The New Colossus

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
The New Colossus
manuscrito do soneto, guardado na Biblioteca do Congresso dos Estados Unidos.
Criado 1883
Propósito Soneto gravado em uma placa de bronze da Estátua da Liberdade
Autoria Emma Lazarus

The New Colossus (em português: "O Novo Colosso") é um soneto escrito pela poetisa estadunidense Emma Lazarus. Ele foi escrito em 1883 com o propósito de angariar fundos para o pedestal da Estátua da Liberdade.[1][2] O soneto está engravado em uma placa de bronze dentro da estátua.

História[editar | editar código-fonte]

a Estátua da Liberdade.

O poema foi escrito em 1883 para angariar fundos para o pedestal da Estátua da Liberdade, conduzido pela "Art Loan Fund Exhibition in Aid of the Bartholdi Pedestal Fund for the Statue of Liberty".[1] Entretanto, quando a Estátua foi aberta para o público pela primeira vez, em 1886, tanto a autora quanto o soneto estavam ausentes. Mesmo assim, o soneto foi publicado no jornal de Joseph Pulitzer, New York World.[3]

Conteúdo[editar | editar código-fonte]

Não como o gigante de bronze da antiga fama,

Cujos membros subjugam os campos de baixo de si;

Aqui cintilando aos portões do crepúsculo, vê-se

Uma dama robusta com um farol cuja flama

É o relâmpago aprisionado, e ela se chama

Mãe dos Exilados. Da mão que, meiga, se estende

Brilham boas-vindas; o seu olhar compreende

O porto que as nobres cidades gêmeas defendem.

"Segurai, antigas terras, vossa pompa!" diz ela

Com lábios quietos. "Dai-me vossos pobres fatigados,

As multidões que por só respirarem livres zelam,

Resíduos miseráveis dos caminhos fervilhados.

Mandai-os a mim, desabrigados, que a minha vela

Os guiará, calmos, através dos portões dourados!"[4]


Not like the brazen giant of Greek fame,

With conquering limbs astride from land to land;

Here at our sea-washed, sunset gates shall stand

A mighty woman with a torch, whose flame

Is the imprisoned lightning, and her name

MOTHER OF EXILES. From her beacon-hand

Glows world-wide welcome; her mild eyes command

The air-bridged harbor that twin cities frame.

"Keep, ancient lands, your storied pomp!" cries she

With silent lips. "Give me your tired, your poor,

Your huddled masses yearning to breathe free,

The wretched refuse of your teeming shore.

Send these, the homeless, tempest-tost to me,

I lift my lamp beside the golden door!"


O título e as duas primeiras linhas referenciam o Colosso de Rodes, considerado uma das Sete maravilhas do mundo.

A linha "your huddled masses" ("suas massas encurradas") é em referências aos imigrantes[5] que chegavam aos Estados Unidos pelo porto de Nova Iorque, normalmente na Ilha Ellis.

Referências

  1. a b Young, Bette Roth (1997). Emma Lazarus in Her World: Life and Letters (em inglês). [S.l.]: The Jewish Publication Society. ISBN 0-8276-0618-4  p. 3
  2. Felder, Deborah G.; Diana L Rosen (2003). Fifty Jewish Women Who Changed the World (em inglês). [S.l.]: Citadel Press. ISBN 0-8065-2443-X  p. 45
  3. «Emma Lazarus» (em inglês). Serviço Nacional de Parques dos Estados Unidos. Consultado em 17 de Agosto de 2017 
  4. tradução contribuída por Carl Youngblood
  5. Flávia Pegorin (18 de Abril de 2011). «Como foi construída a Estátua da Liberdade?». Mundo Estranho. Consultado em 17 de Agosto de 2017 

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Página oficial do do Liberty State Park sobre o soneto e a autora, Emma Lazarus (em inglês)

Wikisource
O Wikisource contém fontes primárias relacionadas com The New Colossus