The Collector (filme de 1965)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
The Collector
No Brasil O Colecionador
Reino Unido, Estados Unidos
119 min 
Direção William Wyler
Produção Jud Kinberg
John Kohn
Elenco Terence Stamp
Samantha Eggar
Mona Washbourne
Música Maurice Jarre
Cinematografia Robert Surtees
Robert Krasker
Edição David Hawkins
Robert Swink
Distribuição Columbia Pictures
Lançamento 17 de junho (EUA)
Idioma inglês
Cronologia
The Children's Hour (1963)
How to Steal a Million (1966)
Página no IMDb (em inglês)

The Collector (bra: O Colecionador[1]) é um filme de suspense anglo-americano de 1965, dirigido por William Wyler e estrelado por Terence Stamp e Samantha Eggar. Seu enredo envolve um jovem inglês que persegue uma bela estudante de arte antes de sequestrá-la e mantê-la em cativeiro no porão de sua fazenda rural. É baseado no romance homônimo de 1963 de John Fowles, com o roteiro adaptado por Stanley Mann e John Kohn.[1]

The Collector estreou no Festival de Cinema de Cannes em maio de 1965, onde Stamp e Eggar ganharam os prêmios de Melhor Ator e Melhor Atriz, respectivamente.[1] Depois do seu lançamento em junho de 1965, o filme recebeu críticas amplamente favoráveis. Eggar ganhou um Globo de Ouro de melhor atriz em filme dramático por seu desempenho, e também foi indicada ao Oscar de Melhor Atriz Coadjuvante, enquanto Wyler recebeu uma indicação para Melhor Diretor.[carece de fontes?]

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Frederick Clegg é um homem tímido que trabalha como balconista em uma prefeitura. Os amigos o ridicularizam, principalmente pelo seu hábito de colecionar borboletas. Quando o destino resolve torná-lo ganhador da loteria, ele passa a planejar o sequestro da jovem Miranda, uma bela estudante de arte.

Ele estuda todos os lugares por onde ela passa e então prepara uma armadilha. Usando clorofórmio, ele a sequestra e mantém prisioneira em um grande casarão, comprado com sua nova fortuna. A partir daí, há um duelo psicológico entre prisioneira e carcereiro. Miranda é dominadora em tudo na relação com Freddie, excetuando-se o fato de estar como sua prisioneira.

Sem saída, Miranda finalmente resolve se entregar ao amor de Freddie, mas, para seu desespero, ele a repele sob a alegação de que seu amor não é carnal.[carece de fontes?]

Elenco[editar | editar código-fonte]

Principais prêmios e indicações[editar | editar código-fonte]

Samantha Eggar ganhou o Globo de Ouro de 1966 na categoria de melhor atriz dramática.

Referências

  1. a b c Luiz Carlos Merten (21 de abril de 2014). «Clássico de William Wyler tem versão restaurada em DVD». O Estado de S. Paulo