se por ser mais rentável o uso de sangue, ou não tendo condições de dar tratamento ao paciente ou submetê-lo a cirurgias a menos que seja permitida a transfusão sanguínea. Isto obriga estes pacientes a buscar tratamento em outros hospitais ou buscar um médico disposto a utilizar as diversas técnicas disponíveis para se evitar transfusões. As Testemunhas de Jeová sim, buscam ajuda, não permitindo seus filhos ou parentes morrerem, mas sim lhes dando tratamentos melhores e de recuperação mais rápida do que aqueles que tomam sangue.

Os homens adeptos das Testemunhas de Jeová são normalmente dispensados do serviço militar obrigatório, bem como jurar à bandeira por objeção de consciência, no entanto á casos em que participam nestas atividades devido as leis dos países não os puderem dispensar.[91] No Brasil, entretanto, nestes casos estas pessoas devem realizar prestações substitutivas, de acordo com o determinado pela autoridade militar.

Estatísticas mundiais[editar | editar código-fonte]

Membros ativos de 1945 a 2013.

Estes números não especificam as pessoas que saem por vontade própria ou são expulsas fazendo que muitos acreditem que o Corpo Governante ainda as considera como membros ativos ou simpatizantes apesar de muitas já pertencerem a outras religiões, o que causa que muitos acreditem que os seus números publicados nas suas revistas não são fidedignos. Estas estatísticas recolhidas durante o que as Testemunhas designam por Relatório Mundial do Ano de Serviço, ou seja, num período de doze meses de setembro a agosto, foram publicadas no Anuário das Testemunhas de Jeová de 2015. Este relatório, com dados atuais e dos anos anteriores, de cada um dos países onde estão ativas, também está disponível na internet, no seu web site de downloads.[92]

Segundo o Ano de Serviço de 2014, as Testemunhas de Jeová tiveram um auge de 8.201.545 publicadores ao redor do mundo, em 239 países ou regiões autônomas, o que constitui o maior número de sempre de membros ativos. Este número representa um aumento de 2.2% sobre o total de publicadores indicados no Ano de Serviço de 2013.

O número de adeptos refere-se apenas ao número de publicadores que participam regularmente na divulgação da crença (o que inclui publicadores batizados e não-batizados), não sendo por isso, comparável com as estatísticas apresentadas por outros grupos religiosos.[93] Ainda segundo o relatório do ano de Serviço de 2014, registra-se o número de 9.499.933 estudantes que realizaram cursos bíblicos semanais durante o ano. Destes, 275.581 tornaram-se novos membros batizados. Também são relatadas 19.950.019 pessoas presentes na Comemoração da Morte de Cristo, o que também constitui o maior número da história. Estes membros ativos das Testemunhas e novos estudantes encontram-se distribuídos por 115.416 congregações.

Brasil[editar | editar código-fonte]

As Testemunhas de Jeová do Brasil somam cerca de 794.766 pessoas, que se distribuem em 11.562 congregações. O Brasil é na atualidade o segundo país com maior número de Testemunhas de Jeová, ficando atrás apenas dos Estados Unidos. Em 2014, foram realizados 29.870 batismos no país; no evento da Comemoração da Morte de Cristo estiveram presentes 1.728.208 pessoas; foram realizados em média 841.136 estudos bíblicos; e foram dedicadas 170.475.134 horas à evangelização.[94]

Portugal[editar | editar código-fonte]

Aspecto interior do auditório principal do Salão de Assembleias de Carnaxide, em Portugal - Abril de 2007.

As Testemunhas de Jeová contam com cerca de 51.320 praticantes em Portugal (Açores, Madeira) distribuídos por 674 congregações, sendo que os simpatizantes alcançam um número similar. Isso pode ser constatado no Anuário das Testemunhas de Jeová de 2015 que refere terem assistido 99.284 pessoas em 2014 à sua principal celebração, a Comemoração da Morte de Cristo.[95]

Totais Gerais de 2014[96] [editar | editar código-fonte]

Informação Quantidade
Sedes das Testemunhas de Jeová 90
Países que relataram 239
Total de congregações 115.416
Assistência à Comemoração da Morte de Cristo 19.950.019
Participantes da Comemoração (que tomaram os emblemas) 14.121
Auge de publicadores no serviço do Reino 8.201.545
Média mensal de publicadores 7.867.958
Percentagem de aumento sobre 2013 2,2
Total de batizados 275.581
Média mensal de pioneiros auxiliares 635.298
Média mensal de pioneiros (regulares e especiais) 1.089.446
Total de horas dedicadas à pregação 1.945.487.604
Média mensal de estudos bíblicos 9.499.933

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. [1]
  2. Anuário das Testemunhas de Jeová 2014. New York: Watchtower Bible and Tract Society, 2014. p. 176.
  3. Who is a Christian? (em inglês) Religious Tolerance.org. Visitado em 15 de dezembro de 2012.
  4. Jehovah's Witnesses at a Glance (em inglês) bbc.co.uk (29/09/2009). Visitado em 15 de dezembro de 2012.
  5. The Free Dictionary.com. Je·ho·vah's Witness (em inglês) thefreedictionary.com. Visitado em 15 de dezembro de 2012.
  6. Beckford, James A.. The Trumpet of Prophecy: A Sociological Study of Jehovah's Witnesses. Oxford: Basil Blackwell, 1975. p. 118–119, 151, 200–201. ISBN 0631163107
  7. Iannaccone, Laurence; [et al.]. (1997). "Why Jehovah's Witnesses Grow So Rapidly: A Theoretical Application" (em inglês). Journal of Contemporary Religion 12 (2): 133–157. DOI:10.1080/13537909708580796.
  8. Pregação e ensino no mundo inteiro
  9. Estatísticas no site oficial das Testemunhas de Jeová
  10. Artigo "O que é o fundamentalismo?" publicado em A Sentinela de 1 de março de 1997, páginas 4 a 7
  11. Secção "Testemunhas de Jeová" na página 384 do livro Raciocínios à Base das Escrituras, publicado em 1985
  12. A Sentinela, 1 de outubro de 1994. A Bíblia: um livro destinado a ser entendido. Página 8.
  13. A Sentinela, 15 de julho de 2011. O descanso de Deus — de que se trata?. Página 28, parágrafo 07.
  14. Escravo Fiel e Discreto. Nosso Ministério do Reino: Perguntas Respondidas. Cesário Lange: Sociedade Torre de Vigia, Dezembro de 2000. p. 7.
  15. Escravo Fiel e Discreto. Nosso Ministério do Reino: Apoiemos a obra do Reino com os nossos recursos. Cesário Lange: Sociedade Torre de Vigia, Março de 2005. p. 3.
  16. A Sentinela, 15 de Agosto de 2012. Estou convosco. Página 7, parágrafo 15.
  17. Escravo Fiel e Discreto. Nosso Ministério do Reino: Nosso sistema simplificado de distribuição de publicações. Cesário Lange: Sociedade Torre de Vigia, Janeiro de 2000. p. 8.
  18. A Sentinela, 1 de Novembro de 2005. Donativos que alegram a Deus. Página 30.
  19. A Sentinela de 1 de junho de 2003, página 13
  20. A Sentinela de 15 de junho de 2001, página 17
  21. Despertai! de 8 de setembro de 1986, página 23
  22. A Sentinela de 1 de fevereiro de 2005, página 32
  23. Despertai! de 8 de março de 1985, página 11
  24. Anuário das Testemunhas de Jeová de 1976, página 45
  25. A Sentinela de 1 de abril de 1977, página 207
  26. A Sentinela de 15 de janeiro de 2001, página 29
  27. A Sentinela Anunciando o Reino de Jeová de 1 de junho de 2010, pag. 27
  28. [Unidos na Adoração do Único Deus Verdadeiro cap. 21 pp. 165-168 pars. 11-16]
  29. Publicada originalmente em inglês na revista A Sentinela de 15 de setembro de 1931, páginas 178 e 179. Reproduzida parcialmente em português no Anuário das Testemunhas de Jeová de 1976, nas páginas 149 e 150, e no livro Testemunhas de Jeová - Proclamadores do Reino de Deus, páginas 155 e 156
  30. - O que é a religião falsa?
  31. A Sentinela 15 de fevereiro p. 30-32, Um filme marcante completa cem anos
  32. A Sentinela 15 de novembro 2012, p. 31, 32, ‘Foi a melhor mensagem que já se ouviu’
  33. Ver comentário no livro O Paraíso Restabelecido Para a Humanidade — Pela Teocracia!, publicado em 1974, página 293
  34. Despertai! de 22 de Dezembro de 2000, página 5
  35. Língua de sinais tcheca
  36. Itens em Destaque
  37. New World Translation of the Holy Scriptures — Revised 2013
  38. Site oficial das Testemunhas de Jeová
  39. Relatório da reunião anual “O livro de Deus — um tesouro”
  40. A Sentinela 1 de janeiro 2015, p. 2
  41. A Sentinela 1 de janeiro 2015, p. 2
  42. Pregação e ensino no mundo inteiro
  43. Despertai! janeiro 2015 p. 2
  44. Despertai! janeiro 2015 p. 2
  45. O Que a Bíblia Realmente Ensina?. Ele está disponível em mais de 250 idiomas
  46. Gráficas que ajudam pessoas a aprender sobre Deus
  47. a b Examine as Escrituras 2013. [S.l.]: Sociedade Torre de Vigia. p. 81.
  48. a b c d e A Sentinela, 15 de Abril de 1997. Página 30.
  49. a b c d A Sentinela (15 de Maio de 2012). Você reflete a glória de Jeová? p. 13. wol.jw.org/. Visitado em 2 de Março de 2014.
  50. a b c d e f A Sentinela (15 de Julho de 2011). Não siga “falsos instrutores” 15-16 pp. wol.jw.org/. Visitado em 2 de Março de 2014.
  51. a b c d e f A Sentinela, 1 de março de 1986. Páginas 13-15, parágrafos 10-16.
  52. Watchtower. Estrutura dirigente pt.wikipedia.org. Visitado em 2 de Março de 2013.
  53. a b c Nosso Ministério do Reino, Março de 1999. Página 2.
  54. Escravo Fiel e Discreto. Estudo Perspicaz das Escrituras: Volume 1: Aará — Escrita. Cesário Lange: Sociedade Torre de Vigia, 1990. p. 701.
  55. a b Escravo Fiel e Discreto. Estudo Perspicaz das Escrituras: Volume 2: Escritura — Mísia. Cesário Lange: Sociedade Torre de Vigia, 1991. p. 591.
  56. a b Escravo Fiel e Discreto. Estudo Perspicaz das Escrituras: Volume 2: Escritura — Mísia. Cesário Lange: Sociedade Torre de Vigia, 1991. p. 340-341.
  57. Our Ministry Promoting Bible Education July 17, 2012 News Release Obituary – www.jw-media.org (web.archive.org)
  58. Como nossas publicações são escritas e traduzidas?
  59. jw-media.org
  60. - Estatísticas anuais
  61. Escravo Fiel e Discreto. Toda a Escritura é Inspirada por Deus e Proveitosa: Os princípios de moral seguidos por nós. Cesário Lange: Sociedade Torre de Vigia, 1990. p. 10.
  62. Despertai!, 8 de Dezembro de 1985. Sexo antes do casamento — por que não?. Página 10-11
  63. A Sentinela, 1° de novembro de 2011. Respostas a dez perguntas sobre sexo Página 5.
  64. Escravo Fiel e Discreto. Os Jovens Perguntam: Como posso vencer o mau hábito da masturbação?. Cesário Lange: Sociedade Torre de Vigia, 2008. p. 178.
  65. Escravo Fiel e Discreto. Sua Juventude — O Melhor Modo de Usufruí-la: A masturbação e o homossexualismo. Cesário Lange: Sociedade Torre de Vigia, 1976. p. 39-41.
  66. Publicações em vídeos DVDs para surdos em dezenas de Línguas de sinais
  67. Despertai!, Julho de 2010, pags, 26 e 27
  68. Minha língua de sinais
  69. A Sentinela, 15 de novembro de 2008. Contados dignos de ser guiados a fontes de águas da vida. Página 27-28, parágrafos 13-15.
  70. A Sentinela, 1 de Setembro de 2012. O que acontecerá no Dia do Julgamento. Página 17.
  71. A Sentinela, 1 de Outubro de 2011. Os bebês devem ser batizados?. Página 17.
  72. A Sentinela, 15 de março de 2013. A única solução. Página 6-7.
  73. (http://www.jw.org/pt/testemunhas-de-jeova/perguntas-frequentes/quem-salvo/)
  74. M. James Penton (2004). Jehovah's Witnesses and the Third Reich: Sectarian Politics Under Persecution. University of Toronto Press. p. 376. ISBN 978-0-8020-8678-5.
  75. Detlef Garbe (2008). Between Resistance and Martyrdom: Jehovah's Witnesses in the Third Reich. Univ of Wisconsin Press. pp. 484–. ISBN 978-0-299-20794-6.
  76. Shulman, William L. A State of Terror: Germany 1933–1939. Bayside, New York: Holocaust Resource Center and Archives.
  77. Holocaust Education Foundation website.
  78. Hans Hesse (2001). Persecution and Resistance of Jehovah's Witnesses During the Nazi Regime, 1933-1945. Edition Temmen. p. 12. ISBN 978-3-86108-750-2.
  79. William Kaplan (1989). State and Salvation: The Jehovah's Witnesses and Their Fight for Civil Rights. University of Toronto Press. ISBN 978-0-8020-5842-3.
  80. Barbara Yaffe, Witness Seek Apology for Wartime Persecution, The Globe and The Mail, Canada's National Newspaper, 9 de setembro de 1984, p.4
  81. Валерий Пасат ."Трудные страницы истории Молдовы (1940–1950)". Москва: Изд. Terra, 1994 (em russo)
  82. a b Jehovah's Witnesses: Proclaimers of God's Kingdom . Watchtower Bible and Tract Society of New York. 1993. p. 490.
  83. "Yearbook of Jehovah's Witnesses 1991",página.221
  84. Alegações que as Testemunhas de Jeová escolheram um curso deliberado de martírio estão contidas em:
    Peters, Shawn Francis. Judging Jehovah's Witnesses: Religious Persecution and the Dawn of the Rights Revolution. [S.l.]: University Press of Kansas, 2000. 82, 116–9 p. ISBN 0-7006-1008-1
    Barbara Grizzuti Harrison (1980). Visions of Glory: A History and a Memory of Jehovah's Witnesses. Hale. ISBN 978-0-7091-8013-5. Cap. 6
    William Joseph Whalen (1962). Armageddon Around the Corner: A Report on Jehovah's Witnesses. J. Day Company. p. 190.
    William J. Schnell (2002). 30 Years a Watchtower Slave: The Confessions of a Converted Jehovah's Witness. Baker Books. pp. 104 – 106. ISBN 978-1-4412-3164-2.
  85. Advice for Kingdom editoras(1939), Watchtower Bible and Tract Society, Brooklyn, N.Y.
  86. Eduardo Góes de Castro (2007). Os "Quebra-santos": anticlericalismo e repressão pelo DEOPS/SP. Editora Humanitas. p. 88. ISBN 978-85-7732-058-5.
  87. Universidade Católica Portuguesa. Centro de Estudos de História Religiosa (2000). Protestantismo e catolicismo em Portugal nos séculos XIX e XX.. CEHR-UCP. p. 45. ISBN 978-972-8361-16-7.
  88. Gary Norman Arthur Botting (1993). Fundamental Freedoms and Jehovah's Witnesses. University of Calgary Press. ISBN 978-1-895176-06-3.
  89. Botting, Fundamental Freedoms and Jehovah's Witnesses, pp. 1–14; Shawn Francis Peters, Judging Jehovah's Witnesses, University Press of Kansas: 2000, pages 12–16.
  90. Jehovah's Witnesses and civil rights. Visitado em 16 de agosto de 2012.
  91. Serviço Militar - Não Obrigado.
  92. : Anuário das Testemunhas de Jeová 2014
  93. : Anuário das Testemunhas de Jeová 2014
  94. Anuário das Testemunhas de Jeová 2015, páginas 178 e 179
  95. Anuário das Testemunhas de Jeová 2015, páginas 184 e 185
  96. : Anuário das Testemunhas de Jeová 2015

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Testemunhas de Jeová