The End of the World (pintura)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
The End of the World
Autor John Martin
Data 1851–1853
Técnica Óleo sobre tela
Dimensões 197  × 303 
Localização Tate, Londres

The End of the World também conhecida como The Great Day of His Wrath[1] (respectivamente, O Fim do Mundo e O Grande Dia da Sua Ira em tradução literal) é uma pintura a óleo do artista inglês John Martin realizada entre os anos de 1851 e 1853.[2] De acordo com Frances Carey, a pintura mostra a "destruição da Babilônia e do mundo material por cataclismo natural".[3] Esse quadro, segundo Frances Carey, é uma resposta para a emergente cena industrial de Londres como metrópole no começo do século XIX, e o crescimento original da civilização babilônica e sua destruição.[4]. Alguns estudiosos como William Feaver veem a pintura como "o colapso de Edimburgo, na Escócia".[3][5] Já Charles F. Stuckey é cético em relação à ligação com Edimburgo.[6] De acordo com a Tate, o quadro retrata uma passagem do livro bíblico de Apocalipse, capítulo 16.[7]

Leopold Martin, filho de John Martin, disse que seu pai achou inspiração viagem noturna pelo Black Country. Isso levou alguns estudiosos a afirmar que a rápida industrialização da Inglaterra no início do século XIX influenciou Martin.[4][6]

Alguns autores usaram o quadro como capa de seus livros, por exemplo, Mass of the Apocalypse[8] e Studies in the Book of Revelation.[9][10]

Descrição[editar | editar código-fonte]

De acordo com Frances Carey, curador-adjunto do departamento de pinturas e desenhos do Museu Britânico, a pintura mostra a "destruição da Babilônia e do mundo material por cataclismo natural".[3] William Feaver, crítico de arte do The Observer, acredita que esta pintura retrata o colapso do Edimburgo, na Escócia. Calton Hill, Arthur's Seat e o Castelo de Edimburgo, segundo ele, estão caindo juntos sobre o vale entre eles[5] Charles F. Stuckey, professor de Arte, Teoria e Criticismo da Escola do Instituto de Artes de Chicago, se mantém cético sobre tais conexões argumentando que elas não foram corretamente provadas.[6]

Referências

  1. Michael Wheeler, Heaven, Hell, and the Victorians, Cambridge University Press, 1994, p.83
  2. Emil Krén e Daniel Marx. «Great Day of His Wrath». Web Gallery of Art. Consultado em 20/01/2012. 
  3. a b c Frances Carey (1999). The Apocalypse and the Shape of Things to Come University of Toronto Press [S.l.] p. 267. 
  4. a b Frances Carey (1999). The Apocalypse and the Shape of Things to Come University of Toronto Press [S.l.] pp. 264 – 267. 
  5. a b William Feaver (1975). The Art of John Martin Oxford University Press [S.l.] p. 6. 0198173342. 
  6. a b c Stuckey, Charles F.. (dezembro 1976). "Review "The Art of John Martin" by William Feaver". The Art Bulletin 58 (4): 630-632.
  7. Tate. «The Great Day of His Wrath, 1851-3». Consultado em 18/08/2012. 
  8. Peter Dickinson (1989). Mass of the Apocalypse Novello [S.l.] 
  9. Steve Moyise (2001). Studies in the Book of Revelation Continuum International Publishing Group [S.l.] 
  10. «Studies in the book of Revelation - Steve Moyise». Consultado em 20/01/2012.