The Power of Equality

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
"The Power of Equality"
Canção de Red Hot Chili Peppers
do álbum Blood Sugar Sex Magik
Lançamento 1991
Gravação 1991 na The Mansion em Los Angeles, Califórnia
Gênero(s) Funk Rock
Duração 4:03
Gravadora(s) Warner Bros.
Composição Flea, John Frusciante, Anthony Kiedis, Chad Smith[1]
Produção Rick Rubin
Faixas de Blood Sugar Sex Magik
"If You Have to Ask"
(2)

The Power of Equality é a primeira canção do álbum Blood Sugar Sex Magik da banda Red Hot Chili Peppers. O refrão é um dueto entre o vocalista Anthony Kiedis e o guitarrista John Frusciante. Com exceção do Live at Slane Castle, onde foi usada como faixa que encerrou o show,[2] a canção não foi incluída em outros lançamentos da banda, embora seja frequentemente usada em concertos.

Esta canção foi apresentada no jogo Tony Hawk's Underground 2.[3]

Letra[editar | editar código-fonte]

Este trabalho é interpretado como um protesto contra a desigualdade na sociedade do mundo, preconceito e machismo, principalmente nos Estados Unidos.[4]. Como diz na letra American equality has always been sour/an attitude I would like to devour/my name is peace, this is my hour/can I get just a little bit of power? (A igualdade americana tem sempre sido azeda/Uma atitude que eu gostaria de devorar/Meu nome é paz, Esta é a minha hora/Eu posso ganhar só um pouco de poder?). A canção também cita o Ku Klux Klan, nome de várias organizações racistas dos Estados Unidos que apoiam a supremacia branca e o protestantismo em detrimento de outras religiões. A música termina com a frase What ever happened to humanity (O que sempre aconteceu com a humanidade).

Créditos[editar | editar código-fonte]

Referências