The Best Damn Thing

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Este artigo é sobre o álbum. Se procura a canção homônima, veja The Best Damn Thing (canção).
The Best Damn Thing
Álbum de estúdio de Avril Lavigne
Lançamento 17 de abril de 2007 (2007-04-17)
Gravação 2006–07
Gênero(s)
Duração 40:39
Idioma(s) (em inglês)
Formato(s)
Gravadora(s)
Produção
Cronologia de Avril Lavigne
Under My Skin
(2004)
Goodbye Lullaby
(2011)
Capa da edição japonesa
Singles de The Best Damn Thing
  1. "Girlfriend"
    Lançamento: 27 de fevereiro de 2007 (2007-02-27)
  2. "When You're Gone"
    Lançamento: 19 de junho de 2007 (2007-06-19)
  3. "Hot"
    Lançamento: 2 de outubro de 2007 (2007-10-02)
  4. "The Best Damn Thing"
    Lançamento: 24 de junho de 2008 (2008-06-24)

The Best Damn Thing é o terceiro álbum de estúdio da artista musical canadense Avril Lavigne, lançado no dia 17 de abril de 2007 através da RCA Records.[1] O disco representa um afastamento sonoro de seu álbum de estúdio anterior, Under My Skin (2004), que incorpora em grande maioria elementos da música pós-grunge. Segundo Lavigne, o objetivo com álbum era criar algo mais animado e, ao mesmo tempo, diferente do que havia feito até o momento, trazendo influências fortes do pop punk e do teen pop. As canções foram, em boa parte, compostas junto com Lukasz Gottwald, Butch Walker e Evan Taubenfeld. Já a produção esteve a cargo de Dr. Luke, Rob Carvallo, Walker, Deryck Whibley e Lavigne, pela primeira vez produtriz executiva de seus discos.[2] Considerado por uma gama de críticos como o empenho mais comercial de Lavigne, o álbum, em geral, não é autobiográfico e não possui um significado profundo para a intérprete, sendo baseado principalmente em temas como o amor e a autoconfiança feminina.

Assim que entrou em distribuição, The Best Damn Thing conquistou imediatamente sucesso crítico e comercial. Diversos analistas elogiaram sua transição do gênero alternativo para o pop punk (em maior proporção quando comparado a seus antecessores). No entanto, a principal crítica do álbum foi relativa a seu conteúdo lírico, que alguns avaliaram como muito áspero ou brutal em certos momentos. Em sua primeira semana de vendas teve exatas 289 000 cópias distribuídas ao redor dos Estados Unidos, estreando na primeira posição da Billboard 200. O álbum também estreou no topo das paradas da Áustria, Canadá, Reino Unido e muitos outros países. O agregador de resenhas online Metacritic atribuiu-lhe uma média de 66 pontos, numa escala que vai até 100, embasado em 19 resenhas recolhidas de meios especializados em música. A nível mundial foram distribuídas mais de seis milhões de cópias do mesmo, que ficou em quarto lugar entre os mais vendidos do ano de 2007, segundo dados da IFPI.

O lançamento de The Best Damn Thing foi precedido pela divulgação do single "Girlfriend", que se tornou até o momento o maior êxito comercial da carreira de Lavigne, chegando ao primeiro lugar nas paradas em dez países, incluindo Austrália, Canadá, Japão e Estados Unidos, onde a artista adquiriu seu primeiro e até então único número um na Billboard Hot 100. Além do mais, também entrou no top dez da maioria dos outros países e liderou a lista anual de músicas mais baixadas no mundo, com mais de 7.3 milhões de carregamentos, em 2007. Os singles posteriores obtiveram sucesso inferior ao primeiro. "When You're Gone", segundo foco da promoção do disco, fracassou na tentativa de repetir o sucesso de seu precursor, apesar de obter um desempenho positivo. Seu sucessor, "Hot", foi mais bem-sucedido na Austrália, Canadá e alguns países europeus, enquanto nos Estados Unidos falhou em termos comerciais. O derradeiro e quarto single extraído do álbum, "The Best Damn Thing", não conseguiu qualquer resultado significativo nas tabelas musicais, ficando fora das primeiras quarenta posições na maioria dos países que obteve execução.

Composição e divulgação[editar | editar código-fonte]

Avril afirmou à MTV dos EUA que uma de suas referências para compor as faixas de The Best Damn Thing foi a sua última turnê, The Bonez Tour. Deryck Whibley, seu ex-marido, disse que produziu mais de 25 músicas, mesmo não sabendo quais iriam ser incluídas no álbum. Rob Cavallo, que já trabalhou com Green Day e My Chemical Romance, também ajudou a fazer algumas canções. No geral, foi uma produção numerosa que trabalhou em The Best Damn Thing.[3] O objetivo de criar esse álbum, segundo Avril, era ter algo cheio de energia, com refrões memoráveis atitudes de rock and roll e punk pop.[4] Uma das últimas canções escritas foi composta no período do natal de 2006, pouco tempo antes do lançamento oficial do disco.[3]

Ainda em entrevista, Lavigne disse que nunca se divertiu tanto a gravar um disco de estúdio e que escreveu "Girlfriend" quando estava embriagada. A letra dessa música saiu em minutos, além de ajudar a escrever e gravar um outro hit, "I Can do Better", mas o refrão demorou horas, além de precisar da ajuda de Whibley para finalizar. Em "When You're Gone", Avril estava escrevendo uma música lenta, e não extravagante como as anteriores.[5]

Na hora das composições das canções, Avril afirmou que não houve nenhum diretor artístico por trás dela neste projeto e que ela sabia exatamente como o som deveria soar. Ao escolher os produtores e colaboradores musicais, a canadense queria que tudo fosse "perfeito", desde os acordes até o tipo de batida na bateria, fazendo todos os esforços para assegurar que o The Best Damn Thing fosse o melhor álbum já feito por ela. "Toda a gravação foi um verdadeiro prazer, eu não sei como que você poderia se divertir tanto como na gravação de um disco", disse a cantora. E sobre o produtor Butch Walker, Avril falou que "é um artista talentoso e incrível". Sobre o trabalho com Dr. Luke a canadense acrescentou que ela foi "ouvida e entendida" pelo Luke.[4] A foto da capa do disco foi feita de forma caseira e tirada por Deryck Whibley, com a cantora afirmando que foi muito divertido e que às vezes artistas pagam milhares de dólares para profissionais fazerem o mesmo.[6]

Na divulgação de sua volta à cena musical, depois de três anos sem lançar um álbum de inéditas, Avril foi a escolhida para cantar a trilha sonora principal do filme Eragon, com a canção "Keep Holding On", que também está presente em The Best Damn Thing.[7]

Indicações e premiações[editar | editar código-fonte]

Avril na premiação do MMVA, na qual conquistou dois prêmios.

The Best Damn Thing venceu a categoria de "melhor álbum" no Juno Awards,[8] e foi indicado na mesma categoria no MTV Europe Music Awards e no MTV Awards Japan.[9][10] O álbum ganhou no Japan Golden Disc Awards de 2008 as categorias "álbum do ano" e "álbuns mais vendidos do ano",[11] no Golden Disc Awards IFPI Hong Kong Group de 2007 venceu a categoria "10 melhores álbuns do ano".[12]

A canção "Girlfriend" ganhou um prêmio no MTV Video Music Awards Latin America na categoria "melhor música pop do ano",[13] no MTV Europe Music Awards na categoria de "melhor música",[9] no MTV Awards Japan pelo "melhor videoclipe" e "melhor música para karaokê,[14] e no MTV Asia Awards 2008 pelo "melhor remix".[15] Na principal premiação do Canadá, o Juno Awards, Lavigne foi indicada nas categorias de "melhor single do ano", "artista do ano", entre outras. Porém, não venceu em nenhuma das indicações recebidas.[16] No Much Music Awards, ela venceu nas categorias de "melhor canção internacional" na edição de 2007 e "videoclipe mais assistido" em 2008.[17][18]

Recepção da crítica[editar | editar código-fonte]

Críticas profissionais
Pontuações agregadas
Fonte Avaliação
Metacritic 66/100[19]
Avaliações da crítica
Fonte Avaliação
Billboard 70/100[19]
Boston Globe 60/100[19]
Now Magazine 2 de 5 estrelas.[20]
About.com 2.5 de 5 estrelas.[21]
'Hot Press 3 de 5 estrelas.[22]
Sputnikmusic 3.5 de 5 estrelas.[23]
Ukmix 4 de 5 estrelas.[24]
Artist direct 4 de 5 estrelas.[25]
Allmusic 4.5 de 5 estrelas.[26]
Blender 4.5 de 5 estrelas.[27]
Avril se apresentando na turnê The Best Damn Tour, em 2008.

O site Metacritic deu ao álbum The Best Damn Thing uma média de 66 pontos, numa escala que vai até 100, baseada em 19 resenhas de críticos especializados em música, incluindo publicações das revistas Billboard e Rolling Stone.[19] O crítico Alex Macpherson, do jornal britânico The Guardian, disse que "na maioria dos terceiros álbuns de cantoras é tempo de crescer, amadurecer. Mas com Avril foi diferente, mesmo ela sendo uma mulher casada com seus [até então] 22 anos de idade, ela deixou correr em seu interior uma adolescente rebelde. Um exemplo é a frase da música 'Girlfriend' Hell yeah, I'm the motherfucking princess, que agride verbalmente suas 'rivais'". Ele encerrou sua crítica dizendo que The Best Damn Thing era um retorno triunfal.

Spence D., do site IGN, disse que Avril "está a acompanhar mais os passos de sua 'irmã' canadense Alanis Morissette". Ele disse ainda que "'Girlfriend' é uma música mal-humorada, do gênero pop adolescente". Segundo o crítico, o single "Runaway" transmite ondulações de energia acústica e é a primeira canção que realmente sugere uma Avril Lavigne mais madura". Ele continua, dizendo que "Lavigne tem outro ponto notável, ela é uma mulher madura e se libertou das 'cadeias' da adolescência. A canção 'When You're Gone' é uma balada repleta de instrumentos de cordas, piano e com acompanhamento acústico". Ele julgou a letra de "Everything Back But You", como vinda de "alguém irritado ou bravo" e que "'Hot' muda imediatamente seu jeito como uma uma pessoa apaixonada cantando, e explica que isso está ocorrendo pois seu público está deixando a antiga Avril para trás, mas que também estão crescendo com ela". Ele finaliza comentando que "Innocence" é "o tipo de música que proporciona ainda mais brilho ao amadurecimento de Lavigne" e que "'I Don't Have To Try' relembra a década de 1980".

A revista Blender disse que o disco apresenta uma grande balada, "When You're Gone", e um monte de músicas "bobas" de pop-punk, entre elas "Everything Back But You" e "I Can Do Better". O maior talento de Avril, segundo a revista, é "o seu ouvido perfeito para o pop-rock" e que ela "sabe usar bem em suas músicas".[27] A revista Rolling Stone dos EUA, destacou que "Girlfriend" é uma grande canção e que o álbum The Best Damn Thing só tem músicas lentas, exceto "Girlfriend" e "Contagious".

O site About.com especializado em música, afirmou que o "The Best Damn Thing" é do tipo que faz um crítico de música querer "arrancar os cabelos". O álbum inclui um pequeno conjunto de faixas "fantásticas", mas elas estão intercaladas por músicas inferiores. O site também disse que Lavigne é uma das principais artistas da música pop do século XXI. Porém, segundo o crítico do site, Bill Lamb, ela também é uma "criança malcriada" ao mesmo tempo. Ele julgou a música "When You're Gone", como uma grande balada e que causa um impacto emocional a quem a ouve. O único hit com maior qualidade no CD é o single "Keep Holding On", que consegue transmitir uma emoção verdadeira. Bill diz que: quem é um fã verdadeiro de Avril irá ter esse álbum, por causa das boas músicas que nela contém e o About.com faz um julgamento das melhores músicas: "The Best Damn Thing", "When You're Gone", "Everything Back But You", "Innocence" e "Keep Holding On" respectivamente. O crítico encerra dizendo que o álbum da canadense, muitas vezes soa quando ela ainda era adolescente, e que seu próximo trabalho poderá ser um dos mais interessantes de sua carreira.[21] No portal de resenhas da Irlanda, Entertainment.ie, foi dito que esse álbum é apenas uma repetição dos dois trabalhos anteriores, e que é apenas adicionado um gênero Punk, as músicas "When You're Gone" e "Innocence", não tem o mesmo apelo, se comparar com a música "I'm With You" do CD Let Go.

Darryl Sterdan, do site CANOE Jam!, criticou as doze faixas do álbum, começando por "Girlfriend" como o mais atrativo, e que lembra o estilo de Toni Basil. O "I Can Do Better" como o mais "brincalhão". O "Runaway" lembra as músicas antigas da canadense. A canção "The Best Damn Thing" lembra a outra música do próprio CD, "Girlfriend". "When You're Gone" como uma "balada" com piano e refrão bombástico. "Everything Back But You" como o desabafo de Lavigne em sua composição. "Hot" como o estilo mais velho de Avril. "Innocence" como a música perfeita em casamentos. A composição de "I Don't Have to Try", segundo ele, coloca seu homem em seu respectivo lugar. "One of Those Girls" como uma canção típica de bandas formadas somente por meninas. "Contagious" como bombeamento do gênero pop-rock. E encerra dizendo que o "Keep Holding On" usa um violão dedilhado, cordas vocais exuberante e um pouco de romance e é idêntico as músicas da cantora Alanis Morissette.

Avril em concerto com a The Best Damn Tour, em 2008.

O site Yahoo! Music do crítico Luke Turner começa dizendo sobre sua vida pessoal ao avaliar o "The Best Damn Thing" que: Avril se desfez de seus skates e que toda a felicidade conjugal não parece ter sido transmitida sobre esse álbum, e que há influências do Let Go. O refrão do single The Best Damn Thing diz: Where are the hopes / Where are the dreams / Where are the Cinderella Stories?[nota 1], mostra que ela se baseou em artifícios e a letra do "I Can Do Better" é mal elaborada. Musicalmente falando segundo o Turner, marido de Lavigne e colaboradores, parece ter decidido que crescer um pouco, significa muito ruim ter sons de cordas e piano pesado na música "Innocence", e que lembra o single pop de Girlfriend. E encerra dizendo que há um trecho polêmico em "I Don't Have to Try", na parte "I'm the one who wears the pants"[nota 2] mostra a provocação de Lavigne com as britânicas Amy Winehouse, Lily Allen e a norte-americana Britney Spears. O crítico Chris Willman do tabloide sensacionalista Entertainment Weekly disse que "The Best Damn Thing" já começa com provocações nas músicas "I Can Do Better" e mais intensamente em "I Don't Have to Try" e que a música de "Girlfriend" foi feita para garotas que queiram "roubar" namorados dos outros. E finaliza comentando que esse álbum é o melhor rock 'n' roll da canadense para meninas adolescentes e que elas irão ouvir por muitos anos.

O crítico Rafael Carnovale do site brasileiro, "Whiplash" especializado em rock e heavy metal, disse que esse CD é o puro pop-rock, "Girlfriend" é só pop-punk, igual ao "I Can Do Better", e que lembra muito o trabalho do Blink-182. "Runaway" é somente um único gênero: pop, daquelas músicas que ficam na mente por tempos, típica do estilo adolescente. E que a mais "leve" entre todas é o "When You're Gone" aonde a cantora soa muito como o estilo de Alanis Morrissette, e a básica, porém eficiente, "Keep Holding On". O crítico disse também que esse trabalho não vai acrescentar muito na carreira de Lavigne, mas que garante boas músicas como "Hot" um som não tão pesado, "I Don´t Have to Try" uma música quase punk rock, "One of These Girls" como a canção mais pesada no álbum The Best Damn Thing. E encerra dizendo que é um bom CD, mas que Lavigne precisa de se voltar musicalmente, senão o som fica repetitivo, e que são poucos os artistas tem esse essa habilidade.

Alex Nunn, do site britânico Music OMH, disse que o single "Girlfriend" é uma música confiante, às vezes arrogante, que mostra o ponto de vista de Lavigne para os homens. As músicas "I Can Do Better" e "Everything Back But You" não são 'humildes' e que a cantora "quebra" a música com risos histéricos. "When You're Gone" e "Innocence", entretanto, mostram claramente que Avril usou a combinação de cordas de violão e piano sútil, um bom trabalho feito. Todas as canções compostas pelo cantor/guitarrista Evan Taubenfeld são consideradas "faixas de destaque" do álbum. E que a 'inocência' de "The Best Damn Thing" faz dele como uma diversão e que, "Runaway" junto a uma "onda" de guitarras barulhentas e Travis Barker, o baterista de Lavigne, que a vê professar suas qualidades para uma potencial parceria para produzir hits. Nunn finaliza dizendo que The Best Damn Thing é um álbum divertido e exuberante, e coloca um "toque ousado" dos lançados anteriormente: Let Go e Under My Skin.

A crítica de música Livia Orsini Taffo do site brasileiro Terra Networks, disse que o álbum lembra seu começo de carreira com um estilo punk 'skatista', que as músicas reclamam de tudo, e que Avril Lavigne está com a mesma imagem de sempre. As faixas do álbum erram pelo estilo instável, às vezes é pop punk, outras vezes é rock 'n' roll. As canções "When You're Gone", "Innocence" e "Keep Holding On" são as mais tranquilas. E encerra dizendo que a canadense sabe alcançar tanto notas altas quanto baixas com um bom vocal. O portal G1 disse que o álbum não apresenta nada de melhor do que as mesmas lamúrias e provocações que Avril vem apresentando desde seu CD de estreia, o Let Go, e encerra dizendo que a única diferença é a divulgação dos iPods e MySpaces, que antes não existia e recomenda que ouça as músicas "Girlfriend" e "Keep Holding On".

Divulgação[editar | editar código-fonte]

Depois do lançamento de The Best Damn Thing, Lavigne iniciou a promoção do trabalho investindo ainda mais em espetáculos e em apresentações. Ela fez show acústico para anunciar sua próxima turnê, no Whisky a Go Go, em West Hollywood, Califórnia.[28] Em 2008 foi lançada a The Best Damn Tour, que teve início no Canadá e término em Pequim, na China, no estádio Wukesong Arena Beijing.[29] Essa turnê foi a única a ter coreografia com a participação de dançarinas que haviam entrado na equipe em 2007.[30] A turnê teve ao todo 110 shows oficiais, que começou na América Anglo-Saxônica, passou pela Europa e encerrou-se na Ásia. A lista de canções incluía as canções dos álbuns Let Go, Under My Skin e The Best Damn Thing.[31] Esta foi a maior turnê de produção de Lavigne na qual foi dirigida por Jamie King.[32]

Singles[editar | editar código-fonte]

Capa do single "Girlfriend".

O primeiro single lançado do álbum The Best Damn Thing foi "Keep Holding On", de forma promocional para o filme Eragon, alcançou nas paradas musicais de alguns países, na Billboard Hot 100 dos EUA chegou à 17ª posição e na 16ª na África do Sul na rádio 5FM, No Brasil chegou à 13ª posição, e 2ª no Canadá na parada Canada Airplay BDS. Essa canção ganhou certificações de Disco de Platina no Canadá com mais de 20 mil downloads pagos[33] e nos Estados Unidos pela RIAA com mais de um milhão de CDs vendidos.[34] Essa canção também esteve presente no seriado musical "Glee" em 2009, produzida pela 20th Century Fox.[35][36]

O segundo single lançado foi "Girlfriend", que obteve o maior desempenho do álbum, alcançando vários países e suas respectivas paradas musicais, chegou à 1ª posição na Billboard Hot 100 dos EUA, sendo até agora a única canção de Lavigne a atingir a posição nesta tabela, no Tokio Hot 100 do Japão, na Nova Zelândia, através da RIANZ, na parada musical da Austrália a ARIA Chart, na Áustria na Ö3 Austria Top 40, na Irlanda no Irish Recorded Music Association e no United World Chart. Chegou ao 2º lugar no Brasil, e no Reino Unido. Recebeu certificações de Disco de Platina Duplo, nos Estados Unidos, pelos dois milhões em vendagens, e de Disco de Platina, devido as cem mil vendas digitais no Brasil, segundo o site ABPD.[37] No Japão o CD single vendeu mais de um milhão de cópias, com uma premiação de Disco de Diamante pelo RIAJ[38] e Disco de Ouro na Áustria pelo IFPI Áustria[39] e na Bélgica pelo Ultratop devido a mais de 10 mil exemplares vendidos.[40] No Canadá o hit, segundo a Nielsen SoundScan, foram feitos mais de 83 mil downloads pagos no país.[41]

O terceiro single foi a canção "When You're Gone" que não obteve o mesmo desempenho da canção anterior, porém chegou às paradas musicais de muitos países, alcançando o 1º lugar em Portugal, 24º na Billboard Hot 100 nos EUA, 3º na parada UK Singles Chart, 4º no Canadá na Canada Airplay BDS, na ARIA Charts e na Irlanda, 6º no Brasil, 8º na parada 5FM da África do Sul e 10º na Áustria. Esse single foi certificado nos EUA pela RIAA com Disco de Ouro, devido a mais de meio milhão de cópias vendidos,[42] no Brasil pela ABPD premiando com Disco de Platina pelos mais de 100 mil downloads pagos,[37] e Disco de Platina na Austrália pela ARIA.[43][44][45]

O quarto single retirado do álbum foi a canção "Hot", que chegou à 2ª posição na África do Sul na parada 5FM, 6ª no Canadá na Canada Airplay BDS, 14ª na ARIA Chart da Austrália, 17ª no Ö3 Austria Top 40 da Áustria, 19ª na Irlanda, 26ª no Germany Top 100 Singles, 30ª no UK Singles Chart e na Nova Zelândia, 40ª no Rússia Airplay Detection Top Hit 100 da Rússia, 61ª na Swiss Music Charts da Suíça e 95ª na Billboard Hot 100 nos EUA. Ganhou uma certificação de Disco de Ouro na Austrália pela ARIA com mais de 35 mil singles comercializados.[43][46]

O single "The Best Damn Thing" foi o último lançamento em CD single, alcançou as paradas do Canada Airplay BDS na posição 94ª, na Alemanha no Germany Top 100 Singles na posição 94ª e na Áustria alcançando a 51ª no Ö3 Austria Top 40. No Brasil embora não tenha chegado às paradas musicais, é o único país que deu ao single uma certificação, que foi de Disco de Platina, devido a mais de 100 mil downloads pagos no país, segundo a ABPD.[37]

Lista de faixas[editar | editar código-fonte]

O álbum contém 12 faixas inéditas, todas compostas por Avril Lavigne junto com outros escritores como Lukasz Gottwald, Butch Walker e Evan Taubenfeld.[47] A RCA lançou The Best Damn Thing em edição japonesa, contendo duas faixas bônus.[48]

The Best Damn Thing (edição padrão)
N.º Título Compositor(es) Produtor(es) Duração
1. "Girlfriend"   Avril Lavigne, Lukasz Gottwald Dr. Luke, Matt Beckley[A], Steven Wolf[A] 3:37
2. "I Can Do Better"   Lavigne, Gottwald Luke, Beckley[A], Wolf[A] 3:17
3. "Runaway"   Lavigne, Gottwald, Kara DioGuardi Luke, Beckley[A], Wolf[A] 3:48
4. "The Best Damn Thing"   Lavigne, Butch Walker Walker 3:10
5. "When You're Gone"   Lavigne, Walker Walker 4:00
6. "Everything Back But You"   Lavigne, Walker Walker 3:03
7. "Hot"   Avril Lavigne, Evan Taubenfeld Luke, Beckley[A], Wolf[A] 3:23
8. "Innocence"   Lavigne, Taubenfeld Rob Cavallo 3:53
9. "I Don't Have To Try"   Avril Lavigne, Gottwald Luke, Beckley[A], Wolf[A] 3:17
10. "One of Those Girls"   Lavigne, Taubenfeld Deryck Whibley 2:55
11. "Contagious"   Lavigne, Matt Brann, Taubenfeld Wkibley 2:11
12. "Keep Holding On"   Lavigne, Gottwald Luke, Beckley[A] 4:02
Duração total:
40:39
The Best Damn Thing (edição japonesa)[48]
N.º Título Compositor(es) Produtor(es) Duração
13. "Alone"   Lavigne, Gottwald, Max Martin Luke, Beckley[A], Wolf[A] 3:13
14. "Girlfriend[nota 3]" (vídeo musical) Lavigne, Gottwald   3:48
Duração total:
47:40

Desempenho nas tabelas musicais[editar | editar código-fonte]

"The Best Damn Thing" vendeu mais de cinco milhões de cópias em todo o mundo,[52] e estreando na primeira posição no Reino Unido, Japão, Canadá, Estados Unidos, Alemanha, Áustria, Itália,[53] 2º lugar na Austrália, Nova Zelândia e na Suíça em 3º na França e em 6º na Suécia. Na Rússia recebeu Disco de Platina Quádruplo, com mais de 80 mil cópias vendidas, sendo o 3º álbum mais comercializado da gravadora Sony BMG no país em 2007.[54][55] O álbum ganhou certificações de Disco de Platina Duplo na Austrália pela ARIA, sendo o 19º disco mais vendido no país em 2007.[56] Na Malásia, "The Best Damn Thing" chegou à 2ª posição dos mais vendidos no país asiático.[57] Na Argentina foi o 19º CD entre os mais comprados no primeiro semestre de 2007.[58] e na mesma posição em todo ano.[59]

No Brasil foi premiado com Disco de Platina devido as 60 mil unidades vendidas, segundo a ABPD[37] também Disco de Platina nos EUA com mais de um milhão em vendas segundo a RIAA[42] no Reino Unido pela British Phonographic Industry[60] e na Europa pelo IFPI Platinum Europe Awards. "The Best Damn Thing" vendeu mais de dois milhões de cópias somente na Ásia.[61] O álbum vendeu mais de 60 mil álbuns na primeira semana no Reino Unido na UK Albums Chart[62] que tirou "Year Zero", da banda Nine Inch Nails, do primeiro lugar no ranking.[63] Nos EUA, segundo a Billboard 200, na primeira semana foram vendidos 296 mil cópias e mais de 122 mil na segunda,[64] e no Japão foi mais de 196.936 mil unidades do CD segundo a SoundScan Japan Weekly Top 20,[65] sendo premiado com Disco de Diamante pela RIAJ, com registros acima de 1 milhão de exemplares vendidos no país.[38] Na França o disco foi o 38º álbum mais vendido em 2007, segundo o SNEP.[66] Em 2008 o disco ficou na 176º posição na parada anual da Billboard 200 nos EUA.[67]

Paradas de vendas[editar | editar código-fonte]

The Best Damn Thing CD/DVD[editar | editar código-fonte]

The Best Damn Thing CD/DVD
Coletânea musical de Avril Lavigne
Lançamento Dezembro de 2007
Gravação 2006 – 2007
Duração 58:05 (CD)
28:27 (DVD)
Formato(s) CD/DVD
Gravadora(s) Sony BMG
Certificação Argentina CAPIF - Ouro[99]
Cronologia de Avril Lavigne
Under My Skin Special Edition
(2005)
Goodbye Lullaby Deluxe Edition
(2011)

The Best Damn Thing CD/DVD é uma coletânea do terceiro CD de Avril Lavigne "The Best Damn Thing".[104] Neste álbum são incluídas as 12 faixas que compõem o disco "The Best Damn Thing" e adicionando outras cinco faixas extras, mais um DVD com oito videoclipes dos singles: "Girlfriend", "When You're Gone", "Hot" e "Girlfriend (Dr. Luke Mix feat. Lil Mama)", ainda inclui quatro vídeos gravados em estúdios.[104] Essa coletânea recebeu uma certificação de Disco de Ouro na Argentina, pelas mais de 20 mil cópias vendidas no país, segundo o CAPIF.[99]

Críticas profissionais
Avaliações da crítica
Fonte Avaliação
Allmusic 4.5 de 5 estrelas.[105]
Starpulse 4 de 5 estrelas.[106]
Artist direct 4.5 de 5 estrelas.[107]

Faixas[editar | editar código-fonte]

The Best Damn Thing (CD)[104]
N.º Título Compositor(es) Produtor(es) Duração
1. "Girlfriend"   Lavigne, Gottwald Luke, Beckley[A], Wolf[A] 3:37
2. "I Can Do Better"   Lavigne, Gottwald Luke, Beckley[A], Wolf[A] 3:17
3. "Runaway"   Lavigne, Gottwald, DioGuardi Luke, Beckley[A], Wolf[A] 3:48
4. "The Best Damn Thing"   Lavigne, Walker Walker 3:10
5. "When You're Gone"   Lavigne, Walker Walker 4:00
6. "Everything Back But You"   Lavigne, Walker Walker 3:03
7. "Hot"   Lavigne, Taubenfeld Luke, Beckley[A], Wolf[A] 3:23
8. "Innocence"   Lavigne, Taubenfeld Cavallo 3:53
9. "I Don't Have To Try"   Lavigne, Gottwald Luke, Beckley[A], Wolf[A] 3:17
10. "One of Those Girls"   Lavigne, Taubenfeld Whibley 2:55
11. "Contagious"   Lavigne, Brann, Taubenfeld Whibley 2:11
12. "Keep Holding On"   Lavigne, Gottwald   4:02
13. "Alone"   Lavigne, Gottwald, Martin Luke, Beckley[A], Wolf[A] 3:13
14. "I Will Be"   Lavigne, Gottwald, Martin Luke, Beckley[A], Wolf[A] 4:00
15. "I Can Do Better" (acústico) Lavigne, Gottwald Luke, Beckley[A], Wolf[A] 3:39
16. "Girlfriend" ("Dr. Luke Remix") (com Lil Mama) Lavigne, Gottwald, Kirkland Luke 3:24
17. "Girlfriend" (The Submarines' Time Warp '66 Mix) Lavigne, Gottwald Luke, Submarines[B] 3:10
Duração total:
58:05
The Best Damn Thing (DVD)[104]
N.º Título Compositor(es) Diretor(es) Duração
1. "Everything Back But You" (ao vivo no Orange Lounge) Lavigne, Walker   3:01
2. "Girlfriend" (ao vivo no Orange Lounge) Lavigne, Gottwald   3:39
3. "Hot" (ao vivo no Orange Lounge) Lavigne, Taubenfeld   3:20
4. "When You're Gone" (ao vivo no Orange Lounge) Lavigne, Walker   3:53
5. "Girlfriend" (vídeo musical) Lavigne, Gottwald Malloys 3:48
6. "When You're Gone" (vídeo musical) Lavigne, Walker Klasfeld 4:00
7. "Hot" (vídeo musical) Lavigne, Taubenfeld Rolston 3:22
8. "Girlfriend" (vídeo musical da versão "Dr. Luke Remix" com Lil Mama) Lavigne, Gottwald, Kirkland Jones 3:24
Duração total:
28:27

Histórico de lançamento[editar | editar código-fonte]

País Data Formato Gravadora
Mundo[51] 11 de abril de 2007 CD, download digital Sony BMG
 Itália[108]
 Alemanha[49] 13 de abril de 2007
 Canadá[109] 17 de abril de 2007
 Estados Unidos[110] RCA

Créditos[editar | editar código-fonte]

Aqui são listados todos os sessenta profissionais que trabalharam no terceiro álbum de estúdio de Avril Lavigne, entre elas as funções de baterista, guitarrista, baixista, percussionista, tecladista, violinista, mistura, equipe de produção, design, fotgrafia, arranjos, A&R, dentre outros.[111][112]

  • Lukasz "Doctor Luke" Gottwald - Baixo, Guitarra, Produção, Programação
  • Butch Walker - Baixo, Guitarra, Teclado, Vocal de Apoio, Produção, Percussão, Programação
  • Rob Cavallo - Produção
  • James Ingram - Auxiliar
  • Stephen Marcussen - Masterização
  • Rob Mathes - Arranjos
  • Doug McKean - Engenheiro
  • Jamie Muhoberac - Piano, Teclado
  • Leon Pendarvis - Arranjos
  • Tim Pierce - Guitarra
  • Tim Roberts - Auxiliar
  • Serban Ghenea - Mixagem
  • Steve Jocz - Bateria
  • Suzie Katayama - A&R
  • John Rummen - Direção
  • Paul David Hager - Engenheiro
  • Greg Suran - Guitarra
  • Mike Fasano - Bateria
  • Scott Gutierrez - Auxiliar
  • Sonia d'Aloisio - Design
  • Chris Chaney - Baixo
  • Travis Barker - Bateria
  • Karl Egsieker - Engenheiro
  • Cheryl Jenets - Coordenação
  • Abe Laboriel Jr. - Bateria
  • Josh Wilbur - Engenheiro
  • Scott E. Moore - Auxiliar
  • John Hanes - Editor
  • Deryck Whibley - Baixo, Produção, Fotógrafo, Mixagem, Guitarra
  • Keith Armstrong - Auxiliar
  • Steven Wolf - Bateria, Coodernação
  • Michael Caffery - Engenheiro
  • Chris Holmes - Engenheiro
  • Rouble Kapoor - Engenheiro
  • Seth Waldmann - Engenheiro
  • Becky Scott - Produção
  • Mark Liddell - Fotógrafo
  • Keith Gretlein - Engenheiro
  • Matt Beckley - Engenheiro
  • Nik Karpen - Auxiliar
  • Tom Syrowski - Engenheiro
  • Chris Soper - Engenheiro
  • David Campbell - Arranjos
  • Aniela Gottwald - Auxiliar
  • Wesley Seidman - Engenheiro
  • Tatiana Gottwald - Auxiliar
  • Dan Chase - Teclado, Programação
  • Robb Dipple - Design
  • Chris Lord-Alge - Mixagem
  • Tom Lord-Alge - Mixagem
  • Ken Allardyce - Engenheiro
  • Kenny Aronoff - Bateria
  • Paul Bushnell - Baixo
  • Larry Corbett - Violoncelo
  • Joel Derouin - Maestro
  • Josh Freese - Bateria
  • Brian Gardner - Masterização
  • Isobel Griffiths - A&R

Notas

  1. Em português: Onde estão as esperanças / Onde estão os sonhos / Onde estão as histórias da Cinderela?
  2. Em português: Eu sou a única que usa calcinha
  3. Os diretores do vídeo musical de "Girlfriend" foram os The Malloys, que já trabalharam com Avril no vídeo da música "Complicated".

Referências

  1. «Full Length Release: The Best Damn Thing». Avrillavigne (em inglês). 2007. Consultado em 21 de agosto de 2009 
  2. Kaufman, Gil (27 de julho de 2006). «Butch Walker Works With Avril, Hot Hot Heat, Says Solo LP Won't Be 'Emo-Tastic'». MTV (em inglês). Consultado em 21 de agosto de 2009 
  3. a b Montgomery, James. «Avril Lavigne, Deryck Whibley Dish Details On 'Fun, Young, Bratty' LP» (jhtml). MTV (em inglês). MTV Networks. Consultado em 23 de janeiro de 2010 
  4. a b «Avril Lavigne "The Best Damn Thing" : annoncé par l'irrésistible "Girlfriend"» (php). musiqueradio (em francês). 1 de janeiro de 2007. Consultado em 1 de maio de 2010 
  5. Vineyard, Jennifer; Simi Nahil (28 de janeiro de 2007). «Don't Know How To Spell 'Avril Lavigne'? Prepare To Be Scolded» (jhtml). MTV. MTV Networks. Consultado em 23 de janeiro de 2010 
  6. Stella, Bruna Stella (12 de abril de 2007). «Avril Lavigne divulga capa do novo CD». obaoba. Consultado em 15 de julho de 2010 
  7. Lamb, Bill. «Avril Lavigne - Keep Holding On» (htm). top40.about (em inglês). Consultado em 23 de janeiro de 2010 
  8. «Juno Award 2008» (em inglês). Consultado em 26 de setembro de 2011 
  9. a b «MTV Europe Music Awards» (em inglês). Consultado em 30 de agosto de 2009 
  10. «MTV Japan Announce Nominnes for MTV Video Music Awards Japan 2008» (PDF) (em inglês). Consultado em 26 de setembro de 2011 
  11. «Golden Disc Awards». RIAJ (em japonês). Consultado em 30 de agosto de 2009 
  12. «Golden Disc Awards IFPI Hong Kong Group». IFPI Hong Kong (em chinês). Consultado em 30 de agosto de 2009 
  13. «MTV Video Music Awards Latin America Rock!». GossipCenter (em inglês). Consultado em 30 de agosto de 2009 
  14. «MTV Video Music Awards Japan» (em inglês). Consultado em 30 de agosto de 2009 
  15. «MTV Asia Awards 2008». Starmometer. Consultado em 26 de setembro de 2011 
  16. «Céline Dion Garners Six JUNO Award Nominations - Avril Lavigne, Feist and Michael Bublé Follow Closely with Five Nods Each» (html). newswire (em inglês). 2008. Consultado em 15 de janeiro de 2010 
  17. «Much Music 2008 nominees». MuchMusic Video Award (em inglês). Consultado em 2 de novembro de 2009 
  18. «Much Music 2007». MuchMusic Video Award (em inglês). Consultado em 30 de agosto de 2009 
  19. a b c d «The Best Damn Thing - Avril Lavigne». metacritic.com (em inglês). Consultado em 21 de setembro de 2011. Cópia arquivada em 2011 
  20. Liss, Sarah. «AVRIL LAVIGNE». nowtoronto.com (em inglês). Consultado em 21 de setembro de 2011. Cópia arquivada em 2011 
  21. a b Lamb, Bill. «Avril Lavigne - The Best Damn Thing». top40.about.com (em inglês). Consultado em 21 de setembro de 2011. Cópia arquivada em 2011 
  22. Keane, Mark. «The Best Damn Thing». hotpress.com (em inglês). Consultado em 21 de setembro de 2011. Cópia arquivada em 2011 
  23. de Sylvia, Dave (15 de abril de 2007). «Avril Lavigne The Best Damn Thing» (php). Sputnikmusic (em inglês). Consultado em 30 de novembro de 2009 
  24. «Avril Lavigne "The Best Damn Thing"». ukmix.org (em inglês). Consultado em 21 de setembro de 2011. Cópia arquivada em 2011  |nome1= sem |sobrenome1= em Authors list (ajuda)
  25. Perpetua, Matthew. «The Best Damn Thing Review». artistdirect.com (em inglês). Consultado em 21 de setembro de 2011. Cópia arquivada em 2011 
  26. Thomas Erlewine, Stephen. «The Best Damn Thing Review». Allmusic (em inglês). Consultado em 13 de agosto de 2009 
  27. a b «Review». blender. EUA  Parâmetro desconhecido |accessadoem= ignorado (ajuda)
  28. «Avril Lavigne Fotos». Estadão. Consultado em 15 de junho de 2009 
  29. «Avril Including China On Asian Tour». Billboard (em inglês). Consultado em 24 de maio de 2009 
  30. «Avril Lavigne Is Tickled Pink About Her Best Damn Tour ... Check Out Dates Here!» (em inglês). Consultado em 24 de maio de 2008 
  31. «Setlist do The Best Damn Tour» (em inglês). Consultado em 24 de maio de 2008. Cópia arquivada em 8 de abril de 2008 
  32. «Live Shows & Theatre». MSA (em inglês). Consultado em 7 de julho de 2009 
  33. «Audio Certifications». CRIA (em inglês). 2007. Consultado em 21 de agosto de 2009 
  34. «Avril Lavigne Certificacion» (em inglês). Consultado em 21 de agosto de 2009 
  35. «GLEE" RULES THE ITUNES CHARTS WITH ASTOUNDING 1.1 MILLION DOWNLOADS». The Futon Critic (em inglês). 6 de agosto de 2009. Consultado em 7 de outubro de 2009 
  36. Stack, Tim (9 de outubro de 2009). «'Glee' Exclusive: Watch the cast cover Avril Lavigne's 'Keep Holding On'». Entertainment Weekly (em inglês). Consultado em 10 de outubro de 2009 
  37. a b c d e «Avril Lavigne Certificados». ABPD. 2009. Consultado em 22 de agosto de 2009 
  38. a b «Digital Music Delivery» (PDF). RIAJ (em inglês). Consultado em 2 de agosto de 2009 
  39. «IFPI Austria» (em alemão). IFPIAustria.com. Consultado em 21 de fevereiro de 2009 
  40. a b «GOLD AND PLATINUM CERTIFICATIONS - SINGLES - 2007». Ultratop (em inglês). 2007. Consultado em 21 de setembro de 2009 
  41. «Nielsen Music 2007 Year End Music Industry Report For Canada». Reutres (em inglês). Thomson Reuters. 4 de janeiro de 2008. Consultado em 17 de outubro de 2009 
  42. a b c «Avril Lavigne Certificação» (em inglês). Consultado em 21 de agosto de 2009 
  43. a b c «Mariah Chart». Consultado em 30 de julho de 2009 
  44. «Accreditations 2008 Singles». ARIA (em inglês). Consultado em 21 de agosto de 2009 
  45. «Avril Lavigne - When You're Gone». Consultado em 22 de agosto de 2009 
  46. «Accreditations». ARIA (em inglês). Consultado em 22 de agosto de 2009 
  47. «The Best Damn Thing by Avril Lavigne» (em inglês). iTunes. Consultado em 21 de setembro de 2011 
  48. a b «The Best Damn Thing Japan Bonus Track». Allmusic (em inglês). Consultado em 31 de agosto de 2009  |coautores= requer |autor= (ajuda)
  49. a b «The Best Damn Thing: Amazon.de: Musik». Amazon.de. Consultado em 30 de dezembro de 2009 
  50. «iTunes – Music – The Best Damn Thing by Avril Lavigne». Apple. iTunes. 13 de julho de 2007. Consultado em 3 de janeiro de 2011 
  51. a b c «The Best Damn Thing [Bonus Track] [Bonus DVD] – Avril Lavigne: Release Information, Reviews and Credits]». Allmusic. Allmusic. 18 de dezembro de 2007. Consultado em 25 de outubro de 2011 
  52. «worldwidealbums». WW (em inglês). Consultado em 21 de agosto de 2009 
  53. «AVRIL LAVIGNE - THE BEST DAMN THING (ALBUM)» (asp). italiancharts (em inglês). Hung Medien. Consultado em 10 de novembro de 2009 
  54. a b «International 2007». 2m (em russo). Consultado em 22 de agosto de 2009. Cópia arquivada em 2009 
  55. a b «CD Кириллика» (php). 2m (em russo). 2007. Consultado em 29 de dezembro de 2009. Cópia arquivada em 2009 
  56. «ARIA Charts - End Of Year Charts - Top 100 Albums 2007» (htm). ARIA (em inglês). 2007. Consultado em 7 de dezembro de 2009 
  57. «International Chart» (php). rim. IFPI. 2007. Consultado em 11 de dezembro de 2009 
  58. Dompé, Agustina (2007). «Mercado discográfico argentino 2007» (htm). Capif (em espanhol). Consultado em 12 de novembro de 2009 
  59. a b Dompé, Agustina (2007). «Mercado discográfico argentino 2007» (htm). Capif (em espanhol). Consultado em 12 de novembro de 2009 
  60. a b «Charts Plus 2007» (PDF). UK Chart (em inglês). 2007. Consultado em 6 de setembro de 2009 
  61. Redação Terra (3 de maio de 2007). «Avril Lavigne é premiada na China e canta em mandarim». Terra. Consultado em 22 de agosto de 2009 
  62. «Avril Lavigne - The Best Damn Thing». The Official Chart (em inglês). Consultado em 22 de agosto de 2009 
  63. «Disco de Avril Lavigne bate Nine Inch Nails no ranking bri­tânico». Folha Online. UOL. Consultado em 19 de setembro de 2009  soft hyphen character character in |titulo= at position 59 (ajuda)
  64. Sisario, Ben; Gelder, Lawrence Van (3 de maio de 2007). «Arts, Briefly; Lavigne Holds at No. 1». The New York Times (em inglês). Consultado em 22 de agosto de 2009 
  65. «Semana TOP20 software CD». Phileweb (em japonês). Nielsen SoundScan. Consultado em 5 de outubro de 2009 
  66. a b «Classement des 200 premiers Albums par IFOP» (pdf). disqueenfrance (em francês). 2007. Consultado em 10 de novembro de 2009 
  67. «Billboard Top 200 Albums of 2008». Newmusicreviews (em inglês). 15 de dezembro de 2008. Consultado em 29 de dezembro de 2009 
  68. a b c d e f g h i j k l m n o p q r s t «Avril Lavigne - The Best Damn Thing». acharts.us (em inglês). Consultado em 19 de dezembro de 2009 
  69. a b «Top 50 Ξένων Aλμπουμ». ifpi.gr (em grego). Consultado em 22 de julho de 2010 
  70. «ベスト・ダム・シング/アヴリル・ラヴィーン». Oricon (em japonês). Consultado em 5 de outubro de 2009 
  71. Fimi.it FIMI
  72. «Wester Chart 2007-04-17» (aspx). g-music (em mandarim). 17 de abril de 2007. Consultado em 9 de julho de 2010 
  73. «The Best Damn Thing - Avril Lavigne». Billboard (em inglês). Nielsen Business Media, Inc. 21 de agosto de 2009. Consultado em 11 de outubro de 2009 
  74. Polish "OLIS" Albums Chart
  75. «Avril Lavigne». hdu-toplista (em croata). Consultado em 17 de junho de 2010 
  76. a b «Top 50 Global Best Selling Albums for 2007(physical and digital album formats included)» (PDF). IFPI (em inglês). 2007. Consultado em 23 de agosto de 2009 
  77. «ARIA Charts - End Of Year Charts - Top 100 Albums 2007» (html). ARIA (em inglês). Consultado em 22 de julho de 2010 
  78. «ANNUAL CHARTS 2007». ultratop (em inglês). Consultado em 22 de julho de 2010 
  79. «ANNUAL CHARTS 2007». ultratop (em inglês). Consultado em 22 de julho de 2010 
  80. «ANNUAL TOP 50 ALBUMS CHART 2007» (asp). rianz (em inglês). Consultado em 22 de julho de 2010 
  81. «Los Mas Vendidos 2007» (pdf). amprofon (em espanhol). 2007. Consultado em 12 de agosto de 2010 
  82. «IFPI Recording Industry In Numbers 2009» (PDF). IFPI (em inglês). 2009. Consultado em 22 de agosto de 2009 
  83. Saullo, Armando (18 de dezembro de 2008). «Cantora vendeu mais de 125 mil cópias no país» (aspx). 89FM. Consultado em 8 de março de 2010 
  84. Gary Trust (6 de setembro de 2015). «"Ask Billboard: Avril Lavigne's Best-Selling Songs & Albums"» (em inglês). Billboard. Consultado em 6 de setembro de 2015 
  85. «ゴールド等認定作品一覧 2008年1月» (em japonês). Consultado em 5 de agosto de 2009 
  86. «IFPI Platinum Europe Awards - 2007». IFPI (em inglês). 2007. Consultado em 23 de agosto de 2009 
  87. «Audio Certifications» (php). CRIA (em inglês). 26 de setembro de 2011. Consultado em 1 de janeiro de 2010 
  88. Solters, Larry; Anna Loynes (4 de janeiro de 2008). «Nielsen Music 2007 Year End Music Industry Report For Canada». Reuters (em inglês). Consultado em 6 de setembro de 2009 
  89. «ARIA Charts - Accreditations - 2007 Albums». ARIA (em inglês). 2007. Consultado em 22 de agosto de 2009 
  90. «Gold-/Platin-Datenbank». Musickindustrie (em alemão). Consultado em 14 de agosto de 2009 
  91. «Certificaciones Encontradas». AMPROFON (em espanhol). Consultado em 22 de agosto de 2009 
  92. «Gold certification awards». ZPAV (em polanês). Consultado em 23 de agosto de 2009 
  93. «Certifications Albums Or - année 2007». SNEP (em francês). Consultado em 22 de agosto de 2009 
  94. «Les Certifications :». infodisc (em francês). Consultado em 29 de agosto de 2010 
  95. «AWARDS 2007». Swiss Charts (em inglês). Consultado em 22 de agosto de 2009 
  96. «Irish Recorded Music Association». Irish Recorded Music Association (em inglês). Consultado em 11 de agosto de 2009 
  97. «MUSIC INDUSTRY NEWS : Rico B bumps into his past». Inquirer Entertainment (em inglês). 9 de julho de 2009. Consultado em 22 de agosto de 2009 
  98. «Gold & Platin». IFPI Áustria (em alemão). Consultado em 22 de agosto de 2009 
  99. a b c «Discos de Oro y Platino». CAPIF (em espanhol). Consultado em 22 de agosto de 2009 
  100. «GALARDÕES 2007». AFP. 2007. Consultado em 23 de agosto de 2009 
  101. «香港唱片銷量大2007» (php). ifpihk (em inglês). 2007. Consultado em 1 de janeiro de 2010 
  102. «Top 40 singles». RIANZ (em inglês). Consultado em 22 de agosto de 2009 
  103. «Összesített album- és válogatáslemez-lista - eladási darabszám alapján 2007». Mahasz (em húngaro). 2007. Consultado em 1 de janeiro de 2010 
  104. a b c d «The Best Damn Thing (Bonus Track) (Bonus DVD)». Allmusic. 2007. Consultado em 26 de setembro de 2009 
  105. «The Best Damn Thing CD/DVD». Allmusic (em inglês). Consultado em 31 de agosto de 2009  |coautores= requer |autor= (ajuda)
  106. «Avril Lavigne The Best Damn Thing». Starpulse (em inglês). 2007. Consultado em 30 de novembro de 2009 
  107. «The Best Damn Thing (CD/DVD)» (html). artistdirect (em inglês). Consultado em 2 de novembro de 2009 
  108. «The Best Damn Thing: Avril Lavigne: Amazon.it: Musica». Amazon.com. Amazon.it. 9 de setembro de 2009. Consultado em 13 de janeiro de 2010 
  109. «The Best Damn Thing: Avril Lavigne: Amazon.ca: Music». Amazon.com. Amazon.ca. 3 de setembro de 2008. Consultado em 13 de janeiro de 2011 
  110. «The Best Damn Thing: Music». Amazon.com. Amazon.com. 19 de julho de 2010. Consultado em 4 de setembro de 2010 
  111. «The Best Damn Thing Credits» (amg). Allmusic (em inglês). Rovi Corporation. Consultado em 4 de novembro de 2009 
  112. (2007) Créditos do álbum The Best Damn Thing por Avril Lavigne. RCA/Sony BMG.
Ícone de esboço Este artigo sobre um álbum de Avril Lavigne é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.