Thiago Seyboth Wild

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Tenista Thiago Wild
Thiago Seyboth Wild.jpg
Seyboth Wild no Rio Open de 2018
País  Brasil
Residência Rio de Janeiro, Brasil
Data de nascimento 10 de março de 2000 (20 anos)
Local de nasc. Marechal Cândido Rondon, Brasil[1] Paraná
Altura 1,83 m
Peso 77 kg
Treinado por João Zwetsch
Mão Direita
Prize money US$ 233.261
Simples
Vitórias-Derrotas 7–5
Títulos 1
Melhor ranking N° 113 (2 de Março de 2020)
Ranking atual simples N° 113 (2 de Março de 2020)
Duplas
Vitórias-Derrotas 0–2 (0%

)

Títulos 0
Melhor ranking N° 393 (10 de fevereiro de 2020)
Ranking atual duplas N° 492 (2 de março de 2020)
Última atualização em: 2 de março de 2020.

Thiago Seyboth Wild (Marechal Cândido Rondon, 10 de março de 2000) é um tenista brasileiro. Em simples, seu melhor ranking na carreira foi o de n.113 do mundo, obtido em 2 de Março de 2020. [2]

Carreira[editar | editar código-fonte]

2018: Título de Grand Slam Juvenil[editar | editar código-fonte]

Wild se tornou o segundo brasileiro a ser campeão da chave juvenil de um Grand Slam (US Open), em 9 de setembro, se juntando a Tiago Fernandes.[3] Em 2018, ele também fez semifinal juvenil no Australian Open, e nas duplas juvenis de Roland Garros.

2019: Primeiro título Challenger[editar | editar código-fonte]

Em novembro de 2019, aos 19 anos, venceu seu primeiro Challenger em Guayaquil, entrando pela primeira vez no top 300 mundial. Com o título, ele saltou para a 235ª colocação do ranking mundial, e se tornou o terceiro melhor tenista do Brasil no momento, ficando atrás apenas do cearense Thiago Monteiro e do mineiro João Menezes[4][5]

2020: Wildcards e primeiro título ATP 250[editar | editar código-fonte]

Em fevereiro de 2020, recebe convite para participar do ATP 500 do Rio de Janeiro, onde derrota o top 100 espanhol Alejandro Davidovich por 2 sets a 1 (5/7, 7/6 (7-3) e 7/5) na 1a rodada, no jogo mais longo da história do torneio (3h49). Na rodada seguinte, enfrenta o n.32 do mundo, Borna Coric, perdendo por 7/6 no último set. Com os pontos obtidos, ele entrou no top 200 mundial pela primeira vez em 24 de fevereiro de 2020, saltando para a 182º posição do ranking.[6]

Na semana seguinte, convidado para o ATP 250 de Santiago, Wild realiza a maior campanha de sua carreira: derrota Facundo Bagnis (ex-top 60 mundial), Juan Ignacio Londero (n.63 do mundo) e nas quartas-de-final, o cabeça de chave n.1 do torneio, e campeão do ATP 500 do Rio, o chileno Cristian Garín, n.18 do mundo, por 7/6 e desistência. Com isso, chega a sua primeira semifinal de torneio ATP. Além disso, se garante como tenista n.2 do Brasil. [7] Na semi, derrota facilmente Renzo Olivo por 2 sets a 0, numa das maiores façanhas do tênis nacional masculino: se torna o mais jovem brasileiro a chegar numa final desse nível, superando feitos de Gustavo Kuerten, então com 20, e de Jaime Oncins e Thomaz Bellucci, aos 21 anos. Também se torna o primeiro brasileiro a disputar uma final de nível ATP desde que Thomaz Bellucci foi vice em Houston, em abril de 2017. [8] Na final, derrota Casper Ruud, n.38 do mundo e campeão do ATP 250 de Buenos Aires duas semanas antes, por 2 sets a 1, se tornando campeão do ATP 250 de Santiago, com 19 anos de idade, superando o feito de Guga, que ganhou seu primeiro ATP aos 20 anos. Wild também é o tenista mais jovem a conquistar um título na gira latino-americana de saibro, desde que Rafael Nadal ganhou Acapulco, em 2005, aos 18 anos. De 182º do mundo, deu um salto no ranking da semana seguinte para o 113º posto, bem próximo de uma vaga direta em Roland Garros.[9][10]

Finais de ATP Tour[editar | editar código-fonte]

Simples: 1 (1 título)[editar | editar código-fonte]

Legenda
Grand Slam tournaments (0–0)
ATP World Tour Finals (0–0)
ATP World Tour Masters 1000 (0–0)
ATP World Tour 500 Series (0–0)
ATP World Tour 250 Series (1–0)
Títulos por superfície
Duro (0–0)
Saibro (1–0)
Grama (0–0)
Títulos por configuração
Outdoor (1–0)
Indoor (0–0)
Resultado V–D    Data    Torneio Tipo Superfície Oponente Placar
Vitória 1–0 Mar 2020 Chile Open, Chile 250 Series Saibro Noruega Casper Ruud 7–5, 4–6, 6–3

Finais de ATP Challenger Tour e ITF Futures[editar | editar código-fonte]

Simples: 6 (4 títulos, 2 finalistas)[editar | editar código-fonte]

Legenda
ATP Challenger Tour (1–0)
ITF Futures (3–2)
Resultado V–D Data Torneio Categoria Superfície Oponente Placar
Derrota 0–1 Out 2017 Turquia F39, Antalya Futures Saibro Espanha Jordi Samper-Montaña 6–0, 4–6, 4–6
Vitória 1–1 Nov 2017 Turquia F42, Antalya Futures Saibro Itália Riccardo Bonadio 6–4, 6–4
Vitória 2–1 Abr 2018 Brasil F1, São José do Rio Preto Futures Saibro Argentina Camilo Ugo Carabelli 7–6(7–5), 6–3
Derrota 2–2 Mai 2018 Brasil F4, Curitiba Futures Saibro Brasil João Lucas Reis da Silva 7–6(7–1), 3–6, 2–6
Vitória 3–2 Jun 2019 França M25, Montauban Futures Saibro França Hugo Gaston 6–4, 6–2
Vitória 4–2 Nov 2019 Guayaquil, Equador Challenger Saibro Bolívia Hugo Dellien 6–4, 6–0

Duplas: 5 (3 títulos, 2 finalista)[editar | editar código-fonte]

Legenda
ATP Challenger Tour (0–1)
ITF Futures (3–1)
Resultado V–D Data Torneio Categoria Superfície Parceiro Oponentes Placar
Vitória 1–0 Nov 2017 Turquia F42, Antalya Futures Saibro Equador Diego Hidalgo Turquia Koray Kırcı
Japão Takashi Saito
6–2, 6–3
Vitória 2–0 Mai 2018 Brasil F3, Brasília Futures Saibro Argentina Tomás Martín Etcheverry Brasil Oscar José Gutierrez
Brasil Igor Marcondes
6–7(1–7), 7–6(7–3), [11–9]
Derrota 2–1 Jun 2019 França M25, Montauban Futures Saibro França Dan Added Colômbia Alejandro Gomez
Estados Unidos Junior Alexander Ore
2–6, 2–6
Vitória 3–1 Jul 2019 França M25, Ajaccio Futures Duro França Yanais Laurent Alemanha Fabian Fallert
Alemanha Hendrik Jebens
6–4, 1–6, [10–8]
Derrota 3–2 Nov 2019 Guayaquil, Equador Challenger Saibro Brasil Pedro Sakamoto Uruguai Ariel Behar
Equador Gonzalo Escobar
6-7(4-7), 6-7(5-7)

Finais de Grand Slam Juvenil[editar | editar código-fonte]

Simples: 1 (1 título)[editar | editar código-fonte]

Resultado Ano Torneio Superfície Oponente Placar
Vitória 2018 US Open Duro Itália Lorenzo Musetti 6–1, 2–6, 6–2]

Representação nacional[editar | editar código-fonte]

Copa Davis (0–1)[editar | editar código-fonte]

Grupos
Grupo Mundial (0–0)
Qualifying Round (0–1)
Partidas por Superfície
Duro (0–1)
Saibro (0–0)
Grama (0–0)
Partidas por Tipo
Simples (0–1)
Duplas (0–0)
Partidas por Configuração
Indoors (0–0)
Outdoors (0–1)
Partidas por Sede
Brasil (0–0)
Fora (0–1)
Neutro (0–0)
Grupo Rd Data País adversário Placar Sede Superfície Partida Jogador(es) adversário(s) V/D Placar da partida
2020
QLS PO Mar 2020 Flag of Australia.svg Austrália 1–3 Adelaide Duro Simples 2 John Millman Derrota 6–4, 6–7(0–7), 2–6

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]