The Eddy Duchin Story

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde abril de 2018). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
The Eddy Duchin Story
Melodia Fascinante[1] (PRT)
Melodia Imortal[2] (BRA)
 Estados Unidos
1956 •  technicolor •  123 min 
Direção George Sidney
Produção Jerry Wald
Jonie Taps
Roteiro Samuel A. Taylor
Elenco Tyrone Power
Kim Novak
Victoria Shaw
Gênero biografia, drama, romance, musical
Música George Duning
Idioma inglês

The Eddy Duchin Story é um filme de drama biográfico, romântico e musical estadunidense de 1956, dirigido por George Sidney para a Columbia Pictures. O roteiro de Samuel A. Taylor se baseia na vida do pianista e band leader norte-americano Eddy Duchin.

Os números ao piano de Tyrone Power são dubladas pelo pianista Carmen Cavallaro, que recriou o estilo de Duchin para a interpretação.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Sinopse[editar | editar código-fonte]

O recém-formado em farmacologia Eddy Duchin desiste da carreira e viaja de Boston até Nova Iorque durante a década de 1920 procurando por Leo Reisman, líder de orquestra, e de quem recebera o que pensara ser um convite de emprego como pianista. Reisman nega o convite e não lhe dá o emprego mas a rica socialite Marjorie Oelrichs, que contratara a orquestra para uma festa, ouve Duchin ao piano e pede ao maestro um "segundo piano" pois não queria que a música fosse interrompida, dando a chance dele exibir seu talento. Pouco tempo depois, Duchin e Oelrichs iniciam um romance e os dois se casam quando o músico já se tornara um artista famoso. Mas uma doença da mulher interrompe o casamento e Duchin resolve viajar pelo mundo e depois se alistar na Segunda Guerra Mundial. Ao voltar, ele conhece a jovem britânica Chiquita e inicia um novo relacionamento que também acabará interrompido por outro acontecimento infeliz.

Trilha sonora[editar | editar código-fonte]

  • Em 1956 e 1957 respectivamente, dois discos da "trilha sonora" foram gravados. Doze canções do filme foram lançadas no disco The Sound Track Album, The Eddy Duchin Story com Carmen Cavallaro ao piano. A gravação foi feita pela Decca em 1956 (mono) e relançada em estéreo em 1965 (também no México e Canadá).[3] Em 1957, a Capitol Records lançou um LP chamado Selections from The Eddy Duchin Story, com nove das doze gravações do disco original. Acompanhados pela orquestra de Harry Geller, os pianistas George Greeley e Harry Sukman executaram as canções.

Outras gravações[editar | editar código-fonte]

Existe um tributo de Al Lerner chamado A Tribute to Eddy Duchin. Lançado pela Tops Records em 1957, o disco trazia as seguintes faixas:

Prêmios e indicações[editar | editar código-fonte]

O filme foi indicado em quatro categorias do Óscar [4]


Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Monder, Eric (1994). George Sidney:a Bio-Bibliography. [S.l.]: Greenwood Press. ISBN 9780313284571 
Portal A Wikipédia tem os portais:

Referências

  1. Melodia Fascinante (em português) no CineCartaz (Portugal)
  2. Melodia Imortal no CinePlayers (Brasil)
  3. The Eddy Duchin Story on Discogs.com Recuperado em 16 de fevereiro de 2014
  4. «The 29th Academy Awards (1957) Nominees and Winners». oscars.org. Consultado em 21 de agosto de 2011 
Ícone de esboço Este artigo sobre um filme é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.