The Course of Nature

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
"The Course of Nature"
Capa do Single, distribuído virtualmente.
Single de Angra
do álbum Aurora Consurgens
Lançamento 22 de Setembro de 2006[1]
Formato(s) Single digital gratuito
Gravação 2006
Gênero(s) Progressive power metal
Duração 4:30
Gravadora(s) Paradoxx music
Composição Angra
Letrista(s) Edu Falaschi
Kiko Loureiro
Produção Angra
Dennis Ward
Informações sobre o vídeo musical
Gravação Casarão da Avenida Paulista - São Paulo
2006
Lançamento 2006
Director(es) Dennis Ward
Duração 3:42
Cronologia de singles de Angra
"Wishing Well"
(2004)
"Arising Thunder"
(2010)

The Course of Nature é o single do álbum de estúdio Aurora Consurgens da banda de progressive power metal Angra. A música foi lançada em single virtual e videoclipe em agosto de 2006.[2]

Este foi o primeiro single da banda a ser lançado como single virtual. Os fãs podem baixar as faixas e a capa do single pelo site, e montar seu próprio disco.[2][3] O disco possui apenas um formato físico: lançado apenas na Alemanha pela SPV Records. Também existem vários tipos que foram comercializados sem autorização da gravadora e banda. Esses são considerados extra-oficiais e não tem fins lucrativos à banda e nem tem a autorização de venda da banda e/ou gravadora.

No mesmo dia em que o single foi distribuído, o álbum Aurora Consurgens infelizmente vazou na internet, com exceção da faixa 10 "Abandoned Fate".[3]

The Course of Nature é considerado pela própria banda a música mais pesada da história do Angra.[4]

Estilo musical[editar | editar código-fonte]

O Estilo musical de Angra no single "The Course of Nature" foi grande motivo de comentários pelos fãs e a crítica revisora em geral. Apresentava uma sonoridade tanto instrumental quanto vocal diferente do álbum conceptual anterior: Temple of Shadows, juntamente com os álbuns anteriores. The Course of Nature apresenta um Angra mais pesado, direto e "cru", usando largamente acordes pesados, riffs de thrash metal[5] e um refrão melódico "poderoso",[6] com o vocal de Edu Falaschi mais grave e característico, fugindo de vez da era André Matos, marcada por vocais agudos e gritos (como ainda pode ser observado no Temple of Shadows).

The Course of Nature mostra-se como uma revolução no estilo de Angra, com um gênero mais pesado, fugindo da melodicidade do predecessor Temple of Shadows e dos álbuns anteriores em todo o Aurora Consurgens.[4]

Intro[editar | editar código-fonte]

A Intro de The Course of Nature apresenta um teor experimental e bastante folk, com influências brasileiras,[4] relembrando os tempos noventistas do Angra com o Holy Land. A Intro constitui-se de um solo musical de berimbau, acompanhado logo após de uma introdução poderosa do guitarrista Rafael Bittencourt de notas pesadas, ainda com o berimbau tocando. Logo após Edu começa a cantar a música propriamente dita.[nota 1]

O Aurora Consurgens é o único álbum do Angra na fase de Edu Falaschi que não contém a faixa 1 como intro, pois a intro está fundida à canção propriamente dita, sendo especificamente de 0:00 a 0:44.[nota 2]

Refrão[editar | editar código-fonte]

Pequena demonstração do refrão final de The Course of Nature.

Problemas para escutar este arquivo? Veja a ajuda.

O Refrão de The Course of Nature consiste em um terceto que se repete quatro vezes durante a canção. Considerado como um "refrão melódico poderoso"[6], o refrão de The Course of Nature é o ponto alto da canção, com os vocais graves e ao mesmo tempo melódicos de Edu Falaschi, juntamente com os riffs thrasheados[6] e a perfeita sincronia entre os riffs tocados por Rafael Bittencourt e Kiko Loureiro.[nota 3]

Estrutura musical[editar | editar código-fonte]

A estrutura musical de The Course of Nature é organizada em estrofes em sua grande maioria tercetos e dísticos, além de conter apenas um quarteto, o que torna The Course of Nature uma canção muito peculiar e original em sua estrutura musical (visto que a imensa maioria das músicas atuais tem a estrutura totalmente organizada em quadras).[nota 4] O canto de The Course of Nature lembra geralmente a musicalidade das canções clássicas, como os sonetos que contém metade do seu conteúdo como terceto, que acabou reforçando ainda mais o rótulo do Angra, já varias vezes classificado como metal neoclássico.[7][8]

Letra e temática[editar | editar código-fonte]

A letra e temática de The Course of Nature baseia-se, em geral, na temática do álbum que a contém: Aurora Consurgens, que reflete sobre temas como psicologia, psiquiatria, personalidade, distúrbios, enfim: o lado psicológico do ser humano, assim como o livro escrito por São Tomás de Aquino, em que o álbum é baseado.[4]

Porém The Course of Nature mostra uma letra e temática que foge um pouco ao tema geral do álbum, sem deixar de estar no contexto do mesmo. The Course of Nature reflete sobre o planeta Terra, sobre as diversas "eras" em que o mundo esteve, não as eras humanas, e sim as eras da natureza (daí o título: The Course of Nature - O Curso da Natureza). A canção procura demonstrar o pensamento de como os humanos são insignificantes em relação à imensidão e à força do "Curso da Natureza".[nota 5]

Integrantes[editar | editar código-fonte]

Angra[editar | editar código-fonte]

Músico convidado[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. http://www.metal-archives.com/albums/Angra/The_Course_of_Nature/129902
  2. a b «The Course of Nature - Aurora Consurgens». Roadrunner records. Consultado em 23 de Outubro de 2010 
  3. a b «Angra - Aurora Consurgens». MetalClube. Consultado em 31 de Outubro de 2010 
  4. a b c d «Coquetel de Lançamento do Aurora Consurgens». MetalRevolution. Consultado em 31 de Outubro de 2010 
  5. Gustavo Silva (1 de dezembro de 2006). «Aurora Consurgens - Resenha». Território da Música. Consultado em 18 de junho de 2011 
  6. a b c «The Course of Nature - Angra». ProgArchives. Consultado em 24 de Outubro de 2010 
  7. «Angra - Heavy metal Center». Heavy metal center. Consultado em 31 de Outubro de 2010 
  8. «Angra - Blitz». Blitz. Consultado em 31 de Outubro de 2010 
  9. a b c d e «The Course of Nature - Angra». ProgArchives (em inglês). Consultado em 30 de Outubro de 2010 

Notas

  1. Demonstrado na amostra de som da infobox
  2. Pode ser notado por vários fatores, dentre eles a mudança brusca rítmica, comum nas intros do Angra para a faixa 2, além do fato que o videoclipe oficial só começa aos 0:44 da faixa oficial, ou seja, depois dessa pequena intro.
  3. Demonstrado na amostra sonora do refrão, logo ao lado da seção.
  4. Demonstrado facilmente pela letra da música, disponível aqui
  5. Interpretação básica feita a partir da letra musical.