The Waste Land

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
The Waste Land
A terra sem vida (PT)
A Terra Inútil (BR)
Autor(es) T. S. Eliot
Idioma Inglês
País  Estados Unidos
Assunto Grande Guerra
Género Poesia
Editor Horace Liveright
Lançamento Outubro de 1922
Páginas 64
Edição portuguesa
Tradução Maria Amélia Neto
Editora Ed. Ática
Lançamento 1972
Páginas 61
Edição brasileira
Tradução Paulo Mendes Campos
Editora Civilização Brasileira
Lançamento 1956
Páginas 58

A Terra Inútil (título no Brasil) ou A Terra sem vida (título em Portugal)[1] (em inglês: The Waste Land) é um poema modernista publicado por T. S. Eliot em 1922. Já foi apelidado de "um dos mais importantes poemas do século XX".[2]

Enquadramento[editar | editar código-fonte]

T. S. Eliot concluiu The Waste Land em Lausanne, Suíça, no período de várias semanas em que foi tratado pelo Dr. Roger Vittoz, médico de Julian Huxley. Eliot atravessava um período de trabalho excessivo e de preocupações familiares e vivia atormentado por problemas de ordem psicológica que afectavam a sua saúde.

"Junto às águas do Léman sentei-me e chorei..."

Em Paris o autor submeteu o manuscrito à apreciação de Ezra Pound, que sugere modificações e extensos cortes e reconhece desde logo a altíssima qualidade do poema[3].

Enredo[editar | editar código-fonte]

O plano de The Waste Land consiste na viagem empreendida por um moderno cavaleiro do Graal através da terra a que se transmitiu a esterilidade do Rei Pescador. Essa viagem levá-lo-à , se tiver a coragem de formular as perguntas certas, a "libertar as águas", curando deste modo o Rei e restituindo a vida à terra. A sinistra Capela Perigosa da lenda faz parte do itinerário[4].

Referências

  1. Carlos Willian Leite. «Os 10 maiores poemas dos últimos 200 anos». Revista Bula. Consultado em 9 de agosto de 2014 
  2. Bennett, Alan (12 de julho de 2009). «Margate's shrine to Eliot's muse». The Guardian. Consultado em 1 de setembro de 2009 
  3. Revista COLÓQUIO/Letras n.º 15 (Setembro de 1973). pág. 65.
  4. Revista COLÓQUIO/Letras n.º 15 (Setembro de 1973). pág. 65.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre poesia ou um poema é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.