The Spy Who Loved Me

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Este artigo é sobre um filme de 007. Para o livro de Ian Fleming, veja The Spy Who Loved Me (livro).
The Spy Who Loved Me
Pôster promocional
No Brasil 007 - O Espião Que Me Amava[1][2]
Em Portugal 007 - Agente Irresistível[3][4]
007, Espião Irresistível[5]
 Reino Unido
 Estados Unidos

1977 •  cor •  125 min 
Direção Lewis Gilbert
Produção Albert R. Broccoli
Roteiro Christopher Wood
Richard Maibaum
Baseado em Ian Fleming (personagens)
Elenco Roger Moore
Barbara Bach
Curd Jurgens
Gênero aventura
ação
espionagem
Música Marvin Hamlisch
Direção de fotografia Claude Renoir
Direção de arte Ken Adam
Figurino Rosemary Burrows
Edição John Glen
Companhia(s) produtora(s) EON Productions
Distribuição Metro-Goldwyn-Mayer
United Artists
Lançamento 7 de julho de 1977
Idioma inglês
Orçamento US$ 14 milhões
Receita US$ 185.4 milhões
Cronologia
The Man with the Golden Gun
Moonraker
Site oficial
Página no IMDb (em inglês)

The Spy Who Loved Me é um filme estadunidense[1]-britânico[1] de 1977, dos gêneros acção, espionagem e aventura, dirigido por Lewis Gilbert.

É o 10.º da série James Bond e o terceiro com Roger Moore no papel do agente secreto 007. Apesar de ter o mesmo título do livro homónimo do romance de Ian Fleming, a história não foi aproveitada por questões judiciais, por isso os argumentistas Christopher Wood e Richard Maibaum tiveram de reescrevê-lo por completo.[carece de fontes?]

Este filme é também o primeiro após a ruptura da colaboração entre Harry Saltzman e Albert R. Broccolli, sendo que o último, a partir deste filme até GoldenEye, passa a produzir sozinho os filmes Bond. O filme, com grande sucesso quer a nível crítico (nomeado para três Óscares) quer a nível de bilheteira.[carece de fontes?]


Sinopse[editar | editar código-fonte]

Submarinos nucleares britânicos e soviéticos estão a ser roubados em alguns lugares do Mundo. Na Áustria, Bond escapa de uma armadilha feita por soviéticos matando um deles. Esquia pela montanha até saltar de uma ravina e abre um pára-quedas com a bandeira do Reino-Unido. Ao regressar ao país, Bond é informado que alguém está a roubar as rotas secretas dos submarinos. O agente viaja para o Egipto para se encontrar com um vendedor. Encontra-se primeiro com uma agente soviética chamada Anya Amasova que se torna a sua rival. Ambos viajam até Luxor atrás do micro-filme com as rotas dos submarinos. Os superiores dos agentes concordam em torná-los parceiros.

Bond e Amasova viajam até a Sardenha onde a última é salva pelo agente do parceiro de Stromberg, Jaws. Os dois disfarçam-se de casal de biólogos e visitam Stromberg em seu laboratório marinho chamado Atlantis. Após a visita, os dois saem de carro mas são perseguidos primeiramente por helicóptero. Na fuga, o carro submerge no mar e transforma-se num submarino. Ao tentarem espiar a Atlantis são atacados por mergulhadores, e, ao submergirem, por um sidecar e outro veículo. Amasova promete irá matar Bond ao fim da missão, ao saber que ele matou seu amante, que estava em missão na Áustria.

Embarcam em um submarino norte-americano e se aproximam do navio-petroleiro Liparus pertencente a Stromberg. O submarino é capturado pelo petroleiro e Stromberg inicia o seu plano que consiste em lançar duas bombas atômicas a partir de dois submarinos, uma em Nova Iorque e outra para Moscou de modo a provocar uma guerra nuclear. Seu objetivo é recriar a civilização humana sob o mar. Minutos depois, Stromberg pega Amasova e foge para a base Atlantis. Na base, Bond consegue entrar na sala de controle desencadeando um conflito dentro do petroleiro e consegue alterar as coordenadas das bombas que já foram lançadas. As rotas são alteradas para os dois submarinos lancem suas bombas um contra o outro. O petroleiro é afundado e Bond quer ir atrás de Stromberg e Amasova mas os submarinos têm ordem para atacar a base. O agente consegue uns tempos de compasso e dirige-se a Atlantis onde mata Stromberg com uma pistola por baixo da mesa e liberta Amasova. Mas Jaws apanha o agente e após uma luta, o gigante é lançado a um tanque cheio do tubarões. Com a Atlantis sob bombardeio, Bond e Amasova escapam através de uma cápsula. Nela, Amasova aponta um arma a Bond relembrando o que tinha prometido, mas não atira. O britânico e a russa são resgatados pelos seus superiores hierárquicos, enquanto fazem amor.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Produção[editar | editar código-fonte]

Wetbike

Problemas financeiros, doença da esposa e desentendimentos com o sócio Albert L. Broccoli levaram Harry Saltzman a deixar a Eon Productions. Os argumentistas não podiam pegar em nenhuma parte do romance de Ian Fleming a não ser o título, por causa dos direitos de criação da agência criminosa SPECTRE, agência que estava presente no livro, que estavam sendo disputados na justiça por Kevin McClory e a MGM, obrigando a criação de um argumento inteiramente novo. Atrasos na apresentação do novo argumento forçaram o diretor previamente escolhido Guy Hamilton a deixar a direção e Lewis Gilbert foi contratado. O novo argumento parte da ideia de que um navio-petroleiro estaria a roubar submarinos. Apesar de temerem plágio do filme You Only Live Twice, o produtor decidiu avançar com o argumento.

O Lotus Esprit S1 1977 modificado para submersão

Os créditos de abertura ficaram novamente a cargo de Maurice Binder e a canção tema, "Nobody Does It Better", foi composta por Marvin Hamlisch, arranjo de Carole Bayer Sager e gravada por Carly Simon. Hamlisch também foi o responsável pela trilha sonora.

A cena, logo no início do filme, em que Bond salta de paraquedas num precipício, foi realizada pelo dublê Rick Sylvester. O veículo que se transforma em um pequeno submarino é o Lotus Esprit S1.[6] Há também a Kawasaki Z900 sidecar e a Wetbike.[7]

As filmagens ocorreram no Egito, Sardenha, Canadá, Malta, Escócia, Okinawa, Suíça e nos estúdios Pinewood. Já as cenas submersas foram realizadas em Nassau (Bahamas).

Indicações a prêmios 1978[editar | editar código-fonte]

Prêmio Categoria Indicado Resultado
Globo de Ouro Melhor banda sonora original Marvin Hamlisch Indicado[carece de fontes?]
Melhor canção original Marvin Hamlisch (música), Carole Bayer Sager (letra), por "Nobody Does It Better" Indicado[carece de fontes?]
BAFTA Prêmio Anthony Asquith Marvin Hamlisch Indicado[carece de fontes?]
Melhor direção de arte Ken Adam Indicado[carece de fontes?]
Oscar Melhor direção de arte Ken Adam, Peter Lamont e Hugh Scaife Indicado[carece de fontes?]
Melhor canção original Marvin Hamlisch (música), Carole Bayer Sager (letra), por "Nobody Does It Better" Indicado[carece de fontes?]
Melhor banda sonora Marvin Hamlisch Indicado[carece de fontes?]
Portal A Wikipédia tem os portais:

Referências

  1. a b c «007 - O Espião Que Me Amava». Brasil: CinePlayers. Consultado em 19 de janeiro de 2019 
  2. «007 - O Espião Que Me Amava». Brasil: AdoroCinema. Consultado em 19 de janeiro de 2019 
  3. «007 - Agente Irresistível». Portugal: DVDPT. Consultado em 19 de janeiro de 2019 
  4. «007 - Agente Irresistível». Portugal: SapoMag. Consultado em 19 de janeiro de 2019 
  5. «007, Espião Irresistível». Portugal: CineCartaz. Consultado em 19 de janeiro de 2019 
  6. «10 James Bond cars you can afford» (em inglês). CNN Money 
  7. «Maior coleção de carros de James Bond à venda». Quatro Rodas. 20 de fevereiro de 2014 [ligação inativa]
Ícone de esboço Este artigo sobre um filme britânico é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.