The Fourth Kind

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
The Fourth Kind
Contatos Imediatos de 4º Grau (PT)
Contatos de 4º Grau (BR)
 Estados Unidos
2009 •  cor •  98 min 
Direção Olatunde Osunsanmi
Produção Paul Brooks
Joe Carnahan
Roteiro Olatunde Osunsanmi
Elenco Milla Jovovich
Elias Koteas
Will Patton
Género terror, suspense
Música Atli Örvarsson
Edição Paul Covington
Distribuição Universal Pictures
Lançamento Brasil 1 de janeiro de 2010
Idioma inglês
Orçamento US$10.000.000
Receita US$46.942.250[1]
Página no IMDb (em inglês)

The Fourth Kind grafado também como The 4th Kind (no Brasil, Contatos de Quarto Grau grafado também como Contatos de 4º Grau e em Portugal, Contatos Imediatos de Quarto Grau) é um filme de terror que estreou nos Estados Unidos no dia 6 de novembro de 2009. O filme foi lançado nos cinemas brasileiros dia 22 de janeiro de 2010. O filme fala sobre abdução alienígena. Seu título vem dos quatro graus de contato com seres de outro mundo, dos quais o último, o quarto, é a abdução.[2]

O filme foi um sucesso moderado de bilheteria, faturando mais de 46 milhões de dólares em todo o mundo.[3]

Sinopse[editar | editar código-fonte]

No início do filme a atriz Milla Jovovich se apresenta dizendo que irá interpretar a dra. Abigail Tyler no filme e adverte que "o que vocês estão prestes a ver é extremamente perturbador".

O filme em forma de documentário baseado em casos reais relata a vida de uma psicóloga chamada Abigail Tyler que após ver seu marido morrer em sua frente enquanto faziam sexo resolve investigar acontecimentos passados que ocorrem na cidade de Nome, Alasca, Estados Unidos. Ela possui três pacientes com histórias em comum: Todos sofrem de insônia, acordam por volta das 3 horas da manhã e observam uma coruja branca em sua janela sorrindo para eles. Um dos pacientes disse não saber como a coruja entrou em sua casa, outro paciente afirma ver a coruja desde criança e outro afirma que aquilo não é uma coruja.[4]

Enredo[editar | editar código-fonte]

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

A universidade de Chapman apresenta uma entrevista com a psicóloga Abigail Tyler (Milla Jovovich/Charlotte Milchard). Ela conta a história de um contato imediato ocorrido em Nome, Alasca em outubro de 2000. Em agosto daquele ano, seu marido Will havia sido misteriosamente assassinado, deixando-a sozinha com seus filhos Ashley (Mia Mckenna-Bruce) e Ronnie (Raphael Coleman).

Ela grava sessões de hipnoterapia com três pacientes, todos vítimas da mesma experiência: toda noite, eles veem uma coruja branca os encarando através de suas janelas. Sob efeito do tratamento, dois deles relatam histórias aterrorizantes de criaturas tentando entrar em suas casas. Tommy Fisher (Corey Johnson), o primeiro a ser hipnotizado, se recusa a admitir o que viu e volta para casa. À noite, Abigail é chamada pela polícia à casa de Tommy, onde ele faz a própria família refém. Ele diz se lembrar de tudo e pergunta o que as palavras "Zimabu Eter" significam. Ignorando os pedidos de Abigail, ele atira em toda a família e em si mesmo.

Abigail suspeita que seus pacientes foram vítimas de abduções. Ela mesma descobre que pode ter sido abduzida após ouvir uma gravação que contém com sua voz, depois uma voz eletrônica distorcida em um idioma desconhecido entrando em sua casa e a atacando. Ela não se lembrava disso. Seu colega de profissão Abel Campos (Elias Koteas) suspeita das afirmações dela. Abigail posteriormente chama Odusami (Hakeem Kae-Kazim), um especialista em línguas antigas, para tentar decifrar a língua falada durante sua suposta abdução. Ele identifica o idioma como sendo sumério.

Outro paciente, Scott (Enzo Cilenti), admite que não havia nenhuma coruja e fala "deles", mas não consegue se lembrar de nada mais, apesar de afirmar saber por que Tommy fez o que fez. Mais tarde, ele insiste que Abigail veio à sua casa para hipnotizá-lo para conseguir algo aterrorizante de sua cabeça. Mas enquanto ele está sob efeito da hipnose, ele começa a pairar acima da cama, enquanto uma voz eletrônica distorcida sai de sua boca e diz a Abigail em sumério para que ela pare imediatamente com seus estudos. Mais tarde, o xerife August (Will Patton) chega e diz a ela que Scott teve três vértebras feridas na experiência e ficou completamente paralisado. Ele tenta prendê-la, mas Abel a defende. O xerife então a coloca em prisão domiciliar.

Um dos sub-xerifes fica para vigiar a casa dela e começa a gravar com a câmera de sua viatura. As imagens mostram um grande objeto negro pairando sobre a casa, e o policial diz que pessoas estão sendo puxadas para fora da residência enquanto o vídeo fica distorcido. Ele chama reforços e outros policiais chegam ao local, encontrando Abigail gritando que Ashley foi levada aos céus. August não acredita nela e a acusa de sumir com a própria filha, tirando Ronnie de sua tutela. Ronnie os acompanha sem oferecer resistência, descrente da teoria de sua mãe.

Abigail se submete à hipnose para tentar contatar os seres e recuperar sua filha. Abel e Odusami gravam a sessão. Já hipnotizada, ela revela ter testemunhado a abdução e também revê cenas de seu próprio rapto, mostrando parte da nave dos abdutores. Eles teriam coletado alguns óvulos dela também. A imagem da câmera se distorce e Abigail implora ao alien para devolver sua filha. A criatura nega e se diz "Deus". Quando o encontro termina, Abel e Odusami acudem Abigail, desacordada, e notam algo fora do campo de visão da câmera. A imagem então se distorce novamente, e a voz diz "Zimabu Eter" . Quando a imagem volta a ficar estável, os três desapareceram.

O filme corta para uma entrevista com Abigail em que ela diz que os três foram abduzidos mas não tinham memórias do acontecimento. O filme volta para o que se seguiu à experiência de Abigail. Ela acorda em um hospital com o pescoço quebrado. August revela a ela que Will na verdade cometeu suicídio; a impressão de Abigail de que ele fora assassinado era uma ilusão. Mais tarde, é revelado que ela ficou paralisada.

De volta à entrevista, o entrevistador pergunta a Abigail como podem acreditar nela se a maior parte do ocorrido foi uma ilusão. Ela então responde às lágrimas que tem de acreditar que Ashley ainda está viva. O entrevistador então encerra o programa enquanto ela chora copiosamente. No epílogo, é afirmado que Abigail foi absolvida de todas as acusações, trocou o Alasca pela Costa Leste e decaiu a tal ponto que está praticamente presa à sua cama e necessitando cuidados constantes. Abel segue como psicólogo e Odusami se torna um professor numa universidade canadense. Ambos, bem como August, se recusam a se envolver com a entrevista. Ronnie ainda culpa a mãe pele sumiço da irmã.

Gtk-paste.svg Aviso: Terminam aqui as revelações sobre o enredo.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Recepção da crítica[editar | editar código-fonte]

The Fourth Kind tem recepção desfavorável por parte da crítica especializada. Com tomatometer de 19% em base de 111 críticas, o Rotten Tomatoes publicou um consenso: “Enquanto ele possui um punhado de choques, The Fourth Kind é piegas e desajeitado e faz com que seus encontros íntimos parecem estranhamente mundana”. Tem 41% de aprovação por parte da audiência, usada para calcular a recepção do público a partir de votos dos usuários do site.[5]

Produção[editar | editar código-fonte]

Este é o primeiro grande filme do escritor e diretor Olatunde Osunsanmi, que é um protegido do diretor de cinema independente Joe Carnahan.[6] O filme é configurado como uma reencenação de um suposto documentário original. O filme também usa a frase: "imagens de arquivo nunca antes vistas estão integradas no filme".[7]

Assim como muitos filmes de Hollywood que têm alguma restrição para filmar em locais onde a história real ocorre, a história de The Fourth Kind se passa em Nome, porém o filme foi filmado na Bulgária. O cenário exuberante das montanhas de Nome no filme tem pouca semelhança com a paisagem real da cidade, que fica situada no meio da tundra na costa do Mar de Bering, Alasca, Estados Unidos.[8]

Marketing viral[editar | editar código-fonte]

Um site falso foi criado como uma revista médica e registrado em 13 de agosto de 2009. A página fornece uma "biografia" da Dr. Abigail Tyler: http://alaskapsychiatryjournal.org/entries/Dr-Abigail-Tyler-Bio.html

Supostas abduções[editar | editar código-fonte]

Segundo os jornais Fairbanks Daily News-Miner e o Alaska Daily News, Nome e outras cidades do Alasca têm sua parcela de desaparecimentos. O FBI declarou enfaticamente que os específicos "desaparecimentos" discutidos no filme foram resultado de uma combinação de bebidas alcoólicas com temperaturas baixas, e não resultado das "sensacionalistas e inverídicas" abduções alienígenas retratadas no filme. O filme afirma que tem havido uma grande quantidade desproporcional de investigações do FBI na cidade de Nome que ainda estão por serem resolvidas - os casos específicos mostrados no filme nada tem a ver com abduções alienígenas - e toda a história em torno da "coruja" foi ideia do roteirista. "Os casos remontam à década de 1960, sendo 10 desde 1990. As vítimas eram em sua maioria homens nativos que tinham viajado para o centro comercial da Península de Seward vindo de pequenas aldeias da região do Estreito de Bering". Em qualquer área remota, onde as temperaturas podem chegar a cinquenta graus abaixo de zero, uma coisa simples, como uma caminhada para obter suprimentos, pode acabar em desastre se a pessoa se perder, se desidratar e começar a ter alucinações.[9]

O filme diz ser baseado em "estudos de casos reais" e em eventos reais - isso já foi mostrado ser uma mentira em outros filmes que se utilizaram a mesma premissa, como The Blair Witch Project ou Cannibal Holocaust. Os personagens retratados no filme são fictícios, como demonstrou um artigo da CNN.[10][11]

Controvérsia e polêmica[editar | editar código-fonte]

Os vídeos e gravações de áudio apresentados como "reais" e usados em The Fourth Kind são muitas vezes denunciados como pseudodocumentários. A versão Blu-Ray do filme inclui cenas extras não incluídas na versão original do filme. Um destes vídeos mostra o documentário de homicídio-suicídio. Com o volume muito alto, uma pessoa fora da câmera pode ser ouvida gritando: "Ação!".

O trailer do filme indica que a história é baseada em "estudos de casos reais", mas não especifica qualquer caso. Como resultado disso, muita especulação surgiu em torno de buscas de provas documentais dos casos reais e se a Dra. Abigail Tyler é uma pessoa real ou uma personagem fictícia usada em uma campanha de marketing viral na internet.[12] A atriz Charlotte Milchard (IMDb: 2598903), creditada como "residente de Nome", tem uma notável semelhança com a suposta Abbey Tyler "real", vista no documentário dentro do filme.

Em 2 de setembro de 2009, um inquérito feito por Izaak "Lord Norman" e pelo Detroit Daily News analisou a validade da premissa do filme e a sua relação com os desaparecimentos reais que ocorreram em torno da cidade de Nome. A investigação não encontrou nenhum evento específico que tivesse ligação com os casos apresentados no filme e também revelou que as mortes não resolvidas em Nome, não compõem a maioria dos desaparecimentos (assim como ocorre em outras áreas remotas).[13]

Em 12 de novembro de 2009, a Universal Pictures fez um acordo de US$ 20.000 com o Alaska Press Club "para resolver reclamações sobre arquivos de notícias falsas usados para promover o filme." A Universal reconheceu que eles criaram artigos falsos de notícias on-line, assim como obituários, para fazer parecer que o filme se baseava em acontecimentos reais.[14] Há rumores de que a agência interativa Earthbound Media Group, localizada em Irvine, Califórnia, foi a responsável por esta estratégia de marketing de guerrilha, juntamente com uma terceira agência contratada pela NBC.

Em 13 de novembro de 2009, o WorstPreviews.com anunciou: "a Universal Pictures acaba de chegar até nós para nos avisar que o estúdio não foi processado e o dinheiro anteriormente anunciado era apenas uma contribuição feita pela Universal para o Alaska Press Club. A contribuição não foi um resultado de qualquer processo legal."[15]

Referências

  1. The Fourth Kind. Box Office Mojo. Retrieved March 30, 2010.
  2. "Contatos de 4º Grau no Terra Network"
  3. «Box Office Mojo: The Fourth Kind». Box Office Mojo. Consultado em 30 de março de 2010 
  4. "Sinopse de Contatos de 4º Grau"
  5. «The Fourth Kind» (em inglês). Rotten Tomatoes. Consultado em 7 de abril de 2014 
  6. «Milla Gets a Thriller». Wired News. 16 de abril de 2008. Consultado em 15 de agosto de 2009 
  7. Tyler, Josh (13 de agosto de 2009). «The Fourth Kind Trailer: A Movie For Believers». Cinema Blend. Consultado em 15 de agosto de 2009 
  8. http://www.imdb.com/title/tt1220198/
  9. http://www.adn.com/213/story/43046.html
  10. http://www.cnn.com/2009/SHOWBIZ/Movies/11/06/fourth.kind.real/index.html
  11. http://alaskacoverage.freehostia.com/stories/nome_psychologists_death_an_apparent_suicide.php
  12. MrDisgusting. "First Two TV Spots From 'The Fourth Kind'". Bloody Disgusting, October 13, 2009. Retrieved March 17, 2010.
  13. Hopkins, Kyle. "Movie blames Nome disappearances on aliens". The Village, Detroit Daily News, September 1, 2009. Retrieved March 17, 2010.
  14. "Studio settlement reported for fake movie news". Breitbart.com. The Associated Press. November 12, 2009. Retrieved March 17, 2010.
  15. WorstPreviews.com Staff. "Update: Universal Pictures Sued for Posting Fake 'Fourth Kind' News Stories". WorstPreviews.com, November 13, 2009. Retrieved March 17, 2010.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um filme é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.