The Klingon Dictionary

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
The Klingon Dictionary
Edição da Editora Aleph.
Autor(es) Marc Okrand
Idioma inglês
País Estados Unidos
Assunto Ficção científica
Linguística
Editora Pocket Books
Lançamento 1985 (estendido em 1992)
Páginas 191
ISBN 0-671-74559-X
Edição brasileira
Tradução Eduardo Akira
Revisão Valéria Augusta Grellet Cordeiro[1]
Editora Editora Aleph
Lançamento 1995
Páginas 195
ISBN 85-85887-01-X
Cronologia
The Klingon Way

The Klingon Dictionary (TKD) é um livro escrito por Marc Okrand descrevendo a Língua klingon. Originalmente publicado em 1985 e republicado em 1992 com um adendo, apresenta a pronunciação, gramática e vocabulário. Foram vendidas mais de trezentas mil cópias[2] e traduzido em cinco idiomas.

O livro descreve a gramática com alguns exemplos para cada regra. Não é recomendado para aprendizado ou prática ativa do idioma, pois não contém exercícios. Nunca teve o objetivo de ser um livro de estudo pois sua fonte era esperada servir como um guia para roteiristas e atores. Só mais tarde foi vendido como mercadoria para fãs de Star Trek.[3]

Sumário[editar | editar código-fonte]

O dicionário é escrito numa perspectiva dentro do universo. Depois de uma curta introdução sobre a cultura Klingon e como o livro foi escrito, é descrito a pronunciação das letras do Klingon. Em vez de usar símbolos fonéticos, são usadas as letras do Alfabeto latino, algumas escritas em caixa alta para distinguir pronunciações especiais. Por exemplo, q e Q são sons diferentes e a combinação ng é considerada uma letra única. A maior parte do livro é a descrição da gramática, incluindo regras brevemente descritas classificadas por tipo de palavras, acompanhada por alguns exemplos para cada tópico gramatical. A última parte do livro contém uma lista de vocabulários com cerca de 1,500 palavras, seguida por uma lista de frases úteis. O adendo de 1992 contém alguns novos detalhes gramaticais e uma lista de cerca de 200 novas palavras que apareceram/foram criadas nos filmes posteriores e na série Star Trek: The Next Generation.

Edições digitais[editar | editar código-fonte]

Desde 2008 o livro está disponível para leitores de E-book.[4]

Em 2009, a editora Simon & Schuster apresentou um aplicativo para iPhone do The Klingon Dictionary como parte de três aplicativos num Pacote do Idioma Klingon. O novo formato digital apresenta um guia de pronunciação precisa junto regras para uso correto de afixos e sufixos e um menu de pesquisa.

Traduções[editar | editar código-fonte]

O dicionário foi primeiramente traduzido para o Português e publicado no Brasil em 1995 pela Editora Aleph. O título era simplesmente Dicionário da língua klingon.

A tradução seguinte foi para o Alemão em 1996 levando o título de Das offizielle Wörterbuch Klingonisch/Deutsch ("O Dicionário Oficial Klingon-Alemão"). O livro contém muitos erros tipográficos e traduções incorretas, o que pode levar ao erro quando usado para o aprendizado do idioma.[5] Uma versão corrigida, revisada pelo professor de Klingon Lieven Litaer, foi lançada em 2013.

A tradução em Italiano foi publicada em 1998 pela editora Romana Fanucci Editore e chamada de Il dizionario Klingon-Italiano ("O Dicionário Klingon-Italiano").

Em 2008, o dicionário foi traduzido para o Tcheco com o título Klingonský slovník (Dicionário Klingon).

Tem uma tradução Sueca online (1998-2009), Klingonsk ordbok, (com exemplos em Sueco e materiais adicionais de trabalhos canônicos posteriores[6]) encontrada no website do Klingonska Akademien.[7]

Trivialidades[editar | editar código-fonte]

  • No episódio "A Polarização da Pescaria de Sutiã" da segunda temporada de The Big Bang Theory, o dicionário é usado durante um jogo de Boogle Klingon.
  • No episódio sete da décima temporada de The Big Bang Theory, enquanto Sheldon e Amy estão jantando com Leonard e Penny, Sheldon fala em Klingon com Leonard para ocultar o que eles estão conversando na frente das garotas.

Sequências[editar | editar código-fonte]

Novo vocabulário e regras gramaticais publicadas após 1992 podem ser encontradas em dois áudio cursos e em mais dois livros escritos por Marc Okrand e na revista acadêmica HolQeD publicada pelo Instituto da Língua Klingon (1992-2004):

  • Conversational Klingon (1992) - áudio curso
  • Power Klingon (1993) - áudio curso
  • The Klingon Way (1996)[8]
  • Klingon for the Galactic Traveller (1997).[9]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. Internet Archive
  2. Okrent, Arika (2009). In the Land of Invented Languages: Esperanto Rock Stars, Klingon Poets, Loglan Lovers, and the Mad Dreamers Who Tried to Build A Perfect Language. [S.l.]: Spiegel & Grau. p. 272. ISBN 0-385-52788-8 
  3. http://www.angelfire.com/trek/yensw/PDF/thesis.pdf
  4. «The Star Trek: The Klingon Dictionary eBook: Marc Okrand: Amazon.de: Kindle-Shop» (em alemão). Amazon.de. 9 de setembro de 2009. Consultado em 21 de outubro de 2013 
  5. «klingonisch.net - Liste der Fehler im Deutschen Wörterbuch» (em alemão). Qephom.de. 19 de agosto de 2013. Consultado em 21 de outubro de 2013 
  6. "Canonical sources", Klingon Language Institute Wiki
  7. Klingonsk ordbok. Arbetskopia
  8. Krankor, Captain (Junho de 1996). «From the Grammarian's Desk». HolQeD. The Journal of the Klingon Language Institute. 5 (2 (18)): 2–6. ISSN 1061-2327 
  9. Shoulson, Mark (Setembro de 1997). «A Review: Klingon for the Galactic Traveller by Marc Okrand». HolQeD. The Journal of the Klingon Language Institute. 6 (3 (23)): 15–16. ISSN 1061-2327 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]