The Kingkiller Chronicle

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
The Kingkiller Chronicle
A Crônica do Regicida (PT)
A Crônica do Matador do Rei (BR)
Autor (es) Patrick Rothfuss
Idioma Inglês
País  Estados Unidos
Género Fantasia, aventura
Editora DAW Books, Editora Sextante, Gailivro.
Lançamento Agosto de 2009

The Kingkiller Chronicle (A Crônica do Regicida (português europeu) ou A Crônica do Matador do Rei (português brasileiro)) é uma trilogia escrita por Patrick Rothfuss que conta a história de 'Kvothe'. Lendário arcanista[necessário esclarecer] e músico famoso, Kvothe conta sua história a um cronista em três dias. A narrativa se desenvolve em dois tempos diferentes: O presente na qual Kvothe conta sua história à Devan Lochees (Conhecido como O Cronista) e o passado de Kvothe (maior parte da narrativa).

Volumes[editar | editar código-fonte]

  1. Primeiro Dia: O Nome do Vento (Agosto de 2009)[1]
  2. Segundo Dia: O Temor do Sábio (lançado em Portugal com o título O Medo do Homem Sábio[2] ) (Março de 2011)[3]
  3. Terceiro Dia: The Doors of Stone[4] (em tradução livre: "As Portas de Pedra" (mas como são citadas durante o livro)); ainda não publicado.

Contos Complementares[editar | editar código-fonte]

  1. The Lightning Tree[5] (em tradução livre: "A Árvore Relâmpago"). É uma história extra sobre Bast, o discípulo de Kvothe. A história tem apenas 21.000 palavras, e foi publicada na antologia Rogues em outubro de 2014.
  2. The Slow Regard of Silent Things[5] . É uma história extra sobre a personagem Auri. A história tem apenas 30.000 palavras, e foi publicada como livro independente em outubro de 2014. No Brasil, foi publicada em Janeiro de 2015 com o nome de A Música do Silêncio
  3. How Old Holly Came To Be[5] . É uma história extra sobre o mundo da série Crônica do Matador do Rei . A história foi publicada na antologia Unfettered, lançada em 21 de junho de 2013.

Estrutura[editar | editar código-fonte]

A série se retrata a biografia do famoso músico, arcanista e aventureiro chamado Kvothe. Após ganhar notoriedade ainda jovem, ele desaparece da vida pública e é eventualmente rastreado até a hospedaria Marco do Percurso por Devan Lochees, que é conhecido como "o Cronista". O Cronista o convence à contar a história de sua vida o que, segundo Kvothe, levará três dias. Entretanto a história de Kvothe é frequentemente interrompida por intervalos ambientados no "dia atual" da história, durante os quais se torna claro que os faerie, conhecidos pelos locais como demônios, estão aparecendo com frequencia incomum. Em contra partida Bast, aprendiz e amigo de Kvothe, influencia o Cronista para que faça com que Kvothe volte a ser o herói de antigamente.

A história possui dois níveis: Kvothe conta a história da sua vida através de narrativa em primeira pessoa, ao mesmo tempo ocorrem eventos no "tempo presente" que indicam que sua história não está completa. Os três livros são apenas divisões na mesma narrativa, nenhum deles ficando isolado na história.

Mundo[editar | editar código-fonte]

Kvothe viaja frequentemente e os livros seguem suas aventuras através de várias regiões. No mapa o mundo é tratado como "Os Quatro Cantos da Civilização" sendo dividido em alguns reinos brevemente citados:

  • Ceald: cuja uma das cidades citadas no livro é Ralien;
  • Republica: não há muitas informações exceto por algumas cidades como Imre, Tarbean, Trebon, Hallowfelle etc...
  • Yll: antigo reino a muito conquistado pelo Império Aturense.
  • Vintas: é um reino rico cuja a capital é Renere. É bastante citado no livro como sendo a terra natal de Ambrose Dazno e do maer Alveron entre outros.
  • Imperio Aturense: foi poderoso e influente até sua queda, que é mais bem citada no 1° livro da serie, sua capital é Atur;
  • Modeg: muito pouco citado, tem em destaque a cidade de Cershaen;
  • Pequenos Reinos: não há nada sobre eles além do nome no mapa.
  • Ademre: País que fica além dos Montes Tempestuosos, lar dos letais e enigmáticos Mercenários Ademrianos.

Tarbean[editar | editar código-fonte]

Tarbean é descrita como a capital da República (um dos quatro reinos) e é informalmente dividida em duas seções: Beira-Mar e Serrania. Beira-Mar é a seção mais pobre da cidade, descrita como sendo casa de mendigos, ladrões e prostitutas. Serrania é a seção mais rica da cidade, onde moram os magistrados, políticos e cortesãs.

Universidade[editar | editar código-fonte]

Local onde são lecionadas diversas matérias comuns como Matemática, Línguas, Medicina, entre outras. Seu diferencial para as universidades que conhecemos do mundo real são as matérias lecionadas aos alunos aceitos no "Arcanum". Estas tem caráter mágico, embora sejam tratadas como ciências pelos professores. Algumas destas matérias são:

  • Siglística: Lecionada pelo mestre Kilvin na oficina conhecida como "Ficiaria" onde os alunos aprendem a utilizar runas para "encantar" objetos. Como ligar duas sinetas para toquem sempre em uníssono, lanternas que retiram energia do calor da mão que as seguram e transformam em luz, aparelhos que defletem flechas e virotes, entre outros;
  • Simpatia: Lecionada pelo mestre Elxa Dal permite que o arcanista conecte objetos ou pessoas que tenham algum tipo de similaridade uma com a outra. Como bonecos de cera com um fio de cabelo ao dono do fio de cabelo fazendo assim com que tudo que aconteça a um reflita no outro, conectar duas moedas semelhantes para que ao erguer uma delas no ar com as mãos a outra flutue aparentemente sozinha. Além de como converter tipos de energia em outros tipos de energia. Luz-calor, calor-luz, por exemplo. Difere da siglística por não utilizar runas, e sim um componente verbal pronunciado pelo arcanista ao conectar os objetos e sua concentração e energia para manter a conexão pelo tempo que desejar ou suportar mantê-la.
  • Nomeação: Lecionada pelo mestre Elodin é uma das artes mais antigas e poderosas ensinadas na Universidade. A nomeação consiste basicamente em despertar o lado adormecido da mente arcanista, para que seja possível entender e interpretar qualquer coisa do mundo e descobrir seus verdadeiros nomes, assim ganhando total controle sobre o possuidor do nome descoberto.

Antigamente a Universidade era considerada o único polo de estudo dos quatro cantos.

Ademre[editar | editar código-fonte]

É o reino onde se encontram os mercenários, que na verdade, são grandes lutadores e guerreiros. Conhecedores da Lethani, filosofia de vida que abrange conduta, valores e disciplina.

The Fae[editar | editar código-fonte]

Área ou mundo dos seres místicos conhecidos como Fae ou encantados.

Simpatias[editar | editar código-fonte]

Simpatias é um tipo de ciência, como a nossa física que se desenvolve pela transferência de energia e a concentração focada na força do pensamento, havendo "escape" (Perda de energia no processo) e dependendo de energias pré existentes, como o calor do próprio corpo, ou um fogo próximo.

Personagens[editar | editar código-fonte]

Personagens principais[editar | editar código-fonte]

Kvothe/Kote: é um jovem que amadureceu sozinho e sofridamente no mundo. Descobriu o sentido da vida, o certo e o errado, sem orientação alguma. Sempre vivenciando tudo, momento a momento, ocasião a ocasião. E, ao mesmo tempo, com um pé no passado, tentando recordar quem era sua família e o que se lembra.

Denna: é uma jovem, linda, cheia de vida e bravura que Kvothe conheceu em uma de suas muitas viagens e tornaram-se amigos. Com algumas curiosidades: suas vidas sempre se cruzam, em diversas situações e ocasiões, de forma esparsa e rápida. Ao mesmo tempo é uma pessoa enigmática, com um passado oculto e o seu presente secreto.

Bast: Aluno de Kvothe nas artes arcanas, depois que este abandonou sua vida de aventuras e vingança. Bast demonstra muita determinação em transformá-lo de volta no que um dia já foi antes de assumir a Marco do Percurso. Chegando extremos de recorrer a manipulação, chantagens e violência para criar situações que despertem seu mestre de sua vida pacata de taverneiro para voltar a ser o herói que um dia já fora.

Referências