The Legend of Zelda: Majora's Mask

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
The Legend of Zelda: Majora's Mask
Desenvolvedora(s) Nintendo EAD
Publicadora(s) Nintendo
Diretor(es) Eiji Aonuma
Yoshiaki Koizumi
Produtor(es) Shigeru Miyamoto
Escritor(es) Mitsuhiro Takano
Shigeru Miyamoto
Yoshiaki Koizumi
Compositor(es) Koji Kondo
Toru Minegishi
Artista(s) Yusuke Nakano
Takaya Imamura
Plataforma(s) Nintendo 64
Série The Legend of Zelda
Conversões/
relançamentos
Nintendo GameCube, Wii (Virtual Console)
Data(s) de lançamento
  • JP 27 de abril de 2000
  • AN 24 de outubro de 2000
  • EU 17 de novembro de 2000
Virtual Console
  • JP 7 de abril de 2009
  • AN 18 de maio de 2009
  • EU 3 de abril de 2009
Gênero(s) Ação-aventura
Modos de jogo Um jogador
Classificação Inadequado para menores de 6 anos i ESRB (América do Norte)
Inadequado para menores de 8 anos i OFLCA (Austrália)
Permitido para maiores de 11 anos, especialmente a faixa de 11-14 anos ELSPA (Reino Unido)
Mídia Cartucho de 512 Megabits (64MB)
GameCube Optical Disc
Requisitos mínimos Expansion Pak
Último
The Legend of Zelda: Ocarina of Time
The Legend of Zelda: Oracle of Seasons/Ages
Próximo

The Legend of Zelda: Majora's Mask (ゼルダの伝説: ムジュラの仮面, Zeruda no Densetsu: Mujura [Mujula] no Kamen?) é um jogo eletrônico de ação-aventura desenvolvido e publicado pela Nintendo exclusivamente para o Nintendo 64. É o sexto jogo da série The Legend of Zelda, lançado em 2000. O jogo obteve boa recepção, vendendo mais de 3 milhões de cópias.

Majora's Mask é o sexto jogo da série, e continua a história após o antecessor do N64, The Legend of Zelda: Ocarina of Time. O jogo diferencia-se do resto da série por não se passar em Hyrule e não ser centrado na Triforce e na Princesa Zelda. A história se desenrola em Termina, uma espécie de "mundo paralelo", em que o protagonista Link deve tentar impedir que a lua colida com o planeta, provocando o apocalipse, após ser tirada da sua órbita pelo mascarado Skull Kid.

A jogabilidade transcorre por três dias em que a lua vai desabando, com o uso de viagem no tempo para "reviver" os dias e máscaras de transformação. Majora's Mask é um dos poucos jogos de Nintendo 64 que necessitam do acessório Expansion Pak para funcionar.

Em novembro de 2014, a Nintendo anunciou o relançamento do jogo, chamado de The Legend of Zelda: Majora's Mask 3D (ゼルダの伝説 ムジュラの仮面 3D Hepburn: Zeruda no Densetsu Mujura no Kamen Surīdī) para o console portátil Nintendo 3DS, previsto para a primavera de 2015. Em 13 de Fevereiro de 2015 esse jogo foi lançado junto para Nintendo 3Ds e New Nintendo 3Ds, usando a nova mecânica do C-Stick(apenas no New 3Ds). Nestas plataformas, o jogo, totalmente remasterizado, conta com a experiência 3D oferecida pelos consoles.

História[editar | editar código-fonte]

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

Majora's Mask é ambientado em Termina.[1]

Três meses depois dos acontecimentos de Ocarina of Time, Link parte em busca da fada Navi, que desapareceu no final de Ocarina of Time. Durante o caminho, ele é atacado pelo misterioso Skull Kid, que utilizava a Máscara de Majora e era acompanhado por suas fadas, Tael e Tatl. Skull Kid rouba a Ocarina do Tempo e a égua de Link, Epona. Link o persegue até o buraco de uma árvore e acaba atravessando uma passagem dimensional que o leva para um outro mundo paralelo.

Ao acordar ele encontra Skull Kid numa câmara e é transformado num Deku Scrub (um ser em forma de planta). Skull Kid e Tael fogem, deixando Tatl para trás. Desiludida e sentindo-se traída, a fada resolve se juntar a Link e ajudá-lo em sua jornada para recuperar sua forma original e seus pertences roubados.

Seguindo adiante, Link vai parar dentro da torre do relógio da cidade de Clock Town. Ele encontra um misterioso vendedor de máscaras que lhe pede ajuda para recuperar a Máscara de Majora. Caso a máscara não fosse recuperada, as consequências poderiam ser catastróficas. Link então descobre que com os poderes malignos da máscara, Skull Kid fez sua maior travessura: tirou a lua de sua órbita original. Caso nada seja feito, a lua colidirá com a Terra e o mundo acaba em 72 horas.

Após recuperar sua Ocarina (e sua forma original), Link tem de viajar no tempo por esse período de 3 dias até conseguir habilidades suficientes para enfrentar Skull Kid e a poderosa Máscara de Majora. Para enfrentá-la, ele precisa libertar os quatro espíritos guardiões gigantes, para que possam impedir a queda da lua. Os guardiões estão aprisionados em 4 templos, ao longo das quatro direções de Termina: Norte, Sul, Leste e Oeste. Mais para frente, Link enfrenta os serviçais do demônio da máscara Majora, que estão guardando os espíritos dos 4 gigantes guardiões de Termina.

Então, Link finalmente é desafiado por um desses espíritos detentor da máscara chefe. Link enfrenta o demônio Majora em suas formas: Majora's Mask (Máscara de Majora), Majora's incarnation (Encarnação de Majora) e por fim sua forma final Majora's Wrath (Ira de Majora).

Derrotando Majora, a maldição da máscara desaparece e a lua volta a sua órbita original dando um novo dia de vida a Termina, com Link possivelmente voltando a sua pacífica Hyrule. Especula-se que Mikau, Darmani e o Deku reencarnam no final.

Desenvolvimento[editar | editar código-fonte]

Após o lançamento de Link's Awakening em 1993, os fãs da série esperaram cinco anos para o lançamento de Ocarina of Time, em que o desenvolvimento ativo durou por cerca de quatro anos. Por reutilizar o motor gráfico e os gráficos do Ocarina of Time, uma equipe de desenvolvimento menor requisitou apenas um ano para finalizar com a produção do Majora's Mask.[2] De acordo com o diretor Eiji Aonuma, eles estavam "cara a cara com uma questão muito difícil de criar um título que seria o sucessor de Ocarina of Time, e suas vendas de sete milhões de unidades vendidas", e uma solução, veio com a ideia de criar um sistema de três dias para "criar um jogo compacto, e que continuasse o profundo estilo de gameplay".[3] Shigeru Miyamoto e Yoshiaki Koizumi incorporaram a história que serviu como base para o script escrito por Mitsushiro Takano.[4] [5] [6] A ideia de criar um "sistema de três dias " veio de Miyamoto e Koizumi.[7]

O Majora's Mask apareceu inicialmente na mídia em Maio de 1999, quando a Famitsu informou que um planejamento de longa data para uma expansão do Zelda para 64DD estava sendo desenvolvida no Japão. Esse projeto foi provisoriamente intitulado de "Ura Zelda" ("ura" significa, mais ou menos, "escondido" ou "por trás"). Essa expansão iria alterar o design das fases, semelhantemente a como o Master Quest expandiu bem como desde o jogo original.[8] Em Junho, a Nintendo anunciou que "Zelda: Gaiden", que em tradução adaptada, seria algo como "Zelda: História Secundária", iria estrear como uma demo jogável na exibição Nintendo Space World, em 27 de Agosto de 1999. A mídia pressupôs que Zelda: Gaiden fosse o novo título para o Ura Zelda.

As imagens do Zelda: Gaiden foram lançadas em Agosto de 1999 e mostram elementos inconfundíveis em relação a versão final do Majoras's Mask, como o grande relógio situado no centro da Clock Town, o contador de dias no meio da tela, e a Máscara Goron.[9] [10] Informações sobre a história e elementos de jogabilidade reveladas mais tarde naquele mês já mostravam que os conceitos da história, bem como o uso das máscaras da transformação já eram existentes em tal fase de desenvolvimento.[10] [11]

Naquele mesmo mês, Miyamoto confirmou que Ura Zelda e Zelda: Gaiden eram projetos separados.[12] [13] Isso não ficou claro se Zelda: Gaiden era derivado do Ura Zelda ou se os dois sempre foram projetos separados. Posteriormente, Ura Zelda se tornaria o The Legend of Zelda: Ocarina of Time Master Quest fora do Japão, e seria lançado como um disco bônus para o GameCube para aqueles que compraram na pré-venda o The Legend of Zelda: Wind Waker nos Estados Unidos,[14] jogo este que vinha acompanhado com o console GameCube na Europa.[15]

Em novembro, a Nintendo anunciou por vias da "Holiday 2000" a data de lançamento do Zelda: Gaiden.[16] Em Março de 2000, o título final foi então anunciado: Zelda no Densetsu Mujura no Kamen no Japão e The Legend of Zelda: Majora's Mask em demais localidades.[17]

Referências

  1. «The Great Hyrule Encyclopedia - Termina». zelda.com (em inglês). Nintendo. Arquivado desde o original em 18 de junho de 2013. Consultado em 12 de julho de 2013. 
  2. Yoon, Andrew (October 16, 2013). «Zelda's Eiji Aonuma on annualization, and why the series needs 'a bit more time'». Shacknews. GameFly. Consultado em October 17, 2013. 
  3. Aonuma, Eiji (March 25, 2004). «GDC 2004: The History of Zelda». cube.ign.com. IGN Entertainment, Inc. Consultado em December 3, 2005. 
  4. Leung, Jason (July 7, 2000). «Jason Leung (Author of English Screen Text) Diary Part I». Nintendo of America, Inc. Arquivado desde o original em June 26, 2001. Consultado em June 18, 2010. 
  5. Kohler, Chris (December 4, 2007). «Interview: Super Mario Galaxy Director On Sneaking Stories Past Miyamoto». Wired: GameLife. Condé Nast Digital. Consultado em June 10, 2010. 
  6. «INTERVIEW: Nintendo’s Unsung Star». Edge Magazine. Future Publishing Limited. February 6, 2008. Arquivado desde o original em August 20, 2012. Consultado em April 27, 2014. 
  7. «The Previous Game Felt As Though We'd Given Our All». Iwata Asks: The Legend of Zelda: Spirit Tracks. Nintendo of America, Inc. Consultado em June 27, 2010. «Eiji Aonuma: And we were supposed to make its sequel in a year... At first, we had absolutely no idea what sort of thing we were supposed to make, and we just kept expanding our plans... At that point, the "Three-Day System", the idea of a compact world to be played over and over again, came down from Miyamoto-san and one other director, (Yoshiaki) Koizumi-san. We added that to the mix, and then, finally, we saw the full substance of a The Legend of Zelda game we could make in one year.» 
  8. «Nintendo Sequel Rumblings». ign64.ign.com. IGN Entertainment, Inc. May 11, 1999. Consultado em January 10, 2006. 
  9. «First Screenshots of Zelda Gaiden!». ign64.ign.com. IGN Entertainment, Inc. August 4, 1999. Consultado em January 10, 2006. 
  10. a b «The Legend of Zelda: The Continuing Saga Preview». Game Informer Funco, Inc [S.l.] (79): 42. November 1999. 
  11. «First Zelda Gaiden Details Exposed». ign64.ign.com. IGN Entertainment, Inc. August 19, 1999. Consultado em January 10, 2006. 
  12. «Gaiden and Ura Zelda Split». ign64.ign.com. IGN Entertainment, Inc. August 20, 1999. Consultado em January 10, 2006. 
  13. «An Interview with Shigeru Miyamoto». Game Informer Funco, Inc [S.l.] (79): 26. November 1999. 
  14. «Zelda Bonus Disc Coming to US». cube.ign.com. IGN Entertainment, Inc. December 4, 2002. Consultado em June 4, 2010. 
  15. «Limited Edition Zelda in Europe». cube.ign.com. IGN Entertainment, Inc. April 15, 2003. Consultado em June 4, 2010. 
  16. «Gaiden for Holiday 2000». ign64.ign.com. IGN Entertainment, Inc. November 4, 1999. Consultado em January 10, 2006. 
  17. «Zelda Gets a New Name, Screenshots». ign64.ign.com. IGN Entertainment, Inc. March 6, 2000. Consultado em March 16, 2006. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre jogos eletrônicos é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.